ago
06

Postado em 06-08-2009 11:01

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 06-08-2009 11:01

Itamar Franco: “na moleira de Lula”

631938
===============================================

Deu na Tribuna da Bahia

Com o título “Itamar denuncia mentiras de lula”, o jornal Tribuna da Bahia publicou em sua edição de ontem, 5, artigo do jornalísta político Ivan Carvalho, que Bahia em Pauta reproduz e recomenda aos seus leitores.(VHS)
===================================================
OPINIÃO

Itamar denuncia mentiras de Lula

Ivan de Carvalho (05/08/2009)

“Como não chegou às minhas mãos até ontem a revista Época desta semana, li no site-blog www.bahiaempauta.com.br parte da entrevista concedida à revista pelo ex-presidente Itamar Franco, que acaba de ingressar no PPS, um dos quatro partidos representados no Congresso e formalmente na oposição – os outros três são o PSDB, o Democratas e o Psol de Heloísa Helena, Luciana Genro e futuramente, tudo indica, do delegado Protógenes Queiróz, o novo super-herói nacional.

Um dos alvos do ex-presidente Itamar Franco na entrevista é o presidente Lula. A uma pergunta sobre a altíssima popularidade do atual presidente, indicada nas pesquisas de opinião, e sobre como deveria Lula usar essa popularidade, Itamar chegou a ser cruel: “O presidente hoje é um homem popular. Mas hoje o presidente, diante dessa popularidade, se sente um ser absoluto. Ele acha que é insubstituível. Ele acha que só ele fez alguma coisa pelo Brasil, ninguém mais. O Brasil surgiu com ele – e é capaz de achar que vai acabar com ele. Às vezes a gente fica pensando se não foi o presidente quem abriu portos, e não D. João VI. Mas ele tem a sua responsabilidade – e às vezes não se cobra essa responsabilidade”.

Paulada na moleira de um presidente no cargo, assim, tenho visto poucas e nenhuma partindo de alguém com a responsabilidade, a majestade e a credibilidade de um vice-presidente. Ainda que com o temperamento do ex-presidente Itamar Franco. Na segunda-feira, talvez até inspirado na severidade de Itamar em relação a Lula, outro ex-presidente, Fernando Collor, emergiu das sombras do Senado com uma estranha frase em que mandava o líder o senador peemedebista Pedro Simon a “engolir” suas palavras quando o citasse. “Engula, dirija e…faça o que quiser”. Ora, se Lula tem a língua presa, descobre-se agora que o ex-presidente Collor enrola a língua. Bem servido está outro ex-presidente da República, José Sarney, a quem os dois se esforçam por defender. Mas voltemos a Itamar Franco, que só tem (ou teve) o inocente costume de enrolar as namoradas. Melhor dizendo, voltemos à sua entrevista, na parte em que se refere a Luiz Inácio Lula da Silva: “O presidente falou outro dia: ‘Teve gente que chegou a falar: nós precisamos nos desfazer do último paquiderme brasileiro, a Petrobras’. Por que o presidente não dá nomes? Ele chega a ser de uma irresponsabilidade…E a oposição brasileira não cobra! Eu cobro: presidente, quem queria vender o paquiderme? Como ninguém cobra, ele solta as frases e fica por isso mesmo”.

Traduzindo para linguagem ainda mais simples. Itamar Franco está acusando Lula de inventar acusações contra os adversários. No caso específico, Lula teria inventado que alguém (quando no poder, claro, do contrário não faria sentido) afirmou: “Nós precisamos nos desfazer do último paquiderme brasileiro, a Petrobras”. E desafia Lula a dizer o nome ou os nomes do autor ou autores desta sentença. Acusa Lula, claramente, de inventar, acusar falsamente, com imprecisão e não provar nada.

No popular, diz o ex-presidente Itamar que o presidente Lula mente à população. E todo mundo – menos ele, Itamar – engole e digere passivamente as mentiras presidenciais.

ago
05

Postado em 05-08-2009 23:24

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 23:24

Menos pobres apesar da crise/DN-Lusa
cristo

=================================================
Deu em Portugal:

A conclusão do estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada(IPEIA), revelando que cerca de quatro milhões de brasileiros saíram da condição de pobreza nas regiões metropolitanas do país nos últimos sete anos, mereceu nesta quarta-feira (5) maior destaque no Diário de Notícia, jornal de grande circulação em Portugal, que na maioria dos principais jornais brasileiros.

Ilustrada com uma bela foto da estátua do Cristo Redentor, no alto do Corcovado, que parece flutuar sobre a cidade do Rio de Janeiro, a reportagem destaca também que, apesar da crise mundial, o Brasil continuou a diminuir a pobreza e a desigualdade nas principais regiões metropolitanas do País, incluindo Salvador.

De acordo com o estudo, o número de pobres no Brasil caiu de 18,5 milhões em Março de 2002 para 14,5 milhões em Junho deste ano. Na avaliação do presidente do IPEA, Marcio Pochmann, a queda deve-se ao aumento do ritmo da expansão económica brasileira a partir de 2004, à recuperação do emprego, elevação do salário mínimo e a programas de transferência de renda, principalmente o Bolsa-Família, que atinge os 20 por cento mais pobres da população.

A matéria do DN assinala que , ao contrário do que se verificou em períodos anteriores de crise – 1982 a 1983, 1989 a 1990 e 1998 a 1999 – houve uma redução da pobreza no Brasil de Outubro de 2008 a Junho de 2009, quando o Brasil sentiu as turbulências internacionais. Em plena crise mundial, a taxa de pobreza no Brasil caiu 2,8 por cento, com 503 mil pessoas a saírem da miséria.

Para Pochmann, isso é fruto de decisões do actual governo e também de administrações anteriores que ajudaram a construir uma rede de protecção social para os segmentos mais vulneráveis da sociedade brasileira. O estudo do IPEA registou também queda na medida de desigualdade na renda para as seis principais regiões metropolitanas brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre – durante as turbulências internacionais.

Pochmann destacou que a crise no Brasil, que atingiu mais o sector industrial, acabou por favorecer a redução da desigualdade. “Houve uma redução das maiores remunerações frente à crise e, ao mesmo tempo, mantiveram-se as políticas de proteção dos rendimentos daqueles que estão na base da pirâmide social”, explicou.

O economista salientou, entretanto, que a distribuição de rendimentos no Brasil ainda é insatisfatória. “O Brasil precisa de uma ação contínua ao longo dos anos, porque a desigualdade de rendimento do trabalho nas regiões metropolitanas está nove pontos percentuais acima do que seria considerado civilizatório”, concluiu.

(Postado por: Vitor Hugo Soares, com informações do Diário de Notícias, de Lisboa, e agência de notícia LUSA)

ago
05

Postado em 05-08-2009 20:22

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 20:22

Servidores do senado escutam Sarney/ÉPOCA
servidores

=====================================================

O senador amazonense Arthur Virgílio, líder do PSDB , nem deixou esfriar o sangue e arrefecer a palidez da face do presidente do Senado, Jose Sarney, Direto do plenário em que o político maranhense “fez seu discurso pacificador e de subentendidos recados”, Virgilio voltou ao ataque em entrevista à revista virtual Terra Magazine. “Foi vago (o discursdo) e não respondeu às acusações que foram feitas”. E o mais grave: “O presidente da Casa faltou com a verdade em alguns episódios”, acusou o líder tucano.

Ne conversa com o reporter Marcelo Rocha, que assina o texto de Terra Magazine, Arthur Virgílio já admite licença de Sarney, em lugar da exigência da renúncia. “Sou a favor da renúncia, mas se a união das forças todas se der pela licença, tudo bem”, admite o senador amazonense.

– O importante é que a licença se faça.

O senador, que cobrava radicalmente a renúncia de Sarney, agora relata que “há mais líderes rumando para cobrar dele a licença”. E acrescenta: “Já vejo que isto está ganhando corpo entre mais líderes. Daqui a pouco teremos mais do que 41 votos”.

LEIA INTEGRA DA MATÉRIA EM TERRA MAGAZINE (http://terramagazine.terra.com.br)

(Postado por: Vitor Hugo Soares )

ago
05

Postado em 05-08-2009 18:51

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 18:51

Katia Abreu(DEM): vantagens da idade
senadoraDeu na revista:

CARTA CAPITAL, na coluna Rosa dos Ventos, assinada pelo jornalista Maurício Dias, publica o seguinte comentário sobre o Ministério Público e os jovens procuradores que enfrentam o fogo cruzado da crítica, acusados de “excessos” em razão da pouca idade.Vale reprodução no Bahia em Pauta. Confira. (Vitor Hugo)
=======================================================
ROSA DOS VENTOS – Maurício Dias

MINISTÉRIO PÚBLICO

Procuradores jovens vs. a retórica

“A independência do Ministério Público, alcançada com a Constituição de 1988, incomoda muita gente. Só depois das novas regras constitucionais o Brasil passou a acompanhar, surpreendido, as agruras dos criminosos de colarinho-branco estampadas no noticiário policial.

A partir daí, é bom lembrar, surgiu o debate sobre o desconforto das algemas e dos camburões, impulsionado pela ação dos procuradores que investigam e denunciam figurões que se julgavam impunes.

Na sabatina do Senado com o novo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, falou-se, porém, da proposta de fixar a idade mínima na inscrição de concursos para juizes, promotores e procuradores.

Eis aí um golpe contra a ação de jovens procuradores. A senadora Kátia Abreu (DEM) afirma: “A idade tem suas vantagens. Traz equilíbrio, ponderação e bom senso”

No Senado, cujo ingresso não se faz com menos de 35 anos, há poucos exemplos dos predicados exigidos pela senadora Kátia. Experiência, corre o risco de não passar de um facho de luz virado para trás.

De qualquer forma, os excessos dos jovens procuradores de hoje são melhores para o futuro da democracia brasileira do que as omissões dos velhos procuradores de ontem.

ago
05

Postado em 05-08-2009 13:59

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 13:59

Palavra de Paulo Carneiro

carneiro

================================================
Deu no “Em Tempo”, a coluna do jornalista Alex Ferraz na Tribuna da Bahia nesta quarta-feira(5).

Promessa é dívida

“Quando ainda era Vitória ferrenho, certa vez Paulo Carneiro jurou que iria “acabar com o Bahia.” Agora que virou tricolor, está cumprindo a ameaça”.
=======================================================
Bahia em Pauta comenta: Na mosca!.

ago
05

Postado em 05-08-2009 12:54

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 12:54

Jobim: martelo batido na Infraero
jobim
==================================================

Martelo batido: nesta terça-feira(4) , depois de muitas reviravoltas e estresse nos gabinetes políticos, administrativos e militares de Brasília, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou que seu chefe de gabinete, Murilo Marques Barbosa, assumirá a presidência da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), estatal responsável por administrar 67 dos principais aeroportos do país.

Murilo, uma aposta in pectore de Jobim (PMDB) e das grandes companhias aéreas brasileiras, será o substituto do baiano Sergio Gaudenzi , que deixou o cargo no fim do ano passado por discordar da política de privativação dos aeroportos mais rentáveis do País, no Rio e São Paulo.

Barbosa vai substituir o tenente-brigadeiro Cleonilson Nicácio Silva, que ocupava o cargo interinamente desde dezembro de 2008, quando Gaudenzi pediu o boné e a disputa pelo cargo pegou fogo. Segundo notícia divulgada pela Agência Brasil, ainda não há data definida para a posse de Barbosa. O anúncio ocorreu quando Jobim deixava o Congresso Nacional, onde participou da sessão em comemoração aos dez anos de criação do Ministério da Defesa.

Engenheiro eletricista, Barbosa preside o Conselho Fiscal da Infraerodes desde outubro de 2007. Também atuou como assessor especial do ministério nas áreas espacial, nuclear e de tecnologia de defesa. Há quem jure ter ouvido o espoucar de garrafas de champagne abertas nos escritórios das mais poderosas empresas de aviação depois do anúncio do ministro Jobim.

A conferir

(Postada por Vitor Hugo Soares)

ago
05

Postado em 05-08-2009 11:43

Arquivado em ( Multimídia) por vitor em 05-08-2009 11:43


Nesta quarta-feira, 5/7, a música para começar o dia no Bahia em Pauta é “Tarde em Itapuã”, de Vinícius de Moraes. Vai como uma singela contribuição deste site-blog ao movimento em defesa da concessão post mortem do título de Embaixador e a inauguração em frente ao Palácio do itamaraty , no Rio, da Praça Embaixador Vinícius de Moraes.

Nada mais justo. Afinal,quem faz uma canção como esta (interpretada neste vídeo por Gilberto Gil e Toquinho), merece uma praça em cada cidade do Brasil. Confira.

(Vitor Hugo Soares)

ago
05

Postado em 05-08-2009 11:25

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 11:25

O poeta Embaixador
praça
——————————————————————–
“Lula vai receber 485 assinaturas , de intelectuais e diplomatas, pedindo que Vinícius de Moraes seja promovido post mortem a embaixador.O poeta foi cassado em 1969 como conselheiro do Itamaraty. Amigos querem dar o nome de Embaixador Vinícius de Moraes à praça em frente ao Itamaraty, no centro” ( do Rio de Janeiro).

=======================================================

Bahia em Pauta comenta: este site-blog, mesmo sem força nenhuma, dá a maior força em defesa da idéia do documento que vai ao presidente da República, e da Praça Embaixador Vinícius de Moraes. Até porque, mesmo sem ser filho da terra, foi ele um maginifico chanceler da Bahia, em especial do principado de Itapuã, no país e no mundo.

(Vitor Hugo Soares)

ago
05

Postado em 05-08-2009 00:54

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 05-08-2009 00:54

Osvaldo Barreto na SEC
Barreto
==================================================
Está cumprida a passagem de mais de dois anos e meio de insucessos do técnico em tempo integral, Adeum Sauer, à frente da Secretaria de Educação do governo Jaques Wagner(PT). Depois de trombar com professores durante largo período, tatear em busca de uma diretriz  jamais alcançada em sua pasta – crucial nos planos administrativos petistas-, e perder prestígio dentro do primeiro escalão do governo, Sauer acabou tropeçando de vez em um desbocado Chico Bento, levado estranhamente em tirinhas de quadrinhos para dentro das escolas públicas baianas. Era só o que faltava para o governador decidir-se a afastar o secretário que tornara-se incômodo.

Sauer prefere não estender-se em explicações sobre os motivos de sua saída, embora saiba seguramente que a história de Chico Bento não passa da gota que entornou o cálice de vinagre . Isso cabe ao governador, é uma decisão dele“, diz o ex-secretário. “Mas não creio que tenha nenhuma ligação com a tirinha.  São coisas estruturais da gestão da educação“, apressa-se em dizer o secretário de Comunicação, Robson Almeida. O fato é que o antigo lugar de Sauer já tem dono: o professor da UFBA, Osvaldo Barreto Filho, por escolha “in pectore” do governador Wagner.

Baiano de Itapicuru, diplomado em Economia, mestre em Administração com experiência de sucesso na direção da Faculdade de Administração da UFBA, no reitorado do professor Heonir Rocha,  Barreto ocupava ultimamente a direção da FAPEX, na administração atual de Naomar de Almeida Filho. O novo secretário de Educação,  por sinal,  foi um dos condutores da campanha que levou Naomar à Reitoria da Universidade Federal desde o primeiro mandato, ao lado do atual presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, que então dirigia a Faculdade de Economia.

Barreto e Gabrielli, amigos pessoais, sempre representaram duas expressões de peso do PT baiano no âmbito acadêmico. O professor Osvaldo Barreto foi, igualmente, um dos quadros da primeira hora na transição do governo Wagner. Convidado para assumir a Secretaria de Administração, declinou na época. Preferiu retornar à UFBA, onde aparenta se sentir “em casa”, desde o tempo da intensa militancia política dos anos 70 até agora, quando é convocado mais uma vez pelo companheiro Jaques Wagner para o exercício de tarefa crucial na Educação, nesta encruzilhada do governo petista na Bahia.

A posse do puro sangue petista ainda não está marcada, mas qualquer dia que seja, haverá festa  no Centro Administrativo.

(Postada por Vitor Hugo Soares)

ago
04

Postado em 04-08-2009 18:55

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 04-08-2009 18:55

Deu no Boletim
=======================================================

O advogado Inácio Gomes, colaborador deste site-blog, leu no Boletim Informativo da Associação dos Docentes da Universidade de Feira de Santana (UEFES) a seguinte nota sobre tropeços, vacilações e ineficências administrativas do Estado, que o Bahia em Pauta compartilha com seus leitores. A nota foi publicada no dia 18 de julho passado, mas segue atualissima. Quem sabe alguém ou alguma coisa se mexe? (VHS)

=======================================================

Estado impotente para cobrar débito de R$ 6,9 bi

“O Estado da Bahia possui R$ 6,966 bilhões de dívida ativa. Em outras palavras, este é o volume de tributos devidos por contribuintes aos cofres públicos, cobrados pelo governo na Justiça, segundo a Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Se resgatados, poderiam ajudar a aliviar a grave dificuldade financeira enfrentada, inclusive com o atraso no pagamento de fornecedores e prestadores de serviços.

Os créditos tributários são dados de tal maneira como irrecuperáveis pelo Estado, que, no último balanço divulgado pela Secretaria da Fazenda, de 2008, quando a dívida estava em R$ 6,797 bilhões, ele provisionou praticamente todo o valor como perda (R$ 6,792 bilhões). Ou seja, o governo considera ser capaz de recuperar apenas R$ 5 milhões do montante total da dívida. Em bom português, o Estado não conta mais com 99,92% desse dinheiro ou reconhece que dificilmente terá este valor em caixa.

A Bahia tem índices de recuperação de créditos menores que a média do País, que fica em torno de 1%. No exercício de 2008, recuperou apenas 0,46% da dívida.

Em Goiás, em só um ano, o parcelamento saiu de R$ 40 milhões para R$ 800 milhões. Tem um retorno fantástico. O Governo da Bahia tem essa discussão, mas está parada. A última informação é que está dependendo de sistema informatizado

Neste ponto, o Estado da Bahia está atrás de Sergipe, Pernambuco e Rio Grande do Sul, dentre outros.

Na visão do especialista em contabilidade pública e professor da Ufba, Pedro Gomes, um grande volume de dívida ativa significa falha na gestão e falta de empenho do Estado para cobrar.

“O Estado não tem medidas céleres para recuperar o crédito tributário, a tendência é ele não recuperar nunca mais”, considera o diretor de Assuntos Econômicos e Financeiros do Instituto dos Auditores Fiscais da Bahia (IAF), Sérgio Furquin.

  • Arquivos

  • outubro 2019
    S T Q Q S S D
    « set    
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031