ago
12

Postado em 12-08-2009 09:55

Arquivado em ( Artigos, Eventuais, Multimídia) por vitor em 12-08-2009 09:55


================================================

Palavra de Tom Tavares

Chegou à caixa de correio eletrônico do editor do Bahia em Pauta a seguinte mensagem do músico baiano (dos melhores) Tom Tavares:
==============================================
Bahia em Pauta publica a seguir, como registro histórico de notável atualidade, o artigo referido por Tom, que revela também como pensar e opinar eram hábitos saudáveis na Bahia e no Brasil de então Confira.

Amigos: O meu pensamento sobre a Ordem dos Músicos do Brasil está explicitado no artigo abaixo (escrito há quase dez anos) e publicado no Caderno 2 do Jornal A TARDE – Salvador – Bahia, no dia de ontem, 10 de agosto de 2009.
Posso estar enganado, sim. Mas, não engano ninguém. Todo mundo sabe o que eu penso.
Um abraço,
Tom Tavares

(Vitor Hugo Soares)

=====================================================

OPINIÂO

NATIMORTA

Tom Tavares

Na metade dos anos cinqüenta, começou a aparecer uma moçada fazendo um som diferente. Simples e direto. Em verdade, eram duas vertentes que surgiam: uma tocava o violão baixinho, cantava baixinho, fazendo um samba de um jeito diferente, de uma nova maneira, uma bossa-nova. A outra turma era um pouco mais barulhenta, mais expansiva, também menos requintada. Pegava a guitarra e, com alguns poucos acordes, construía o que musicalmente queria dizer: ensaiava os primeiros passos do rock’n’roll brasileiro.

Dizendo assim, parece que era, apenas, brincadeira de turma de bairro, de grêmio acadêmico, nada de muito conseqüente. Ledo engano. Aquela meninada do banquinho e violão virou a cabeça da geração zona-sul enquanto o rock’n’roll made in Brasil assumia lugar de destaque, principalmente nos bairros periféricos.

Quando isso aconteceu, os acadêmicos se indignaram. Perguntavam-se como uma turminha que mal fazia três acordes podia assumir a profissão. A profissão – pensavam eles – era pra quem sabia decifrar uma partitura, registrar os sons no pentagrama. Ou seja: somente eles mesmos poderiam ser músicos, lendo e tocando o que estava escrito. Enquanto eles pensavam, as turmas da bossa e do rock ficavam cada vez mais famosas e ocupavam os programas radiofônicos chegando, assim, a todo o Brasil.

A coisa chegou a um ponto tal, que os músicos tradicionais letrados, ameaçados em seu campo e visando a clássica reserva de mercado, buscaram no Congresso Nacional um jeito de acabar com aquela – segundo linguajar da época – invasão da meninada travessa. Como no futebol, diante do perigo de gol, gritaram pro bandeirinha, requerendo a aplicação da lei do impedimento. E, conseguiram: no dia 22 de dezembro de 1960, o Presidente Juscelino Kubitschek assinou a Lei 3.857 que, no seu artigo primeiro, dizia: “Fica criada a Ordem dos Músicos do Brasil com a finalidade de exercer, em todo o país, a seleção, a disciplina, a defesa da classe e a fiscalização do exercício da profissão do músico.”

Ora, presidente JK, quem seria esse ser supremo capaz de selecionar, determinar, quem pode ou não pode ser músico? Quem teria autoridade para dizer se Armandinho Macedo – por não saber ler uma nota no pentagrama – pode ou não pode ser músico? Em quem avultaria tamanha autoridade para dizer se aqueles quatro cabeludos de Liverpool podiam ou não ser músicos, já que eles também não sabiam ler uma partitura?

Ninguém, eu respondo. Nenhuma banca examinadora do mundo. Nem Beethoven, nem Tom Jobim, nem Bach, nem Mozart, nem ninguém! Quem determina se alguém pode ou não ser músico é o público. Sim, exatamente. É o público quem decide se quer ouvir o artista X ou dançar ao som do Y. Só ao público cabe a escolha entre um show de axé e um concerto da Orquestra Filarmônica de Berlim. É também sua a prerrogativa de comprar o cd – seja lá do que ou com quem for – que lhe atenda ao gosto. Se o público gosta daquele músico, quer aquele como o seu músico, então, AQUELE é o músico.

A Ordem dos Músicos do Brasil – um rascunho mal desenhado de ópera bufa – não tem competência para cumprir, sequer, o que determina o primeiro artigo da lei que a criou. E, se nem a primeira ação que lhe justificaria a criação ela consegue praticar, chegamos à conclusão de que é natimorta.

Assim sendo, no dia em que teria nascido, 22 de dezembro de 1960, morreu a Ordem dos Músicos do Brasil.

Tom Tavares – Compositor, regente, radialista, professor da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia.

E-mail: tomtavares10@gmail.com

ago
11

Postado em 11-08-2009 23:59

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 11-08-2009 23:59

Suu Kyi: líder condenada
nobel
===================================
O secretário-geral das Nações Unidas Ban Ki-moon exigiu nesta terça-feira(10) a libertação da líder da oposição birmanesa e Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, condenada a uma pena de 18 meses de prisão por um tribunal em Rangum.

Em comunicado, Ban Ki-moon apelou à junta militar birmanesa para a libertação “imediata e incondicional” de Suu Ky, acrescentando que o gesto poderia ser encarado como “um fator fundamental no processo de diálogo e reconciliação” nacional. “O secretário-geral está profundamente decepcionado com o veredicto e lamenta muito esse gesto”, acrescentou a mesma nota.

A líder da oposição birmanesa e Prêmio Nobel da Paz foi considerada culpada por ter violado as condições da pena de prisão domicilir que cumpria ao ter deixado entrar em sua casa um cidadão norte-americano.

O tribunal a tinha condenado inicialmente a três anos de prisão com trabalhos forçados, mas após uma suspensão da audiência por cinco minutos, o ministro do Interior birmanês, general Maung Oo, entrou na sala para anunciar que o chefe da junta militar, Than Shwe, decidira reduzir a pena para 18 meses de prisão domiciliar.

ago
11

Postado em 11-08-2009 21:26

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 11-08-2009 21:26

João Leão: PP no governo petista
leão

============================================
Deu no site de Chico Bruno
(http://www.chicobruno.com.br)

“A confirmar
João Leão no secretariado de Wagner

O deputado federal João Leão (PP) pode ser o novo secretário de Infraestrutura da Bahia. Ele substituirá o peemedebista Batista Neves que entregou o cargo com o rompimento entre o PMDB e o PT.

Leão, como prefeito de Lauro de Freitas foi o responsável pela duplicação do trecho da Estrada do Coco no município.

Confirmado o nome de Leão, com certeza a estrada será revitalizada. Uma boa notícia para Lauro de Freitas, que a partir de agora poderá ter dois ex-prefeitos no secretariado de Jaques Wagner (PT).

ago
11

Postado em 11-08-2009 19:41

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 11-08-2009 19:41

Barreto e Wagner na posse: pacto com a Escola
barreto
Barreto na Educação: posse de peso
obarreto
=================================================
Quem esteve no auditório do Instituto Anísio Teixeira na tarde desta terça-feira (10), na concorrida solenidade de posse do novo secretário de Educação do estado da Bahia, Oswaldo Barreto, teve a primeira mostra do perfil polivalente de educador, gestor e político do responsável por tocar o projeto do governo de Jaques Wagner na área do ensino a partir de agora. Os presentes tiveram também a nítida noção de quanto tempo a administração petista perdeu antes de chegar a solução tão obvia.

De saída, o novo secretário fez questão de revelar seu perfil multiplo, com nítida marca política, ao propor “um pacto com a Bahia, que envolva vários setores da sociedade, inclusive políticos,- no sentido do fortalecimento da escola, que será o foco absoluto da nossa secretaria” assinalou Barreto. O novo secretário, durante a coletiva, convocou a imprensa para que o ajude na obtenção “de um pacto com a Bahia em favor da escola”.

Segundo o novo secretário, não adianta nada ficar trabalhando de forma pontual, “apagando incêndios, quando existe um problema maior de estruturação da vida nas escolas”. Mais do que simplesmente cumprir a tarefa burocrático-administrativa de contratar e nomear mais professores para as escolas do estado, Barreto fez questão de deixar claro em seu discurso de posse e na entrevista coletiva que deu em seguida, que vai atacar com decisão as deficiências visíveis de gestão e a falta de motivação no ensino baiano, causas evidentes do desempenho deficiente e dos resultados precários conseguidos até aqui na área educacional.

EDUCADOR E GESTOR- De saída, Barreto revelou já ter negociado com a Casa Civil do governo e a Secretaria de Administração a contratação imediata de profissionais para acabar com o déficit de professores – 1. 600 segundo o novo secretário – nas salas de aula. Também anunciou um mutirão para agilizar os processos de aposentadoria dos docentes. Uma das suas primeiras ações, segundo destacou, será a integração entre as áreas técnica e programática da secretaria, o que, segundo ele, resultará na melhoria da gestão da pasta, melhorando, consequentemente, a qualidade do ensino.

Politicamente preocupado em não ferir suscetibilidades internas no governo petista, Barreto explicou que o governo estadual tem um projeto na área educacional e que no convite que recebeu do governador Jaques Wagner, veio embutido o pedido “de dar mais celeridade aos processos de execução das ações programárticas da secretaria”.

“Eu tenho um perfil de tradição profissional na área de educação, mas também tenho um perfil de gestor público, e certamente este estilo vai estar presente durante minha passagem pela secretaria”,

O pontapé inicial foi dado, meio tarde, mas foi dado. Falta o gol!

( Postado por: Vitor Hugo Soares)

ago
11

Postado em 11-08-2009 14:54

Arquivado em ( Charges, Multimídia) por vitor em 11-08-2009 14:54

bigode

ago
11

Postado em 11-08-2009 12:34

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 11-08-2009 12:34

Perguntar não ofende:

Quem viu de perto jura, de pés juntos, que beirou o fiasco o encontro do governador de São Paulo (PSDB) com seus companheiros tucanos da Bahia, realizado na tarde de segunda-feira(9), no Hotel Fiesta, no elegante bairro de Itaigara.

A impressão dominante é a de que faltou quimica, como a que sobrou nos encontros de Serra com o colega petista, Jaques Wagner; com o senador do DEM, Antonio Carlos Magalhães Junior e o deputado ACM Neto; e mesmo com o prefeito João Henrique , durante a visita ás obras do metrô de Salvador.

Nestas passagens, o governador paulista sempre se apresentou bem humorado, livre, leve e solto, em seu aprendizado de “política baiana”, que ele disse considerar uma das melhores escolas do País.

No encontro no Fiesta com os tucanos baianos, comandado por Jutahy Jr e Antonio Imbassahy , o governador José Serra parecia contrafeito, mais fechado e enfadado, como quem procura a primeira porta de saída à vista, para escapar à francesa. Os mais venenosos asseguram que Serra não passou mais de 10 minutos ao lado do alto tucanato da Bahia.

A pergunta que não quer calar:

O que teria mexido com o bom humor de Serra, verificado na maior parte do tempo que ele passou na capital baiana: o tira-gosto, ou os discursos servidos ao provável candidato do PSDB á sucessão de Lula em 2010?

(Postado por; Vitor Hugo Soares)

ago
11

Postado em 11-08-2009 11:06

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 11-08-2009 11:06

Sábado na Garibaldi
Fora

Deu na coluna:
===================================================

O jornalista Ancelmo Goia publica em sua coluna, no jornal O Globo, a seguinte nota:

“FORASARNEY.COM – A rede de irternautas formada para protestar contra Sarney agendou para sábado que vem, dia 15, manifestações de rua em São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Londrina, Curitiba, Recife e São Luis.

A do Rio está marcada para as 14h, em frente ao Posto Seis, em Copacabana’.

====================================
Bahia em Pauta acrescenta: A manifestação “Fora Sarney” de sábado, em Salvador, será também às 14h, na Avenida Garibaldi. (VHS)

ago
11

Postado em 11-08-2009 10:14

Arquivado em ( Multimídia) por vitor em 11-08-2009 10:14

A música para começar o dia no Bahia em Pauta, nesta terça-feira, 11 de agosto, vem da Itália e tem a marca do romantismo em sua máxima expressão. É “Non ho l´etat” (Não tenho idade), magnificamente cantada por Gigliola Cinqueti, na flor da idade e na plenitude de sua capacidade interpretativa. É um vídeo gravado durante apresentação ao vivo, provavelmente em Paris, pela presença de uma jovem tradutora que faz a versão da música para a o francês, em combinação mais que perfeita. A indicação do vídeo de hoje é da jornalista e revisora deste site-blog, Margarida Cardoso, que chama a atenção para a singeleza da letra da canção, traduzida também para o português. Pura maravilha! Confira.

(Postado por: Vitor Hugo Soares)

ago
10

Postado em 10-08-2009 23:02

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 10-08-2009 23:02

Serra e Wagner: descontração
joserra
===================================================
Na sua primeira visita à Bahia desde que o Democratas e o PSDB estaduais resolveram reconciliar-se depois de mais de 20 anos de turbulências políticas que em vários momentos viraram guerras declaradas no estado, o governador de São Paulo, José Serra, deu duro:apertou muitas mãos, visitou aliados, deu entrevistas, gastou sola de sapato para assinar acordos com o governador Jaques Wagner(PT) e visitar obras com o prefeito João Henrique(PMDB), mas fugiu o tempo inteiro de qualquer manifestação pública sobre sucessão presidencial em 2010.

Em sua passagem baiana, Serra pareceu sempre bem mais com os antigos pessdistas da terra, que com um tucano e, muito menos com o ex- militante de Ação Popular (AP) que participou em Salvador do histórico congresso de reconstrução da União Nacional dos Estudantes há três décadas.

No encontro com o governador da Bahia, para a assinatura de 7 acordos entre os dois estados para o combate à sonegação fiscal, Serra chamou o petista Wagner de “amigo” e fez jogo de palavras que lembram o extinto PSD. “Meu amigo Jaques Wagner, nós não estamos em campos antagônicos, mas sim não-coincidentes”, disse o tucano. E fez mais: elogiou o atacante baiano Obina “agora goleador do meu Palmeiras”, além de defender a volta do time do Bahia, que arrasta lata atualmente na segunda divisão, para o grupo de elite do futebol brasileiro.

TEMPO E FÕLEGO – O em geral sisudo governador de São Paulo sorriu quase o tempo inteiro de sua passagem por Salvador. Até quando o governador Wagner defendeu a candidatura da ministra Dilma Rousseff à presidência: “Meu amigo José Serra, se tudo continuar nesta tendência, teremos dois candidatos de muita qualidade em 2010. E o Brasil só tem a ganhar com isso.”, disse Wagner. Depois desejou “muita sorte” a seu colega paulista, mas, no caso da disputa presidencial, “só um pouco menos que a minha candidata”.

Mais cedo, antes de encontrar com Jaques Wagner e com o prefeito João Henrique Carneiro (PMDB) ( com este último percorreu as amarradas obras do metrõ de Salvador), Serra concedeu entrevistas para emissoras de rádio e televisão.E ainda arranjou tempo e fôlego para uma reunião reservada com o senador Antonio Carlos Magalhães Junior (DEM-BA), o deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM) e com o presidente estadual do PSDB, Antonio Imbassahy.

Ufa!

(Postado por: Vitor Hugo Soares)

ago
10

Postado em 10-08-2009 18:47

Arquivado em ( Artigos, Olivia) por vitor em 10-08-2009 18:47

Tito
===============================================

MEMÓRIA
Lembrando Frei Tito

Maria Olívia

Nesta data, no ano de 1974, Frei Tito de Alencar Lima se matou, aos 28 anos, em Arbresle, Sul da França, por não suportar as dores do exílio e as sequelas das torturas comandadas pela equipe de Sergio Fleury, em São Paulo, 1969. Foi o fim de um período de sofrimento para este cearense, frade dominicano, preso e barbaramente torturado, atormentado até a morte pela voz dos torturadores.

Importante lembrar esta página da nossa história. Frei Tito precisa ser conhecido pelos jovens brasileiros, este homem que acreditava no Evangelho e nas mudanças da sociedade. Em um Brasil mais justo e fraterno, sem tantas desigualdades. Diante de tantos enganos políticos, de tanta corrupção e violência vamos render nossas homenagens a este religioso que tanto lutou por um novo país, pelas liberdades, pelo movimento estudantil e contra a ditadura militar.

Uma dica : Assista ao filme Batismo de Sangue – de Helvécio Ratton, que também participou ativamente da luta contra a repressão -, baseado na história que Frei Beto contou em livro sobre Frei Tito e outros dominicanos durante a ditadura. Filme obrigatório.

Maria Olivia é jornalista

  • Arquivos

  • Fevereiro 2019
    S T Q Q S S D
    « jan    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728