maio
19

Postado em 19-05-2009 12:37

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 19-05-2009 12:37

A jornalista Rosane Santana informa de Boston (EUA) :

“MUDANÇAS COSMÉTICAS- Advogados e grupos de direitos humanos classificam de “cosméticas” as mudanças propostas por Barack Obama, nos tribunais militares, para julgamento dos presos de Guatanamo e afirmam que continuarão a desafiá-los como um erro do sistema, em matéria publicada no The New York Times desta terca-feira (19/05). Advogado diplomado pela prestigiosa Harvard University e um mestre em retórica, Barack Obama disse, na semana passada, mas não convenceu, que ”as reformas começariam a restaurar as comissões como um forum legítimo”, depois de prometer extinguí-las, em discurso pomposo, durante a campanha e nos primeiros dias de seu governo. Há quem aposte que o próximo passo do midiático presidente será abandonar a idéia de fechar Guatanamo, para regozijo de Bush e dos republicanos.

E la nave va”.

maio
19

Postado em 19-05-2009 11:26

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 19-05-2009 11:26

Ausência sentida
paulo

Em tempo de homens partidos, como diz a poesia de Drumond, e de parlamentares sem preparo e sem compromisso com absolutamente nada, a Bahia celebra nesta terça-feira (19) a memória do ex-deputado Paulo Jackson, um dos melhores e mais combativos parlamentares baianos, morto trágica e prematuramente aos 47 anos. Paulo deixou marcas de uma passagem de relevância na história da Assembléia Legislativa da Bahia, tão carente de homens públicos como ele .

Há nove anos Paulo Jackson foi vítima de um acidente de onibus, quando se dirigia ao município de Gentio do Ouro, para realizar discussão sobre a privatização da Embasa. Vale lembrar que à época o governo baiano já tinha privatizado o Baneb e a Coelba e a bola da vez seria a empresa, que, graças a impedimentos legais intransponíveis quanto a outorga d’água, não rolou.

Missa em memória do ex-deputado

A pedido da família, amigos e da Associação Movimento Paulo Jackson, padre Rosivaldo Motta celebra missa nesta terça (18h), na Paróquia Ressurreição do Senhor, Ondina, em memória do ex-deputado Paulo Jackson.

maio
19

Postado em 19-05-2009 10:50

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 19-05-2009 10:50

Jorge Hage: lei essencial
hage
==================================================
O texto que o Bahia em Pauta publica a seguir, de autoria do ministro baiano Jorge Hage, da Controladoria Geral da União (CGU), saiu originalmente no jornal Folha de S. Paulo. A relevância e interesse público do tema, cujo debate vai para o Congresso a partir de agora, dispensam maiores explicações para a sua reprodução neste site-blog. Confiram. (VHS)
================================================

ARTIGO/DIREITO À INFORMAÇÃO

NOVOS AVANÇOS NA TRANSPARÊNCIA

JORGE HAGE

NO ÚLTIMO dia 13, o governo começou a resgatar uma dívida de mais de 20 anos para com seu povo, enviando ao Congresso Nacional o projeto de lei de acesso à informação, compromisso também assumido pelo país ante a comunidade internacional em vários tratados e convenções.
Nos últimos dez anos, intensificou-se o movimento mundial por tal regulamentação e, agora, na esteira da crise financeira, países centrais e organizações internacionais recolocaram o tema em suas agendas com revigorada ênfase.
Foi o que se viu nos EUA, com o presidente Obama decretando nova leitura do Foia (a lei americana de acesso à informação), para, na dúvida, optar-se pela abertura total; foi o que se viu no Banco Mundial, quando da conferência do Carter Center, em Lima, reunindo sugestões dos países para aprimorar sua política de transparência; e nas recentes reuniões do UNODC, do Fórum Econômico e do G20, reconhecendo que na raiz da crise está a falta de transparência de governos, bancos e outras corporações.
O projeto surgiu no Conselho da Transparência Pública, da CGU, em 2005, por proposta da ONG Transparência Brasil. Em 2006, o presidente Lula anunciou sua disposição de encaminhá-lo ao Congresso, após discussão no Executivo, atendendo, inclusive, a um compromisso firmado na campanha com o Fórum de Entidades pelo Direito de Acesso à Informação, coordenado pelo jornalista Fernando Rodrigues, desta Folha.
A lei é essencial, seja porque a informação é o oxigênio da democracia, como diz a ONG Artigo 19, seja porque, para o combate à corrupção, não existe melhor desinfetante do que a luz do sol, como dizia o juiz norte-americano Louis Brandeis. A participação popular e o controle social são meros discursos vazios se não houver oferta ampla e farta de informação.
No Brasil, o Executivo federal já avançou bastante em matéria de oferta espontânea de informação -o Portal da Transparência e outros sites já nos colocam como o oitavo país mais transparente entre os 85 pesquisados pelo IBP, de Washington.
Mas nos faltava uma lei que regulasse o acesso a qualquer documento buscado pelo cidadão em particular.
Dificuldades sempre existirão para implementar qualquer medida de transparência, mas elas têm de ser superadas. Há o natural receio do mau uso da informação, da distorção dolosa por alguns setores que se opõem ao governo.
Isso é real. Mas a solução não está em deixar de divulgar, mas em insistir na informação verdadeira, enfrentando o debate político e apostando em que a verdade afinal prevaleça.
O acesso à informação pode trazer também, em certos casos, riscos reais para a defesa do país, suas relações internacionais, seus legítimos interesses comerciais ou para eventuais investigações em curso. Mas, para isso, existem as exceções, aceitas em todos os países e por organismos internacionais, que aconselham a observância do princípio da “menor restrição possível”, que o projeto brasileiro observa.
O mesmo deve ser dito sobre os possíveis danos aos direitos individuais e à vida privada. E a nossa Constituição é bastante precisa quanto a tais ressalvas.
No campo das dificuldades, há ainda as de natureza técnica e tecnológica e as de caráter administrativo, que incluem a necessidade de recursos financeiros e humanos -estes, devidamente capacitados- para manter um sistema de prestação de informações, o que não é trivial.
E há, por fim, a dificuldade maior, que consiste em mudar a “cultura do sigilo”.
Depois da esperada aprovação pelo Congresso, terá que haver um esforço coordenado de cada esfera de governo (e Poder), no sentido de conscientizar os agentes públicos para superar a cultura do segredo, treinar os servidores nos procedimentos da nova lei, alertá-los para as punições (severas), divulgar amplamente os direitos que dela surgem e a forma, agora regulamentada com clareza, de obtê-los.
Mas, como diz a sabedoria popular, “cada dia com sua agonia”. Agora é celebrar e destacar a importância desse passo inicial, capaz de colocar o Brasil em posição ainda mais favorável no contexto global.
Refiro-me à imagem de um país que cultiva a transparência pública como política institucional irreversível, garantidora dos direitos humanos, arma poderosa contra a corrupção e condição indispensável, hoje, para quem pretende consolidar-se como destino preferencial de grandes investimentos, garantindo-lhes regras claras propiciadoras da livre e sadia competição.


JORGE HAGE, 71, advogado, mestre em direito público pela UnB (Universidade de Brasília) e em administração pública pela Universidade da Califórnia (EUA), é o ministro-chefe da Controladoria Geral da União.

maio
19

Postado em 19-05-2009 00:04

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 19-05-2009 00:04

PMDB: Até 2010?
encontro

O Bahia em Pauta colheu em diferentes fontes o balanço geral em 10 tópicos do encontro do PMDB baiano, nesta chuvosa segunda-feira (18),  no Hotel Bahia Othon Palace:

1-Segundo o presidente regional, Lúcio Vieira Lima, na inauguração em Salvador, da série de encontros que o partido pretende promover, este ano, em vários municípios, para discutir eleições de 2010, foram cadastrados 95 prefeitos, 285 vereadores, além de cabos eleitorais, vice-prefeitos e outros quadros do PMDB. O número total de participantes é incerto, mas deu muita gente.

2-O presidente nacional da legenda e da Câmara, deputado Michel Temer, que tinha a presença incerta, mas foi esperado até a última garfada do almoço, não apareceu! E não foi por falta de teto no aeroporto, apesar das chuvas diluvianas que afogam a capital desde a noite de domingo.

3- A quantidade de discursos em uma única solenidade pode disputar um recorde no Guiness: Foram, seguramente, mais de 30 discursos, até que a conta se perdeu. A abertura ficou por conta do deputado Arthur Maia, que não apresentou nenhuma novidade ou surpresa, pois o governo já o inclui na lista de opositores há muito tempo.

4-Os demais oradores seguiram a mesma toada de Arthur, reclamando da falta de parceria do governador Jaques Wagner com o partido, da morosidade nas ações, e por aí vai a ladainha… Alguns, como o presidente do PMDB Jovem, Nestor Neto, exageram no tom, chegando a chamar o governador de “tirano” e seu partido, o PT, de “aproveitador” e “oportunista”.

5-Outros, no entanto, mostraram-se mais equilibrados e conciliadores. É o caso do prefeito de Livramento, Carlão, e do vice-governador, Edmundo Pereira. Este último, além de lealdade ao governador, mostrou-se fiel ao PMDB na parte mais autêntica da história do partido no Estado, ao lembrar nomes do velho e combatente MDB autêntico, como os de Chico Pinto, Elquisson Soares e Euclides Neto, entre outros.

6- Alguns dos oradores foram ingratos, como o deputado federal Marcelinho Guimarães,  presidente do Esporte Clube Bahia, que afirmou ”jamais ter apoiado este governo”, apesar do desgaste político assumido por Wagner para reconstruir o Estádio Roberto Santos (Pituaçu), que o Bahia utiliza em seu mando de campo, como se fosse um estádio particular a exemplo do Barradão do Vitória. “Me sinto bastante à vontade para afirmar que o meu candidato à governador é Geddel Vieira Lima”, afirmou Marcelinho.

7- Não precisa ser nenhuma Mãe Dinah para prever que a decisão apresentada no final dos encontros, num total de dezoito, coincidirá com a do encontro de hoje na capital: o ministro Geddel Vieira Lima candidato a governador em 2010, decidido à unanimidade.

8- Uma evidência cristalina: o casamento de conveniência entre Geddel (PMDB) e Wagner(PT), como num contrato por tempo determinado, tem futuro incerto, mas tudo indica que não irá muito longe mais. Os noivos nunca se bicaram, apenas se suportavam, era voz comum no hotel de Ondina. De um tempo para cá, nem isso mais. Nesta segunda, a água chegou até a borda do copo.

9- A ligação do PMDB, ficou patente, é muito mais harmoniosa e verdadeira com o DEM. A maioria absoluta dos que estavam no Othon eram remanescentes do carlismo.

10- Depois do que se viu não tem mais nenhum laço, nem mesmo no plano federal, que possa manter a atual arrumação do poder no Estado. O problema agora é saber de que navalha partirá o golpe que vai romper o último nó de uma aliança já despedaçada.

(Por: Vitor Hugo Soares)

maio
18

Postado em 18-05-2009 18:52

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 18-05-2009 18:52

Marta, em 2007, com deficientes/ MP
marta

Agora já se sabe: o governador Jaques Wagner bateu o martelo, nesta segunda-feira, e decidiu nomear a procuradora de justiça Marta Karaoglan nova desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, cujo ato deve ser publicado na edição do Diário Oficial desta terça-feira (19). Resta saber quem é efetivamente a escolhida, seus méritos jurídicos e seu percurso profissional até alcançar o Pleno do Tribunal de Justiça da Bahia, posto ambicionado por muito mas conquistado por poucos.

Até aqui, o que se disse é que na votação entre os relacionados na lista tríplice, para a escolha do governador, Marta havia ficado em terceiro lugar com 14 votos. O mais votado foi José Cupertino (27 votos), seguido de Nágila Brito, com 24 votos. Mas esta, já se vê, não é escolha por voto direto.

PESOS E MEDIDAS – Repete-se, igualmente, que a escolha é uma vitória pessoal do ex-presidente do TJB, Dultra Cintra, que teria em Marta Karaoglan o nome de sua preferência, “in pectore”, como se dizia em outra época. Isso deve ter pesado, efetivamente, mas em Ondina e no Centro Administrativo, os murmúrios dos mais próximos do poder petista dão conta de Wagner perdeu noites medindo e pesando méritos de cada candidato, e o perfil da procuradora,  preocupada com temas sociais como o meio ambiente, cidadania e, sobretudo, sua atuação voltada,no ambito da justiça, para a infância carente e a pessoa deficiente. Aí estaria o peso decisivo na opção final.

Um rápido histórico da escolhida por Wagner revela que Maria Marta Karaoglan Martins Abreu assumiu a função de promotora de Justiça em 1981, tendo atuado nas comarcas de Ituaçu, Entre Rios e Camaçari. Em 1991, foi promovida para a capital baiana, onde atuou na Promotoria de Justiça de Assistência. Promovida à procuradora de Justiça, em 1996, ocupou os cargos de coordenadora do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) e dos centros de apoio às Promotorias de Justiça do Meio Ambiente (Ceama) e de Cidadania (Caoci). Foi procuradora-geral de Justiça Adjunta, em 1997, na gestão do procurador-geral de Justiça Walter Rodrigues da Silva, chegando a assumir interinamente a chefia do MP na Bahia.

Em 2007, ao instalar uma oficina de pinturas para pessoas deficientes, promovida pelo MP, a nova desembargadora explicou:”Tudo com intuito de orientá-los, para que eles possam desenvolver a criatividade, aumentar a auto-estima, aprimorar o conhecimento técnico e melhor se integrar ao mercado de trabalho”.

Ponto para a nova desembargadora

(Por Vitor Hugo Soares)

maio
18

Postado em 18-05-2009 15:31

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 18-05-2009 15:31


A canção para começar o dia, nesta segunda-feira (18) é destas para se ouvir em qualquer tempo e a qualquer hora. Mas têm sabor especial quando escutada em uma melâncólica tarde de chuva, como a que faz hoje em Salvador, desde que se esteja bem agasalhado e em lugar seguro, para poder pensar em coisas românticas e sentimentais. É o bolero clássico e eterno, “Esta tarde vi Llover”, de autoria de um dos maiores compositores mexicanos, Armando Manzanero, aqui interpretado, em vídeo do You Tube, por outro soberano da música, o brasileiro inimitável, Roberto Carlos. Para ouvir e sonhar.
(Vitor Hugo Soares)

maio
18

Postado em 18-05-2009 12:58

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 18-05-2009 12:58

PMDB no Othon: sem risco de alagamento
othon
==================================================
Depois da convocação partidária de “descer todo mundo do interior para a capital”, o PMDB iniciou nesta segunda-feira (18), no Hotel Othon de Salvador, sua anunciada série de “encontros regionais” , com o objetivo prioritário de discutir as eleições de 2010, avaliando forças e estratégias políticas. No comando e dando cartas entre os participantes, desde a abertura nesta manhã diluviana, o ministro da Integração Geddel Vieira Lima.

O local do evento, sem dúvida, não poderia ser melhor escolhido. O belo e sólido hotel junto ao mar agitado de Ondina é um dos pontos mais seguros, bem cuidados e com reduzidas possibilidades de ser inundado ou dissolvido pelas chuvas que voltaram com intensidade desde a noite de ontem.

Tudo agravado pelos fortes ventos que elevam – e muito – os riscos para a população da “cidade de verão”, principalmente a parte da população obrigada a viver no subúrbio, nas encostas dos morros e em áreas de frágil sustentação, carentes de quase tudo,  a começar de infra-estrutura e de atenção de seus governantes. .

Quanto à agenda do encontro de hoje , bem que a direção do PMDB poderia ter aproveitado a presença de seus principais líderes locais – O ministro da Integração, Geddel Vieira, o presidente regional, Lúcio Vieira Lima e o prefeito João Henrique de Barradas Carneiro (além do presidente da Câmara, Michel Temmer, se de fato aparecer por aqui hoje como se anuncia ),  para uma visita de campo a Salvador em risco de afogamento e caos.

Acompanhados, evidentemente, por “prefeitos, vereadores e lideranças do interior que desceram para o encontro no Othon”, como pedido pelos líderes. Uma visita não apenas de solidariedade formal e burocrática, como costuma acontecer em situações como esta, mas também de aprendizado mais prático, necessário e imediato que as disputas eleitorais do ano que vem.

Afinal, chuva e vento estão aí, presentes e devastadores nesta segunda-feira, causando estragos e desatres urbano e humano. Poderão dissolver, também, projetos políticos de muita gente, antes de 2010 chegar.

Avisar não ofende

(Por: Vitor Hugo Soares)

maio
18

Postado em 18-05-2009 12:36

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 18-05-2009 12:36

trabalho

OPINIÃO/MUNDO E TECNOLOGIA

O TRABALHO DO FUTURO

“Dez anos atrás, Facebook não existia. Dez anos atrás, antes disso, não tinhamos a Web. Portanto, quem sabe como será o trabalho dentro de dez anos? Apesar da taxa de desemprego ser a mais alta desses 25 anos, o trabalho voltará, mas não será como antes. Ninguém vai lhe pagar só por marcar o ponto. Veremos formas de trabalho mais flexíveis, mais autonomas, mais cooperativas e bem menos seguras. Será dirigido por uma geração com novos valores e a mulher estará em crescente controle.  Aqui estão dez maneiras como o trabalho, tal qual o conhecemos, mudará. Em verdade já mudou.”

Leio atenta na revista TIME, ainda quente em minhas mãos. Recém aposentada, poderia não me interessar pelo assunto. Ao contrario, sei muito bem que se falta trabalho ou se não estamos preparados para as mudanças não haverá futuro.

Jogue fora sua pastinha, você não estará indo a uma escritório, ou lugar designado para o trabalho. Você pode se despedir dos seus benefícios e talvez nem alcance a tão sonhada aposentadoria. O seu chefe não será como o estereótipo que você esta acostumado. Não haverá uma escada a subir mas sim oportunidades, se você descobrir o caminho certo.

High Tech, High Touch, High Growth

Para entender como será o ambiente de trabalho em dez anos, você deve pensar como será o trabalho em dez anos. Aqui vai uma dica: Empregadores não vão precisar lhe pagar para dirigir até um certo local especifico, em verdade, diante da pressão de uma economia instável, estão descobrindo que de fato não existem muitas razões para continuar essa prática.

O trabalho do futuro terá muito pouco que ver com processamento de palavras e números (a Internet pode fazer isso agora). Nem haverá a necessidade de contratar pessoal de suporte, recepcionistas, mensageiros, manutenção. A necessidade estará focada em encontrar as pessoas essenciais e cortar o resto. Então, você é essencial?

A lista segue, mas não quero assustar ninguém, afinal estamos falando da America do Norte. Se a moda pega, e pode apostar que sim, logo veremos o resultado.

Regina Soares>, advogada , mora em Belmont, na área da baia de San Francisco, a poucos quilômetro do Vale do Silício, paraíso da moderna tecnologia americana

maio
18

Postado em 18-05-2009 00:10

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 18-05-2009 00:10

Deu no jornal

Na coluna Gente Boa, do jornal O Globo, na edição deste domingo (17), a editora interina, Cleo Guiimarães, publica nota com informação interessante sobre o saudoso,  mas sempre presente, “maluco beleza” da Bahia. Vamos lá:

DIABO, PAI DO ROCK – Raul Seixas pode ser o primeiro artista de língua não inglesa a entrar para o hall da fama do Museu do Rock, em Ohio (EUA).  A indicação já foi feita. Caetano Veloso já mandou carta de recomendação”..

======================================================
Bahia em Pauta comenta: Homenagem mais merecida impossível. E Raul na veia e na música para começar a madrugada. (VHS)

maio
17

Postado em 17-05-2009 22:46

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 17-05-2009 22:46

Vitoria no Barradão:favoritismo confirmado
vitoria

Com o título “Sport sofre derrota para o Vitória, em Salvador”, a edição on-line do Diário de Pernambuco, um dos mais tradicionais jornais de Recife, postou há pouco o seu comentário sobre o triunfo de 1 a 0 do Vitória , da Bahia, sobre o Sport, de Pernambuco, no embate de leões rubronegros do Nordeste pelo Campeonato Brasileiro. Veja, a seguir, como os pernambucanos viram o jogo dos dois campeões em seus respectivos estados.

===================================================
“O Sport não conseguiu segurar o ataque do Vitória e perdeu o jogo deste domingo, por 1×0, no Estádio Barreirão, em Salvador Imagem: Eduardo Martins/AE
Imagem: Eduardo Martins/AE

“Um time apático e deficiente na defesa. Esse foi o Sport, na partida deste domingo (17), contra o Vitória, pela segunda rodada do Brasileirão 2009, no estádio Barradão, em Salvador. Diferente do time que se apresentou contra o Palmeiras, na última terça-feira, o leão parece não ter se recuperado do baque da eliminação da Libertadores e amargou a derrota por 1 x 0 contra o rubro-negro baiano.

Sem conseguir avançar contra o time adversário e errando na defesa, foi inevitável para o Sport levar o primeiro gol da partida. Aos 34 minutos do primeiro tempo, Bosco, sem marcação, faz o cruzamento para Neto Baiano. César tenta conter o jogador do Vitória, mas o atacante, livre na área, aproveita a falha da defesa leonina e manda a bola com o pé direito por baixo das pernas do goleiro Magrão.

O time da Ilha do Retiro ainda tentou empatar, aos 47 minutos, com uma jogada de Luciano Henrique, mas a bola sobrou fácil para Viáfara.

No segundo tempo, após uma pressionada do técnico Nelsinho Batista, o Sport entrou mais ofensivo e encontrou um Vitória disposto a segurar o placar, com jogadores caindo frequentemente em campo.

Aos 19 minutos, Jackson manda uma bomba para o gol do leão, mas Magrão livra a bola do gol. Aos 33, Luciano Henrique desperdiça um escanteio para o Sport, mandando a bola para a torcida dos donos da casa.

Agora, o Vitória é o segundo no Brasileirão e o Sport, o 16º. Mais uma vez, o rubro-negro baiano confirmou seu favoritismo jogando contra o Sport dentro de casa.

Da Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

=======================================
Opinião do Bahia em Pauta: Perfeito. Nada a acrescentar. Isenção jornalística é isso.
(VHS)

  • Arquivos

  • outubro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031