maio
22

Postado em 22-05-2009 23:35

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 22-05-2009 23:35

Vasco: bandeira da punição
vasco

Deu no UOL

Terminou mal para o Major da PM baiana, Francisco Cesar Cunha Bonfim, do Comando da 17ª Companhia Independente, localizada no bairro do Uruguai (Cidade Baixa) , o que deveria ser apenas uma gozação à torcida do Vitória, em razão da derrota imposta pelo Vasco da Gama, na partida de quarta-feira (20), no estádio do barradão, diante do seu público, na capital baiana. O oficial foi exonerado do cargo pelo comandante da corporação, ao ser responsabilizado por omissão, ao permitir que uma bandeira do Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, fosse hasteada no lugar onde ficam habitualmente as bandeiras do Brasil e da Bahia.

Segundo informa a UOL, em matéria especial produzida na capital baiana pela reporter Heliana Frazão, o major foi responsabilizado pelo fato de a bandeira do time carioca ter amanhecido, na quinta-feira (21), tremulando no mastro em frente à sede do Batalhão, hasteada não se sabe por quem – provavelmente, um torcedor do grande rival do Vitória, o Bahia. O major tem evitado falar sobre o ocorrido, inclusive por recomendações superiores, mas teria admitido que militares subordinados a ele hastearam a bandeira em um momento de “brincadeira, sem maldade”. Segundo a UOL, Cunha Bonfim “não deu expediente nesta sexta-feira”.

A bandeira do time carioca foi colocada no lugar onde habitualmente costumam ficar haseadas as bandeiras do Brasil, da Bahia e da própria Polícia Militar. “Na quinta-feira, apenas a do Vasco, que eliminou o Vitória em partida no Estádio Barradão da Copa do Brasil na quarta-feira, balançava ao sabor do vento”, informa a UOL.

Na noite da quinta, após ter sido informado sobre a ocorrência, o comandante-geral da PM, coronel Nilton Régis Mascarenhas, anunciou, por meio da assessoria de comunicação da instituição, a exoneração do major Cunha Bonfim, alegando que o fato contraria o inciso II do artigo 41 do Estatuto dos Policiais Militares, que trata do respeito aos símbolos nacionais. Ele será substituído pelo major Lindenberg Augusto Ferrão. Segundo a UOL, indagado pela imprensa, na manhã desta sexta-feira (22) sobre o caso, o governador Jaques Wagner, condenou a “provocação” feita pelos militares, ainda que tenha tido conotação de “brincadeira”, e questionou o fato de o futebol mexer tanto com as pessoas “a ponto de comprometer seu profissionalismo”.

Leia a íntegra da notícia no portal da UOL

maio
22

Postado em 22-05-2009 22:44

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 22-05-2009 22:44

Lambert: morreu na praia

Kris: votação sob suspeita

=================================================

CRÔNICA AMERICANA/strong>

VOX POPULI AMERICANUS

Regina Soares|

Durante varias semanas acompanhei o programa da TV FOX americana, AMERICAN IDOL. Senti-me como uma “teenager”, seja pela proximidade da minha neta, Chloe (13), ou porque, apesar dos meus 60 eu ainda tenho um coração juvenil, que vibra na presença do original, glorioso, belo, excitante como a aparicão de Adam Lambert no cenário.

Quarta-feira, 20 de maio, o programa encerrou a competição de mais uma temporada com a “eleição” de mais um Idol. Se vocês não conhecem o esquema do programa, explico em poucas palavras: é direcionado a descobrir novos talentos na indústria musical. Centenas de milhares de candidatos de todos os Estados da Uniao Americana, concorrem ao título, que através de eliminação, chega aos últimos 13 em Hollywood. Ai começa a “batalha” semanal de eliminação por votos através de chamadas telefônicas do publico. É um programa sofisticado, complicado, dispendioso, e muito difícil de prever, já que o publico vota anonimamente e quantas vezes o seu coração mandar. Quase 100 milhões de chamadas foram recebida para esse final de ontem. O premio final e um contrato de mais de um milhao de dolares.

Vocês devem estar se perguntando: Que é que eu tenho com isso?
Pois bem, a razão pela qual que eu estou trazendo o assunto a esse blog no Brasil é para que vocês tenham uma idéia do poder do “voto popular” ou a “voz do povo” na idade eletrônica.

Tinhamos dois finalistas: Adam Lambert da California e Kris Allen de Arkansas. Ambos competindo ferozmente pelo título, só que Adam era o favorito disparado já por varias semanas. Os dois se diferenciavam como o sol e a lua, a noite e o dia.

Adam é Judeu, ainda que só tenha 28 anos, experimentado cantor de opera, teatro e night clubs, possuidor de uma voz, carisma e presença no palco como muitos poucos no mundo. Com uma consciencia muito clara sobre o que vale e o que quer. Seu forte é o Rock (sua figura física lembra Elvis, nos bons tempos) ainda que, de acordo com a opinião de um dos jurados “ele pode cantar qualquer coisa, até o livro de telefone”. Impressionou a gregos e troianos, conhecedores profissionais e leigos, mas de acordo com o “Mainstream American” tem um “defeito”: É gay. Embora ele nunca tenha dado bandeira, também não nega e o “YouTube” se encarregou de espalhar.

Kris é Cristão, tem trabalhado e é membro da Igreja “New Life” na sua pequena cidade Conway, em Arkansas e em Little Rock onde estuda. Tímido, cantor de baladas, musico com aptidão para tocar diversos instrumentos, foi crescendo aos poucos durante a competição, sem nunca oferecer perigo a Adam, sempre conseguia os votos para passar adiante. Com somente 26 anos, casado e membro de uma familia considerada “tradicional” do “Coração da América”.

O choque final foi disparado ontem quando após quase 100 milhões de votos, dos quais 38 milhões vindos de Arkansas, a maioria originados da pequena cidade de Conway, berço de Kris,com uma população de 50.000 (dados “escapados” nas noticias da FOX local) entregou a vitória a Kris Allen, jogando um balde de agua gelada no show que estava pegando fogo nos momentos finais, depois da apresentação dos dois candidatos acompanhados pelo grupo de Rock, QUEEN.

Incrédulos, procuramos entender como isso pode acontecer, já que o próprio Kris se mostrava assustado e incrédulo da “boa nova”, admitindo publicamente que Adam merecia ganhar.

O boato já corria antes da ultima competição, questionando nas ondas conservadoras do radio e televisão se a briga seria entre Gays x Christians. Fox News, “right wing station”, abriu a polêmica no programa de Bill O’Reilly e Middle America acordou e votou em massa no insignificante Kris.

Em uma Igreja de Arkansas, um grupo de 152 pessoas foi identificado por haver marcado acima de 400.000 votos usando fast software e text. PASSOU DE SHOW DE TALENTO MUSICAL A VOTO REGIONAL E COMPETIÇÃO DE TECNOLOGIA.

O QUE É QUE DEUS TEM A VER COM ISSO???????????

Talvez, pelo menos de vez em quanto, fosse bom ver o mérito e o talento ser recompensado apropriadamente, em vez de vitórias baseadas em outros fatores que realmente não tem relevância no século 21.

A vida continua, e eu acredito que Adam é sem duvida um vitorioso e devera acumular muitos trofeus na sua carreira musical que apenas se desenrola e que sem dúvida vai nos trazer muitos momentos de prazer, talvez tenha razão quem disse que ele era “too good for this show”.

A única coisa que me preocupa agora é minha neta e seus sonhos…

Regina Soares, advogada, mora em Belmont, área da Baia de San Francisco (Calofórnia)

maio
22

Postado em 22-05-2009 16:52

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 22-05-2009 16:52

Pedro Simon: “acabou tudo”/Agencia Senado
simon

Em entrevista à repórter Marcela Rocha, da revista digital Terra Magazine, o senador gaucho Pedro Simon , fez severa críticas nesta sexta-feira(22) ao comportamento da liderança de seu partido, o PMDB, em relação à CPI da Petrobras. Simon chamou de “ridícula” a atuação de peemedebistas que se mostram dispostos a apoiar o governo na CPI da Petrobras em troca de ser prestigiado com cargos especiais no comando da estatal, especialmente da diretoria trilhardária do pré-sal.

As críticas de Simon são dirigidas principalmente a membros da cúpula do seu partido: José Sarney, Renan Calheiros e outros. Descrente da CPI da Petrobras, o senador ressalta que “há dois anos, CPI era uma coisa séria”. Não mais, acrescenta.

Segundo o senador do Rio Grande uma CPI já não tem mais a mesma credibilidade e funciona pessimamente. Ele se mostra pessimista com a situação atual da política brasileira. Se sente isolado. “Sou um zero à esquerda no PMDB”, diz. Suas críticas ao partido se estendem aos demais. Acredita, contudo, que não haja outra opção:

– Acabou tudo. O PT, que era um partido bonito, acabou. Nada mais igual ao PSDB do que o PT. Nada é mais igual ao Fernando Henrique do que o Lula.

LEIA A INTEGRA DA ENTREVISTA NO TERRA MAGAZINE (http://terramagazine.terra.com.br

maio
22

Postado em 22-05-2009 10:45

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 22-05-2009 10:45


No espaço de comentários do You Tube pergunta alguém, a propósito do vídeo que Bahia em pauta apresenta a seguir, reunindo o trio Rodrix, Sá e Guarabira: “Sá, Guarabira e Rodrix, músicos, compositores e poetas, quem faz isso hoje em dia?” Resposta: cada vez menos, porque um deles, e dos melhores, Zé Rodrix acaba de partir, repentinamente, nesta sexta-feira (22) . Fica a obra imortal para matar a saudade.

(Vitor Hugo Soares)

maio
22

Postado em 22-05-2009 10:18

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 22-05-2009 10:18

Saudade
rodrix

Morreu aos 61 anos, na madrugada desta sexta-feira (22), em São Paulo, o cantor e compositor Zé Rodrix. O consagrado compositor de “Casa no Campo”, sucesso incomparável na voz de Ellis Regina, não apresentava nenhum problema de saúde. Segundo Bárbara Rodrigues, uma das filhas do artista, ele estava bem, mas começou a se sentir mal de repente e sofreu uma forte convulsão. Foi levado às pressas para o Hospital das Clínicas, em São Paulo, mas não resistiu. 

A família ainda não informou sobre o local do velório e o enterro do artista.  José Rodrigues Trindade, natural do Rio de Janeiro, além de cantor e compositor era multiinstrumentista, escritor e publicitário. Foi também componente do trio Sá, Rodrix & Guarabyra, expoente do rock rural nos anos 70, e um dos mais afinados conjuntos de compositores e interpretes do País nas últimas décadas. Rodrix deixa seis filhos e uma obra musical inesquecível, marcada pela sensibilidade misturada com muito bom humor.

(Vitor Hugo Soares)

maio
22

Postado em 22-05-2009 00:01

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 22-05-2009 00:01


Paixão vivida com tamanha intensidade e entrega como a cantada em “Mujer” é difícil encontrar em outro lugar do mundo,  além do México naturalmente, que lá as paixões são insuperáveis. A exemplo da que reuniu o feioso e magérrimo músico e compositor notável, Agustin Lara, com a esplendorosa atriz Maria Felix. Amor tão ardente e explosivo raramente se viu sob o céu mexicano. Quanto mais maltratado pela amada, segundo testemunhas oculares da história, mais Agustin tirava do piano canções mais esplêndida para ela: Maria Bonita, Noche de Ronda, Aquel Amor e, evidentemente, “Mujer”, a música escolhida por Bahia em Pauta para esta madrugada de 22 de maio, em homenagem ao México e a uma paixão sem igual. Aqui, na voz de Pedro Vargas, para muitos o maior intérprete mexicano de todos os tempos. Confira.
(Vitor Hugo Soares)

maio
21

Postado em 21-05-2009 22:56

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 21-05-2009 22:56

Do limão à limonada
mexico

A prefeitura da Cidade do México corre atrás para recuperar-se do prejuizo. Tenta, agora, converter as medidas de higiene contra a epidemia da gripe suina, em um atrativo turístico para uma megalópole que tenta recuperar sua imagem,  depois de uma queda na demanda hoteleira para 12%, quando a média de ocupação local é de 65%.

Segundo publica o jornal espanhol El Mundo, um dos mais lidos de Madri, o secretário de Turismo da capital mexicana, Alejandro Rojas, assegurou, em uma entrevista,  que a cidade  ”é hoje mais limpa que antes, tem muito mais condições de higiene”, graças ao alerta sanitário decretado em 23 de abril passado e suspenso esta semana..

“É um valor agregado para que o turista,  que irá a um restaurante, a uma convenção, saiba que haverá medidas excessivas de higiene”, acrescentou o secretário.  Segundo Rojas, serão capacitados os responsáveis e trabalhadores dos estabelecimentos,  para “elevar o nível de exigência para sua qualidade e seu serviço”.

Segundo a reportagem de El Mundo, as medidas serão especialmente estritas nos pontos de rua que oferecem os famosos tacos e outros pratos típicos mexicanos, onde existe maior probabilidade de contágio. “Estamos obrigando a todos que tenham um posto ambulante a que tenham também muita higiene. Que aquele que cobra não seja o mesmo que serve a comida”, explicou.

Cerca de 75% dos visitantes da cidade vêm do interior do México e,  entre 80 a 90% dos estrangeiros procedem dos Estados Unidos, Canadá, Europa e América Latina.

Segundo o jornal espanhol, a epidemia causada pelo virus AH1N1, que deixou até agora 74 mortos causou 3.660 contágios no país, teve seu epicentro na capital mexicana, que tem uma população de nove milhões de habitantes, uma cifra que sobe para 19 milhões de pessoas  quando se leva em conta sua zona metropolitana.

IMPACTO BRUTAL.

“O golpe na economia da cidade foi brutal, demolidor”, com danos estimados em 150 milhões de dólares para os setores do comércio, turismo e serviços, a que estão vinculados duas terças partes da economia local, admitiu Alejandro Rojas na entrevista.

Em razão da suspensão de atividades,  decretada durante vários dias para freiar a propagação da Gripe Suina,  fecharam 140 museus, a ocupação hoteleira chegou a situar-se em  5% e a taxa de  visitantes desabou um dia a apenas 4.000.

Como paliativo a esta situação devastadora para o turismo, a prefeitura anunciou a realização, de 6 a 14 de junho próximos, da Feira de Culturas Amigas. Enquanto nesta terça-feira lançava uma campanha promocional batizada com o slogam ”Cidade do México. Cheia de Vida”.

Que viva México!

(Vitor Hugo Soares, com jornal El Mundo, de Madri).

maio
21

Postado em 21-05-2009 16:44

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 21-05-2009 16:44

Elieser Cesar, o autor
elieser

A trajetória de vida e a militância política do engenheiro Luiz Fernando Contreiras de Almeida, no Partido Comunista do Brasil, é o tema do livro Contreiras, Camarada Engenheiro – uma história de luta e coerência, que o jornalista e escritor Elieser Cesar lança, nesta sexta-feira, dia 22, às 18h, no Centro Cultural da Câmara de Vereadores, na Praça Municipal em Salvador. Depois de uma novela (O azar do goleiro,  já na quarta edição), dois livros de contos (O escolhido das sombras e outras histórias), uma coletânea de poesia (Os cadernos de Fernando Infante) e um livro de ensaio (O romance dos excluídos – Terra e política em Euclides Neto, fruto de sua tese de mestrado), Elieser Cesar, detentor de vários prêmios de reportagem, traz, agora, um livro-reportagem. “Trata-se, acima de tudo, de uma grande reportagem no estilo perfil, escrita com as técnicas do chamado jornalismo literário”, ressalta Elieser Cesar.

Elieser Cesar conta que o livro, publicado pela Editora Caros Amigos, nasceu de uma encomenda da família de Luiz Contreiras, para homenagear seus 85 anos de idade. “Como jornalista, percebi que a trajetória de Contreiras tinha como pano de fundo as lutas populares da Bahia, sobretudo o enfrentamento ao golpe militar de 1964, que teve no engenheiro e em sua mulher, a ex-deputada estadual Amabília Almeida, opositores de primeira hora. Esse ingrediente foi um motivo a mais para escrever a história de um homem que acreditou no comunismo, mas que viveu tempo suficiente para reciclar suas idéias, sem jamais abandonar os ideais de justiça social”, diz o autor.

“Luiz Contreiras sempre foi um homem movido a paixões. Se como engenheiro ajudou a abrir estradas, construir pontes e prédios, como comunista convicto foi, além de tudo, um construtor de utopias, essa matéria impalpável que tem a mesma volatilidade dos sonhos. Viu ruir o projeto do socialismo democrático, solapado pelo socialismo real, com a centralização burocrática do poder estatal e o Estado policialesco, sobretudo na antiga União Soviética e nos Estados satélites do Leste Europeu. Testemunhou a queda do Muro de Berlim e a extinção da URSS. Porém,  jamais abdicou da crença no socialismo democrático e nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade,
tributários da Revolução Francesa”, diz o escritor, na introdução do livro.

“Contreiras, Camarada engenheiro” traz também depoimentos de companheiros de luta de Luiz Contreiras, como o ex-deputado federal Fernando Sant’Anna, decano dos comunistas baianos, o ex-prefeito de Salvador, Virgildásio de Sena, o empresário João Falcão, a  esposa, Amabília Almeida, e amigos de outra geração, como o deputado federal Emiliano José, o cientista político Paulo Fábio Dantas e os advogados Dida Santiago e George Gurgel, dentre outras personalidades.

===============================================
Trecho:

“Quem são mesmo esses homens barbudos, cabeludos e sujos, com cara de maus, que chegam como donos da cidade, do destino, da vida e da morte das pessoas simples? Forasteiros de passagem? Bandidos perigosos? Vão logo embora, sem deixar rastro ou saudades, como os ciganos? Que querem esses estranhos,  na cidadezinha pacata? Dinheiro? Judiar dos pobres e dos bichos? Levar toda a comida e o rebanho? Tocar fogo nas casas? Pior se resolverem raptar as mulheres, deixando os homens sem esposas, os pais sem filhas e os filhos sem mãe… Não podem ser de paz, se chegam fortemente armados e prontos para a guerra.

Muitos pensamentos ruins confundiram a cabeça dos moradores do lugar (pouco mais de 800), quando, depois de palmilhar centenas de municípios brasileiros, enfrentando as forças legalistas, os jagunços dos coronéis e as volantes sertanejas, os homens da Coluna Prestes, sedentos e esfomeados, entraram na pequena Rio de Contas, na Chapada Diamantina”.

Elieser Cesar
================================================

maio
21

Postado em 21-05-2009 12:34

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 21-05-2009 12:34

Vale a pena ver de perto
unibanco1

Atração no centro

Maria Olívia recomenda:

“Um dos mais importantes cinemas de Salvador, o Espaço Unibanco, na Praça Castro Alves, antigos Guarani e Glauber Rocha, continua firme e com novidades. O estacionamento, localizado ao lado do cinema – que estava proibido – foi liberado, um alívio para os cinéfilos baianos que estavam com dificuldade de achar lugar para deixar o carro com segurança, conseqüentemente não estavam prestigiando o grande empreendimento entregue a Cidade da Bahia.

Outra novidade tentadora é a promoção do preço do ingresso, que toda quinta-feira (exceto feriados) custa R$ 4 (inteira) e 2 (meia). Uma pechincha se comparado com os cada vez mais elevados preços da entrada nos cinemas de shoppings

Além de modernas salas de cinema, o Espaço Unibanco de Cinema – Glauber Rocha tem livraria especializada em artes e literatura, fotografia, cinema e quadrinhos, espaço para exposições, um café e, logo, logo, um restaurante situado no terraço, com a vista mais bela da cidade para a sua baía de todos os santos, encantos e axé.

Vale à pena ver, quando nada para saber o que Salvador tem (de melhor) no centro, bem ao pé do poeta”.

Maria Olivia é jornalista.

maio
20

Postado em 20-05-2009 23:51

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 20-05-2009 23:51


“Senhor, eu pedi para o sol se esconder um pouquinho/ pedi pra chover, mas chover de mansinho/ Pra ver se nascia uma planta no chão/Senhor, se eu não rezei direito o senhor me perdoe/Mas eu acho que a culpa foi desse pobre que nem sabe fazer oração”. É um pedaço da letra de “Súplica Cearense”, a música que Bahia em Pauta escolhe para mais este dia de chuva, inundações e dificuldades em Salvador e outras cidades do Nordeste.

Uma música antológica, de autoria do baiano Gordurinha, um dos maiores compositores brasileiros em qualquer época, autor de clássicos como “Chiclete com Banana”, “Madalena” e a própria Súplica, gravados por monstros sagrados da MPB, como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Gilberto Gil, Fagner, Dominguinhos, Elba e Zé Ramalho, entre dezenas de outros.

Alguem já escreveu:”Fossem os curiosos tentar advinhar-lhe o físico pelo apelido e Gordurinha seria até hoje mais um enigma na história da música popular brasileira. Magro na juventude, Waldeck Artur de Macêdo, nascido no bairro da Saúde, em Salvador, no dia 10 de agosto de 1922, ganhou seu apelido em 1938, quando já trabalhava na Rádio Sociedade da Bahia”.Irônicamente, na época era magérrimo.

Na imensa lista de composições de sucesso de Gordurinha (alguns não assinados por ele) se incluem “Chiclete com Banana”, “Súplica Cearense”, “Baiano Burro Nasce Morto”, “Baiano Não É Palhaço”, “Orora Analfabeta”, “Mambo da Cantareira” (outro clássico da MPB) e “Vendedor de Caranguejo”, regravado com imenso sucesso por Gil . Um mestre na acepção do termo, com sol ou chuva.

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos

  • setembro 2018
    S T Q Q S S D
    « ago    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930