set
01

Postado em 01-09-2009 18:51

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 01-09-2009 18:51

Protógenes em Salvador/Arquivo
protoge
================================================
Martelo batido:

Reunido com membros do Partido Comunista do Brasil em um hotel no centro de São Paulo, na manhã desta terça-feira, 1/9, o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, que comandou a Operação Satiagraha, combinou detalhes da entrevista coletiva na qual anunciará amanhã , ás 14h, na capital paulista a sua decisão de ingressar no PC do B, partido pelo qual disputará o cargo de deputado federal nas eleições de 2010.A assinatura da ficha de filiação, no entanto, só acontecerá no dia 7 de setembro.

Enquanto não chega a hora do anúncio definitivo, o delegado Protógenes, detentor de pesquisas prévias de intenção que o apontam como um dos prováveis campeões de votos nas eleições do ano que vem em São Paulo, tem sido cercado do máximo “de carinho e atenção” por parte de militantes e dirigentes do PC do B. Ainda assim não têm conseguido impedir o intenso assédio e apelos de outros partidos nas últimas horas, a exemplo do PSOL, PSB, PV, PDT e até o PT.Ontem, em Brasília, o delegado recebeu acenos até de Berzoini, presidente nacional do PT, .

Na tarde de hoje, já de volta á capital paulista, o baiano de de Salvador, nascido na Cidade Baixa como ele gosta de acentuar, foi recebido na sede do PC do B, na Vila Mariana, pela cúpula comunista de São Paulo.Enquanto isso, à medida que começava a circular nacionalmente nos blogs a noticia de sua opção – a começar por notícia na revista virtual Terra Magazine, assinada pelo jornalista Bob Fernandes – começaram a pipocar restrições à escolha de Protógenes em várias áreas partidárias da chamada esquerda, a começar pelo PSOL.

A deputada federal Luciana Genro (Psol-RS) afirmou, nesta tarde, que a opção do delegado que comandou a Operação Satiagraha, de se filiar ao PCdoB em detrimento de seu partido, do qual esteve muito próximo nos últimos meses, enfraquece a luta dele contra a corrupção.
“O PCdoB está com o (José) Sarney (PMDB-AP) dentro do Senado. Então, a luta dele contra a corrupção fica prejudicada. Mas é uma escolha e a gente respeita”, afirmou Luciana, ao portal Terra.

APREDIZADO DIFÍCIL – A aliados e pessoas que o acompanham mais de perto em seus contatos e movimentações dos últimos dias, o delegado Protógenes Queiroz tem revelado que está preparado para receber críticas sinceras e leais como a da deputada Luciana Genro , do Psol, com quem conversou muito em sucessivos encontros ultimamente, E até “para críticas desleais ou mentirosas como as que certamente ainda serão atiradas sobre mim, a partir da minha opção partidária”, reagiu.

Em um restaurante de São Paulo, na tarde de hoje, antes de ir para o encontro com a cúpula do PC do B na Vila Mariana, o delegado Protógenes foi cumprimentado por um garçom que se disse inclinado a votar nerle em 2010, mas recomendou que ele tomasse “cuidado com os políticos”. O delegado agradeceu e respondeu com versos de uma canção da cantora argentina Mercedes Sosa, cuja letra ele considera que define bem a sua situação atual: “É caminhando que se aprende a caminhar”.

A conferir

(Vitor Hugo Soares )

set
01

Postado em 01-09-2009 12:32

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 01-09-2009 12:32

Crianças: as maiores vítimas…
Ossetia
…do atentado à escola de Beslan
tragedia
================================================

Mais de três mil pessoas juntaram-se na manhã desta terça-feira (1) no interior da Escola Nº1 de Beslan, na Ossétia do Norte ( antiga União Soviética) para recordar as 335 vítimas do atentado terrorista que ocorreu entre 01 e 03 de Setembro de 2004.Entres as vítimas, 186 eram crianças.

Segundo a gência de notícia européia Lusa, o ato comemorativo começou às 08.30h (horário local), quando delegações oficiais e simples cidadãos começaram a depor flores no local da tragédia.

Segungo o informe da Lusa, no meio das ruínas do ginásio, onde cerca de 1.120 pessoas estiveram sequestradas por terroristas tchetchenos, foi instalado um crucifixo de três metros de altura, rodeado de cravos vermelhos. Nas paredes, em todo o perímetro, estão as fotos das vítimas.Foi celebrada pelo bispo ortodoxo de Stavropol e Vladikavkaz uma missa fúnebre pelos morto no atentado que chocou o mundo..

Na versão oficial, o comando terrorista que atacou a Escola de Beslan manteve sequestradas 1.120 pessoas entre 01 e 03 de Setembro de 2004. Durante o assalto lançado por forças de segurança russas, foram resgatados 918 reféns, quase 800 pessoas ficaram feridas no tiroteio. Trinta e um terroristas foram eliminados e o único capturado com vida, Nurpash Kuaev, foi condenado a prisão perpétua em 2006.

Segundo publica em sua edição on-line o jornal português Diário de Notícias, as autoridades russas consideram que os organizadores do assalto à escola foram Chamil Bassaev, um dos mais conhecidos comandantes da guerrilha chechena, e Aslan Maskhadov, ex-presidente separatista da Chechénia. Ambos foram abatidos pelas tropas russas em 2005 e 2006, respectivamente.

Familiares das vítimas continuam a exigir uma investigação mais aprofundada e independente do caso, mas as autoridades russas afirmam não haver necessidade disso.
Ella Kessaeva, dirigente da “Voz de Beslan”, organização que reúne familiares das vítimas, acusa as autoridades de nada fazer para as ajudar.

“No que respeita ao Estado, não há qualquer ajuda, não há quaisquer programas, a cidade de Beslan, neste momento, não tem nenhum programa de ajuda, de reabilitação das vítimas do atentado terrorista”, denuncia Kessaeva à rádio Eco de Moscou, segundo Lusa.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

set
01

Postado em 01-09-2009 09:48

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 01-09-2009 09:48

Putin e Merkel juntos na Polônia
putin

Deu no jornal
==============================================
Bahia em Pauta reproduz em parte, a seguir, texto informativo e análítico de Público, um dos mais conceituados diários de Portugal e da Europa, sobre o início da II Guerra Mundial, com o ataque alemão à Polônia. A íntegra da reportagem exemplar (do ponto de vista jornalístico) pode ser lida na íntegra na edição desta terça-feira do aniversário da maior tragédia da história moderna da humanidade) na edição on-line do jornal de Lisboa (http://ultimahora.publico.clix.pt) (VHS)

=============================================

Na madrugada de 1 de Setembro de 1939, os canhões do cruzador alemão Schleswig-Hosltein abriram fogo sobre as posições polacas em Westerplatte, na então cidade livre de Danzig, hoje Gdansk. Era o início da primeira batalha da II Guerra Mundial. Esta tarde, quando o Presidente polaco e o primeiro-ministro da Polónia, Lech Kaczynski e Donald Tusk, receberem os seus principais convidados estrangeiros, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, e a chanceler alemã, Angela Merkel, a data e a hora a que tudo começou serão um dos raros dados históricos do conflito em relação ao qual todos estarão de acordo.

Mas o primeiro-ministro russo decidiu marcar estas comemorações por antecipação. Ontem, Vladimir Putin publicou um artigo no jornal polaco “Gazeta Wyborcza”, no qual considerou um erro o pacto Ribbentrop-Molotov, assinado entre a Alemanha nazi e a União Soviética a 23 de Agosto de 1939, que tinha uma cláusula secreta ao abrigo da qual as tropas de Estaline ocuparam a zona oriental da Polónia.

“Sem qualquer dúvida, podemos condenar o pacto Ribbentrop-Molotov assinado em Agosto de 1939”, escreveu Putin. Foi um gesto pacificador num momento em que a polémica sobre as leituras contraditórias das causas da II Guerra Mundial voltou a reacender-se entre a Rússia e vários países do Leste europeu, entre os quais a Polónia. Em Moscou, onde o ensino da História está agora submetido aos interesses do Estado, a Polónia é acusada de ter colaborado com os nazis e de ter precipitado a guerra, ao recusar a protecção conjunta da França, da Grã-Bretanha e da URSS. Na Polónia, a II Guerra Mundial só terminou em 1989, quando o movimento desencadeado pelo Solidariedade a partir da cidade de Gdansk levou ao fim do regime comunista na Polónia. Para os polacos, esse é o momento em que recuperaram a liberdade e a sua independência.

A mensagem de Putin – que aborda também o massacre de 22 mil oficiais polacos pela polícia secreta soviética em Katyin, em 1940 – visa responder a um pedido de desculpas pelo pacto germano-soviético há muito exigido por Varsóvia. Embora declarando a intenção de combater as revisões da história, Putin não deixa, no documento, de justificar os argumentos revisionistas, quando se refere ao tratado de Munique. “Um ano antes, a França e a Grã-Bretanha não assinaram em Munique um famoso tratado com Hitler, arruinando todas as esperanças de formar uma frente comum contra o fascismo?”, escreve Putin, referindo-se a essa aliança que continuou a ser negociada até ao Verão de 1939, mas que esbarrou na recusa dos polacos e dos Estados bálticos de serem protegidos de Hitler pelas tropas soviéticas.

A mesma ambiguidade rodeia a declaração sobre o massacre de Katyin, que os tribunais russos nunca aceitaram julgar. “Devemos lembrar-nos em conjunto das vítimas desse crime”, escreve Putin. Mas recorda ao mesmo tempo o “destino trágico dos soldados russos que foram prisioneiros dos polacos durante a guerra [entre a Polónia e a URSS] de 1920”.

SANTOS PECADORES

O ponto forte da mensagem de Putin é manifestar o desejo de que as diferentes leituras da história não envenenem as relações entre MoscoU e Varsóvia. Putin propõe um “virar da página”: “O nosso dever em relação aos mortos e à história é fazer tudo para que as relações russo-polacas se libertem do peso de desconfiança e de parcialidade que nos deixaram como herança”. E acrescenta que esse virar de página permitirá à Rússia e à Polónia “atingir o mesmo nível elevado de colaboração” que existe hoje entre a Rússia e a Alemanha.

O virar da página também é desejado do lado polaco. Interrogado ontem num encontro em Gdansk sobre a carta de Putin, Lech Walesa, o líder histórico do Solidariedade e antigo Presidente da Polónia, também sublinhou a necessidade de ultrapassar as divergências da história. “Sou um católico praticante. Quantos pecadores não se tornaram santos?”, respondeu Walesa, defendendo que russos e polacos estão obrigados a ser bons vizinhos. “Deus fez-nos vizinhos e estamos obrigados a entender-nos”. Sublinhando esse desejo de aproximação, disse existirem dois Putins: “Há um Putin bom que quer reformar o seu país e outro que é esse homem do KGB. Qual dos dois vamos apoiar?”.

Walesa é história viva e é uma figura venerada pelo seu papel na queda do regime comunista, mas há muito que deixou de ser uma personagem relevante no xadrez político polaco. Mas as suas palavras são o sintoma de um clima de menor desconfiança em relação ao vizinho russo. A eurodeputada Rosa Thun, durante anos uma activista contra o regime comunista, sublinhou, em declarações ao PÚBLICO, esse desejo de não deixar que a história interfira no presente. “É muito bom que Putin venha. Será bem recebido. Não devemos usar a história como um instrumento para nos agredirmos uns aos outros. A Rússia trata a Polónia de forma muito séria, sobretudo enquanto membro da União Europeia. Haverá muitas controvérsias, mas as relações estão a tornar-se mais intensas e a melhorar, mesmo continuando a existir capítulos difíceis”.

REVISIONISMO RECUSADO

Apesar das tendências apaziguadoras, as revisões da história são muito mal recebidas na Polónia. “O que está a acontecer é surpreendente e assustador”, comenta o historiador polaco Jan Rydel, da Universidade de Cracóvia, num encontro com jornalistas. “Mas não nos podemos esquecer que apenas os historiadores de segunda linha estão envolvidos nessa releitura”.

Quando discursarem hoje em Gdansk, Angela Merkel e Vladimir Putin deverão exprimir este ambiente de boa vizinhança entre os inimigos de ontem – uma novidade no caso russo – mesmo que as diferentes leituras da história continuem a sublinhar as fracturas do passado.

set
01

Postado em 01-09-2009 08:43

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 01-09-2009 08:43

Direito: perda precoce
direito
===============================================

Internado desde sábado passado no Hospital Bom Samaritano, no Rio de Janeiro, morreu na madrugada desta terça-feira (01/09) o ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Alberto Menezes Direito, aos 66 anos (completaria 67 na próxima semana), vítima de um câncer no pâncreas.A notícia, confirmada pela direção do hospital carioca, foi dada em primeira mão pela rádio Band News com informação passada do Rio pelo jornalista Ricardo Boechat, amigo pessoal de Direito há muitos anos,logo em seguida ao falecimento do ministro do STF indicado há dois anos pelo presidente Lula.

Carlos Alberto menezes Direito, casado, tres filhos er netos, estava de licença-médica há quase quatro meses. Segundo o site oficial do STF, o velório acontecerá no antigo prédio do Supremo Tribunal Federal, no Rio, atual Centro Cultural da Justiça Federal. Ele estava afastado das funções para tratamento médico desde maio deste ano.

Segundo perfil publicado pelo portal terra, depois de 11 anos como ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Direito foi escolhido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a vaga aberta pela aposentadoria do ministro Sepúlveda Pertence. Desde maio de 2008, Menezes Direito também era ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral.

Entre os casos marcantes relatados pelo ministro Menezes Direito encontra-se a manutenção da prisão preventiva do banqueiro Salvatore Cacciola, que recorreu ao Supremo para revogar a prisão preventiva. Seguindo o voto do ministro Menezes Direito, o Plenário negou o pedido e manteve a custódia do banqueiro. Direito também teve ação destacada na questão da transposição do Rio São Francisco.

Nascido em 8 de novembro de 1942, em Belém (PA), o ministro formou-se bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, em 1965. Alcançou o título de doutorado em 1968. Atuou como ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) por onze anos, depois de passar pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, como desembargador, entre 1988 e 1996.

Ainda segundo o perfil produdo por Terra, Carlos Alberto Direito advogou no Rio de Janeiro, onde também ocupou diversos cargos públicos. Foi chefe de gabinete na Prefeitura, membro do Conselho da Sociedade Civil mantenedora da PUC-RJ, presidente da Fundação de Artes do Rio de Janeiro e membro do Conselho Estadual de Cultura do Estado. Entre as atividades exercidas, foi, ainda, presidente da Casa da Moeda do Brasil, secretário de Estado de Educação e presidente do Conselho Nacional de Direito Autoral, além de professor titular do Departamento de Ciências Jurídicas da PUC-RJ.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

set
01

Postado em 01-09-2009 00:13

Arquivado em ( Multimídia) por vitor em 01-09-2009 00:13


=================================================


=====================================================
A música para começar setembro no Bahia em Pauta precisava mesmo ser algo muito especial. Para não correr risco de errar garimpamos três monstros sagrados da música americana – Ella Fitzgerald, Frank Sinatra e Bing Crosby – interpretando a mesma e sensacional canção que fala deste mês especial e tão carregado de emoções e sentimentos: “September Song” (Canção de Setembro). O mesmo mês, “Setembro que sempre volta”, a mesma canção, mas quantas nuances na voz e na expressividade da interpretação de cada um desses intérpretes maravilhosos e imortais .Confira.
E feliz setembro para todos na companhia do Bahia em Pauta
(Vitor Hugo Soares )

ago
31

Postado em 31-08-2009 19:49

Arquivado em ( Artigos, Laura) por Laura em 31-08-2009 19:49

blog day

O que é BlogDay? O BlogDay ou 3108Day – como aparece na imagem – foi criado para ser o dia  dedicado ao conhecimento de novos blogs, de outros países ou áreas de interesse. Nesse dia os bloggers recomendarão novos blogs aos seus visitantes. Leia Mais.

Em meio a comemorações, discute-se o futuro da blogosfera e alguns “internetmaníacos” anunciam o fim dos blogs enquanto proclamam a “Era do Twitter” (microblog que virou mania na internet, ganhou a capa da Época semanas atrás e é muito utilizado por celebridades e anônimos para se promoverem).

Na realidade o que aconteceu foi que os blogs nasceram como diários pessoais e deram voz e vez a qualquer um que tivesse um computador – exatamente como twitter faz agora, sendo que neste caso é necessário um smartphone – com a entrada dos jornalistas e das mentes pensantes na blogosfera quem tinha um blog mas não tinha nada a dizer teve que aceitar o fim da fama; esse grupo agora faz a festa no twitter.

Vida longa aos blogs, cada vez com melhor conteúdo!

Por Laura Tonhá, publicitária.

ago
31

Postado em 31-08-2009 13:48

Arquivado em ( Artigos, Janio) por vitor em 31-08-2009 13:48

Belchior: calção mais curto que o de M. Sergio?
msergio

====================================================

CRÕNICA/DESAPARECIDO

Carta de Paulo Afonso

Janio Ferreira Soares

Vitor, meu velho, agora que acabou o mistério sobre o paradeiro de Belchior, tava aqui conversando com o meu tio Lindemar (82 anos de sertão e de América do Sul) sobre o que pode ter levado o nosso ex-famoso compositor popular a se escafeder por aí e viver, como naquela canção de Gonzaguinha, com a perna no mundo.

Teria sido orientação do mesmo marqueteiro que mandou Dilma Roussef sumir por uns tempos para poder voltar por cima? Vergonha dos companheiros Mercadante e Sarney, fiéis seguidores da tradição de ostentar fartos pelos faciais no breve espaço compreendido entre o nariz e o lábio superior? Medo de embarcar em algum avião por conta dos últimos acidentes aéreos e, na poltrona do lado, não encontrar nenhuma mão disposta a segurar a sua? Ou será que o principal motivo é a velha falta de dinheiro no banco e de parentes importantes (o caseiro Francenildo que o diga), que lhe acompanha desde o tempo em que ele era apenas um rapaz latino-americano egresso de Sobral?

Segundo Franciel Cruz, jornalista, rubro-negro e proprietário dos Blogs Ingresia e Victoria Quae Sera Tamen, essa onda toda o pegou de calção mais curto do que aquele que Mário Sérgio usava nos tempos em que executava uma saraivada de elásticos em cima de Ubaldo e Sapatão. Indagado por uma menina sobre o que achava desse desaparecimento, nem pestanejou: “ué, e ele ainda está vivo?”

Outro que ficou meio perdido sobre esse assunto foi o menino Claudio Leal. Logo depois da primeira reportagem do Fantástico, ao chegar a redação do Terra Magazine e verificar que muitos comentavam sobre o fato, ele passou um bom tempo sem entender absolutamente nada. Aos poucos foi que o bardo itapagipano percebeu que estavam falando do desaparecimento de um tal de Belchior. É que a sua seletiva memória não está acostumada a guardar bigodes que não lhe interessa, muito embora ele ainda tenha terríveis pesadelos com o delegado Magalhães lhe perseguindo pelas ruas da Ribeira. A propósito, os únicos buços que ele recomenda são os do Coronel Chabert e Balzac, que inclusive dividiram com ele um lugar na arquibancada do Pacaembu durante um jogo do Vitória contra o Corinthians. Danado, esse Claudio.

No mais, é esperar que alguns artistas em atividade sigam o exemplo do cearense e sumam. De preferência, definitivamente. A lista é grande. Abração.

Janio Ferreira Soares, cronista , é secretário de Cultura e Turismo de Paulo Afonso, no Vale do São Francisco

ago
31

Postado em 31-08-2009 13:08

Arquivado em ( Multimídia) por vitor em 31-08-2009 13:08


A música para começar esta segunda-feira (31), útimo dia deste surpeendente agosto de 2009, é uma beleza só:”La belle dame sans regret”, um dos temas de “When I Fall in Love” (2004), aqui em gravação de Chris Botti & Sting. “Música simplemente universal”, como assinala em comentário um ouvinte do You tube. A sugestão, mais uma vez, é do jornalista Gilson Nogueira, que pergunta: “Nossa Mão da Música, que maravilha é essa?”

Quem souber, responda .

(Vitor Hugo Soares)

ago
31

Postado em 31-08-2009 10:51

Arquivado em ( Artigos, Rosane) por vitor em 31-08-2009 10:51

Oswaldo Aranha: “País vencerá”/Img.CPDOC (1930)
aranha

OPINIÃO / POLÍTICA

DIAS CONTADOS

Rosane Santana

A política clientelista e do favor, de raiz oitocentista, está com os dias contados no Brasil. A agonia do popular toma-lá-dá-cá que desembocou em crises como a do orçamento, em 1992, do mensalão, em 2005, e na atual paralisia do Congresso, com o Senado em chamas, descontados os oportunismos e a manipulação de uma parte da midia, resulta de avanços da cidadania – “acesso aos mercados e aos bens de consumo”, como define o historiador e cientista político José Murillo de Carvalho -, por uma maior parcela da população.

No centro da questão, a incapacidade do Estado em atender e intermediar as demandas de múltiplas clientelas. Afinal, não estamos mais no século XIX, somos uma população de cerca de 200 milhões de pessoas – maioria urbana – o voto de cabresto praticamente desapareceu, a burocracia do país tem se modernizado continuamente, o familismo está em baixa, o eleitor tem mais acesso à informação e o Brasil é um candidato a potência mundial, pelo menos aqui nos Estados Unidos, nos meios acadêmicos, especificamente na Universidade de Harvard, é tratado como tal.

O problema aponta para uma mudança estrutural na política brasileira, ainda que muitos não estejam percebendo o processo, expressando, frequentemente, desencanto com líderes e governos. É tempo de comemorar. Gosto sempre de recordar uma frase, se não me falha a memória, de Osvaldo Aranha, ex-ministro da Fazenda de Getúlio Vargas- um liberal que combateu o nazismo- pinçada do livro a “História Sincera da República”, do marxista pernambucano Leôncio Basbaum, que li nos tempos da Faculdade de Jornalismo da Universidade Federal da Bahia: “O Brasil é tão grande, mas tão grande, que vencerá com os brasileiros, sem os brasileiros e até mesmo contra os brasileiros”.

Às vésperas da campanha para as eleições presidenciais, no entanto, vejo com ceticismo, a forma como a mídia, estimulada por marqueteiros e interesses políticos tem incensado a candidatura da ex-ministra Marina Silva a presidência da República como a “higienização da política brasileira”. Marina seria uma espécie de salvação em meio a um mar de lama, leia-se corrupção, clientelismo e falta de ética. Falta responder, com quem vai governar? Já vi esse filme e não tem happy end. Mais desencanto e mais alienação.

Na história recente, o presidente Lula, que, no passado, chegou a declarar a existência de “300 picaretas no Congresso” vê-se obrigado a negociar com aquela Casa em condições nem sempre confortáveis e muitos dos problemas do seu governo derivam de curto-circuitos na relação com o Poder Legislativo, próprios do regime presidencialista.

Em 1986, na Bahia, por exemplo, Waldir Pires candidatou-se e teve vitória histórica para o governo do estado, com 1,6 milhão de votos de frente contra o jurista Josapha Marinho, representante das forças conservadoras. Não tenho nada contra o professor Francisco Waldir Pires de Souza. Reconheco nele uma das mais exemplares biografias da moderna política brasileira, apesar dos equívocos. No entanto, para justificar o amplo arco de alianças, o vi, pessoalmente, repetir com certa freqüência, “eu sou a mudança”, mas o seu governo acabou de maneira frustrante.

Pura ilusão ou, lembrando Sérgio Buarque de Holanda, resquícios da “nossa tradição autoritária”, porque governos não se fazem, apenas, com a vontade do governante, mas com centenas ou milhares de pessoas, líderes ou não, trabalhando em prol do bem comum. E numa República, incluem-se o Congresso, representando o Poder Legislativo, e o Judiciário, que no Brasil tem se modernizado, mesmo aos trancos e barrancos.

Mudanças estruturais são processos de longa duração. Para acelerar a transformação do Brasil arcaico em um Brasil moderno, falta avançarmos ainda mais na conquista da cidadania e investirmos em um projeto de educação básica pública e gratuita. Aqui nos Estados Unidos, por exemplo, as escolas públicas de educação fundamental distinguem os bons alunos e os gênios, oferecendo para eles estímulos e oportunidades educacionais.

Imigrantes brasileiros, inclusive, são beneficiados por essa política e estão estudando em universidades americanas, que são consideradas as melhores do mundo, especialmente em Massachusetts, estado apontado como a Atenas da Era Moderna. O governo americano acompanha passo a passo a vida do aluno e, ao final do segundo grau, eles são premiados com bolsas de estudo para o ensino superior, que são caríssimas, cerca de 50 mil dólares ano.

É com conhecimento e tecnologia que se muda um país. Educar é preciso.

Rosane Santana é jornalista e mestre em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

ago
31

Postado em 31-08-2009 10:14

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 31-08-2009 10:14

Pré-sal: Cabral vence disputa por royalties
bloglula

Blog do Lula estréia com pré-sal como manchete

Deu no site

Na seção Último Segundo, onde estão as notícias mais recentes, o portal IG na Internet fala do lançamento nesta segunda-feira (31) do Blog do Planalto, mais citado na WEB e na mídia em geral como Blog do Lula. O blog já está no ar com imagem do presidente sorridente e destaque no noticiário para o lançamento hoje do polêmico marco regulatório para exploração de petróleo na área do pré-sal.

“Nesta segunda-feira, Lula anuncia quais serão as regras para a exploração de petróleo na camada de pré-sal, após dois anos de descoberta das reservas. Há mais de um ano, o governo discute um novo marco regulatório”, anuncia o Blog do Planalto – Acesse aqui o blog do Planalto.

O blog do Lula assinala ainda que o Brasil “está dando mais um passo para alcançar uma nova era”. “São mudanças muito importantes para que os recursos petrolíferos descobertos pela Petrobras abaixo da camada de sal do Oceano Atlântico sejam bem aproveitados e se transformem em uma riqueza para melhorar a vida de todos os brasileiros – especialmente os mais pobres”, diz o texto.

Em vídeo, o presidente Lula diz que a descoberta de petróleo em camadas profundas coloca o Brasil entre os maiores produtores de petróleo do mundo, informa o portal IG.

“É um petróleo de boa qualidade e que o Brasil precisa fazer um novo marco regulatório para a Petrobras ficar mais forte. Não temos o direito de pegar o dinheiro que vamos ganhar com o petróleo e torrar no orçamento da União”, afirma. “O que nós queremos é classificar as prioridades para tornar o Brasil mais rico”, acrescenta Lula.

A conferir

  • Arquivos

  • novembro 2018
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930