set
24

Postado em 24-09-2009 22:30

Arquivado em ( Municípios, Newsletter) por vitor em 24-09-2009 22:30

Juazeiro: cenário do festival de música
jua
———————————————————-

GRAZZI BRITO

JUAZEIRO (BA) -A Secretaria de Cultura, Esportes, Turismo e Lazer (SECETLA) de Juazeiro, extremo norte do Estado, abre inscrições para a 13ª edição do Festival Nacional Edésio Santos da Canção (FENESC). Este ano o festival na cidade de João Gilberto, Galvão(Novos baianos) e Ivete Sangalo, traz como novidade um aumento na premiação, bem como uma programação integrada, com mostras de manifestações culturais, shows e oficinas de música.

O FENESC é um festival de composições inéditas voltado a todos os gêneros e estilos da Música Popular Brasileira. O objetivo é fazer o intercâmbio de experiências entre músicos, compositores, interprete poetas e artistas que venham a valorizar a produção musical e cultural da Região, do Estado e do País lançando no mercado musical, novos talentos.

Cada concorrente poderá inscrever até duas músicas que deverão ser inéditas e originais, tanto na melodia como na letra, ciente de que apenas uma poderá ser classificada.

As inscrições são gratuitas e devem ser efetuadas pessoalmente ou pelo correio entre15 de setembro a 15 de Outubro de 2009. Os interessados deverão adquirir o regulamento e ficha de inscrição através do site www.juazeiro.ba.gov.com.br a partir do dia 19 de setembro e, depois de preenchida, deverão entregar ou enviar com aviso de recebimento (AR), para o seguinte endereço: Prefeitura Municipal de Juazeiro – Rua 02, Loteamento Nossa Senhora das Graças, nº. 1.025, Coréia, CEP. 48.905-390 Juazeiro – BA.

Serão selecionadas 20 músicas para concorrerem em duas etapas eliminatórias e uma final, em cada uma das eliminatórias serão escolhidas, pelo do Júri do festival, 05 músicas que somadas totalizarão 10 canções que concorrerão na final do dia 29 de novembro.

Dentre as 10 finalistas, os três primeiros receberão prêmios de R$ 10.000 o 1º colocado, R$ 8.000 o 2º e R$ 6.000 o 3º e ainda R$ 4.000 para o melhor interprete.

A SECETLA como produtora do evento disporá para os classificados na triagem que residem em outras cidades, uma casa de apoio com dormida durante os ensaios até a Grande Final no dia 29 de novembro.

Mais informações no site ou pelo telefone (074) 3611-4144.

Grazzi Brito é jornalista, mora em Juazeiro, região do vale do São Francisco.

set
24

Postado em 24-09-2009 18:46

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 24-09-2009 18:46

Joaci Góes: mérito reconhecido
joaletras

Deu no site da Rádio Metrópole

================================================
Joaci Fonseca de Góes tem na educação seu lema de vida: “Sem educação, não há solução”, diz o baiano nascido em Ipirá, Bahia, no dia 25 de agosto de 1938. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da UFBA, este amante das palavras vai tomar posse na cadeira número 7, na Academia de Letras da Bahia, nesta quinta-feira, (24), às 19h, no Palacete Góes Calmon, Nazaré.

Seu lado escritor se manisfestou em três obras, uma delas acaba de ser lançada e se chama “A Força da Vocação – Para o desenvolvimento das pessoas e dos povos”. Os outros dois livros são: “A inveja nossa de cada dia – Como lidar com ela”, de 2001 e “Anatomia do ódio – Na Família, no Trabalho, na sociedade”, de 2004.

Sobre sua posse na ABL, ele diz modesto que instituições como estas são feitas por homens e por vezes erram nas suas avaliações, por conta disso espera merecer tal honraria. “Quero utilizar a tribuna da Academia para defender o maior tema de todos: a educação”, afirma. Para Joaci, só com educação podemos combater a criminalidade, a corrupção e os demais problemas sociais.

Ex-Deputado Federal, entre outras atividades foi coordenador da Bancada Federal do PMDB (Bahia), Presidente da Comissão de Defesa do Comsumidor, Meio Ambiente e Minorias e Relator do Código de Defesa do Consumidor.

Sócio fundador e líder de várias empresas do Grupo Góes-Cohabita, Joaci tem experiência profissional em áreas como Shopping Center (Riomar Centros Comerciais Ltda.); ramo imobiliário (Góes-Cohabita Empreendimentos Imobiliários Ltda.) e transporte (Arbrás – Táxi Aéreo Ltda.).

Foi Diretor Geral da Faculdade Polifucs, na região metropolitana de Salvador e atualmente gere a Faculdades do Descobrimento, na cidade de Santa Cruz Cabrália-Bahia.

=======================================================
Bahia em Pauta acrescenta: Joaci Góes vai ocupar a cadeira de nº 7 da ALB, cujo patrono é níngém menos que José da Silva Lisboa, o notável Visconde de Cairu, vulto que, além de muitos méritos literários, assinalou sua presença na história do País ao convencer o rei de Portugal, D. João VI, a abrir os portos brasileiros às nações do mundo. Em sua chegada na Academia, o escritor, advogado e empresário Joaci Góes será saudado por outro gigante do jornalismo da Bahia: João Carlos Teixeira Gomes, Joca.

Combinação mais que perfeita para uma noite da gala na ALB,a cuja celebração este site-blog baiano se associa com orgulho. Bravo Joaci!

(Vitor Hugo Soares, editor)

set
24

Postado em 24-09-2009 18:01

Arquivado em ( Artigos, Eventuais) por vitor em 24-09-2009 18:01

Estacionamento na Holanda: “bicicleta é para eles”
biciholanda
================================================
Deu na coluna
Na coluna Em Tempo, que ele assina diariamente na Tribuna da Bahia, o jornalista Alex Ferraz publica na edição, desta quinta-feira, 24, as seguintes notas sobre o novo factoide politicamente correto nacional:

==================================================

Bicicleta?

Fui obrigado a ouvir e ver em rádios e TVs de todo o País, no Dia Mundial Sem Meu Carro, incentivo ao uso de bicicletas para nos livrarmos dos engarrafamentos nas grandes cidades brasileiras. Alices, pelo amor de Deus, em que país vocês vivem? Tentem comprar uma bicicleta e sair pedalando por Rio, Salvador, Recife, São Paulo… Você receberá um murro pelo meio da cara e vão tomar sua bicicleta e ainda vão lhe dar uns chutes na barriga porque você foi otário demais.

Bicicleta é para lá…

A agenda internacional 2009, que a Holanda deu de brinde a jornalistas de todo o mundo, mostra a rainha do país indo de bicicleta para a abertura anual do Parlamento. Mostra artistas, empresários, políticos e donas-de-casa indo de bicicleta para o trabalho e o lazer. Sim, a Holanda é um país todo plano. A renda per capita ultrapassa o equivalente a 70 mil reais (a da Bahia é de menos de 7 mil reais). Lá ninguém rouba bicicletas. Ponto final.

O carro da Big

Minha assessora para assuntos de mobilidade, diante da realidade cruel da Bahia, deu um aviso aos “ecochatos” e aos “especialistas” em trânsito (kkkkkkk): “Olhe, seu Alex, no ano que vem comemorarei o Dia Mundial Sem Meu Carro comprando um tanque de guerra igual àquele da modelo lourésima do programa “Brazilian Next Top Model”. E me deixem, viu?!”
=======================================================
Leia íntegra da coluna de Alex na Tribuna da Bahia

set
24

Postado em 24-09-2009 10:52

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 24-09-2009 10:52

Reflexões no Rio Vermelho
rvermelho
==================================================
Deu no Blog do Rio Vermelho, da jornalista baiana Carrmela Talento, o (“gente boa pra xuxu”, como diziam os soteropolitanos antigamente), o texto que Bahia em Pauta reproduz a seguir.
=====================================================
Carmela Talento

“Hoje, como faço todos os dias, acordei e sentei na varanda de casa que tem uma bela vista para o mar. O dia bonito, sol, céu azul mar idem, uma pintura de cores firme, nenhuma nuvem. Comentei com minha filha a beleza da manhã. Em questão de segundo o celular toca, do outro lado da linha Joaninha, pelo horário logo percebi que alguma coisa estava errada, e como uma bomba veio a notícia: Maira, companheira de nosso amigo em comum Araquém, sofrera uma aneurisma à noite e não resistiu.
Maira amiga querida de todos, uma das pessoas mais meigas e educadas que tive oportunidade de conviver, jovem, linda , mãe de duas filhas, idealista com vários projetos em mente, militante política com muita contribuição ainda a dar, foi embora assim, de repente deixando todos nos perplexos . Ao receber a noticia e diante do cenário que estava à minha frete, deslumbrantemente belo, me veio à memória o amigo Jadson, que citando não sei bem quem, costumava dizer :“ a natureza é insensível à morte”. Constatação mais do que perfeita nesse momento em que nada se tem a dizer”.
======================================================
Maira Landim: um exemplo
mayra
———————————————————————
Bahia em Pauta comenta: Os jornalistas que fazem este site-blog mandam um abraço solidário ao bravo colega Araken Gomes, de tantas batalhas. Apesar da dureza do golpe desta perda, sabemos que ele resistirá mais uma vez. Pelo bem dos que ficam, e porque Maira seguramente seguirá cuidando dele onde quer que ela esteja a partir de agora , como companheira sempre generosa e leal

(Vitor Hugo Soares)

set
24

Postado em 24-09-2009 10:15

Arquivado em ( Multimídia) por vitor em 24-09-2009 10:15


Neste começo ensolarado de primavera baiana nada melhor que começar o dia com uma bela e romântica música francesa. E, como de tantas vezes anteriores, o romântico jornalista Gilson Nogueira, se encarregou da garimpagem, até achar a preciosidade que Bahia em Pauta oferece aos leitores ouvintes da Rádio BP ( a expressão é de Gilson) como canção para começar esta quinta-feira, 24 de setembro, neste site-blog baiano, de coração multinacional. “F. comme Femme” , interpretada por Adamo e com direito a tradução da letra. Confira.

(Vitor Hugo Soares)

set
24

Postado em 24-09-2009 00:21

Arquivado em ( Multimídia) por vitor em 24-09-2009 00:21

neruda
==============================================

Dia 23 de setembro de 1973 morria o poeta Pablo Neruda em Santiago do Chile. Poema 15 – Me gusta quando callas -, é o tributo do Bahia em Pauta nesta madrugada, ao imenso poeta de Temuco.

set
23

Postado em 23-09-2009 23:47

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 23-09-2009 23:47

O texto a seguir, sobre a Casa Côr da Bahia 2009, de Bernardo Almeida, foi garimpado no site do autor por Glauvânia Jansen, que há anos comanda a Caminhada da Lua, em Itapoã. Leitora e colaboradora deste Bahia em Pauta, ela nos mandou uma cópia do artigo por e-mail acompanhado de um recado: “gostei do texto e repasso para você”. Resposta: nós também gostamos, Glau, e o repassamos agora aos nossos leitores, com agradecimentos a você e a Bernardo.
=====================================================
Casa Côr Bahia: “excesso dos excessos”
cavalo

Deu no site
===========================================
OPINIÃO / TENDÊNCIAS

Casa Cor de 15ª categoria

Bernardo Almeida

Com quase todos os ambientes decorados em torno de um aparelho de televisão de plasma ou de cristal líquido (LCD), mirrada criatividade e muita cafonice, a Casa Cor Bahia 2009 está deveras distante de ser uma representante fiel do slogan que ostenta “A Marca do Bom Gosto”.

Sem sombra de dúvidas, a pior edição que já freqüentei aqui na Bahia. Sob o tema Sustentabilidade, 52 profissionais – provavelmente indicados pelos “Antigos e Novos Donos da Bahia” – assinam 37 ambientes que são de uma raridade cômica.

Nem de maneira sofrível conseguem atingir o objetivo de apresentar ao público local as tendências nas áreas de arquitetura, design de interiores e paisagismo no Brasil e demais países do globo.

Em meio a tanta breguice, coroada pelo excesso do excesso do excesso, chamou-me à atenção um descomunal cavalo preto situado em um dos ambientes, cuja função, além de chocar, era de servir como abajur. Curiosamente, a lâmpada ficava sobre a cabeça do equino, conferindo luz ao animal, dando-o a iluminação que o arquiteto não teve no momento de compor aquele desastre.

Na tentativa de prestar uma homenagem, também acabaram por desprestigiar o profícuo e magistral artista plástico e paisagista paulistano Roberto Burle Marx. “Tirem meu nome daí, vocês não entenderam nada”, vocifera seu esqueleto na tumba.

Mas, o pior mesmo ficou a cargo do novo empreendimento da JCG, o Solaire, cujas obras começarão logo após o término do evento. O Solaire será erigido sobre as ruínas da residência que abriga a Casa Cor, na Ladeira da Barra. Demolirão um lindo e antigo casarão, instalado numa área de mais de dois mil metros quadrados, para dar lugar a uma torre com estética de prédio de COHAB – claro, com as devidas adequações à classe econômica a qual o empreendimento se dirige. A fealdade e a cretinice oriundas da mão e do intelecto dos mentores desse projeto serão minimizadas, ao menos parcialmente, por conta da existência da Baía de Todos os Santos.

Realmente, é uma grande hipocrisia falar em sustentabilidade na décima quinta edição da Casa Cor Bahia. Trata-se de mais uma estratégia para escamotear as investidas agressivas desses gigantes acéfalos movidos à grana que odeiam a nossa cidade, e que por isso mesmo querem transformá-la em outra, completamente distorcida da idéia que Salvador representa para seus admiradores mundo afora. Sustentabilidade? Eu bem entendi. É a velha tática: esconder o lobo sob a pele de um cordeiro.

Um brinde à brega chique elite nossa – composta por caboclos com nomes ingleses e franceses – que substitui violentamente a cultura local por qualquer lixo que surja como “a grande tendência já consagrada internacionalmente”. Haja subjugação, degenerescência e sentimento de inferioridade cultural.

Bernardo Almeida
www.bernardoalmeida.jor.br

set
23

Postado em 23-09-2009 20:11

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 23-09-2009 20:11

Obama na ONU: aquem do esperado
obaonu
=================================================
OPINIÃO/MUNDO

OBAMA:MAIS DO MESMO

ROSANE SANTANA

Em seu primeiro discurso na ONU Barack Obama disse um pouco mais do mesmo. O speech foi uma variacão do “The Great Need of the Hour” (A grande necessidade da hora), proferido em janeiro de 2008, em uma igreja batista de Atlanta, na Georgia, quando se preparava para disputar as primárias do Partido Democrata contra Hillary Clinton, atual secretária de Estado dos EUA.

Naquela ocasião, o então senador por Illinois apelou para o povo americano: “Unity is the great need of the hour” (“a unidade é a grande necessidade da hora”). No discurso da ONU a palavra unidade foi substituída por cooperacão.

Barack Obama conclamou os líderes para inaugurar “um novo capítulo de cooperacão internacional”, focado em quatro áreas: não proliferacão de armas nucleares, promocão da paz e seguranca (eufemismo para a antipopular “Guerra contra o Terror”), protecão ao meio ambiente e melhoria da economia global. Resumindo: num mundo globalizado é fundamental a ajuda mútua para superacão dos grandes desafios.

Condenou o unilateralismo dos EUA que fomentou o antiamericanismo no mundo e listou entre as mudancas na política de seu governo, a proibição do uso da tortura em Guatanamo (prática que continua, segundo denuncias) e sua ordem para fechar a prisão, ainda sem data marcada para acontecer e orcamento votado pelo Congresso.

Destacou a determinação para combater o extremismo e uma meta “para trabalhar com todos os membros deste organismo (ONU) para interromper, desmontar, e derrotar al-Qaida e seus aliados extremistas” (discurso que continua idêntico ao de Bush).

“The people of the world want change,” Obama said. “They will not long tolerate those who are on the wrong side of history.” (“Os povos do mundo querem a mudança”, disse Obama. “Eles não vão tolerar muito aqueles que estão do lado errado da história”. Aqui também o marketing da mudança.

É verdade. Quando fala em cooperacão, Obama nem parece o mesmo que manteve recentemente o bloqueio econômico a Cuba.

Barack Obama nao perdeu o hábito dos palanques. A Assembleia Geral da ONU foi mais um.

E la nave va.

Rosane Santana é jornalista, mestre em História pela UFBA, estudante de Harvard, mora em Boston (EUA)

set
23

Postado em 23-09-2009 16:04

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 23-09-2009 16:04

Paulo Souto: chame gente
psouto
===================================================
O salão do restaurante A La Carte da Assembleia nunca esteve tão repleto como hoje. Mas não é difícil saber o motivo: ali, entre falas, abraços, fugas, comes e bebes o ex-governador Paulo Souto foi recebido em almoço oferecido pela Bloco de Oposição da Casa.

A olhos mais atentos e menos voltados para os pratos e copos, alguns fatos chamaram a atenção. Por exemplo: adesistas – a velha e devastadora praga da política baiana como dizia Chico Pinto -, que até ontem estavam ao lado de Souto, meio que sem graça foram cumplimentá-lo en-passant, cabreiros como sempre, apesar de escolados praticantes do fisiologismo.

No restaurante também esteve o presidente da AL, deputado Marcelo Nilo, para desejar “as boas vindas” ao visitante; e ainda aqueles que fizeram o possivel para se esconder ou se tornar invisíveis. Neste caso, não só deputados, mas algumas lideranças e ex-colaboradores que um dia juraram amor eterno ao chefe e disputavam a tapas para pongar de papagaios de piratas ao seu lado.

Outra nota melancólica: Em uma mesa, acompanhado do deputdao Zé Neto, o secretário de comunicação do governo Wagner, Robinson Almeida, também almoçava. Como homem de comunicação ele deveria ter conhecimento de que o ex-governador estaria ali acompanhado de seus correligionários e amigos. Jornalistas presentes observaram que não caiu bem o secretário dar uma de “estranho no ninho”.

Constrangimento é pouco.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

set
23

Postado em 23-09-2009 14:41

Arquivado em ( Newsletter) por vitor em 23-09-2009 14:41

Lula na ONU: discurso duro
luonu

Bahia em Pauta publica a seguir os trechos mais enfáticos e mais aplaudidos por chefes de estado e público em geral do discurso do presidente Luis Inácio Lula da Silva na manhã desta terça-feira , 23, durante a abertura da Assembléia Geral da ONU . O presidente do Brasil é, por praxe, o primeiro orador oficial.
(VHS)
=====================================================

Senhor Presidente,

Há exatamente um ano, no limiar da crise que se abateu sobre a economia mundial, afirmei, desta tribuna, que seria um grave erro, uma omissão histórica imperdoável, cuidarmos apenas das consequências da crise sem enfrentarmos as suas causas.

Mais do que a crise dos grandes bancos, essa é a crise dos grandes dogmas. O que caiu por terra foi toda uma concepção econômica, política e social tida como inquestionável. O que faliu foi um insensato modelo de pensamento e de ação que subjugou o mundo nas últimas décadas. Foi a doutrina absurda de que os mercados podiam auto-regular-se, dispensando qualquer intervenção do Estado, considerado por muitos um mero estorvo. Foi a tese da liberdade absoluta para o capital financeiro, sem regras nem transparência, acima dos povos e das instituições. Foi a apologia perversa do Estado mínimo, atrofiado, fragilizado, incapaz de promover o desenvolvimento e de combater a pobreza e as desigualdades; a demonização das políticas sociais, a obsessão de precarizar o trabalho, a mercantilização irresponsável dos serviços públicos. A verdadeira raiz da crise foi o confisco de grande parte da soberania popular e nacional – dos Estados e dos governos democráticos – por circuitos autônomos de riqueza e de poder.

Afirmei que era chegada a hora da política. Disse que governantes – e não tecnocratas arrogantes – deveriam assumir a responsabilidade de enfrentar a desordem mundial. O enfrentamento da crise e a correção de rumo da economia mundial não poderiam ficar apenas a cargo dos de sempre. Os países desenvolvidos – e os organismos multilaterais onde eles eram hegemônicos – foram incapazes de prever a catástrofe que se iniciava e, menos ainda, de preveni-la.

=====================================================

Senhor Presidente,

Não somos voluntaristas. Mas sem vontade política não se pode enfrentar e corrigir situações que conspiram contra a paz, o desenvolvimento e a democracia. Sem vontade política persistirão anacronismos como o embargo contra Cuba. Sem vontade política continuarão a proliferar golpes de Estado como o que derrocou o Presidente constitucional de Honduras, Manuel Zelaya, que se encontra, desde segunda-feira, refugiado na embaixada do Brasil em Tegucigalpa. A comunidade internacional exige que Zelaya reassuma imediatamente a Presidência de seu país e deve estar atenta à inviolabilidade da missão diplomática brasileira na capital hondurenha.

Sem vontade política, por fim, crescerão as ameaças hoje representadas pela mudança climática no mundo. Todos os países devem empenhar-se em realizar ações para reverter o aquecimento global.

Preocupa-nos a resistência dos países desenvolvidos em assumir sua parte na resolução das questões referentes à mudança do clima. Eles não podem lançar sobre os ombros dos países pobres em desenvolvimento responsabilidades que lhes são exclusivas.

O Brasil está cumprindo a sua parte. Vamos chegar a Copenhague com alternativas e compromissos precisos. Aprovamos um Plano de Mudanças Climáticas que prevê a redução de 80% do desmatamento da Amazônia até 2020. Diminuiremos em 4,8 bilhões de toneladas a emissão de CO2, o que representa mais do que a soma dos compromissos de todos os países desenvolvidos juntos…

  • Arquivos

  • outubro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031