Eu aconselho vocês a lerem as peças [do processo] para me defenderem, como o [jornalista e colunista da Folha] Reinaldo Azevedo está fazendo. Ele todo dia fala “Eu li. Eu li o processo”. Eu não peço para dizerem que eu sou inocente, não. Peço que vocês leiam. E se acharem uma vírgula de culpa, por favor, me telefonem. É só isso”.

Luis Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, fundador do PT, condenado a 9 anos e seis meses de prisão em processo da Lava Jato, e postulante a candidato a presidente da República nas eleições de 2018. Dando conselhos aos jornalistas.

Juan González, asesor colombiano de Biden para Latinoamérica, comienza gira por la región | EL ESPECTADOR
Juan Gonzalez com Bdien na Casa
 Branca: missão na América so Sul
ignora governo Bolsonaro.

 

 

ARTIGO DA SEMANA

“Samba é baile de dois”: missão de Biden isola Bolsonaro

Vitor Hugo Soares

Enquanto o presidente Bolsonaro se enrosca na retórica e ações estranhas (Alexandre Saraiva retirado do comando da PF no Amazonas, por exemplo) e tropeça nas próprias pernas diante da sombra da CPI da Covid-19, para apurar malfeitos, erros e omissões de seu governo no combate à pandemia no país (270 mil mortos), o mundo dá voltas, indiferente aos estrilos do poderoso da vez em Brasília. Assinalo aqui, fato que passou quase batido no noticiário nacional, esta semana: Dos dias 12 a 14,  emissários do governo  Joe Biden, desembarcavam em Bogotá, iniciando pela Colômbia uma relevante visita oficial à América do Sul.  Na agenda da missão, chefiada pelo diretor sênior para o Hemisfério Ocidental no Conselho de Segurança, Juan Sebastian Gonzalez, constaram, também, significativos contatos com autoridades na Argentina e no Uruguai. O Brasil foi sonoramente ignorado nesta primeira visita de emissários de Biden ao continente.
 

Na capital colombiana, a secretária adjunta para a América do Sul, Julie Chung, ao lado de Gonzalez na viagem, postou no Twitter: “Valorizamos nossa estreita cooperação com Ivan Duque e o governo da Colômbia e continuamos trabalhando juntos para restaurar a democracia na Venezuela”. No sábado,10, o anúncio do embarque dos emissários se deu em comunicado no qual se destacava que eles discutiriam, na Colômbia, a recuperação econômica, a segurança e o desenvolvimento rural do país. Além disso, debateriam a crise migratória da Venezuela. Na Argentina e Uruguai, Gonzalez e Chung “abordam os desafios impostos pela pandemia Covid -19, as mudanças climáticas e as ameaças à democracia, incluindo o recrudescimento da corrupção no continente”.

 Em Buenos Aires, terça-feira, 13, o mandatário argentino recebeu uma carta do colega norte-americano e, ainda convalescendo da covid-19, manteve conferência online com os enviados da Casa Branca, quando tratou da compra de vacinas nos EUA. Fernandez também pediu, a Biden, apoio explícito da Casa Branca às negociações que a Argentina mantém com o FMI, para lograr uma prorrogação das negociações, além de condições creditícias favoráveis, como revela o diário El Clarin.

Quinta-feira, 14, na etapa final da missão, em Montevidéu , Gonzalez foi recebido pelo presidente Lacalle Pou, na Torre de Governo, com quem tratou de segurança e mútuo firme combate ao narcotráfico na região e nos EUA. E sem dar bolas para Brasília, a missão retornou a Washington.

Dias antes da viagem , Juan  Gonzalez , em entrevista ao Washington Post, pontuou que se o Brasil espera merecer um novo olhar da Casa Branca, o governo Bolsonaro precisará modificar a atual política em relação ao meio ambiente. Segundo Gonzalez, Biden tem um entendimento sofisticado do Brasil e acredita que a importância estratégica do país para os EUA vai além de quem esteja no poder. É o maior exportador do mundo de produtos agrícolas, uma ponte natural entre o G7 e o G77. “Existe uma agenda global entre nossos países. O Brasil é um país importante, mas a relação só poderá alcançar seu potencial sob uma base de entendimentos compartilhados: a mudança climática é real e a necessidade de atuar é urgente, as instituições democráticas e os direitos humanos devem ser respeitados e a corrupção não pode ser tolerada… Mas o samba é um baile de dois”, conclui Gonzalez. Precisa desenhar? Responda quem souber.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail:vitors.h@uol.com.br

“Zelão”, Sérgio Ricardo: inesquecível, para ouvir e pensar! Bom sábado!

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

abr
17

Postado em 17-04-2021 00:12

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 17-04-2021 00:12

Foto: Sergio LIMA / AFP)a

Escolhido relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) é visto como inimigo no Palácio do Planalto. Segundo interlocutores do governo, o presidente Jair Bolsonaro acredita que o parlamentar, que voltou aos holofotes em grande estilo, quer “foder” o governo.

 

Quando a confirmação do nome de Calheiros para relatar a CPI chegou ao Planalto, o clima azedou de vez. O governo vinha trabalhando pesado nos bastidores para fazer tanto o relator quanto o presidente da CPI da Covid, como forma de ter controle das investigações e blindar Bolsonaro. Mas o governo teve de engolir a derrota.

 

A presidência da Comissão ficará com o senador Omar Aziz (PSD-AM), considerado independente pelo Planalto, mas que pode ser seduzido pela liberação de verbas de emendas parlamentares e pela distribuição de cargos na administração federal. Aziz quer ser candidato a governador do Amazonas.

 

Bolsonaro nas mãos da República das Alagoas

 

O problema maior do governo com Renan Calheiros é que Bolsonaro não pode se aproximar demais dele, na tentativa de atraí-lo para seu lado, porque isso causará uma ciumeira enorme no presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O senador e o deputado são inimigos políticos e brigam pelo controle de Alagoas.

Lira, como se sabe, é vingativo. E está sentado sobre mais de 100 pedidos de impeachment de Bolsonaro. Mais: o presidente da Câmara está travando um grande embate com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em torno do Orçamento de 2021.

 

Ele exige que o governo mantenha intactas as emendas parlamentares constantes no Orçamento, que teriam sido negociadas com Guedes. O ministro da Economia, porém, nega o acordo com Lira e pediu a Bolsonaro que vete parte do Orçamento, sobretudo, no que se refere às emendas parlamentares.

Ou seja, Bolsonaro está nas mãos da República das Alagoas. E isso lhe custará muito caro, admitem integrantes do Palácio do Planalto.

 

abr
17

Postado em 17-04-2021 00:09

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 17-04-2021 00:09


 

 Amarildo, NO JORNAL

 

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

O levantamento referente a este ano mostra os diários impressos do país que mais conseguiram alavancar seguidores a partir da circulação

Victória Olímpio
 

 (crédito: Reprodução/Instagram)

(crédito: Reprodução/Instagram)O Correio Braziliense ficou em segundo lugar no ranking dos jornais brasileiros de maior sucesso no Instagram neste ano. O levantamento divulgado pelo Berkeley Institute aponta que o jornal ficou com uma nota de 7,6, e que, a partir de uma circulação de 49 mil exemplares, arregimentou 371 mil seguidores na rede social.

Em primeiro lugar, ficou o jornal O Povo, de Fortaleza, com circulação de 11 mil exemplares, alavancando 1,3 milhão de seguidores na rede social, totalizando nota de 154 no ranking. Após o Correio, em terceiro lugar, vem a Folha de S.Paulo, com um índice de 7,3. O ranking apontou que, a partir da distribuição original de 328 mil unidades, o jornal alcançou 2,4 milhões de perfis que seguem a conta na rede.

Confira o ranking completo

O POVO

Circulação: 11.071

Seguidores: 1,3m

Índice: 154

CORREIO BRAZILIENSE

Circulação: 49.155

Índice: 7,6

FOLHA DE S. PAULO

Circulação: 327.959

Seguidores: 2,4m

Índice: 7,3

ESTADO DE S. PAULO

Circulação: 242.392

Índice: 7

O GLOBO

Circulação: 320.972

Índice: 6,5

A TARDE

Circulação: 24.153

Índice: 6

ZERO HORA

Circulação: 158.091

Seguidores: 730k

Índice: 4,6

ESTADO DE MINAS

Circulação: 48.284

Índice: 3,4

VALOR

Circulação: 93.021

Índice: 0,5

SUPER NOTÍCIA

Circulação: 192.343

Seguidores: 0k

Índice: 0

De acordo com o Berkeley Institute, o Super Notícia, de Minas Gerais, foi único que não teve um perfil na rede social identificado.

abr
16

CPI DA COVID

DO CORREIO BRAZILIENSE

Senador espera que CPI da covid-19 para investigar a atuação do governo federal diante da pandemia seja instalada “o quanto antes”. Ex-ministros Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello devem ser convocados

Augusto Fernandes
 

 (crédito: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press - 29/10/19 )

(crédito: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press – 29/10/19 )

Em entrevista à imprensa nesta quinta-feira (15/4), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no Senado, defendeu a instalação imediata da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar a atuação do governo federal diante da pandemia da covid-19 e o envio de verbas federais para estados e municípios. Segundo ele, os trabalhos do colegiado podem começar na quinta-feira da semana que vem (22).

“O Supremo compreendeu que a instalação da comissão é de imediato, não haveria de se questionar mais nada. Tem de ser instalada o quanto antes. Creio que todos os membros têm essa convicção. São conversas por iniciativas bilaterais”, completou Randolfe.

Durante a entrevista, o parlamentar revelou que os três ex-ministros da Saúde do governo do presidente Jair Bolsonaro (Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello) serão convocados a prestar depoimento na CPI. “A CPI precisa responder algumas perguntas cruciais, que afligem 360 mil famílias que perderam entes queridos e que querem saber de nós a resposta: se algo poderia ter sido feito para evitar que uma mãe, um pai, um avô perdessem a vida”, destacou.

Randolfe frisou que a CPI da covid-19 é a mais importante do Congresso Nacional, visto que “nenhuma das outras CPIs apurou responsabilidade pela perda de vidas humanas”. Dessa forma, na avaliação do senador, “essa CPI só não pode fracassar”.

90 dias

“Advirto a cada um dos colegas que está nessa CPI: suas biografias estarão sob análise e seus nomes entrarão na história, pela desonra ou pela glória”, acrescentou o senador.

A princípio, a CPI terá 90 dias para conduzir a investigação. De todo modo, caso seja necessário, o tempo de duração do colegiado pode ser ampliado por decisão da presidência do Senado. Além de Randolfe, farão parte da comissão mais 10 senadores, que foram indicados pelos seus partidos na quarta-feira (14). Para que os parlamentares sejam confirmados, Pacheco precisa ler os nomes de todos durante sessão no plenário do Senado, o que deve acontecer ainda nesta quinta.

“Nada”, Mercedes Sosa y Maria Graña: um dos mais belos e famosos tangos portenhos, aqui em rara interpretação duas notáveis cantoras da Argentina. Pura magia em música, poesia e vozes. Confira.

BOM DIA!

(Vitor Hugo Soares)

abr
16

Postado em 16-04-2021 00:08

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 16-04-2021 00:08


 

 Sid, NO PORTAL

 

abr
16

Postado em 16-04-2021 00:07

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 16-04-2021 00:07

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Fidencio é encanador e Crystal estudava enfermagem, mas interrompeu as aulas para cuidar das meninas

Jonatas Martins*
 

 (crédito: Família Jacobo, KCAL / KCBS via CNN)

(crédito: Família Jacobo, KCAL / KCBS via CNN)

Nos Estados Unidos, um tio adotou cinco sobrinhas que ficaram órfãs durante a pandemia. Para evitar que as meninas fossem para um orfanato, Fidencio Jacobo e Crystal decidiram acolher as crianças em sua pequena casa em Moreno Valley, Califórnia.

Em entrevista para a rede norte-americana NBC, o tio contou que nunca esperava por isso e que ninguém deveria passar por situações parecidas.

Fidencio é encanador e Crystal estudava enfermagem, mas interrompeu as aulas para cuidar das meninas. O casal já possuía um filho de 4 anos. Para suprir as necessidades que passavam, a família contou com a ajuda de outras pessoas.

Eles criaram uma campanha virtual de doações na plataforma GoFundMe e arrecadaram mais de 60 mil dólares. O dinheiro também foi utilizado para as despesas do funeral de Jasmine Trujillo. As doações já foram encerrada

DO JORNAL DO BRASI

‘Estou aguardando o povo dar uma sinalização’

Folhapress / Pedro Ladeira
Credit…Folhapress / Pedro Ladeira

Por INFORME JB 

Bolsonaro abordou uma reportagem do jornal Correio Braziliense sobre estudo do movimento Food for Justice que indica que 6 em cada 10 domicílios brasileiros passaram por uma situação de insegurança alimentar de agosto a dezembro do ano passado, totalizando 125 milhões de brasileiros.

“Só digo uma coisa: eu faço o que o povo quiser que eu faça”, insistiu o presidente.

Desde o início do ano passado, quando o coronavírus começava a se espalhar pelo mundo, Bolsonaro tem dado declarações nas quais busca minimizar os impactos da pandemia, que já deixou mais de 350 mil mortos no Brasil.

Ele já usou as palavras histeria e fantasia para classificar a reação da população e da imprensa à pandemia. Ele costuma criticar as medidas de isolamento social no país e disse que os problemas precisam ser enfrentados pela população.
Nesta quarta-feira, como tem feito nos últimos dias, Bolsonaro disse que “estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil” e que “parece que é um barril de pólvora que está aí”.

“A temperatura está subindo, a população está cada vez numa situação mais complicada. Eu gostaria que o pessoal que usa paletó e gravata, que decide, visite aí a periferia, converse com a população, converse com a sua empregada doméstica em casa, esta não está impedida de trabalhar”, disse Bolsonaro.

As declarações são argumentos para transferir a culpa da fome e de um eventual caos social a prefeitos e governadores que adotam medidas restritivas para conter a disseminação do coronavírus.?

Na mesma conversa com apoiadores, dirigindo-se aos “amigos do Supremo Tribunal Federal”, Bolsonaro disse que “daqui a pouco vamos ter uma crise enorme aqui”. Bolsonaro fez uma rápida menção a “um ministro [que] despachou lá um processo por genocídio”, argumentando que não foi ele quem “fechou tudo”.

A ministra Cármen Lúcia, do STF, pediu que o presidente da corte, ministro Luiz Fux, marque julgamento de notícia-crime contra Bolsonaro por suspeita de genocídio contra indígenas durante a pandemia.

“Eu não estou ameaçando ninguém, mas estou achando que brevemente teremos um problema sério no Brasil. Dá tempo de mudar ainda. É só parar de usar menos a caneta e um pouco mais o coração”, afirmou o presidente da República.

Bolsonaro também voltou a criticar decisão do ministro do STF Luís Roberto Barroso que determinou que o Senado desse seguimento à criação da CPI da Covid, o que aconteceu na terça-feira (13).

Bolsonaro voltou a cobrar o prosseguimento de pedidos de impeachment de ministros do Supremo e reiterou que considera a decisão de Barroso sobre a criação da CPI uma intromissão do STF no Legislativo.

“Daí cria-se este clima de animosidade. É uma interferência, sim, deste ministro junto ao Senado para me atingir”, afirmou. (Folhapress)

  • Arquivos

  • Abril 2021
    S T Q Q S S D
    « mar    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930