Caetano Veloso e Jô Soares:noite completa

==========================================

Caetano no Jô, além da lua cheia

Maria Aparecida Torneros

Não foi só a linda lua cheia que enfeitou a minha madrugada desta quarta-feira. Um outro satélite brilhante rondou meu ser, com mensagem forte, era o mano Caetano, no programa do Jô, intenso e luminoso. Talvez o cara seja como se declarou, um eterno adolescente de 14 anos, disse que é assim que ele se sente. Revelou histórias incríveis, seus depoimentos correspondem ao seu longo caminho, cantou, dedilhou o violão, lembrou tantos episódios, encantou com seu jeito que é ao mesmo tempo plácido e polêmico. Classificou o episódio do mensalão como próprio das dores do crescimento de uma sociedad. Rendeu graças ao Gil, à sua irmã Betânia, recontou a história do nome dela que ele escolheu com 4 anos, e ao referir-se ao seu pai, foi de uma singeleza absurdamente comovente. Enfatizou que D. Canô, sua mãe, completou 105 anos , o que o faz mais adolescente ainda.

O artista é exibicionista e narcisista, ele repetiu, mas o Cae tem um não-sei-quê de pudico insólito, é um amante da língua portuguesa, gosta das palavras, apontou fã, e outras que terminam em “ã” como algumas das suas preferidas. Explicou coisas da crase, a defendeu, brigou com o apresentador quando este nomeou difícil a língua portuguesa. Ele é um ser múltiplo, mesmo, como todo adolescente costuma ser. Se ele tem 14 ou 70, que diferença faz quando ele nos proporciona o questionamento sentimental da geração que agora entra na puberdade da vida?

Caetano adentrou pelo meu quarto, pela televisão de milhões de brasileiros por certo, com sua manha, que agora, na manhã, palavra do meu gosto também, tento rememorar e processar na razão já que o sentimento trouxe a mim o longo caminho destes últimos 50 ou 60 anos. Ele falou que completou 14 anos quando vivia no Rio de Janeiro e teve a sorte de ir muitas vezes nos programas de auditório da Radio Nacional, viu de perto aqueles eventos de música e cultura brasileiras que os anos 50 legaram ao público em formação de um veículo tão abrangente como é o rádio.

O mano Cae exibiu-se dando “canjas”, deu show de intimidade com nossos corações também questionadores exatamente quando o mundo se pergunta tudo e não responde quase nada. Foi um privilégio, pensei, com aquela lua cheia que apareceu depois da chuva, pude reprocessar minha própria adolescência, lembrei até dos sábados, na casa da minha avó, quando ligávamos o rádio para ouvir o programa do César de Alencar, ele , taxado depois de dedo-duro, mas , sem sombra de dúvida, um comunicador como poucos, e o desfile inenarrável de expoentes e vozes que a nós traziam momentos de sonho, ao ouvir um Caubi, uma Emilinha, a Marlene, a Dalva, e descobrir que os fãs-clubes eram uma nova realidade nacional.

Ser fã implica em acolher qualidades, exaltá-las, aceitar defeitos, perdoá-los, amar palavras em entrevistas e canções, sonhar com frases, entender que há “longos caminhos” onde somos assim, mesmo assim, eternos adolescentes, quase rebeldes, como o Caetano. Exatamente, em todas as “mornings”!

Maria Aparecida Torneros, escritora e jornalista, mora no Rio de Janeiro, onde edita seu Blog da Cida e colabora com o Bahia em Pauta

Comentários

regina on 28 novembro, 2012 at 15:25 #

Cara Cida, ainda não assisti o show que aqui passa um dia depois, mas, quando o assunto é Caetano, sempre me interessa. Concordando ou discordando com ele, sou macaca do seu galho…

Lembro quando adolescente o seguia por toda parte, copiava seu modo de vestir, e nem falar em sua obra musical que me orgulho de ter inteirinha!!!! Minha filha, Fernanda Gabriela, nascida e criada no Estados Unidos, ao encontro-lo um dia no Porto da Barra, já adulta, foi ao seu encontro e disse: “Eu acho que já lhe conheço desde que nasci, eu o escutava na barriga da minha mãe!!!”. Fato que se transformou em um memorável artigo do Vitor Hugo, editor desse blog, no inicio de um ano e EXU, (lembra Hugo?).

Caetano é assim… não tem nada que desculpar… ele vai ser ele sempre: desbocado, assanhado, neguinha, odara, ateu de muitas crenças, Narciso, menino deslumbrado, intelectual ativo, e outras cositas mais…. Eterno, se Deusinho quiser, vai seguir adolescente, por que quando ele aparece, e como gosta de aparecer, alguma coisa acontece no meu coração!!!!!!


Cida Torneros on 28 novembro, 2012 at 17:26 #

oi Regina, vc é fã mesmo!! rs
e como escreveu lindo sobre ele, hum…amei!!! bjs
estou fora do face, me deu estress…sorry…
uso email somente agora e o twiter às vezes…beijoooooooooo


Valdinei on 29 novembro, 2012 at 12:09 #

Não é a bolsa nova que é foda é apena Caetano que é FODA…. CARA VOCÊ É FODA


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: