jul
26

Ilustração: Gilson Migué

==============================================

CRÔNICA / CINEREALIDADE

FICHA LIMPA

Gilson Nogueira

Acabo de ler mais uma crônica de Arnaldo Jabor, um dos gênios do cinema brasileiro, que tem em Glauber Rocha seu principal autor. Jabor é nome sonoro, lembra aquelas badaladas, digamos, escuras, emocionantes, boooommm, boooommm, booommmmmmm, que precediam o começo do filme principal na tela branca da sala de projeção do Cinema Guarani da minha mocidade, na Praça Castro Alves, em Salvador, Bahia, Brasil.

Brasil varonil, cuja sonoridade neologística-silibal-final rima, agora, com o palavrão que seu povo parece estar ensaiando para mandar, de uma só vez, do meio da rua, aos políticos corruptos que destroem a imagem do país aos olhos da sua população e do mundo.

Glauber, como Jabor, é um nome sonoro e que, também, emociona. Glauber sugere suspense, algo, assim, como aquele toque de caixa ligeiro à entrada em cena de um trapezista maior em uma grande tarde de domingo de circo grande. Lembra, ainda, Glauber, acho eu, som gutural, desses que dão balão na língua de poeta ou de clarim anunciando, e conclamando, aplauso a eleitos e eleitas adentrando ao palco do teatro das ilusões concretizadas, como, por exemplo, o Brasil sério que todos os brasileiros almejam.

Baixo o pano da lembrança de Jabor e Glauber, dispo-me das fantasias que estimulavam idéias e recordações, para, de repente, encontrar-me em um túnel escuro, fétido, com ventilação precária, úmido e frio, onde ouço ecoar a voz da realidade a dizer-me: “ E aê, gente boa, sabe a lâmpada que, aqui, existia, e a sua função de acender-se, automaticamente, à possibilidade de uma salvação para este país? Pois é, já era! Roubaram a lâmpada, a única, disponível! Não há mais jeito a dar.”

“ Mas, e agora, como fazer, diante do caos que se anuncia, do apocalipse político que está por vir, com essa bandidagem tomando conta da nossa república?!

“ Sei não, amigo, sei não, acho que o melhor que os que estão com esperança em ver o Brasil progredir no quesito da moralidade na política deveriam fazer é não votar em quem não tenha ficha limpa. Se virem, rápido!”

“Falou, amiga, é isso aí, é isso aí!!! “
Gilson Nogueira é jornalista

Comentários

Olivia on 27 julho, 2011 at 11:13 #

Ficha Limpa tá rareando, Gilson. Melhor mesmo é ficar com as lembranças do velho Guarani e adjacências.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: