jun
11
Postado em 11-06-2011
Arquivado em (Crônica, Gilson) por vitor em 11-06-2011 22:49

Rio:paisagem da janela do ap de Gilson

================================================

CRÔNICA/SENTIMENTOS

Feijoada carioca

Gilson Nogueira

Dois grandes bolos, um de banana e outro de laranja, sobre a mesa onde Tico, o gato mais misterioso do mundo, resgatado em Santa Tereza , deu para subir durante o almoço da família. Minha netinha, ajoelhada na mesinha de centro da sala, assistindo Ra Tim Bum. O sol aparece entre as nuvens escuras da chuva que deverá cair lá pelas oito horas da noite. Seus raios ultrapassam a vidraça esquentando o pequeno quarto do computador e do toca discos.

Retiro a camisa azul e branca de malha de manga comprida fabricada em Blangadesh que ganhei de presente de minha filha mais velha de aniversário e mergulho na idéia de escrever uma crônica falando de comportamento. Tudo porque acabo de ler Ruy Castro, na Folha de São Paulo, relembrando encontros, como repórter, com atrizes de cinema, na época das reportagens em revista e jornais em que trabalhou.

Meu genro acaba de encontrar-se, casualmente, com o filho do colega Ancelmo Gois, no corredor da Cobal do Humaitá. Não cumprimentei o amigo porque,quando me dei conta, estava falando sozinho, próximo a mesas e cadeiras vazias de uma pizzaria que serve de arquibancada das torcidas cariocas em dias de clássicos transmitidos, ao vivo, por canais abertos e fechados de TV.

Ouço o som do motor do primeiro helicóptero a sobrevoar a cabeça da estátua do Cristo Redentor transportando turistas que pagam nota preta para registrá-la em fotos e filmes.Entram pela janela um cheiro de churrasco e as buzinas e vozes de mais um sábado na cidade do Rio de Janeiro das orquídeas enfeitando troncos de árvores, entre as quais uma de flores amarelas que combinam com o azul do mar e o verde da floresta cariocas.

Tico mia.Pisaram o rabo dele. Minha netinha dá as ordens e indaga: ” Vamos almoçar aonde ? ” Respondo: “ Academia da Cachaça,na Barra da Tijuca!” Aprovação total. E a crônica nascida da idéia de falar das coisas efêmeras?,pergunto-me. Não dá para demorar. São,quase,duas horas da tarde, o estômago ronca feijoada. “ Não esqueçam o CD de João Gilberto,para escutarmos,no carro! ,lembra minha mulher.

Começa a esfriar, de novo, na terra em que verão e inverno dormem juntos.O Rio continua um barato. Cada dia mais maravilhoso!

Gilson Nogueira é jornalista, colaborador da primeira hora do Bahia em Pauta

Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: