abr
06
Postado em 06-04-2011
Arquivado em (Newsletter, Olivia) por vitor em 06-04-2011 23:06


========================================================
Amor e Revolução

Maria Olivia

Corra para ligar o aparelho de TV ou saia da inércia e use o controle remoto, que ainda dá para pegar alguma coisa. Está no ar o segundo capítulo da novela, que começa às 22h15min no SBT.

Primeira telenovela brasileira a abordar o período da ditadura militar no Brasil em sua trama central, Amor e Revolução é escrita por Tiago Santiago, com a colaboração de Renata Dias Gomes e Miguel Paiva, sob direção geral de Reynaldo Boury.

Ambientada no Rio de Janeiro e em São Paulo, a trama tem início com a Revolução de 1964 e perpassa pelo período mais obscuro da ditadura militar, os chamados anos de chumbo. “A intenção é narrar a história de personagens diretamente ligados ao tema da ditadura, seja a favor ou contra, como militares, guerrilheiros, torturadores, artistas, jornalistas, advogados e estudantes nos anos brutais da repressão. É possível que avancemos até a guerrilha do Araguaia, no começo da década de 70”, observa Tiago Santiago.

Amor e Revolução conta a grande história de amor vivida pelo militar José Guerra (Claudio Lins) e pela guerrilheira Maria Paixão (Graziela Schmitt), casal protagonista do folhetim. À primeira vista, o amor entre os dois é impossível, pois Maria (Graziela Schmitt) é líder do movimento estudantil e vai para a luta armada, e José Guerra (Claudio Lins) é um militar da Inteligência, contra a ditadura, democrata, porém filho de um general da linha-dura. Os dois têm rivais: o jovem dramaturgo de esquerda Mario Vieira (Gustavo Haddad) e a bela e glamurosa atriz Miriam (Thais Pacholek), e surpresas podem acontecer.
A história da luta armada pelos ideais da democracia e liberdade no Brasil tão vivida por Batistelli (Licurgo Spínola) e Jandira (Lúcia Veríssimo), casal coprotagonista de subversivos perseguidos pela repressão, desde o primeiro momento do golpe; a violência aos direitos humanos e abuso de poder por parte do delegado Aranha (Jayme Periard), do inspetor Fritz (Ernando Tiago), e dos militares Major Filinto (Nico Puig) e General Lobo Guerra (Reinaldo Gonzaga); a luta pela liberdade de expressão por meio da arte e da imprensa; a desagregação de famílias; a força de estudantes engajados que defendem a igualdade social no país; e as atrocidades cometidas contra os presos políticos são alguns dos temas abordados por Tiago Santiago em torno da trama central.
=======================================================
Em tempo: Amor e Revolução, hoje segundo capítulo no SBT – vale ressaltar que os capítulos da novela serão intercalados por pessoas que foram torturadas e perseguidas, inclusive uma equipe veio a Salvador entrevistar o ex-governador Waldir Pires.

Maria Olívia é jornalista

Comentários

Olivia on 7 abril, 2011 at 10:29 #

O depoimento de ontem, do militante Jarbas Marques, barbaramente torturado na PE do Rio, foi muito forte!


regina on 7 abril, 2011 at 11:40 #

Olivia: As tintas que escreveram essa historia ainda estão frescas e a memória ainda mais…


Olivia on 7 abril, 2011 at 13:29 #

Eu sei, mas até aqui, nenhuma ação concreta para apurar, de verdade, essas atrocidades, um absurdo. E olhe que nossa presidenta foi vítima de torturas terríveis. A Argentina sai na frente!


Graça Azevedo on 7 abril, 2011 at 21:35 #

Este Brasil não quer apurar nada seriamente. Este é o país do “esquecimento e do perdão”. Afinal são todos agora, em maior ou menor grau, “democratas desde criancinhas”


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: