Acusados sã julgados em Petrolina
=====================================================
Deu no Blog do Carlos Brito (Petrolina-Pe)

O grande número de policiais federais, militares e civis com coletes à prova de bala e armados com fuzis e metralhadoras quebrou a rotina do Fórum de Petrolina na manhã desta quinta-feira (27).

O forte aparato foi montado para garantir que 15 pessoas acusadas de ligação com uma das facções criminosas mais conhecidas do País – o Primeiro Comando da Capital (PCC), localizado em São Paulo – fossem levadas a júri. Esse é considerado, até hoje, o maior julgamento da história da cidade.

Contra o grupo pesam acusações de falsificação de documentos, posse de armamento pesado (como fuzis), além de vários assaltos. Num deles o alvo foi a agência do Banco do Brasil de Sento Sé, norte da Bahia. Os supermercados Gigo e Bontempo, em Petrolina, também foram assaltados pelo grupo.

Todos os envolvidos já vinham sendo investigados pela Polícia Federal (PF), que deflagrou a Operação Novo Cangaço para desbaratar a quadrilha.

O julgamento, que ainda acontece no Fórum de Petrolina, está sob a responsabilidade do juiz criminal Edílson Moura. A maioria dos acusados é de fora da região,à exceção de Almir Barbosa de Sá, e do tio dele, Sebastião Elói Barbosa (mais conhecido por ‘Sebastião Zuada’), que moram em Petrolina.

Pelas investigações da PF, Sebastião guardava em sua residência, no perímetro irrigado Maria Tereza (KM 25), parte do arsenal do grupo, e recebia por isso. Segundo informações, ele teria sido convencido pelo sobrinho.
A única mulher presa na operação também é de Petrolina. Adileide Alencar dos Santos, que não compareceu ao Fórum, é ex-mulher de Almir. Ela foi detida na residência de um conhecido odontólogo da cidade, com quem mantinha relacionamento conjugal.

Mais informações no Blog de Carlos Brito http://www.carlosbritto.com/

Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: