nov
01

ARTIGO

Com o Passar dos Anos

Maria Aparecida Torneros

Assisti o quadro ” com o passar dos anos” no programa da Eliana no domingo da sua volta à televisão. O cantor Zezé di Camargo e sua companheira Gracieli Lacerda passaram por um processo de maquiagem para envelhecerem 20 anos duas vezes.

Primeiro o efeito de ter 75 anos para o Zezé e 57 para a Gracieli. Depois a sensação de ter 95 e ela 77.

Os comentários e comparações demonstraram que os conceitos estão atrelados ao momento atual do que o casal está passando. Falaram de ciúmes por conta de ficarem muito tempo usando o celular. Coisa que com o passar dos anos assumirá com certeza relevância menor. Difícil alguém imaginar suas limitações físicas ou emocionais décadas à frente.

Conjecturas soltas. Saúde e trabalho tantos anos adiante São fruto de imaginação insólita. O aspecto físico acaba sendo o dado mais relevante. “Velho bonitinho” ou velhinha cujas pernas continuam bonitas foram comentários manifestados. A hipótese de se perderem um do outro ao longo da estrada foi aventada e discutida. Gracieli ficou muito emocionada.

A apresentadora deu um toque solene ao quadro mas falta consistência de valores quando o que se mede é a aparência que muda com o envelhecimento e fica impossível ver as mudanças emocionais ou espirituais que fatalmente ocorrerão em cada um de nós ao longo de 20 ou 40 anos. Isso sim fará a diferença.

Com o avanço da medicina e da tecnologia até será possível diminuir em muito os aspectos de aparência física tornando os rostos e corpos mais rejuvenescidos.

Entretanto, os efeitos do tempo nas mentes humanas são totalmente imprevisíveis. Estar velho com cabeça jovem é o que todos almejam. Pílulas de bom humor poderiam ser administradas além de remédios para o organismo minimizar os efeitos do tempo.

Talvez a intenção do quadro seja a de mostrar que é preciso encarar que o tempo passa para todos e como será enfrentar rostos modificados e dificuldades de caminhar ou sobreviver às agruras das limitações que o tal passar dos anos impõe a cada um de nós.

Só o futuro dirá, apesar de a curiosidade pontificar com interrogações todas as expectativas do amanhã de famosos como o programa apresentou. Zezé, aos 95, de bengala , parecia um senhor plácido e sereno observando o tempo e relembrando o amor.
Valeu pela reflexão!

Cida Torneros é jornalista e escritora, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Cida.

Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: