set
10
Postado em 10-09-2017
Arquivado em (Artigos) por vitor em 10-09-2017 01:55



CRÔNICA

Minha infância

Maria Aparecida Torneros

Aquelas velhas lembranças voltam de vez em quando. Dá um gosto de saudade mas uma certeza feliz de ter tido uma infância de folguedos. Brincadeiras de rua. Escola pública da melhor qualidade. Amigos e amigas de infância com afinidades e famílias presentes. Festinhas de aniversário com bolo e guaraná. Natais de presentes de Papai Noel com comilança.

Missas na capela aos domingos. Trocas de brincadeiras com primos e primas. Um casamento de tios com direito a ser Daminha de honra com 7 anos. Luvas e circunspeçao para a cerimônia na Catedral.

Aqueles tempos eram de muita esperança junto de meus país, avós, tios. Meu irmão e tantos primos.

Saudade Boa. Época inocente protegida dos perigos. Guardada por uma rede familiar segura. Anos 60.
Quando a juventude chegou nos anos 70 pude absorver as mudanças com alicerce forte.

Nossos passeios infantis incluíam cinema, Praia, museus, piqueniques, casas de parentes, igrejas, teatrinhos, clubes e Maracanã num tempo de jogos em paz.

Nas festinhas em família havia grandes momentos com música, comidas e camaradagem.

O Rio do meu tempo de criança era calmo. A gente andava de bonde elétrico para chegar no Colégio.

Tenho sorte de ter vivido esse período e hoje poder recordar de dias tão felizes.

Cida Torneros é jornalista e escritora, mora no Rio de Janeiro.


Comentários

Cida Torneros on 10 setembro, 2017 at 18:14 #

Obrigada Vitor. A música é linda. Fiquei emocionada. Lembrar a infância é um exercício de felicidade pra mim. Compartilhar esse tempo é gratificante. Toda criança merece ter uma criação com amor. Cada menino ou menina bem cuidados é garantia de adultos equilibrados. Pena que os tempos mudaram e as novas gerações enfrentem tantos percalços para criar seus filhos.


Ermelinda rita on 11 setembro, 2017 at 20:43 #

Saudades de dias de paz no Rio.Sem bala perdida,assaltos,brigas de trânsito e tráfico de drogas.Boas lembranças de Cida.Quem sabe a paz não volta para a nossa cidade Maravilhosa.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: