DE A TARDE/ESTADÃO

Luiz Vassallo, Julia Affonso e Fausto Macedo

O empresário Silvio Silveira disse à Polícia Federal nesta quarta-feira, 6, que “não sabia” que o apartamento no bairro da Graça, em Salvador, estava sendo usado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima para guardar dinheiro. Ele admitiu ter emprestado o imóvel a Geddel.

Na terça-feira, 5, a PF fez buscas no endereço e encontrou R$ 51 milhões em dinheiro vivo, fortuna atribuída ao ex-ministro do governo Temer cuja origem seria propina.

Silveira apresentou-se à PF e contou que Geddel pediu o apartamento para estocar “pertences do pai” (falecido em janeiro de 2016).

Segundo o delegado Daniel Justo Madruga, superintendente regional da PF na Bahia, os agentes ficaram “surpresos” com a descoberta de tanto dinheiro – a PF levou cerca de 12 horas para fazer a contagem, utilizando oito máquinas e onze funcionários de uma empresa transportadora de valores.

A conferência indicou R$ 42,6 milhões e US$ 2,68 milhões em cédulas. Geddel ainda não se manifestou sobre a origem da fortuna a ele atribuída.

Comentários

rosane santana on 7 setembro, 2017 at 8:49 #

A ele atribuída é ótimo! Há um silêncio enorme da Polícia Federal e da imprensa sobre o dinheiro encontrado no apartamento de um parceiro de Geddel Vieira Lima. Da imprensa, digamos, há também uma enorme má vontade para investigar, especialmente a local, cuja morte cerebral ocorreu há anos, e está em estado vegetativo. Sei como estudiosa do tema há muitos anos, inclusive no doutorado sobre Internet e Política, que o nível de escolaridade do eleitorado brasileiro é baixo. A maioria não completou o ensino médio. É um quadro que vem do Império, no século XIX. Mudou muito pouca coisa. Há ainda entre os com nível superior, analfabetos funcionais. Mas, não se pode tomar a opinião pública como idiota. É preciso, sim, com urgência, explicar tim-tim por tim-tim a origem desse dinheiro, como foi transportado ou há quanto tempo vem sendo, qual o destino. E mais ainda, esclarecer o porquê do sr. Geddel não ter sido ainda levado para Bangú.


rosane santana on 7 setembro, 2017 at 8:51 #

correção: Bangui


rosane santana on 7 setembro, 2017 at 8:51 #

BANGU


Vanderlei on 7 setembro, 2017 at 9:18 #

Será que este “dinheirinho” não é somente o que sobrou? Deve ter muita grana escondida por todos os cantos, pois no Brasil existem mais de 150 empresas estatais e mais de 100 empresas ligadas ao BNDES, que servem como “feudos” para os políticos atualmente de plantão.


Conrado on 7 setembro, 2017 at 11:40 #

Senhor Vanderlei, at 9:18, na minha modesta opinião seus comentários sempre muito apropriados, certeiros, embasados. Permitiria-me acrescentar, tudo muito “espraiado”.


Taciano Lemos de Carvalho on 7 setembro, 2017 at 17:06 #

Espraiada desde tempos idos. Mas os donos são os mesmos. Os donos do Estado brasileiro. Os banqueiros, alguns poucos empresários (muitos dos quais também banqueiros) e alguns latifundiários, também a serviço, normalmente, de banqueiros.


Vanderlei on 8 setembro, 2017 at 22:31 #

Caro Senhor Conrado, obrigado pela por sua concordar com a minha opinião . Em complemento também concordo com a opinião do Senhor Taciano. O Estado Brasileiro precisa passar por uma modificação muito grande para que possamos dar respaldo para nossos filhos e netos. Meus antepassados vieram da Itália quando lá estava tudo péssimo. Hoje, converso com a minha filha e falo: Se você escolher um outro país para morar darei maior apoio. Inclusive, não dou opinião qual país. Ela que escolha o que achar que é melhor para ela. Só sei que, com os meus 70 anos, que a recuperação do Brasil será demorada, põe tempo nisso!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: