ARTIGO

Os poderes de Brasília

Maria Aparecida Torneros

Às vezes me pergunto que centro de poder é esse concentrado em Brasília. Gostaria que a resposta fosse ” o poder do povo”. Mas não me atrevo a achar que o zé povinho mande em BSB para garantia de seus desejos e aspirações.

A Praça dos Três Poderes concentra ideologia social prevista na construção da cidade concebida por arquitetos comprometidos com a igualdade para a inauguração da capital em 1960.

Hoje a cidade reúne poderes vários que permeiam mil interesses e negócios, muito lobista a percorrer corredores defendendo seus clientes e até um veio religioso parlamentar que se organiza e impõe sua liderança em leis e projetos. O agro negócio faz doar sua força motriz do campo assim como a indústria nacional também prega o seu quinhão de defesa por suas aspirações. Os trabalhadores virá e mexe para lá se dirigem através de marchas organizadas por seus sindicatos e centrais profissionais para protestar por direitos e até vantagens.

No emaranhado dessa plêiade de reivindicações vindas de tantos lados, um número enorme de servidores públicos federais sobrevive com os ditos salários avantajados se comparados ao do resto dos trabalhadores da nação.

Em Brasília há um Congresso estruturado com Deputados e Senadores privilegiados que mantém stafs respeitáveis a trabalhar por interesses dos eleitores a princípio.

O Judiciário em BSB é força considerável. Também concentra tribunais e órgãos de proa que garantem o cumprimento das legislações.

Um cidadão é representado em Brasília por suas engrenagens poderosas? Talvez essa seja a pergunta que não quer calar. O aparato de tamanha burocracia afasta o simples cidadão do isolamento dos poderosos e vice versa. Um presidente do Executivo está para o cidadão como se fosse um servidor a representar os interesses da sociedade ou um inalcançável poderoso distante em suas decisões ora de cunho personalista , ora de nuances duvidosas.

Brasília do JK era um sonho de igualdade para um Brasil que adentrava na era industrial. Brasília dos nossos tempos atuais é uma dura realidade de conflitos de expectativas e interesses que vão muito além das necessidades da população como um todo.

Esta semana a capital concentra uma trama de novela. Um chefe de Executivo denunciado e um Congresso se articulando para livra-lo ou não do processo em curso.

Para nós resta assistir ao movimento dos poderosos de Brasília. Suas cenas novelescas fatalmente respingam nas nossas vidas de brasileiros e brasileiras com um único poder: o voto. Só este poderia mudar o destino dos outros poderes que pululam em BSB.

Cida Torneros é jornalista, poeta e escritora. Mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Cida.

Comentários

Cristina Dias on 2 agosto, 2017 at 11:27 #

É muito prazeroso ler essa jornalista que coloca as palavras exatamente onde devem estar, sobretudo num momento como esse em que tudo parece tão confuso, fora de ordem, onde a situação caótica implantada por quem detém os Poderes deixa qualquer cidadão questionante sobre o que realmente são direitos e deveres. Todavia a jornalista não perde o foco e segue desfiando toda folia desse pândego bloco.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: