DEU NO BLOG POR ESCRITO ( DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Neto “in love” com a democracia

O prefeito ACM Neto declarou que não será ele a “censurar” ou “retaliar” ninguém em razão de posicionamentos políticos ou de outra natureza.

É um sinal de grande valor para o futuro, que o “Fora Temer” de Russo Passapusso, da BaianaSystem, lhe deu a chance de manifestar.

Sendo ele o herdeiro genético e nominal do falecido senador Antonio Carlos Magalhães, que o lançou e inspirou na política, a declaração sugere que define, nesse aspecto, rumo oposto ao do avô.

Anticarlistas deram apoio em massa

A abordagem é necessária porque, à medida que o tempo passa, percebemos que a política não é feita de velhas rixas que fixam parâmetros inabaláveis.

Já houve o tempo do carlismo e do anticarlismo, que, para muitos, Neto incorporaria pelo fato de ser quem é. E muitos preferiram na sua primeira eleição, no segundo turno, votar “ideologicamente”, independentemente da questão da cidade.

A reeleição, contudo, não deixou dúvida: 74% dos votos, com vitória homogênea em todas as regiões de Salvador, o que significa que o prefeito recebeu massivo apoio de segmentos que jamais votaram em ACM e seus candidatos na capital.

O desafio de respeitar a frágil flor

A liderança do prefeito já se distingue no âmbito nacional, fruto inegável de talento político e capacidade administrativa. Numa circunstância histórica em que se busca por “renovação”, poderá ter carreira longa e ascendente.

Exatamente aí reside o desafio para quem se pretenda, por exemplo, um estadista: proteger o frágil vaso onde está plantada a flor democracia e ver no serviço público a oportunidade de melhorar a vida dos seus concidadãos.

Veja a diferença

Sobre o mesmo assunto, o presidente do Conselho do Carnaval, Pedro Costa, deu chilique. Certamente sem conhecer o comentário do prefeito, disse que haverá uma avaliação para ver se a banda participará do Carnaval de 2018.

Afirmando que “não é permitida manifestação política” (?), ameaçou com código de ética e ainda mandou sair na Mudança do Garcia quem quisesse protestar.

Comentários

Daniel on 28 fevereiro, 2017 at 19:54 #

Não é questão de chilique criticar manifestação agressiva e de viés político de alguém que está sendo bancado por dinheiro público.

Muitos dos críticos que se levantam com frases feitas, do tipo “censura” e “ditadura”, jamais fariam o mesmo se um artista gritasse algo como “Lula na cadeia” em cima de um trio.

O próprio ACM Neto reconhece que tal situação não deveria acontecer. Ele apenas tenta agir como político colocando panos quentes, transferindo a responsabilidade por alguma penalização para o órgão competente.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: