nov
29
Postado em 29-11-2009
Arquivado em (Municípios, Newsletter) por vitor em 29-11-2009 10:25

Urânio em Caitité: água contaminada
contaminação
==================================================
Nesta segunda-feira (30), uma equipe da Defesa Civil do Estado, vligada à Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, visita região do municipio de Caitite, atingida em algumas áreas por derramamento de resíduos de urânio que alcançaram alguns mananciais. Segundo informações do INGA, o objetivo principal é verificar o número de famílias que necessitam de fornecimento alternativo de água – o que deverá ser providenciado pelas três Prefeituras Municipais notificadas pelo INGÁ e pela Sesab.

O Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ) e a Secretaria de Saúde (Sesab) notificaram as Prefeituras Municipais de Caetité, Lagoa Real e Livramento de Nossa Senhora, na região Sudoeste do Estado, a suspenderem, preventivamente, o consumo de água de seis poços e mananciais superficiais que são utilizados por parte da população da zona rural destes municípios. Em especial, familias moradoras no entorno da unidade de extração e beneficiamento de urânio da empresa Indústrias Nucleares do Brasil (INB), onde teria acontecido o derramento de urânio que atingiu os mananciais.

Os resultados da última campanha de coleta de amostra de água na região, realizado no final de setembro pelo INGÁ, comprovam a presença de radioatividade alfa e beta acima do permitido pela portaria 518/04 de potabilidade de água do Ministério da Saúde.

Segundo informações da assessoria de imprensa do INGA, os seis pontos são: Torneira do Chafariz público do povoado de Maniaçu (Caetité); Caixa d’água da fazenda Paio (Livramento de Nossa Senhora); Caixa d’água da fazenda Goiabeira (Lagoa Real); margem da Lagoa Grande (Lagoa Real); cacimba em frente ao colégio Dom Eliseu, do povoado de Lagoa Grande, no município de Lagoa Real; e Açude Cachoeirinha “Tanque do Governo” (Caetité).

Neste mês de novembro novas análises detalhadas foram realizadas pelo INGÁ nos mesmos locais para investigar qual o elemento que está provocando a radiação na água. A investigação vai apontar de onde vem o elemento emissor de radioatividade dos poços artesianos e lagoas da região, além da indicação do melhor tratamento para se retirar o elemento radioativo da água. A previsão de divulgação destes resultados é de 20 dias.

Bahia em Pauta vai acompanhar com toda a atenção e responsabilidade que o assunto merece.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações do INGA, Correio da Bahia, entidades de defesa ambiental e moradores de Caitité)

Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments: