set
03
Posted on 03-09-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-09-2017

Texto publicado no dia 13 de setembro de 2015, no blog da jornalista e escritora Maria Aparecida Torneros, a Cida amiga do peito deste BP, que ontem (2/9) festejou mais um aniversário. O Bahia em Pauta republica a bela crônica neste domingo, 3, renovando os parabéns a autora aniversariante de ontem. O texto vai também a outro ser especial da floração de setembro, Graça Tonhá, amiga e incentivadora deste BP.
Setembremos todos!!!

Felicidades e Tim Tim para as duas.

(Vitor Hugo Soares)
=============================================

CRÔNICA

Setembrando

Maria Aparecida Torneros

Minha prima Lu, que mora em Salvador , comentou comigo a quantidade de aniversários para comemorar em familia em Setembro, na ala baiana dos que a cercam.

Comigo não é diferente. Por aqui, setembrar quer dizer esquecer dieta e festejar. Começa com o meu no dia 2 , geralmente com festinha no próprio dia, na casa de mamãe e depois na minha casa no Sábado ou domingo seguintes.

Este ano foi no dia 6. Uma festa anos 60 com trilha sonora especial e o tema das bolinhas que a mulherada assumiu nos detalhes e nas roupas. Meu filho usou até gravata de bolinhas. O clima foi de leveza com amigos e amigas com quem estudei nos anos 60 no Colégio Pedro ll, além de primos e vizinhos.

Mas hoje, meu Mano Paulão é o aniversariante do dia e o almoço será na casa da mamãe . Vou aproveitar para abraçar o marido da minha Sobrinha Ana, o Rafael, que aniversariou dia 7 e a Dinha que acompanha mamãe e o dia dela foi 11.

Fechamos a comilança setembrina no dia 23 no Rio com o niver do Pedro meu sobrinho.

Na Bahia, a pequena Ju completa um aninho dia 27 .

Entretanto preciso contar uma história que os mais jovens não sabem. Nossa família durante muitos anos, se reunia na casa da tia Vera, e fazia uma só festa em torno dela para os aniversariantes do mês . Nessa leva entravam os tios Gerson, Hélio, Vera, eu, meu irmão e agregados. Os doces das saudosas tia Geni e tia Maria. As comidas e assados a cargo das tia Fernanda e da mamãe Norma. Supervisão da tia Vera que aniversariava dia 30 e morava na Vila operária da Fábrica Nacional de Motores em Xerem.
Íamos de busão e a alegria nos unia. Mais do que alegria era o amor. Muitos docinhos caseiros e bolos confeitados. Balas de coco. Doces en calda. Guaraná. Brincadeiras. Papai roubando os pastéis. Um clima que se repetia todo setembro. Vovó a matriarca, ia conosco e se rejubilava assistindo os filhos e netos naquela balbúrdia setembrina.
Quando retornavamos era só cansaço e muito sono na viagem até o Rio. O ônibus lotava com nossa família que já combinava o mesmo encontro no próximo ano. Isso aconteceu durante muitos anos
Setembramos sempre . Seguimos assim. Nos dias atuais em cidades diferentes ou casas de bairros diversos. Porém o espírito dos aniversários de setembro nos acompanha por gerações. Tio Hélio que tem quase 80 é o único dos filhos de Carmem e António que sobrevive. Mora em Botafogo. Seu niver dia 17. Merece comemorarmos pelo menos com uma prece. Sua ex esposa tia Geni era a mais entusiasmada para organizar os quitutes e como éramos felizes naquele dia.
Setembravamos esperando a tal festa do final do mês .
Não vamos romper a tradição . A cada parabéns cantemos em homenagem também aos nossos antepassados que nos legaram a Primavera de muitas festas em Setembro.
Setembremos pois! Saúde e Paz. Sobretudo, Amor e união. Fé em dias melhores . empre!

Cida Torneros, jornalista e escritora, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Cida.

A alma dos que pensam e fazem o BP canta – a começar pela do editor – neste domingo, 3 de setembro. Parabéns, Gracinha! Feliz Aniversário, querida amiga e cunhada! Tim Tim!!!

(Vitor Hugo Soares)


Movimento da rua 25 de março diminuiu com a crise econômica.
H.M.

DO EL PAÍS

Heloísa Mendonça

São Paulo

A conta-gotas, alguns tímidos sinais positivos da economia brasileira começam a aparecer: inflação em baixa, pequena queda do desemprego – mas que ainda atinge 13,3 milhões de pessoas-, taxas positivas das vendas do varejo, taxa de juros caindo…Outra boa notícia foi confirmada, na sexta-feira, com o anúncio do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre. A economia cresceu 0,2% em relação aos três primeiros meses do ano, puxada principalmente pelo setor de serviços e pelo consumo das famílias. Depois de dois anos de retração, o brasileiro voltou às compras, bastante incentivado pela liberação das contas inativas do FGTS neste primeiro trimestre. Traumatizada pela recessão, a população, no entanto, ainda desconfia de uma retomada da atividade consistente e está cautelosa sobre o futuro.

Em agosto, tanto o índice de confiança do consumidor como do comércio calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) voltaram a cair – um ponto e 1,1 respectivamente- atingindo o menor nível desde janeiro. “O resultado mostra que o ritmo da economia ainda é lento e que, passado o período de liberação de recursos de contas inativas do FGTS, o comércio está em compasso de espera por novas notícias que deem mais segurança com relação à sustentabilidade da recuperação econômica”, explica Aloisio Campelo Jr., Superintendente de Estatísticas Públicas da FGV/IBRE. Ainda segundo o economista, o cenário político turbulento e a crise gerada pelas delações dos proprietários da JBS que envolveram o presidente Michel Temer, contribuem para os consumidores e vendedores colocarem um freio no otimismo.

O camelô Judivan Souza faz parte do grupo dos céticos quanto a melhora da atividade brasileira. Apoiado na barraca de roupas que tem há quase vinte anos na rua 25 de março, centro nervoso de caçadores de liquidações no centro de São Paulo, ele lamenta o fraco movimento do local e não vê sinais de melhora. “Isso aqui era intransitável antes, agora o retrato da crise. Você está vendo algum cliente comprando nessas barracas ou pessoas com sacolas cheias na mão? As minhas vendas caíram pela metade. As pessoas pesquisam muito, mas compram pouco”, conta Judivan durante uma tarde de quarta-feira no fim de agosto.

Do outro lado da rua, a comerciante Jéssica Lopes também está preocupada. Dona de uma loja de artigos de esporte em uma das galerias comerciais da rua, ela tem feito malabarismo para não ficar no vermelho e conseguir pagar, pelo menos, o salgado aluguel de 14.000 reais do local. “O Governo fala que o país está melhorando, mas parece que, a cada mês, só piora. Em agosto, as vendas caíram uns 20%. Pensamos que com a liberação do FTGS as pessoas fossem abrir mais o bolso, mas parece que o povo usou o dinheiro para pagar dívida mesmo”, conta.

Dentro da galeria, Rafaela de Carvalho, estudante de Relações Públicas, ainda está com as mãos abanando. Foi até lá pesquisar os preços de algumas mochilas e diz que só está fazendo compras por necessidade. “Vim para a 25 ver se encontro algo mais barato, mas não estou podendo comprar nada. Só a mochila mesmo, porque estou sem”, conta ela ao lado da mãe que já cortou todos os gastos supérfluos possíveis e diz não ter visto seu poder de compra aumentar com a queda da inflação nos últimos meses.

set
03
Posted on 03-09-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-09-2017


Frank, no jornal A Critica (SC)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Expressamente Lula

Sobre campanha eleitoral antecipada, o ministro Admar Gonzaga, do TSE, havia dito o seguinte, segundo a Coluna do Estadão de cinco dias atrás:

“A legislação permite a manifestação política desde que não haja pedido expresso de votos nem campanha acintosa.”

Lula disse ontem em Picos, no Piauí:

“Se preparem, porque faltam apenas 14 meses para as eleições e a gente vai derrubar no voto esse governo golpista.”

Para o TSE, pelo visto, a campanha eleitoral antecipada de Lula ainda não é acintosa o bastante.

Se o petista não disser expressamente “Eu, Lula, peço que vocês votem em mim para presidente da República em 2018”, pode continuar fazendo o diabo para ganhar a eleição.