Dois cobras, em Insensatez, de Tom, para ouvir e torcer por tempo bom!

BOA NOITE!!

(Gilson Nogueira)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Dia do Índio

Em homenagem ao Dia do Índio, Telmário Mota subiu à tribuna do Senado, colocou seu celular próximo ao microfone e deu o play na música Todo Dia Era Dia de Índio.

Eunício Oliveira, o Índio, não presidia a sessão.

Perdeu a homenagem.

Postado pelo poeta de Marília (SP), Luiz Fontana, na área de comentários do BP, nesta quarta-feira de outono e de abril.

=========

“(Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.” ( Álvaro de Campos)

Grande Cida, pego carona em tua homenagem VHS, louvo o desnudar de alma contido na crônica.

A nossa geração merece ter seu momento de “Tabacaria”. Viva Fernando Pessoa!

————

Seja feita a vontade do poeta. Tabacaria, de Fernando Pessoa, para todos os leitores e ouvintes do BP.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)

CRÔNICA

De repente, os dias são assim…

Maria Aparecida Torneros

Acordo com a Chuva da 5 da manhã e tenho 67 anos. Já tive 17.

Fugi da cavalaria. Participei de passeatas. Perdi companheiros na luta armada.

Os dias eram daquele jeito. Ditadura Militar. Familiares e companheiros presos. Tortura. Tomada de consciência de uma guerra ideológica. Questionamentos sobre o futuro.
Passaram-se 50 anos. Estou assim.

Aposentada. Junto da mãe velhinha e sem memória.
Estou numa cidade em que nasci quando ainda era capital do Brasil. Vi muito.

Corri atrás de sobrevivência. Trouxe ao mundo um filho que vai completar 40. Sequer crê em Deus. Também tenta correr atrás de algum futuro mas a ele e esposa ( que não tem filhos) são apresentadas poucas oportunidades e tristes exemplos de gerações de roubos e trapaças.

Vivo e sobrevivo com orçamento apertado advindo de aposentadoria modesta.

A saúde apresenta intempéries que enfrento com certo bom humor e muita fuga. Haja calmantes. Haja orações e haja paciência de assistir tanto descaramento. Delações premiadas. Presos com luxo.

Como rever meus jovens anos 70, se esse filme eu já vi e morro no final? Se não morro, amigos morreram.

Se sobrevivi, sinto vergonha do quadro de insana malandragem.

Melhor dormir cedo. Melhor não ir na rua onde os pivetes me puxam a bolsa e roubam celular. Melhor só sair para o médico e a fisioterapia.

Ideal é usar esse bendito saco de água quente nas costas. Alívio para dores e artroses. À tarde , lembrar o moço da farmácia para vir aplicar injeção na mamãe.

Atender a gerente do banco sobre contas em débito automático que preciso reorganizar.

Ainda tem o tal imposto de Renda que é descontado mensalmente da aposentadoria mas ,
que há uns 7 anos me exige, além. Esse além é um dilema. Opto por não pagar porque preciso comer e comprar remédios. Pago prestação de casa financiada pelo Previ Rio do Município. A pequena casa de 45 metros quadrados já me leva dois mil e 300 por mês da aposentadoria de servidora concursada. Parece que vou pagar mais um ano e meio.

Só então vou procurar a receita e acertar as tais dívidas acumuladas. Não trapaceei. Sequer imaginei fazê-lo. Nunca recebi propina por atividade pública.

Meus dias foram assim. Acreditava nos ideais socialistas. Hoje sei que não existem. A não ser como tema de livros e seriados. Também são ótimos para roteiros de filmes.

Fiquei imaginando um codinome pra mim numa hipotética lista da Odebrecht: Cida, a ingênua! Ou Cida, a boboca! (Atualmente devedora do Leão)

Cida Torneros é jornalista e escritora, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Cida.

Vai para Cida Torneros, no Rio de Janeiro: pela alma de poeta que ela expõe no belo texto da crônica que o Bahia e Pauta reproduz nesta quarta-feira pós apresentação pela TV Globo do segundo capítulo do superseriado “Os Dias Eram Assim”.

BOM DIA !!!

(Vitor Hugo Soares)

abr
19


DO EL PAÍS

Felipe Betim

Curitiba

Curitiba vive dias de expectativa. Um dos principais cenários das manifestações a favor do impeachment de Dilma Rousseff há exatamente um ano, a capital do Estado do Paraná se mobiliza agora por outro assunto: o depoimento que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de praticar crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro, irá prestar na Justiça Federal do Paraná diante do juiz Sérgio Moro, no dia 3 de maio. Nas ruas, esta data é um dos principais temas em conversas e comentários dos curitibanos. Muitos deles prometem comparecer à sede da Justiça Federal do Paraná no dia do depoimento para “recepcionar” o ex-mandatário e apoiar a Lava Jato. Apoiadores do PT de várias cidades brasileiras também planejam atos e caravanas para o mesmo dia. Enquanto isso, a guerra aberta entre Moro e Lula ganhou um novo componente nesta segunda-feira, quando o magistrado determinou que o ex-presidente acompanhe presencialmente os depoimentos de 87 testemunhas de defesa.

No despacho publicado no início da noite, Moro explica que a medida foi tomada para “prevenir a insistência na oitiva de testemunhas irrelevantes, impertinentes ou que poderiam ser substituídas, sem prejuízo, por provas emprestadas”. O magistrado também disse que o número de testemunhas convocadas pela defesa de Lula é “bastante exagerado” e que é “absolutamente desnecessário” escutar todas elas. Ele recordou ainda que em outra ação da Lava Jato na qual o ex-presidente é réu, várias das mesmas testemunhas foram dispensadas ou fizeram depoimentos “de caráter eminentemente abonatório ou sem conhecimento específico dos fatos que eram objeto da acusação”. Ainda assim, Moro acatou o requerimento “para evitar alegações de cerceamento de defesa”, segundo o magistrado.

A defesa de Lula respondeu em um comunicado que a decisão de Moro “configura mais uma arbitrariedade contra o ex-presidente, pois subverte o devido processo legal, transformando o direito do acusado (de defesa) em obrigação”. Além disso, continua a nota, uma vez “presente o advogado, responsável pela defesa técnica, a presença do acusado nas audiências para a oitiva de testemunhas deve ser uma faculdade e não uma obrigação”. O ex-presidente é réu em cinco ações, três delas no âmbito da Operação Lava Jato, sem contar os cinco novos pedidos de investigação encaminhados pelo STF.
3 de maio, dia D

Ainda não há informações sobre as novas datas nas quais Lula teria que comparecer em Curitiba. A única certeza, por enquanto, é a de sua vinda no dia 3 de maio. A data do depoimento foi definida há pouco mais de um mês por Moro. Desde então, vários eventos nas redes sociais vem sendo programados para “receber a jararaca” — termo usado por Lula para se referir a si mesmo em um discurso após ser levado, no ano passado, para depor coercitivamente. Outros atos também foram agendados para prestar apoio ao ex-mandatário. O EL PAÍS contou 12 eventos no Facebook contra o petista e outros 12 a favor.
Este empate nas redes sociais não significa que o jogo está equilibrado na capital paranaense. Curitiba, que tem que cerca de dois milhões de habitantes, é considerada um bastião do anti-petismo — inclusive pelos próprios curitibanos, que se orgulham da baixa votação do PT em eleições. Uma onda de orgulho invadiu a cidade quando, no dia 17 de março do ano passado, uma conversa telefônica do ex-presidente Lula foi divulgada. Nela, ele se referia aos procuradores e juízes da Justiça Federal do Paraná, responsável pelas investigações da Lava Jato, como “República de Curitiba”. Desde então o termo aparece em conversas, é entoado em protestos, está escrito em cartazes e até em roupas. Um ano depois, poucas coisas mudaram. As bandeiras do Brasil, um dos símbolos em manifestações favoráveis ao impeachment, já foram retiradas das janelas. Os panelaços já não são constantes. E as manifestações perderam o vigor de antes. Mas o orgulho de pertencer à “República de Curitiba”, assim como o anti-petismo, permanecem igual.
Acampamento pró-Lava Jato.
Acampamento pró-Lava Jato. F. Betim

Para o taxista Paulo Roberto Cardoso, o ex-presidente é o “chefe maior da quadrilha”, a pessoa que tinha “influência em todas as obras da Odebrecht” no exterior. “O Lula tem que ser preso. O final da Lava Jato tem que ser esse: o Lula na cadeia”, aposta. O engenheiro aposentado Paulo Afonso Faria, de 68 anos, tem a mesma opinião: “Na política, só uns 10% se salvam. Temos no Congresso os ultra radicais da corrupção, como Romero Jucá, Renan Calheiros, Eunício de Oliveira… E temos o chefe da quadrilha, que é o Lula”.

Faria promete estar presente na manifestação a favor da Lava Jato e contra “os comunistas do PT” no dia 3 de maio. “Não somos barulhentos, mas estamos nos falando sempre pelas redes e pelo WhatsApp”, conta. A mais famosa dessas páginas chama-se “República de Curitiba” e possui mais de 200.000 participantes. As mensagens e xingamentos contra Lula e o PT continuam em alta e constantes, mesmo após as delações da Odebrecht mostrarem, na última semana, que a corrupção atinge toda a classe política.

abr
19

DO PORTAL IG – São Paulo o do texto

O Papa Francisco foi convidado pelo governo de Michel Temer, no final do ano passado, para visitar o País em 2017, quando se completam 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Mas, em uma carta enviada nesta terça-feira (18), o líder católico afirmou que não virá ao Brasil, e ainda cobra o presidente para tomar cuidado “da população carente”.

Em um trecho divulgado da correspondência, Francisco pede para que Temer evite tomar medidas que possam agravar a situação dos pobres. “Sei bem que a crise que o País enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, escreveu o Pontífice, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da “Globo News”.

Contudo, o líder religioso ainda acrescenta que “não pode deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo os mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumar ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”.

Na carta, ele ainda escreve que “não se pode confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”, citando a exortação apostólica “A Alegria do Evangelho”. A mensagem acontece em um momento em que o governo tenta aprovar reformas econômicas para garantir a confiança dos investidores.

Agenda cheia

Sobre o convite oficial realizado pelo governo de Michel Temer, Francisco afirma que não poderá aceitá-lo por causa de sua agenda intensa. Assim, afirma que não pretende visitar o País neste ano de 2017. Ainda segundo as informações divulgadas, o Pontífice afirmou que está rezando pelo Brasil e que “acompanha com atenção” os acontecimentos na maior nação da América Latina.

Em setembro passado, na inauguração de uma imagem de Nossa Senhora Aparecida no Vaticano, o Pontífice já havia dito que o Brasil passava por um “momento triste”. Um mês antes, Francisco enviara uma carta não oficial em apoio a Dilma Rousseff, que na época ainda não tinha sofrido o impeachment.

Contudo, o Papa sempre evitou se posicionar publicamente sobre a crise política enfrentada pelo País e que culminou na derrubada da presidente petista.

*Com informações da Agência Ansa.

abr
19
Posted on 19-04-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-04-2017


Sid, no portal de humor gráfico A Charge Online

abr
19

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

STJ MANTÉM PALOCCI PRESO

A Quinta Turma do STF acaba de decidir por manter a prisão preventiva de Antonio Palocci, denunciado na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O STJ não verificou constrangimento ilegal que justifique a soltura dele. Para os ministros, a prisão é necessária para “a garantia da ordem pública, pois foi decretada para combater a corrupção sistêmica e serial”.

“A denúncia narra que Palocci tinha papel proeminente no esquema de corrupção e coordenou repasses de mais de US$ 10 milhões em propina ao PT. Os ministros identificaram indícios de provas da materialidade dos crimes e de autoria a justificar a prisão preventiva”, informa o STJ.