DO G1/TV Globo

Agentes da Polícia Federal saíram às ruas na manhã desta terça-feira (21) para cumprir 14 mandados de busca e apreensão da Operação Lava Jato em Pernambuco, Alagoas, Brasília, Bahia e Rio de Janeiro. Os mandados são os primeiros com base na delação premiada da empreiteira Odebrecht e foram autorizados pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os alvos desta terça são pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Eunício Oliveira (PMDB-CE), Valdir Raupp (PDMB-RO) e Humberto Costa (PT-PE). Os parlamentares, no entanto, não são alvo de mandados.

A operação desta terça partiu de um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e foi autorizada pelo STF porque o tribunal é responsável pelas investigações na Lava Jato que envolvam políticos com foro privilegiado.

Uma das buscas foi realizada em Brasília, na empresa de transportes e valores Confederal, que pertence a Eunício.

Em nota, a defesa do senador disse que Eunício “tem a convicção que a verdade dos fatos prevalecerá”. A nota afirmou ainda que Eunício autorizou em 2014 que fossem solicitadas doações, “na forma da lei”, à sua campanha ao governo do Ceará.

A assessoria de Humberto Costa também divulgou nota, na qual afirma que o senador está certo que a operação não vai encontrar indício que “desabone a sua vida pública”.

O G1 entrou em contato com as assessorias de Renan Calheiros e Valdir Raupp e aguardava respostas até a última atualização desta reportagem.

Acompanhados pelo Ministério Público Federal (MPF), os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão no Edifício Maria Beatriz, na Avenida Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

Os agentes foram à casa do empresário Mário Barbosa Beltrão e de Sofia Nogueira Beltrão, segundo apuraram a TV Globo e o G1.

A TV Globo ligou para a casa do empresário, mas informaram que ele não estava e não passaram outro contato.

De acordo com a PF em Pernambuco, os documentos e materiais apreendidos estão sendo encaminhados para a sede do órgão, no Cais do Apolo, região central do Recife, de onde serão remetidos para Brasília. A Polícia Federal apontou ainda que as investigações seguem em segredo de Justiça.

Magnífico bolero!Formidável interpretação de Bebo Valdés.E que notável arranjo musical e acompanhamento impecável de uma orquestra de cinema e digna dos melhores bailes nostálgicos de Havana.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)


Carnes dispostas em um açougue em São Paulo.
Marcelo Sayão EFE


DO EL PAÍS

São Paulo

União Europeia, China, Chile e Coreia do Sul anunciaram nesta segunda-feira que vão suspender a importação de carne do Brasil, após o escândalo de fraude revelado pela operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Os países também anunciaram o aumento na fiscalização da carne originada do país.

Segundo a Reuters as suspensões são temporárias. A agência, citando a Bloomberg News, afirma ainda que os produtos de carne bovina brasileiros que estão a caminho da China não terão permissão alfandegária para entrar no país, já que a suspensão para a entrada do produto começou a partir deste domingo. De acordo com a agência, a informação foi repassada por uma fonte que pediu para não ser identificada. Ainda não houve um anúncio oficial do Governo do país. Também não fica claro se a restrição vale para todas as empresas ou só para as citadas no escândalo.

Já a Coreia do Sul anunciou nesta segunda-feira por meio de seu Ministério da Agricultura que vai aumentar as inspeções feitas na carne de frango importadas do Brasil e proibiu, temporariamente, a venda dos produtos de frango da BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão. O anúncio foi feito pelo Ministério da Agricultura sul-coreano, em um comunicado nesta segunda-feira. Mais de 80% 107.400 toneladas de carne de frango importadas pelo país no ano passado vieram do Brasil, e quase metade disso era da BRF. O órgão afirmou que os futuros fornecedores de frango brasileiro serão obrigados a apresentar um certificado sanitário emitido pelo governo brasileiro.

A União Europeia também anunciou que vai suspender as empresas envolvidas no escândalo. A Comissão Europeia disse nesta segunda-feira que está monitorando as importações de carne do Brasil e que as empresas terão acesso negado nos países que fazem parte do bloco.

O Chile também é outro dos países que decidiram barrar temporariamente as importações de carne do Brasil após o escândalo, ainda de acordo com a Reuters. A informação também foi dada pelo Ministério da Agricultura local, de acordo com a agência. Não há, entretanto, mais informações até o momento sobre a medida do país chileno.

A operação Carne Fraca foi deflagrada na última sexta-feira e revelou a existência de um esquema de pagamento de propina paga a fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura brasileiro para que os frigoríficos pudessem vender produtos adulterados. Foram cumpridos 38 mandados de prisão, que atingiram executivos de duas empresas, a BRF e a JBS, responsável pelas marcas Seara e Big Frango. As autoridades brasileiras contestam a investigação da Polícia Federal e afirmam que o produto brasileiro é seguro.


David Rockefeller, em uma foto de 1981
D. Pickoff AP


DO EL PAÍS

Sandro Pozzi

Nova York

É impossível entender o poderio econômico dos Estados Unidos sem a contribuição dos Rockefellers. A influente dinastia nova-iorquina faz parte da nobreza de um país em que o rei é o capitalismo. Nesta segunda-feira morreu o financista e filantropo David Rockefeller, o último membro vivo do clã entre os de sua geração. O neto de John Rockefeller estava à frente da gestão de todos os interesses da família. É difícil que seus sucessores cheguem à sua altura.

David Rockefeller faleceu de causas naturais aos 101 anos de idade em sua residência em Pocantico Hills, uma mansão voltada para o rio Hudson no norte do Estado de Nova York. Era o mais jovem dos seis filhos de John D. Rockefeller Junior e foi fundador da Comissão Trilateral, uma das organizações privadas mais influentes do mundo. Também presidiu o Chase Manhattan Bank, embrião do JP Morgan Chase, o maior grupo financeiro do país.

Era o único neto vivo do legendário fundador da petroleira Standard Oil. O herdeiro nasceu em Manhattan em 12 de junho de 1915. Doutorou-se em economia pela Universidade de Chicago, embora tenha estudado também em Harvard e Londres. Amava a arte. Na sua coleção privada tinha trabalhos de Picasso, Monet, Matisse e Rothko. Ao longo da vida doou 150 milhões de dólares (460 milhões de reais) ao Museu de Arte Moderna, que cofundou com sua mãe, Abby.

A revista Forbes calculou nesta segunda-feira sua fortuna pessoal em 3,3 bilhões de dólares (10 bilhões de reais). Antes de se dedicar ao mundo das finanças, participou como voluntário no exército durante a Segunda Guerra Mundial e foi funcionário de inteligência na Argélia. No retorno da Europa, começou a trabalhar para o Chase Manhattan Bank no departamento internacional. Assumiria a presidência da instituição em 1961, cargo que conservou durante duas décadas.

John D. Rockefeller continua sendo considerado a pessoa mais abastada da história moderna dos EUA. A petroleira que está na origem da fortuna da influente saga familiar foi dividida e dela emergiu, entre outras companhias, a gigante ExxonMobil. David Rockefeller preferiu a banca. Os presidentes Jimmy Carter, democrata, e Richard Nixon, republicano, o sondaram para o cargo de secretário do Tesouro, que declinou.

Os Rockefellers se guiavam pelo princípio de que é preciso devolver à sociedade tudo o que lhes havia dado. Há dois anos festejou seu 100º aniversário doando um terreno da família a um parque nacional no Maine. A ação filantrópica do clã abarca desde iniciativas para a promoção da arte até ações para a conservação do meio ambiente.
O banqueiro norte-americano David Rockefeller, quando apresentou suas memórias na Espanha em 2004.
O banqueiro norte-americano David Rockefeller, quando apresentou suas memórias na Espanha em 2004. EFE

David Rockefeller era considerado um republicano moderado. Seu nome é associado à construção do World Trade Center no baixo Manhattan e outras iniciativas, como a Universidade Rockefeller. Poucos entre os de sua geração tiveram um envolvimento pessoal tão forte com a promoção da democracia nas Américas quanto o magnata, que presidiu o Conselho das Américas. Bill Clinton lhe outorgou a Medalha Presidencial da Liberdade, em 1998, o maior reconhecimento civil.

David Rockefeller, que continuou viajando, apesar da idade avançada, chegou durante sua vida a entrar em contato direto com mais de 200 chefes de Estado, de uma centena de países. Isso o transformou em um dos grandes representantes dos EUA no exterior. Por isso, não foi por acaso que o Chase Manhattan foi o primeiro grupo financeiro a abrir agências na Rússia e na China. O banco lhe deu um status internacional que nunca teria conseguido trabalhando para o Governo.

mar
21
Posted on 21-03-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-03-2017


Sinovaldo, no jornal NH (RS)

mar
21
Posted on 21-03-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-03-2017


DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

ADRIANA ANCELMO CONTINUARÁ EM BANGU

Abel Gomes, desembargador do TRF da 2ª Região, atendeu pedido feito pelo MPF e revogou a prisão domiciliar de Adriana Ancelmo.

A mulher de Sérgio Cabral ganhou o direito de ir para casa na semana passada, mas não chegou a sair de Bangu 8, onde continuará presa.