ARTIGO

Lula deveria sentir-se honrado

Janio Ferreira Soares

Segundo Milton Nascimento, sua importância é tão grande que, mesmo com a distância superando todos os limites do razoável, deve ser guardado no lado esquerdo do peito, fato prontamente confirmado por Roberto Carlos, que complementa dizendo que seu coração é como se fora uma enorme casa de portas abertas, o que o transforma na pessoa certa das horas incertas.

Já Gilberto Gil diz que ele é uma espécie de herói protegido pelas forças do universo e pelo lume das estrelas, que eternamente o alumiará e o conservará no quarto de seu coração menino, aliviando toda dor de sua solidão.

Mais dramático, o velho Waldick Soriano recorre a ele para levar sua carta àquela ingrata que, por dispensá-lo, tem que saber-se culpada pelo nosso caubói vagar nos cabarés da vida com os olhos rasos d’água e o coração cheio de mágoa, morrendo de amor.

Com a leveza de um bom caipira, Renato Teixeira diz que é natural do afeto o aperto de mão, o abraço e o sorriso, e que sua casa está sempre aberta àqueles que não trazem na boca palavras fingidas.

Pois muito bem, eu poderia ir até o final apenas citando trechos de canções que versam sobre a expressão implícita acima, mas aí ela perderia o elo com o sujeito que titula o texto, ultimamente bastante mencionado nos jornais como sendo o provável “Amigo” que consta na lista de propina da Odebrecht. Verdade ou não, só me resta dizer uma coisinha ao ex-presidente: que moral, hein, companheiro?

Num cardápio cheio de codinomes como Boca Mole, Angorá, Todo Feio, Bitelo, Gripado, Caranguejo, Misericórdia, Moleza, Decrépito e que tais, ser alcunhado de Amigo, convenhamos, soa até como um elogio. Aliás, suspeitas e interesses à parte, solto aqui duas perguntinhas que têm a ver com as canções lá de cima.

Independentemente do contexto, por que Lula não pode ter sido, sim, um irmão camarada da Odebrecht, como canta Roberto na sua homenagem a Erasmo?

Do mesmo modo, por que Aécio não pode ter sido o amigo guardado sob as sete chaves da canção de Milton e Brant, das empreiteiras que construíram a Cidade Administrativa de Belo Horizonte?

A propósito, agora que a delação juntou os dois no barco a caminho da travessia de Caronte, imagino-os num encontro casual num boteco em Curitiba, com a adaptação da letra de Amigo é Pra Essas Coisas, do grande Aldir Blanc, puxando o mote do papo.

“Salve!”. “Como é que vai?”. Amigo, há quanto tempo!”. “Um ano ou mais…”. “Posso sentar um pouco?”. “Faça o favor”. “A vida é um dilema”. “Nem sempre vale a pena”. “O que que há?”. “Moro acabou comigo”. “Toda malandragem um dia chega ao fim”. “Eu desejava um trago”. “Garçom, mais dois”. “Você está mais velho”. “Também sofri”. “Mas não se vê no rosto”. “É que eu tenho o Gilmar pra compensar o Moro”.

A conta? Você sabe quem paga.

Janio Ferreira Soares, cronista, é secretário de Cultura de Paulo Afonso, no lado baiano do Rio São Grancisco.

Postado na área de comentários do Bahia em Pauta, neste sábado, 18, pelo leitor e ouvinte que assina Vanderlei. Vale destaque, com agradecimentos, neste palco principal de informação e opinião do BP. Confira.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

=================================

Caro Vitor Hugo Soares,

Acompanho diariamente o seu blog, as vezes faço até alguns comentários. Além dos ótimos textos, de sua autoria e de outros colunistas, destaco a seleção musical que você e o Gilson Nogueira, preparam, diariamente, no “Bahia Em Pauta”. Parabéns para vocês!
Se fosse viva, a inesquecível Karen Carpenter teria feito, no último dia 2 de março, 67 anos. Mas, ela se encantou muito jovem com apenas 33 anos.
Sou da opinião que a Karen Carpenter foi e ainda é a mais bonita voz que já surgiu na música mundialmente. Suas músicas são atemporais e tocará os corações românticos para sempre”.
Existem certas pessoas que permanecem muito pouco tempo entre nós, mas que deixam ótimas lembranças e um patrimônio inestimável. Certamente, uma delas é Karen Carpenter.
Pois é, coincidentemente, ontem, 17 de março, se fosse vivo, Nat King Cole, estaria completando 98 anos. Nat King Cole, tal como a Karen Carpenter, tinha uma voz impar e aveludada, tendo deixado ótimas lembranças e um patrimônio musical inestimável para nós. Nat King Cole se encantou aos 45 anos.
Karen e Nat vozes inesquecíveis como o maior sucesso de Nat “Unforgetable – Inesquesível”.

VANDERLEI


DO EL PAÍS

Gil Alessi
Brasília

Em meio ao clima de incerteza que se abateu sobre o Ministério da Agricultura e o mercado após a divulgação de informações da Operação Carne Fraca sobre fraudes no setor de carnes, o presidente Michel Temer marcou para o domingo uma reunião com o titular da pasta, Blairo Maggi (PP-MT). O ministro estava em Cuiabá quando o escândalo de adulteração de carnes que contava com a participação de ao menos 33 fiscais ligados à Agricultura veio à tona. Ele cancelou viagem para o Canadá que estava prevista para o início da semana para coordenar uma força-tarefa para analisar a dimensão do problema. O foco do encontro entre Temer e Maggi é criar uma estratégia para lidar com as eventuais fraudes, bem como o impacto delas no comércio internacional – o Brasil é o maior exportador de proteína animal do mundo.

Neste sábado Maggi passou o dia se reunindo com embaixadores de países da União Europeia, dos Estados Unidos e de outras nações que importam carne brasileira. De acordo com dados da Agricultura, 150 países compram os produtos do setor. Apesar dos receios de parte da população e autoridades estrangeiras, Maggi e o secretario executivo da pasta, Eumar Novicki, fizeram questão de tranquilizar o mercado e os consumidores internos. “A população brasileira pode ficar tranquila, não há risco para a saúde pública”, afirmou o secretário. Ele insistiu que trata-se de um problema pontual, envolvendo “33 fiscais dentro de um universo de 11.000 funcionários do Ministério”.

O Governo quer ter acesso aos laudos e provas periciais da Carne Fraca. Fiscais e técnicos do Ministério devem ir até Curitiba, onde correm as investigações, para analisar o material coletado pela Polícia Federal.
Ofensiva de propaganda e prisão

Depois da reunião com Maggi, Temer deve receber associações de exportadores para discutir os impactos do caso nos negócios do setor. As ações das gigantes JBS e BRF, que segundo as investigações estariam envolvidas no esquema, caíram 10% e 7% respectivamente na sexta-feira na Bolsa de São Paulo.

Em uma ofensiva para reduzir os danos à sua imagem, as duas empresas publicaram anúncios de página inteira nos principais jornais do país, reafirmando a colaboração com a Polícia Federal e dizendo cumprir elevados padrões de qualidade e fiscalização de seus produtos. Também houve uma ofensiva digital, com os posicionamentos oficiais da empresa aparecendo como anúncios no alto das buscas sobre o tema no principal dos buscadores, o Google.

A BRF também afirmou que houve um “mal-entendido” em um dos áudios divulgados pela PF, na qual um dos funcionários falava sobre “papelão”. Na interpretação das autoridades, o grampo revela a adulteração da carne com papelão. A empresa, no entanto, afirma que está sendo discutido o tipo de embalagem a ser utilizado – plástico ou papelão.

Na madrugada deste sábado o gerente de Relações Institucionais e Governamentais da BRF, Roney Nogueira dos Santos, foi preso pela Polícia Federal ao desembarcar no Aeroporto de Guarulhos. Ele é um dos investigados por suposta tentativa de pagar propina para conseguir pareceres favoráveis de fiscais sanitários.

mar
19
Posted on 19-03-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-03-2017


Simanca, nojornal A Tarde (BA)

mar
19
Posted on 19-03-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-03-2017

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

O motivo não evidente para Ciro atacar Doria

Ciro Gomes atacou João Doria por um motivo evidente: Doria o bateria facilmente numa disputa pela Presidência da República.

O motivo não evidente: Ciro e Geraldo Alckmin firmaram uma aliança no ano passado, visando a 2018. Chegaram, como publicamos, até a pensar em formar uma chapa

Ao atacar Doria, Ciro prestou também um serviço a Alckmin.

mar
19
Posted on 19-03-2017
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-03-2017

O EL PAÍS

O compositor, guitarrista e cantor norte-americano Chuck Berry, um dos pais do rock and roll, faleceu neste sábado aos 90 anos, informou o departamento policial do condado de Saint Charles, em Missouri (EUA), em seu perfil de Facebook.

“O Departamento Policial do condado de Saint Charles tristemente confirma a morte de Charles Edward Anderson Berry, mais conhecido como o lendário músico Chuck Berry”, assinala o comunicado. Os agentes receberam um alerta de emergência às 12h40, hora local (às 14h40, horário de Brasília) na rua Buckner. Na casa, os trabalhadores dos serviços de emergência acharam um homem inconsciente e, apesar de ter tentado reanimá-lo, não puderam fazer nada por sua vida. O óbito foi certificado às 13h26, hora local (15h26, horário de Brasília).

Charles Edward Anderson Berry nasceu em 1926, em San Luis (EUA). Sua mãe era professora e seu pai, empreiteiro e pastor evangélico. Desde pequeno, gostou de blues e, no começo da década de 50, arrancou em sua carreira profissional. Da fonte de sua guitarra pioneira beberam os maiores nomes do rock. Grupos como The Beatles, Rolling Stones, Led Zeppelin ou AC/DC admitiram abertamente que Berry, um dos pais do rock and roll, foi uma de suas referências.

O artista foi um dos fundadores do rock graças ao tema Maybellene, lançado em 1955. Na verdade, em sua biografia do Salão da Fama do Rock, pode-se ler: “Depois de Elvis Presley, só Chuck Berry teve mais influência na hora de dar forma e desenvolver o rock and roll”.

Coincidindo com seus 90 anos, o cantor anunciou em outubro do ano passado seu primeiro disco com material inédito desde 1979. O disco de estúdio, chamado Chuck, está composto por novas canções originais escritas, gravadas e produzidas pelo músico. “Este disco é dedicado à minha amada Toddy”, explicava o cantor referindo-se à esposa, Themetta Berry, com quem estava casado há 68 anos. “Meu amor, estou envelhecendo. Trabalhei muito tempo neste disco. Agora posso pendurar a chuteira”, acrescentou.