abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Newsletter, Olivia) by vitor on 19-04-2010

Darin em filme arrebatador

=========================================
CINEMA PREMIADO

O Segredo dos Seus Olhos

MARIA OLÍVIA

Com muita propriedade, o filme O Segredo dos Seus Olhos arrebatou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro na última edição do famoso premio. Contrariando todas as apostas – e torcida – que consideravam A Fita Branca como vencedor, o filme argentino O Segredo dos Seus Olhos, dirigido por Juan José Campanella (o mesmo do belíssimo O Filho da Noiva), é simplesmente sensacional, não cabem mais palavras.

A trama fala sobre um crime sem solução há 25 anos que atormenta o personagem Benjamín Espósito (Ricardo Darín). Ele, então, decide voltar ao passado, que trará lembranças de amor, morte e amizade, que farão repensar seu presente e futuro.
A película que mistura amor e assassinato foi escrita pelo próprio Darín, que, no filme, vive o homem disposto a escrever um livro sobre as memórias da época e acaba descobrindo como o passado interfere tão diretamente em sua vida presente.

Em Salvador, para variar, o Segredo dos Seus Olhos chega com atraso. Vá correndo assistir, antes que saia de programação, tudo é possível na terra de Glauber Rocha. Apenas duas sessões: Às 19 horas no Unibanco (Glauber Rocha, Praça Castro Alves) e 21horas no Cine Vivo (Shopping Passeo, no Itaigara). O Bahia em Pauta indica, mil ‘estrelas’ para o filme argentino.

Maria Olívia é jornalista

abr
14
Posted on 14-04-2010
Filed Under (Newsletter, Olivia) by vitor on 14-04-2010

Simone de Beauvoir

=================================================
Zuzu Angel

=================================================================

=============================================================

MARIA OLIVIA

Neste 14 de abril, vale, e como vale, rememorar duas grandes mulheres que partiram nesta data. A indispensável escritora, filósofa e militante francesa Simone de Beauvoir, autora de obras fundamentais a exemplo de A Convidada (seu primeiro romance), O Segundo Sexo (profunda análise sobre o papel da mulher, considerada por muitas como “a bíblia femenina”, Os Mandarins, A Cerimônia do Adeus (homenagem ao seu companheiro de vida, Sartre), entre tantas outras. Ela morreu em 14 de abril de 1986, aos 78 anos, em Paris.

Também neste dia, ano de 1976, foi assassinada Zuzu Angel, estilista e mãe do militante estudantil Stuart Angel, morto pela ditadura militar, aos 26 anos. Ele foi sequestrado, torturado barbaramente e assassinado pelos órgãos da repressão em 1971. Para não esquecer, Stuart, na tortura final, foi arrastado num Jipe, amarrado ao cano da descarga do veículo, obrigado a “cheirar óleo diesel”, como denunciou o incomparável Chico Buarque de Holanda em sua canção Cálice, até o fim. Ele não deu nenhuma informação aos seus algozes.

Zuzu Angel, à época uma estilista de renome internacional, soube das torturas e assassinato de seu filho através de carta anônima e daí começou sua luta para denunciar as torturas, a morte e a ocultação do cadáver do filho, no Brasil e no exterior. Ela passou a sofrer intimidações, aí passou a encaminhar cartas, inclusive para Chico Buarque, a quem conhecia, afirmando que “se, por acaso, aparecesse morta por acidente, na verdade era assassinato”. E foi o que aconteceu na madrugada de 14 de abril de 1976, no Túnel Dois Irmãos (Rio de Janeiro), que hoje leva seu nome, uma homenagem do ex-governador Leonel Brizola.
Para ela, nosso amado Chico compôs ANGÉLICA, que dispensa comentários.

Maria Olívia é jornalista
================================================================

Angélica (1977)
Miltinho e Chico Buarque

Quem é essa mulher
Que canta sempre esse estribilho?
Só queria embalar meu filho
Que mora na escuridão do mar
Quem é essa mulher
Que canta sempre esse lamento?
Só queria lembrar o tormento
Que fez meu filho suspirar

Quem é essa mulher
Que canta sempre o mesmo arranjo?
Só queria agasalhar meu anjo
E deixar seu corpo descansar

Quem é essa mulher
Que canta como dobra um sino?
Queria cantar por meu menino
Que ele não pode mais cantar

abr
04

Waldir: ainda mira o senado

=================================================================

MARIA OLÍVIA

As pessoas que conversam o convivem mais proximamente sabem: o ex-governador Waldir ainda não deu o jogo da composição da chapa majoritária governista do petista Jaques Wagner para a eleição deste ano como decidido tão prematuramente. “Homem de partido”, como sempre afirma, aposta suas fichas talvez na convenção do PT.

O ex-ministro da Defesa e da Previdência e ex-governador da Bahia, Waldir Pires ainda deseja uma vaga para o Senado na chapa encabeçada pelo governador Jaques Wagner (PT) como forma de resgatar para a Bahia “uma representação que foi fraudada em 1994”, segundo afirma ele referindo-se à suposta fraude ocorrida naquele ano quando as vagas baianas ficaram com o falecido senador Antônio Carlos Magalhães e seu afilhado político, Waldeck Ornellas.

No último dia 30 março, durante a solenidade de inauguração das novas instalações do Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS), Waldir Pires recebeu das mãos do ministro da Previdência Social, José Pimentel, a comenda do mérito previdenciário Eloy Chaves, recém-criada pelo instituto e que teve o nome de Waldir Pires escolhido por unanimidade pelo conselho da instituição para ser o primeiro homenageado.

Para refrescar a memória, vale lembrar que em 1985, Waldir assumiu o Ministério da Previdência numa escolha pessoal do então presidente eleito Tancredo Neves, que faleceu antes de tomar posse. O ex-governador dos baianos recebeu a pasta das mãos dos militares com um rombo de 8 trilhões de cruzeiros, e um ano depois entregou o ministério para disputar o governo da Bahia com superávit de caixa de 2 trilhões e outros 4 trilhões em superávit de orçamento.

Maria Olivia é jornalista

abr
01
Posted on 01-04-2010
Filed Under (Multimídia, Newsletter, Olivia) by vitor on 01-04-2010

BOA NOITE!!!

======================================================================

O Lapinha: Amigos, essa casa é tudo de bom e promete grandes e belos momentos. Tive a oportunidade de conhecer o espaço – inaugurado recentemente, mas já aberto para o publico e com uma programação de primeira – na última sexta, dia 26. No palco, rolou o show Imbora, de Zé Renato, como sempre, maravilhoso. Zé Renato é hoje a voz mais afinada e bonita da Música Popular Brasileira. Notícia animadora.

O centro do Rio de Janeiro continua fervilhando de boas opções, poderia acontecer o mesmo com o nosso em Salvador, uma pena.

Segundo os responsáveis pelo lugar, Lapinha é a primeira e única casa de shows dedicada à MPB no bairro carioca, fortemente associado ao renascimento do samba e choro há uma década e, na verdade, boêmio em sua gênese. Com petiscos e drinques saborosos, palco aconchegante, ótimo sistema de som, instrumentos novinhos em folha e uma programação impecável, o piano-bar foi inaugurado com festa na noite de 10 de março. Sob os holofotes, Leny Andrade e Nei Lopes, juntos para convergir num show a musicalidade da Zona Sul e da Zona Norte cariocas com tempero latino.

“O Lapinha será uma casa única e pioneira. Seu compromisso é inverter a lógica que norteia as casas de show, hoje limitadas à simples divulgação da produção musical”, afirma a flautista e produtora Tereza Quaresma. “E nós queremos mostrar grandes nomes da música nacional como o público nunca viu, num ambiente íntimo, despojado e aberto à criação”, instiga ela, que tem como sócios o pesquisador e crítico musical Hugo Sukman, o produtor Luís Pimenta e o maestro Ruy Quaresma.

COMO CHEGAR
Lapinha
Av. Mem de Sá, 82 (esquina com Rua do Lavradio)
Reservas: (21) 2507.3435
100 lugares

(Maria Olívia, jornalista, acaba de retornar do Rio de Janeiro)

mar
21

==================================================

MARIA OLÍVIA

Vanessa da Mata, grande cantora e revelação da nossa MPB, que me perdoe, mas, passei o dia de ontem, dia 20 de março, tentando entender quais os critérios, ou a falte de, dos organizadores do Projeto Mulheres Brasileiras, que deu a largada ontem (20) na capital baiana para a escolha da cantora mato-grossense como anfitriã do mesmo.

Pasmem, caros blogueiros do BP: A extraordinária compositora Dona Ivone Lara, baluarte do samba brasileiro, foi convidada, junto com as novatas Malu Magalhães e Mariana Aydar – muito boas, por sinal – para fazer uma simples participação. Na minha singela opinião, o normal seria Dona Ivone Lara convidar Vanessa, Mariana e Malu, até porque, o público presente na noite de ontem na Concha Acústica do TCA era predominantemente jovem, e nossa juventude tem o direito de conhecer um pouco mais da história da música popular brasileira e, com certeza, Dona Ivone tem muito a ensinar a esta moçada.

Salvador é a primeira cidade a receber o projeto Mulheres Brasileiras. Depois, serão realizados shows em em Porto Alegre, dia 25/03; Brasília, 09/04; Belo Horizonte, 20/04; São Paulo, 30/04 e Rio de Janeiro, 07/05. Ainda não estão definidas as convidadas para as próximas apresentações. Sabe-se apenas que, a também novata, Maria Gadu vai cantar em BH.
Segundo o jornalista Millôr Fernandes, o ser humano tem o direito de se indignar apenas três vezes ao dia, mais é burrice.

Fica então registrada minha reflexão/indignação neste espaço democrático que é o Bahia em
Pauta

Maria Olívia é jornalista.

================================================

MARIA OLÍVIA

O radialista e jornalista baiano Perfilino Neto realiza noite de autógrafos do livro “Memória do Rádio” nesta quinta-feira, 18 de março, na tradicional loja de discos Pérola Negra (rua Marechal Floriano, 28, Canela), a partir das 18 horas.

Mais que um simples lançamento literário, o evento tem todos os ingredientes para ser um encontro de amigos, admiradores e ouvintes de Perfilino, entre eles músicos baianos, como Edson 7 Cordas, Cacau do Pandeiro, Gereba, Luiz Caldas, Xangai e Roberto Mendes.

Além de um anexo com documentos raros, cada exemplar do livro terá como brinde – cortesia da Pérola Negra – um CD com documentos sonoros de época que caíram no domínio público, selecionados pelo autor.
============================================

Maria Olívia é jornalista

===================================================
MARIA OLIVIA

Badaladíssimo vendedor de picolé na Praia do Porto da Barra há muitos verões, tem um bordão que diz: ‘Quem não pediu, pida’. Pego carona no moço do picolé para afirmar: quem não assistiu a estreia do programa História Sexual da MPB, à meia-noite de hoje, no Canal Brasil (na SKY é o 66), assista o próximo, que vai ao ar na quarta-feira, dia 3 de março, no mesmo horário.

No episódio de ontem/hoje o jornalista carioca Rodrigo Faour conversou com Simone, Alcione, Ivan Lins, Erasmo Carlos, Martinho da Vila e Wando sobre temas que representam a evolução do amor, da sensualidade, do comportamento e das conquistas da mulher na sociedade brasileira, todas as análises são ilustradas com canções e clips diversos, de todos os tempos.

Divórcio, aborto, orgasmo feminino (por falar nesse assunto, Ivan Lins interpretou Vitoriosa magistralmente, ‘Quero, sua risada mais gostosa, seu sorriso escandaloso, vitoriosa por não ter, vergonha de aprender como se goza..’ dele e Vitor Martins), dentre outros. Outro ponto alto do programa de estreia foi Alcione recitando a letra da música Nem Morta, ‘eu só fico em seus braços, porque não tenho forças para tentar ir à luta…’, Wando também deu um show com ‘Moça, te espero amanhã…’.

No próximo programa, semana que vem, a Sensualidade na MPB é a convidada de Faour. Ele vai mostrar que esse tema era raro em nossas canções até o início dos anos 60 por conta da repressão sexual. Depois, o jornalista vai debater o Duplo-sentido, a Dor-de-cotovelo e a Sexualidade transgressora. O resto não conto, porque vale a pena esperar, a nova atração do Canal Brasil é imperdível, como de resto toda programação do canal pago.

Inspirada no livro homônimo do apresentador – lançado em 2006, A História Sexual da MPB, a evolução do amor e do sexo na música brasileira, Editora Record – o programa traz entrevistas com mais de 30 nomes de diversos estilos da música nacional.

Cada episódio debate um tema específico dentro da MPB: a mulher, a sensualidade, o duplo-sentido, a dor-de-cotovelo e a sexualidade transgressora. Dentre os convidados,estão personalidades como Gilberto Gil, Alcione, Martinho da Vila, Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Erasmo Carlos, Fafá de Belém, Fernanda Abreu, Wando e Ângela Rô Ro.

Ao lado desses artistas, Faour resgata histórias de diversas gerações e artistas menos lembrados da nossa MPB, como Eduardo Dussek, João Roberto Kelly, Maria Alcina, Waleska, além de dez grandes nomes da época áurea do rádio.

“Confesso que jamais imaginaria que este trabalho rendesse tantos frutos, pois é uma pesquisa um tanto ousada em que dou valor a muitos artistas que nunca são lembrados em livros que pretendem historiar a música brasileira”, comenta Faour. “Muitos artistas podem não ser virtuoses como músicos ou poetas letrados, mas influenciaram a sociedade brasileira no que diz respeito a comportamento — em sua própria imagem (sendo cantores) ou nas danças e letras que produziram, atiçando a libido geral ou mesmo quebrando tabus e preconceitos em suas mensagens”, explica o jornalista. Nesta primeira temporada (o jornalista adianta que a próxima irá ao ar no segundo semestre) serão exibidos seis episódios.

Rodrigo Faour é jornalista e pesquisador musical. Reeditou, compilou e escreveu textos de encartes de mais de 300 CDs, incluindo o relançamento das obras de Maria Bethânia, Simone, Caetano Veloso e Ney Matogrosso. Como escritor, publicou “Bastidores” (2001), biografia de Cauby Peixoto; “Revista do Rádio” (2002) e “História Sexual da MPB (2006). Desde 2008, apresenta o programa diário “Sexo MPB”, na MPB FM do Rio de Janeiro.

Uma pena que um programa desta qualidade só alcance o canal fechado e seja exibido à meia-noite. Paciência, vale ficar ligado, quem tem canal fechado, claro. Acompanho o trabalho de Rodrigo Faour há algum tempo, ele é muito bom, preparadíssimo e colecionador de mais de 70 mil músicas catalogadas e um vasto clipping de matérias publicadas na imprensa.

Maria Olívia é jornalista

fev
07
Posted on 07-02-2010
Filed Under (Artigos, Olivia) by vitor on 07-02-2010

Preta Gil : “Beyoncé é o caramba”

===================================================

MARIA OLÌVIA (do Rio de Janeiro)

Do Leme ao Pontal, passando pelo Centro, Rio de Janeiro é só folia

Da gosto ver o carioca retomando com muita força os carnavais de rua. Por toda orla carioca, no Jardim Botânico, no centro e por toda parte da cidade blocos se multiplicam para o deleite da galera. Jovens e velhos, com ou sem fantasia, tem espaço para quem quiser.

Vale ressaltar:a roupa preferida das meninas cariocas é o shorte jeans com camiseta ou com a parte de cima do biquíne, a escolha da grande maioria pois os termômetro marcam acima dos 40 graus. Os colares havaianos é a sensação do momento, eles enfeitam as garotas e as coroas também, cada uma improvisando a sua maneira, é o Rio, como sempre, ditando a moda para o país.

Neste domingo, Preta Gil arrastou uma multidão na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, com o Bloco A Coisa tá Preta. De cima de um carro de som, ela se revesa com outros cantores com música de qualidade, sambas enrredo que fizeram história nas escolas de samba cariocas, velhos carnavais e axé.Preta, que se define “uma mistura de Beyoncé com Alcione”, atirou do alto do carro de som: “Beyoncé é o caramba, sou mais a Beyoncione!”. A atriz Carolina Dieckmann, amiga de preta, também estava no local e se empolgou com a música “Aquele abraço”. Carol foi apresentada por Preta como a musa do bloco.

Um detalhe que chamou a atenção desta jornalista: Todos cantavam juntos, a moçada sabe tudo de ontem e de hoje.

Com 24 carnavais na avenida, integrantes do Bloco “Suvaco do Cristo” desfilaram pela Rua Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, na manhã deste domingo (7). O desfile começou por volta de 10h, e os foliões seguiram até a Praça Santos Dumont, na Gávea, também na Zona Sul, onde o desfile terminou, por volta das 13h10.

“Alô Burguesia de Ipanema”, com esse bem humorado grito de guerra carnavalesco, o Bloco Simpatia é Quase Amor saíu na tarde de ontem (6), da Praça General Osório e desfilou por toda orla de Ipanema arrastanto milhares de pessoas, com uma bateria que não deixou nenhum folião parado. O Simpatia desfila pelas ruas do bairro desde 1985. No proximo sábado, 13, quem faz o mesmo percurso é a famosa Banda de Ipanema.
É isso aí amigos do Bahia em Pauta, o Rio de Janeiro se renova sempre, tem espetáculo para quem quiser, pago e de graça. O folião participa sem fantasia paga e sem cordão de isolamento e o Metrô está funcionando e ja chega até Ipanema.

Maria O(lívia é jornalista

jan
20

Marchinha do concurso 2008

====================================================
Maria Olivia

Olha que exemplo:A Fundição Progresso resolveu há cinco anos estimular novas composições. Nesta quarta,20, dia do padroeiro São Sebastião, haverá uma grande festa na Parada da Lapa para apresentar as dez músicas finalistas do 5º Concurso de Marchinhas da Fundição Progresso.

Se você caro internauta que acessa BB estiver no Rio, não deixe de comparecer, programação simplesmente imperdível.

Faltando meses pro carnaval, todo mundo inscreve suas letras e eles fazem uma pré-seleção, sendo que as 10 melhores entram num CD. Pra defender as músicas, foi formada a banda da Fundição, com cantores e músicos do calibre de Alfredo Del Penho, Pedro Paulo Malta, Clarisse Magalhães, Lali Maia e Marcelo Bernardes.

Quem for na festa desta quarta, marcada pra 20h30m, já ganha o CD na entrada, ao pagar o ingresso de R$ 15. Além da apresentação das finalistas, tem ainda um show do Rio Maracatu, encerrando a noite. Bom demais, né?

Maria Olivia é jornalista

dez
21
Posted on 21-12-2009
Filed Under (Artigos, Multimídia, Olivia) by vitor on 21-12-2009


=============================================
Maria Olívia

Nesta segunda, dia 21, a turma do samba carioca, a exemplo de Alcione, Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, Monarco, Arlindo Cruz, entre tantos outros bambas, faz show em prol do cantor e compositor Walter Alfaiate. O grande encontro vai rolar no Circo Voador – com nova e moderna estrutura na Lapa, Rio de Janeiro. O sambista, que aos 79 anos ainda precisa cantar e fazer ternos para viver, está internado num hospital público da cidade maravilhosa.

“Magnata Supremo da Elegância”, como se auto-define o cantor e compositor Walter Nunes Alfaiate, consagrado e cultuado pelos grandes sambistas do país, especialmente do Rio de Janeiro, só aos 68 anos de idade, meio século de carreira e mais de 200 sambas compostos, conseguiu registrar sua belíssima voz em disco – gravou apenas um disco, repita-se -, Olha Aí, lançado em 1998 perlo selo Alma e produzido pelo genial Aldir Blanc. O disco, além de composições próprias, tem pérolas de Aldir Blanc, Martinho da Vila, Paulinho da Viola e Nelson Sargento. Oportunidade imperdível para se homenagear este maravilhoso compositor e intérprete, que esteve presente em todos os momentos importantes e bons nestes últimos sessenta anos no samba e no carnaval brasileiro, especialmente, no bairro onde nasceu e passou sua vida, Botafogo.

Maria Olívia é jornalista baiana