jun
08
Posted on 08-06-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-06-2022
 DO ANTAGOSTA
  • Redação O Antagonista
“Se for para punir a derrubada de páginas, que se feche a imprensa brasileira, que é uma fábrica de fake news”, disse o presidente após decisão contra Fernando Francischini
No dia da liberdade de imprensa, Bolsonaro defende fechamento de jornais
Foto: TV Brasil/Reprodução
 

Jair Bolsonaro defendeu, em discurso no Palácio do Planalto nesta terça-feira (7) que veículos de imprensa sejam fechados por suposta disseminação de fake news.

O presidente falou minutos após a Segunda Turma do STF manter a cassação do deputado bolsonarista Fernando Francischini (União-PR), por compartilhar notícias falsas sobre a urna eletrônica.

“Não existe tipificação penal para ‘fake news’. Se for para punir a derrubada de páginas, que se feche a imprensa brasileira, que é uma fábrica de fake news”, disse um Bolsonaro visivelmente irritado.

“Em especial Globo e Folha”, acrescentou.

Bolsonaro afirma que Francischini não espalhou fake news, e que seu julgamento foi uma tentativa do TSE de criar jurisprudência “para perseguir outros nomes”.

Assista:

Fidéle”, Charles Trenet: o grande chasonier da França interpreta uma de suas mais belas composições de todos os tempos. Confira.

BOM DIA!!!

(Vittor Hugo Soares)

jun
08
Posted on 08-06-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-06-2022

DO CORREIO BRAZILIENSE

O PSDB condicionou o apoio à candidatura de Tebet ao apoio do MDB gaúcho para a candidatura de Eduardo Leite ao governo estadual. Prazo dado para definição acaba quarta-feira (8/6)

VC
Victor Correia
 

 (crédito: Ed Alves/CB)

(crédito: Ed Alves/CB)

A senadora e pré-candidata ao Planalto Simone Tebet (MDB-MS) pediu nesta terça-feira (7/6) que o MDB do Rio Grande do Sul avance nas discussões sobre apoio a uma possível chapa à reeleição do ex-governador do estado Eduardo Leite (PSDB). O pedido foi reforçado ainda pelo presidente nacional do MDB, o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).

“Eu e o deputado federal Baleia Rossi pedimos ao presidente do MDB-RS, Fábio Branco, e ao ex-governador Germano Rigotto para avançar nas discussões com o PSDB e o ex-governador Eduardo Leite, com vistas à formação de uma aliança estadual e nacional”, disse Tebet em sua conta no Twitter.

O apoio à reeleição de Leite no estado é uma condição dada pelo PSDB para apoiar nacionalmente a pré-candidatura de Tebet ao Planalto. Os tucanos esperam que, com o ex-governador como um nome forte e conhecido, e com o apoio do MDB gaúcho, é possível criar uma chapa forte para concorrer com o ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL), Onyx Lorenzoni (PL), que atualmente lidera com folga as pesquisas de intenção de voto ao governo do Rio Grande do Sul.

Porém, a velha guarda do MDB gaúcho defende candidatura própria no estado e não quer apoiar Leite. Tanto Simone Tebet quanto Baleia Rossi tentam, agora, angariar o apoio para garantir a chapa MDB-PSDB ao Planalto. Na semana passada, o PSDB deu até quarta-feira (8/6) para que o MDB confirme apoio no Rio Grande do Sul, em Mato Grosso do Sul, em Pernambuco e em Minas Gerais.  O maior interesse dos tucanos, porém, é no Sul.

jun
08
Posted on 08-06-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-06-2022
Charge do Amarildo Reprodução

jun
08

DO CORREIO BRAZILIENSE

Segundo o chefe do Executivo, a previsão de aumento de 5% para as carreiras custaria em torno de R$ 7 bilhões, o que “atrapalharia o funcionamento do Brasil”.

CB
Correio Braziliense
 

 (crédito: Ed Alves-D.A Press)

(crédito: Ed Alves-D.A Press)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta terça-feira (7/6) que não dará reajuste a servidores em 2022. Segundo o chefe do Executivo, a previsão de aumento de 5% para as carreiras custaria em torno de R$ 7 bilhões, o que “atrapalharia o funcionamento do Brasil”.

“Algumas categorias pedem reestruturação. Agora, quando você fala em reestruturar uma carreira, as outras não admitem sem que a delas também seja reestruturada. Não tem recurso para tal. E se você dá esses R$ 7 bilhões agora, que seria 5% de reajuste, você vai para R$ 16 bilhões dentro do teto. Você vai pegar o Ministério da Infraestrutura, por exemplo, vai demitir daqui a 20 dias 20 mil pessoas e as obras vão parar. Você vai ter um corte que vai atrapalhar o funcionamento do Brasil”, apontou durante entrevista ao SBT.

  • Arquivos