DO ANTAGONISTA

Ida de Toffoli a encontro com Musk incomodou ministros do STF
Reprodução/Facebook

A presença do ministro Dias Toffoli no encontro de Jair Bolsonaro e empresários do setor de telecomunicações com o bilionário Elon Musk, na última sexta-feira, provocou “surpresa e constrangimento” em colegas do STF, diz Josias de Souza.

Na avaliação de ministros ouvidos pelo colunista, o comportamento de Toffoli foi “impróprio” e “insensato”.

O gabinete de Toffoli justificou a presença do magistrado alegando que ele participou da concepção do Conecta Amazônia, programa que serviu de pretexto para a vinda de Musk ao Brasil.

Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o bilionário veio ao Brasil para tratar sobre conectividade e proteção da Amazônia.

“Só Tinha de Ser com Você”, Elis Regina: mágica combinação em bossa nova da criação musical de Tom com o canto imortal de Elis para começar a derradeira semana de maio no Bahia em Pauta.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

 

maio
23

 

DO CORREI BRAZILIENSE

Zelenska compartilhou como são os dias desde a invasão russa na Ucrânia e revelou a reação do marido, presidente da Ucrânia, no primeiro dia do conflito

BR
BBC Rússia x Ucrânia
 

 

A primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska, deu uma rara entrevista à imprensa do país e apareceu ao lado do marido, o presidente Volodymyr Zelensky, apenas pela segunda vez desde o início da guerra, em fevereiro – ela tem permanecido em locais secretos por motivo de segurança.

“Nossa família foi despedaçada, assim como todas as famílias ucranianas”, afirmou na entrevista.

A repórter ucraniana então perguntou: “A guerra essencialmente tirou seu marido de você”.

“Ninguém tira meu marido de mim, nem mesmo a guerra”, Zelenska respondeu.

“Mas sim, ele vive para seu trabalho, e nós (família) quase não o vemos. Não o vimos durante dois meses e meio (da duração da guerra). Só falamos por telefone um com o outro. Agora estamos tendo algumas ocasiões para nos ver. E sou grata por esta ocasião (entrevista), que nos permite passar um tempo juntos”.

“Um encontro romântico na TV”, afirmou a entrevistadora. “Sim, um encontro na TV. Obrigada”, respondeu a primeira-dama, que tem dois filhos com Zelensky – uma menina chamada Oleksandra e um menino chamado Kyrylo.

Sobre o primeiro dia da ação militar russa, em 24 de fevereiro, Zelenska afirmou que “acordou com sons estranhos lá de fora, como provavelmente todo mundo”.

“Estava escuro, e vi que Volodymyr (Zelensky) não estava (deitado) do meu lado. Ele já estava vestido, de terno, mas sem gravata. Perguntei a ele o que estava acontecendo, e ele disse: ‘Começou’. Não consigo descrever as emoções – ansiedade, estupor… Ele me falou isso e saiu. Depois disso, não nos vimos por um bom tempo.”

Ao lado de Zelenska, o presidente ucraniano afirmou que o fim da guerra da Ucrânia depende da diplomacia.

“Estou muito convencido disso. Há coisas que não podemos encerrar sem sentar em uma mesa de negociações. (…) Porque nós queremos tudo de volta, e a Rússia não quer dar nada de volta”, afirmou Zelensky.

A guerra da Ucrânia está perto de completar três meses sem um fim claro no horizonte.

Neste fim de semana, o principal negociador ucraniano, Mykhailo Podolyak, descartou qualquer possibilidade de um cessar-fogo com concessões territoriais por parte da Ucrânia. Ele alega que isso permitiria a permanência de tropas russas nesses locais e facilitaria eventuais ataques futuros.

Após capturar a cidade portuária de Mariupol, as tropas russas seguem atacando a região de Donbas, no leste da Ucrânia. Acredita-se que estejam se preparando para tentar tomar as cidades de Slovyansk e Severodonetsk.

Neste domingo, Volodymyr Zelensky estendeu a lei marcial na Ucrânia por mais três meses, até 23 de agosto. Essa lei determina, por exemplo, a permanência de homens de 18 a 60 anos no país para combater na guerra.


maio
23
Posted on 23-05-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-05-2022
Charge do Amarildo
Amarildo no Blog do Noblat (portal Metrópoles)

maio
23

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Parlamentar afirmou que retirou a tornozeleira eletrônica após a graça concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL)

CB
Correio Braziliense

 (crédito: Ed Alves/CB)

(crédito: Ed Alves/CB)

O deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) voltou a desafiar as decisões do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Durante motociata em apoio ao governo federal, no Rio de Janeiro, o parlamentar afirmou que retirou a tornozeleira eletrônica após a graça concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). O magistrado, no entanto, não liberou Silveira de cumprir as medidas cautelares, como o uso da tornozeleira eletrônica, impostas a ele no processo que apura ataques à Corte.

“Eu nem poderia usar naquela época. Hoje, é que eu não uso mesmo. Eu fui indultado pela graça. Quando o Judiciário tem o perdão presidencial, é meramente declaratório o reconhecimento. O Judiciário não faz mais nada, só declara a extinção”, afirmou Silveira, no fim da manifestação. Logo depois, vídeo publicado nas redes sociais mostra o parlamentar subindo num carro de som, no Aterro do Flamengo, zona sul do Rio.

A motociata em apoio ao governo federal saiu do Parque Olímpico, na zona oeste do Rio, até o Monumento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, um trajeto de cerca de 40km. Em outro vídeo publicado nas redes sociais, Silveira aparece defendendo que o fato de a manifestação estar mais vazia do que atos anteriores se deve à ausência de Bolsonaro.

Multas superam R$ 600 mil

Em decisões recentes, o ministro Alexandre Moraes reiterou que o uso do equipamento por Moraes segue obrigatório, pois as medidas cautelares não são afetadas pelo perdão de pena concedido pelo presidente. O magistrado aplicou multas por descumprimento do uso da tornozeleira que, somadas, chegam a R$ 645 mil.

“O Decreto de Indulto presidencial (eDoc. 898) será analisado em sede própria (…) e enquanto não houver essa análise e a decretação da extinção de punibilidade pelo Poder Judiciário (…) a presente ação penal prosseguirá normalmente, inclusive no tocante à observância das medidas cautelares impostas ao réu Daniel Silveira e devidamente referendadas pelo Plenário desta Suprema Corte”, diz a decisão.

Na quinta-feira (19/5), Moraes determinou ainda o bloqueio de bens móveis e imóveis do deputado, com o objetivo garantir o pagamento das multas processuais aplicadas em decorrência das violações às medidas cautelares impostas. Essa foi a terceira multa aplicada a Silveira por desrespeitar decisões do STF. Antes, ele já havia sido multado em R$ 135 mil, e, no início do mês, em R$ 405 mil.

Com informações da Agência Estado

  • Arquivos