RD
Roger Dias – Estado de Minas
 

 (crédito: Alan Santos/PR e Evaristo Sá/AFP)

(crédito: Alan Santos/PR e Evaristo Sá/AFP)

O mais recente levantamento do Instituto Paraná Pesquisas mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança na corrida presidencial, em todos os cenários, numa disputa com Jair Bolsonaro (PL). O petista mantém a dianteira no levantamento, com 40% das intenções de voto, contra 35,2% do atual chefe do Executivo, que concorre à reeleição.

Apesar disso, a diferença entre os candidatos reduziu 2,5 pontos percentuais se comparado à última edição, divulgada em abril — quando Lula tinha os mesmos 40% e Bolsonaro 32,7% do eleitorado.
Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro na disputa, com 7,4% das intenções de voto, enquanto João Doria (PSDB) aparece com 3,2%. O mineiro André Janones (Avante) tem 2,4% e Simone Tebet (MDB), 0,7%. Brancos e nulos somaram 7,2% e não souberam ou não responderam, 3,5%.

Num cenário sem a presença de Ciro Gomes, Lula venceria Bolsonaro por 42,6% dos votos contra 35,7%. João Doria aparece na terceira posição com 4,9% e André Janones na quarta, com 2,5%. Brancos e nulos somariam 8,6% e não souberam ou não responderam, 4,2%.

 A pesquisa foi feita entre 28 de abril e 3 de maio. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Segundo turno

O Paraná Pesquisas também simulou um segundo turno entre Bolsonaro e Lula. O petista venceria a disputa com 46,4% contra 38,7% do atual presidente. Brancos e nulos somaram 10,2% e não souberam ou não responderam tiveram 4,8% das escolhas.

A diferença entre eles também caiu 2,1 pontos percentuais em relação ao levantamento do mês passado — o petista tinha 47,1% das intenções e o atual presidente contava com 38,5% do eleitorado.
Lula também seria vitorioso num cenário com Ciro Gomes como adversário no segundo turno. O candidato do PT teve 44,7% das intenções, contra 22,8% de Ciro. Além disso, os brancos e nulos seriam 26,6% e não souberam ou não responderam, 5,9%.

Na disputa entre Bolsonaro e Ciro Gomes no segundo turno, o atual presidente levaria a vantagem, com 40,4% dos votos contra 39,3%.

O trabalho de levantamento dos dados foi feito através de entrevistas pessoais, face a face, com eleitores com 16 anos ou mais, em 26 estados e Distrito Federal e em 166 municípios brasileiros.

O Paraná Pesquisas encontra-se registrado no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o nº 3.122/22. De acordo com a Resolução-TSE nº. 23.600/2019, essa pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o nº BR-09280/2022.

“Café de los angelitos”, Susana Rinaldo: tango evocativo de uma Buenos Aires distante, repleta de ausências e saudades, na maravilhosa interpretação de uma da maiores cantoras portenhas e mundiais de sempre. Confira.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

maio
05
Posted on 05-05-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-05-2022

DO CORREIO BRAZILIENSE

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi capa da revista norte-americana, que chamou o petista de “o político mais popular do Brasil”

CB
Correio Braziliense
 

Filhos de Bolsonaro se irritaram com a capa da revista Time, que estampava o ex-presidente Lula - (crédito: Cleia Viana/Câmara dos Deputados, Revista Time/Reprodução, Jefferson Rudy/Agência Senado)

Filhos de Bolsonaro se irritaram com a capa da revista Time, que estampava o ex-presidente Lula – (crédito: Cleia Viana/Câmara dos Deputados, Revista Time/Reprodução, Jefferson Rudy/Agência Senado)

Aliados do presidente Jair Bolsonaro se irritaram com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na capa da revista norte-americana Time, publicada nesta quarta-feira (4/5).

Nas redes sociais, políticos bolsonaristas e ex-integrantes do governo criticaram a escolha do petista para a capa da revista, que além de estampar o rosto do ex-presidente, também chamava Lula de “o político mais popular do Brasil”. O ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles foi um dos primeiros a reagir à capa. “Quem liga para essa porcaria da revista Time?!”, escreveu no Twitter, às 10h12.

Já o ex-secretário de Fomento e Incentivo à Cultura e pré-candidato à Câmara André Porciuncula (PL) fez uma thread no Twitter sobre o assunto. No texto, ele diz que a escolha da Time no mesmo momento que celebridades de Hollywood se manifestaram a favor do voto facultativo não é mera coincidência.

O empresário bolsonarista Paulo Figueiredo Filho postou, também no Twitter, que “nos últimos 5 anos, a circulação caiu mais de 50% e a revista não está nem entre as 25 mais lidas dos EUA”.

Família Bolsonaro

Quem também se irritou com a publicação foram os filhos do presidente Bolsonaro. O mais velho, senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), publicou uma série de memes sobre o assunto. Em um deles, Lula aparece na capa da revista, mas através das grades.

Em seguida, Flávio sugeriu mudar a manchete da publicação. “A capa da Time deveria ser assim: ‘Inflação chega a 55,1% na Argentina e quase metade da população passa fome'”. Embaixo, o filho do presidente publicou uma foto de Lula ao lado de Cristina Kirchner e do presidente argentino Alberto Fernández.

O senador também postou um meme que comparava imagens de Lula no passado e no presente. Nas fotos, Lula aparece de vermelho e, em seguida, esconde as cores do Partido dos Trabalhadores (PT). “Por que o Lula quer esconder o PT?”, perguntou.

O filho “02” de Bolsonaro e vereador Carlos Bolsonaro (PL-RJ) republicou uma thread de Felipe G Martins, chefe da assessoria internacional da Presidência da República e acusado de fazer sinais nazistas, sobre a revista.

No texto, o assessor de Bolsonaro fala que a revista está “se intrometendo” na política brasileira. Em seguida, ele cita diversas empresas, pessoas e ações internacionais que apoiam o ex-presidente Lula, segundo ele. “Diante disso, cabe a cada brasileiro que se importa com o destino do Brasil, e que não deseja ver nosso país perder ainda mais sua autonomia, se dar conta do que está por trás dessa campanha internacional de difamação ao governo Bolsonaro, denunciá-la e respondê-la à altura”, escreveu Felipe.

Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho “03” de Bolsonaro e deputado federal, usou as redes para defender a liberdade de expressão. Para ele, “se houver liberdade de expressão” é possível para bolsonaristas defenderem suas ideias e os opositores se “afundarem sozinhos”.

“Entende o desespero deles em querer regulamentar a imprensa/internet?”, questionou.

Em seguida, o deputado criticou a escolha da Time. “Como fazer a sua revista perder a credibilidade: retrate o maior bandido de um país como a sua esperança”, escreveu.

“Revista Time falando que Lula voltou de um exílio político. Ué, a prisão por crimes de corrupção mudou de nome?”, perguntou.

Revista Time

Além de ser capa da edição desta quarta, Lula concedeu uma entrevista exclusiva ao veículo e afirmou nunca ter desistido da política. A publicação — uma das mais prestigiadas do mundo — faz referência à disputa eleitoral e a busca de Lula para assumir novamente o governo do país.

Com informações do Estado de Minas

maio
05
Posted on 05-05-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-05-2022
Duke no jornal O Tempo(MG)

maio
05
Posted on 05-05-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-05-2022
 DO SITE O ANTAGONISTA
Show em que a cantora defendeu voto no ex-presidente ocorreu no Dia do Trabalhador, na praça Charles Miller, após discursos de Lula e lideranças petistas
100 mil: Prefeitura de SP bancou showmício de Daniela Mercury pró-Lula
Reprodução/redes sociais

Daniela Mercury recebeu R$ 100 mil da Prefeitura de São Paulo para fazer o show do Dia do Trabalhador, no domingo passado, na praça Charles Miller. No evento, a cantora levantou a bandeira do PT, declarou voto em Lula e puxou o coro da plateia em defesa da candidatura do petista.

Antes da artista, o próprio ex-presidente discursou no local, por volta das 15h50. Lideranças sindicais e outros políticos, como José Dirceu, Fernando Haddad, Guilherme Boulos e Gleisi Hoffmann também participaram do ato, que reuniu algumas dezenas de pessoas.

A lei eleitoral proíbe “a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos” e a apresentação, “remunerada ou não”, de artistas para animar comícios e reuniões eleitorais.

O show de Daniela foi contratado pela Secretaria de Cultura, comandada por Aline Torres, ex-tucana, hoje no MDB do prefeito Ricardo Nunes, aliado de João Doria — que se diz disposto a dialogar com Lula.

O extrato do contrato com a produtora da cantora foi publicado no Diário Oficial.

daniela mercury

  • Arquivos