abr
27

DA TRIBUNA DA BAHIA

ACM Neto manteve a liderança na nova sondagem de opinião feita pelo instituto Paraná Pesquisas 


 
 
Foto: Reprodução

Por Rodrigo Daniel Silva 

Pré-candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil) manteve a liderança na nova sondagem de opinião feita pelo instituto Paraná Pesquisas e divulgada ontem, mas os adversários Jerônimo Rodrigues (PT) e João Roma (PL) tiveram crescimento expressivos. 

De acordo com a pesquisa estimulada, ACM Neto tem hoje 55,4% das intenções de votos. Já Jerônimo Rodrigues aparece com 16,1%, e João Roma com 10,1%; Kleber Rosa (PSOL) tem 1,2%, Giovani Damico (PCB) tem 0,5% das intenções de votos. A soma de brancos e nulos é de 9,5%. Os que não souberam ou não que disseram são 7,2%. 

No levantamento espontâneo, Neto tem 20,9%, e Jerônimo aparece com 5,8%. João Roma tem 3,8%. O governador Rui Costa (PT), que não pode disputar a eleição, teve 2,9%. Outros nomes citados não somaram nem 1%. Já 6,7% disseram que não pretendem votar em ninguém, e 59% não souberam ou não quiseram responder. 

A sondagem foi feita entre os dias 19 e 24 de abril, e ouviu 1820 eleitores. O nível de confiança é de 95% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,3% para os resultados gerais. 

Presidente do PT na Bahia, Éden Valadares comemorou o resultado. “Jerônimo cresceu 12% em apenas um mês, sem TV, sem rádio, sem grande investimento em mídia social. A pesquisa não checou as pré-candidaturas contextualizando seus campos políticos; mas se há trinta dias Jerônimo já empatava com o ex-prefeito, hoje a situação deve ser ainda melhor”. ? 

Para ele, a eleição nacional, terá impacto no pleito da Bahia. ?“Eu não sou de escalar time adversário nem dar conselho para a oposição, mas não adianta ignorar as eleições presidenciais. Elas vão acontecer. Ignorar o cenário nacional e seu impacto na Bahia é insistir em uma realidade paralela”, pontuou. 

Líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Sandro Régis (União Brasil) afirmou que a pesquisa foi positiva para ACM Neto. “Não adianta querer inventar número para distorcer a realidade. A nova pesquisa mostra exatamente o que estamos vendo pela Bahia: as pessoas cansaram do governo do PT e querem um modelo de gestão moderno, transformador, que resolva os problemas que afligem as pessoas, como os altos índices de violência e os péssimos indicadores de educação”, disse Régis. 

Na disputa ao Senado, o senador Otto Alencar (PSD), que busca a reeleição, tem 32,7% contra 15,4% do vice-governador João Leão (PP). Em seguida, aparecem Raíssa Soares (PL) com 7% e por último Tâmara Azevedo (PSOL) que marcou 5,6%. Brancos e nulos representam 22,5% dos entrevistados, e 16,7% não souberam responder. 

“Presidente Bossa Nova”, Juca Chaves:

Desafinaram geral, Juca !
BOM DIA!!!
(Gilson Nogueira)

Td
Talita de Souza
 

A infecção da vice-presidente faz parte de uma onda de contágio de autoridades de Washington. Antes dela, no início deste mês, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, foi infectada. - (crédito: EVELYN HOCKSTEIN)

A infecção da vice-presidente faz parte de uma onda de contágio de autoridades de Washington. Antes dela, no início deste mês, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, foi infectada. – (crédito: EVELYN HOCKSTEIN)

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, testou positivo para covid-19, informou a Casa Branca nesta terça-feira (26/4). De acordo com a porta-voz de Kamala, ela “não apresentou sintomas, vai ficar isolada e trabalhará fora da Casa Branca, na residência oficial no campus do Observatório Naval”.

Kamala estava na Califórnia e chegou a Washington na noite desta segunda-feira (25/4). O contágio acendeu um alerta sobre uma possível infecção do presidente Joe Biden, considerado grupo de risco por estar na faixa etária de pessoas mais vulneráveis à doença.

No entanto, a Casa Branca informou que nas últimas semanas, Kamala “não tem tido um contato próximo com o presidente ou com a primeira-dama devido às respectivas agendas de viagens recentes” e, por isso, não há risco de Joe Biden ser infectado.

 Além do esquema vacinal completo, Kamala já recebeu duas doses de reforço, a última, em 1º de abril. “Ela seguirá as diretrizes do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e os conselhos de seus médicos. A vice-presidente só retornará à Casa Branca quando testar negativo”, acrescentou a porta-voz.

Kamala se torna a figura política de maior destaque a ser infectada pelo vírus; ômicron atinge outras autoridades de Washington

Com o resultado, Kamala se tornou a figura política de maior destaque a ser infectada pelo vírus desde o contágio do ex-presidente Donald Trump, no último mês da campanha presidencial de 2020.

A infecção da vice-presidente faz parte de uma onda de contágio de autoridades de Washington. Antes dela, no início deste mês, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, foi infectada. O procurador-geral, Merrick B. Garland, e a secretária de Comércio, Gina Raimondo, também anunciaram o teste positivo em abril.

O contágio em massa foi relacionado pela imprensa americana a dois fatores: primeiro, a um surto da subvariante da ômicron, a BA.2, na região de Poder do país, e, segundo, a um jantar anual em que jornalistas, funcionários do governo e membros do Legislativo se encontram no Gridiron Club.

Nancy, Merrick, Gina e os deputados Adam Schiff e Joaquin Castro estiveram presentes no evento e, todos, testaram positivo semanas depois. Kamala não compareceu ao jantar, no entanto o diretor de comunicação da vice-presidente, Jamal Simmons, esteve no local e testou positivo.

abr
27
Posted on 27-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-04-2022

Duke no jornal O Tempo(NG)

abr
27
Posted on 27-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-04-2022
 

DO ANTAGONISTA

  • Redação O Antagonista
A política de “Zero Covid” funcionou bem, mas agora cobra a sua conta no plano da economia. Ainda assim, a economia chinesa se encontra numa posição ímpar
China dá um susto no mundo
Foto: Xinhua

Nos últimos dias, os efeitos da pandemia na China ecoaram no mundo, visto que o país passou a mensurar de forma mais acurada os possíveis impactos de um agravamento econômico.

Desde o início da Covid-19, a China passou praticamente ilesa pela situação geral, quando comparada com outras economias, com a sua política de “Zero Covid”, que coloca em isolamento e quarentena quaisquer regiões que apresentem contaminações.

Isso funcionou muito bem. No entanto, a população possivelmente não se imunizou, como ocorreu no Ocidente, e agora esse efeito veio cobrar a sua conta.

Rumores de um possível lockdown em Beijing, que já está acontecendo em alguns bairros residenciais, causaram uma corrida aos supermercados, deixando prateleiras vazias. O índice das bolsas chinesas, o CSI 300, caiu 4,94%, atingindo o menor nível desde junho de 2020 e 35% abaixo da máxima de agosto de 2021. O Banco Central chinês cortou a taxa de depósitos compulsórios de 9% para 8% em moeda estrangeira. O preço do minério de ferro caiu 10,94%. O yuan se depreciou em 3%, nos últimos 5 dias.

Esse efeito já foi sentido na nossa Bolsa, na qual as empresas exportadoras sofreram bastante. A Vale, por exemplo, está operando em 25% abaixo da sua máxima do ano.

Isso tudo é preocupante, mas continuamos otimistas com nossa tese de que o mercado de commodities vai continuar aquecido e de que a economia chinesa se encontra numa posição ímpar, quando comparada com outros países.

Diferentemente da Europa, que ainda nem começou a restringir sua política monetária, ou dos Estados Unidos, que deram apenas o primeiro passo, a China já completou seu ciclo de aperto monetário e se encontra na situação oposta, podendo estimular a sua economia enquanto os outros são obrigados a fazer o contrário.

Esse contraste, ainda mais em um cenário quase completamente controlado, deve causar ainda uma dinâmica descolada da do restante do mundo. Ela pode vir de várias formas, mas acabará batendo nos preços das commodities, uma das poucas coisas que o governo não controla.

Assim, apesar desse susto, continuo com a visão de que as nossas exportadoras ainda são os melhores setores da bolsa brasileira e que estamos vendo um provável exagero com esse movimento recente.

Rodrigo Natali, estrategista-chefe da Inv Publicações

Nota: Movimentos na economia chinesa, fatalmente, causam impactos nos mercados de todo o mundo — e também no Brasil. Você precisa estar preparado para não ser pego de surpresa. Especialista em macroeconomia doméstica e internacional, Rodrigo Natali trabalha diariamente para levar até você as melhores “sugestões de investimentos” em qualquer cenário. No programa “Você Gestor”, com o auxílio de Nícolas Merola, analista financeiro certificado (CNPI), Rodrigo simula uma carteira multimercado em tempo real, com trades em posições de índice futuro, dólar, S&P 500, ações e opções. Em um único dia, na sexta-feira, 22/4, enquanto muita gente curtia o feriadão, essa carteira propiciou ganho de +5,4% para seus seguidores.

  • Arquivos