abr
13
Posted on 13-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 13-04-2022
 
AM
Ana Mendonça – Estado de Minas
 

 (crédito: ALESP/DIVULGAÇÃO)

(crédito: ALESP/DIVULGAÇÃO)

Por unanimidade, o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (12/4), o voto do relator Delegado Olim (PP), que pediu a cassação do deputado estadual Arthur do Val (União Brasil), conhecido como ‘Mamãe Falei’.

Votaram a favor da cassação: Maria Lúcia Amary, Barros Munhoz, Enio Tatto (PT), Adalberto Freitas (PSDB), Wellington Moura (Republicanos), Delegado Olim, Erica Malunguinho (PSOL), Campos Machado (Avante), Marina Helou e Estevam Galvão (União).

A decisão agora segue para plenário. A sessão foi marcada por confusão do lado de fora da Assembleia e briga entre deputados.

Mulheres ucranianas aguardavam do lado de fora da Alesp junto com apoiadores do deputado, em sua maioria homens.

O pedido de cassação foi feito após a divulgação de mensagens do parlamentar consideradas sexistas sobre as refugiadas ucranianas.

O Melhor de Mancini”. Henri Mancini e Orquestra:VAMOS DE MANCINI !!! BOA SEMANA !!!

(Gilson Nogueira)

abr
13

DO CORREIO BRAZILIENSE

Em busca de viabilizar sua candidatura até julho, o ex-ministro Ciro Gomes lançou nesta terça-feira (12/4) campanha que põe em dúvida a honestidade de Bolsonaro e Lula: “Tá em dúvida? Tá na hora de você olhar pro Ciro”

ID
Isabel Dourado*
 

 (crédito: AFP)

(crédito: AFP)

Apostando em um novo mote de campanha, o pré-candidato do PDT, Ciro Gomes, lançou nesta terça-feira (12/4) a propaganda: “Tá em dúvida? Tá na hora de você olhar pro Ciro”. Baseado em pesquisas qualitativas, o ex-ministro alegou em suas redes sociais conseguir perceber a dúvida dos brasileiros na escolha de um representante para a Presidência.

Para fundamentar suas ideias, o vídeo de um minuto questiona tanto a honestidade do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, quanto a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Além disso, foca nos pontos de fragilidade de ambos políticos que lideram as pesquisas eleitorais.

Na abertura do vídeo, uma voz questiona a honestidade de Bolsonaro, além de sua falta de atenção aos pobres, as diversas gozações com as vítimas da covid-19 e o desrespeito a Deus e à família.

“Preste atenção, você ainda acha que seu candidato é honesto? Que vai limpar o Brasil dos corruptos? Que sabe governar? Que cuida dos pobres? Que respeita Deus e a família?”, diz a narração.

Logo em seguida, mirando o ex-presidente Lula, o videoclipe ressalta as ideias antigas do petista. “Você começa a ver que não é só a cara, a voz ou os gestos dele que envelheceram, mas também as ideias. Não é verdade?”, afirma ainda a narração.

O pedetista está atrás de Lula (34%) e Bolsonaro (30%). No entanto, aparece à frente do ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) e da senadora Simone Tebet (MDB-SP).

Ontem, em entrevista ao Atlantic Council, em Washington, Ciro disse que precisa demonstrar ser um candidato viável. A pesquisa mais recente do Ipespe — a primeira divulgada após a saída do ex-juiz Sergio Moro do Podemos e a sua filiação ao União Brasil, mostrou que o pedetista aparece em terceiro lugar entre os presidenciáveis, com 9% das intenções de voto.

Na visão do cientista político, Matheus Leone, o PDT tem se mostrado comprometido com a campanha de Ciro Gomes.

“Não se viu, até o momento, movimentos partidários no sentido de abandonar esse projeto. No entanto, caso Ciro Gomes continue no patamar atual sem conseguir se viabilizar, é possível que algumas lideranças, tendo em vista composições políticas nos estados, migrem para candidaturas como a de Lula”, afirma Leone.

Estratégia

Ele completa dizendo que a estratégia de Ciro não é diferente das demais candidaturas que buscam ser alternativa à polarização entre Lula e Bolsonaro.

“Ainda é difícil perceber uma parcela do eleitorado disposta a fazer essa migração. Isso tem sido percebido nas pesquisas eleitorais”, analisa. “Obviamente eleições são processos instáveis em que tudo pode acontecer, e temos que aguardar para ver se a estratégia adotada por Ciro renderá os resultados esperados. No entanto, o cenário que se parece cristalizar é o de polarização entre os dois candidatos que lideram as pesquisas.”

Em entrevista ao Correio, o senador e ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) afirmou que Ciro tem projeto. “Ele representa um conjunto de ideias, um conjunto de contestações do que representa as práticas políticas e econômicas.”

*Estagiária sob a supervisão de Andreia Castro

abr
13
Posted on 13-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 13-04-2022

Charge O TEMPO 11-04-2022
Duke no jornal O Tempo (MG)

abr
13
O vice-presidente disse a O Antagonista que o fato de o petista ter “saído da moita” tem favorecido o crescimento do candidato à reeleição
Mourão acredita que Bolsonaro ultrapassará Lula nas pesquisas antes de julho
Foto: Marcos Corrêa/PR

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse a O Antagonista acreditar que, hoje, há uma tendência de crescimento de Jair Bolsonaro nas pesquisas de intenção de voto para a corrida presidencial deste ano.

“Até junho ou julho, o presidente vai estar à frente das pesquisas.”

Sobre o fato de Bolsonaro aparecer como derrotado em todos os cenários de eventual segundo turno, Mourão afirmou que, “em 2018, as pesquisas também mostravam isso e Bolsonaro não ganhava nem do Tio Patinhas”.

Para o vice-presidente, o arrefecimento da pandemia de Covid contribuiu para a melhora de Bolsonaro nos levantamentos mais recentes. “Com a vida voltando ao normal, as pessoas tendem a ter menos raiva do que está acontecendo em volta”, opinou.

Mourão acrescentou que, no entender dele, a inflação — que está em alta no Brasil e também em outros países, como os Estados Unidos — pode acabar não desgastando tanto a avaliação do atual governo. Ele citou a “queda do dólar” e a “energia mais barata” como fatores econômicos que poderão ser usados pela campanha de Bolsonaro para se contrapor aos impactos da escalada geral dos preços na popularidade do presidente.

O vice-presidente também afirmou que Lula saiu da moita, depois de passar muito tempo jogando parado” e isso, ainda na avaliação dele, favorece Bolsonaro.

“Agora, a turma precisa ficar corrigindo as declarações do Lula o tempo todo. Então, não foi apenas um fator, mas todo um conjunto de coisas que acabaram ajudando o Bolsonaro.”

Mourão afirmou, ainda, que, com a saída do ex-juiz da Lava Jato da disputa presidencial, “os votos do Sergio Moro vieram para o presidente Bolsonaro”. Para Mourão, a chamada Terceira Via não decola porque, apesar de serem “pessoas boas”, “são pouco conhecidas da população brasileira”.

O vice-presidente prevê que, seguindo uma tendência observada nas últimas eleições, o pleito de outubro terá índices recordes de abstenção e de votos nulos e brancos.

No último fim de semana, Mourão viajou com Bolsonaro, a convite do presidente, pelo interior do Rio Grande do Sul, estado pelo qual o atual vice tentará uma vaga ao Senado pelo Republicanos. “Eu o apoio, ele me apoia. E a vida segue assim”, respondeu Mourão, quando questionado se a relação entre os dois melhorou.

Por enquanto, Bolsonaro tem repetido que há “90% de chance” de Walter Braga Netto, atual ministro da Defesa, ser o vice na chapa à reeleição. Mas, nos bastidores do Planalto, há quem acredite que o Centrão não desistiu de emplacar um “nome da política”.

  • Arquivos