abr
02
Postado em 02-04-2022
Arquivado em (Artigos) por vitor em 02-04-2022 00:32

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Silmara fez parte da banda É o Tchan entre 2003 e 2007, mas também é formada em jornalismo. Em 2020, tomou posse na PRF em Florianópolis e mudou para Brasília ao integrar a equipe de comunicação social

Td
Talita de Souza
 

Silmara Miranda (à esquerda) posou ao lado de Michelle Bolsonaro em um evento da PRF, em fevereiro, e elogiou a beleza da primeira dama. A agente demonstra forte admiração ao governo Bolsonaro - (crédito: Reprodução/Instagram @silmara_miranda)

Silmara Miranda (à esquerda) posou ao lado de Michelle Bolsonaro em um evento da PRF, em fevereiro, e elogiou a beleza da primeira dama. A agente demonstra forte admiração ao governo Bolsonaro – (crédito: Reprodução/Instagram @silmara_miranda)

A agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e ex-loira do grupo É o Tchan, Silmara Miranda, deixará a corporação após dois anos para se candidatar como deputada federal no Distrito Federal. Com aproximação do presidente Jair Bolsonaro (PL), a policial diz que pretende investir no discurso da segurança pública para atrair eleitores.

“Estive em contato direto com a política nos últimos meses. Percebi que posso fazer mais do que faço hoje. Então, sim, quero lançar minha pré-candidatura”, confirmou Silmara à Istoé.

“Estou estudando para ver qual se encaixa melhor com o meu objetivo nessa nova empreitada. Quero, além de fortalecer a segurança pública, incentivar mulheres e homens a lutarem por seus objetivos”, acrescentou.

Silmara fez parte da banda É o Tchan entre 2003 e 2007, mas também é formada em jornalismo. Em 2020, tomou posse na PRF em Florianópolis e mudou para Brasília ao integrar a equipe de comunicação social. Menos de um ano depois, em 21 de outubro do ano passado, ela foi promovida ao cargo de confiança de chefe de comunicação da corporação.

 

A ascensão foi criticada por colegas, que sugeriram um favoritismo, já que Silmara não tinha tanto tempo de serviço como outros policiais que poderiam integrar o cargo. No entanto, a mulher rebateu as críticas nas redes sociais.

“Para esta função não existe absolutamente nenhum critério de antiguidade, sendo um cargo de livre nomeação e exoneração”, disse na época. Ela também disse que o cargo foi disputado por seleção interna e que apenas 10 policiais se inscreveram.

De acordo com ela, “a vontade de desempenhar um bom trabalho com iniciativa, proatividade e boa comunicação certamente ajudou na escolha para o cargo”. Ela também disse que estudou três anos para passar na corporação.

Dentro da PRF, além de compartilhar cliques com o uniforme, ela também compartilhou momentos com Bolsonaro e a esposa dele, Michelle Bolsonaro. Em 17 de março, ela publicou uma foto em que posa ao lado de Michelle em que as duas estão vestidas com a farda da corporação. Ela agradeceu à primeira dama pela presença em um evento destinado às mulheres da PRF.

“Olha que linda ficou a primeira dama com o nosso uniforme! Foi dessa forma que ela quis demonstrar todo o carinho e admiração pelo nosso trabalho. Obrigada, Michelle! Me senti honrada com a homenagem”, disse no post.

Em 22 de fevereiro, ela disse ter ido apresentar o resultado dos últimos três anos da PRF à Bolsonaro. Ela compartilhou um vídeo com uma música de cunho emocional junto ao presidente e outros colegas.

“Prejuízo estimado para as organizações criminosas: 23 bilhões de reais. Acho que o presidente ficou feliz com o resultado”, escreveu ela na legenda da publicação.

Saiba Mais

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos