abr
02
Posted on 02-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 02-04-2022
Praça Castro Alves Antiga
Saudade, imensa saudade, da visão da Praça Castro Alves, da juventude no começo da carreira na redação de A Tarde. Inesquecível!!!

 

Propina em bíblias e pastores lobistas: entenda o escândalo do MEC - Jornal O Globo
Corrupção no MEC: propina em bíblias, e pastores lobistas derrubam ministro e abrem crise no governo Bolsonaro.
  ARTIGO DA SEMANA

Propina no MEC: ministro cai, Bolsonaro adoece, dedo sujo

Vitor Hugo Soares

O escândalo das propinas dos pastores evangélicos, no governo Bolsonaro, escabroso caso “cara no fogo” que abala estruturas no Ministério da Educação e Cultura (MEC) e desvãos poderosos e secretos do Palácio do Planalto,  derrubou o ministro e pregador Milton Ribeiro – quarto nome a desabar na pasta – e levou o mandatário maior da República a novo internamento de emergência, em hospital do DF, com outra crise de “desconforto intestinal” – a exemplo da ocorrida após escandalosa passagem por praias, mares e fartas mesas catarinenses, no fim do ano passado. Redescubro ao acaso, uma das 100 melhores frases do ex-deputado e presidente histórico da Câmara, Ulysses Guimarães, incluído em “Rompendo o Cerco”, que virou um dos apêndices imperdíveis do livro referencial sobre o pensar e o fazer do mestre timoneiro da resistência à ditadura iniciada em abril de 1964, com a deposição do governo democrático de João Goulart.

Semana passada, quando da revelação dos vídeos sobre as tenebrosas transações no MEC – promovidas em nome do
Senhor, da Bíblia e do presidente da República, segundo as primeiras justificativas do ex-ministro Ribeiro  citei no Twitter, a breve mas exemplar frase de Ulysses, para pontuar um registro factual sobre o atoleiro em que Bolsonaro e o seu governo começavam a meter-se, ao sair de cara e bagagens (já que é moda alterar ditados populares), em defesa da honorabilidade da conduta do agora ex- inquilino do MEC, dublê de pastor presbiteriano, Milton Ribeiro  um dos principais mentores espirituais e religiosos da primeira dama Michelle. Enquanto o caso se espalhava em explosão nacional, de deprimente repercussão internacional, Ribeiro se enrolava cada vez mais, ao lado de outras estranhas e mefistofélicas figuras de pregadores bíblicos, que afogavam a pasta do ensino público federal e seu condutor, no pântano sem tamanho e sem fundo que o país todo comenta, de alcance e consequências imprevisíveis ainda. Mas já o suficiente para levar o morador do Palácio da Alvorada, em aberta campanha para a reeleição, a novo internamento de emergência (e estratégico, segundo críticos observadores de lupa e adversários políticos implacáveis), no Hospital das Forças Armadas.

Replico aqui a frase do Senhor Constituição 1988, por ser relevante e exemplar mais este caso da grande corrupção, que começa a chamuscar não só a cara, mas o corpo inteiro do mandatário do Planalto, e seus planos de continuar onde está por mais 4 anos. E que agora, em estado de visível abatimento e desesperação, aponta o dedo para adversários, na disputa eleitoral que se anuncia cinzenta e feroz por estas bandas, do lado de baixo do Equador, que já viu de quase tudo quando o assunto é corrupção. Mas, de repente, descobre que o assalto ao dinheiro e bens públicos segue inabalável e desafiador, com outros personagens. Agora aportada no MEC, que se revela antro de transações e malfeitos inqualificáveis, onde o ministro é flagrado orientando empenho de dinheiro público para prefeitos indicados por pastores evangélicos (Gilmar Santos e Arilton Moura), de trânsito e escabrosas ações também em gabinetes do alto poder no Palácio do Planalto. Na frase diz Ulysses: “Não pode apontar quem tem o dedo sujo. O corrupto suja a denúncia que faz. Não quer a moral, quer cúmplices”. Precisa desenhar?
Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitors.h@uol.com.br­­­

“20 Super Sucessos”, Johnny Mathis: Mathis, uma das vozes da felicidade, para ouvir com a alma!

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

===================================================

EM TEMPO: Peço licença a Gilson, responsável pelo precioso garimpo destas deléveis canções, para dedicar todas à memória de meu pai, um amante da boa música e sempre teve em Mathis seu cantor predileto e artista de inigualável perfeição técnica e interpretativa. Viva!

(Vitor Hugo Soares)

abr
02

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Em pronunciamento na tarde desta sexta-feira (1º/4), Moro disse que não será candidato a deputado federal e afirmou que sua mudança para o União Brasil foi feita para articular a unificação da terceira via

VC
Victor Correia
 

 (crédito: Evaristo Sa/AFP )

(crédito: Evaristo Sa/AFP )

O ex-juiz Sergio Moro voltou atrás nesta sexta (1º/4) e rasgou a nota divulgada ontem em suas redes sociais, na qual anunciava a sua desistência de concorrer à Presidência da República. Ele anunciou também que não será candidato a deputado federal.

“Preciso esclarecer a todos que eu não desisti de nada”, disse Moro, em pronunciamento transmitido pelo seu perfil no Instagram. “Não tenho ambição por cargos. Se tivesse, teria permanecido juiz federal ou ministro da Justiça. Também não tenho necessidade de foro privilegiado ou outros privilégios que sempre repudiei e defendo a extinção. Aliás, não serei candidato a deputado federal”, continuou.

O ex-juiz se colocou como a primeira liderança a realizar tal gesto político para permitir a união da terceira via, e cobrou “atos de desprendimento” de Luiz Felipe D’Ávilla, João Doria, Eduardo Leite, Simone Tebet, André Janones, e lideranças partidárias.

 
 “Hoje, no Brasil, quem lidera a formação desse polo político é Luciano Bivar, presidente do União Brasil, dialogando com as demais forças políticas de centro”, disse. “Em meu novo partido, o União Brasil, serei um soldado da democracia”, ressaltou.

abr
02
Posted on 02-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 02-04-2022
Duke no jornal O Tempo(MG):

abr
02
Posted on 02-04-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 02-04-2022

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Silmara fez parte da banda É o Tchan entre 2003 e 2007, mas também é formada em jornalismo. Em 2020, tomou posse na PRF em Florianópolis e mudou para Brasília ao integrar a equipe de comunicação social

Td
Talita de Souza
 

Silmara Miranda (à esquerda) posou ao lado de Michelle Bolsonaro em um evento da PRF, em fevereiro, e elogiou a beleza da primeira dama. A agente demonstra forte admiração ao governo Bolsonaro - (crédito: Reprodução/Instagram @silmara_miranda)

Silmara Miranda (à esquerda) posou ao lado de Michelle Bolsonaro em um evento da PRF, em fevereiro, e elogiou a beleza da primeira dama. A agente demonstra forte admiração ao governo Bolsonaro – (crédito: Reprodução/Instagram @silmara_miranda)

A agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e ex-loira do grupo É o Tchan, Silmara Miranda, deixará a corporação após dois anos para se candidatar como deputada federal no Distrito Federal. Com aproximação do presidente Jair Bolsonaro (PL), a policial diz que pretende investir no discurso da segurança pública para atrair eleitores.

“Estive em contato direto com a política nos últimos meses. Percebi que posso fazer mais do que faço hoje. Então, sim, quero lançar minha pré-candidatura”, confirmou Silmara à Istoé.

“Estou estudando para ver qual se encaixa melhor com o meu objetivo nessa nova empreitada. Quero, além de fortalecer a segurança pública, incentivar mulheres e homens a lutarem por seus objetivos”, acrescentou.

Silmara fez parte da banda É o Tchan entre 2003 e 2007, mas também é formada em jornalismo. Em 2020, tomou posse na PRF em Florianópolis e mudou para Brasília ao integrar a equipe de comunicação social. Menos de um ano depois, em 21 de outubro do ano passado, ela foi promovida ao cargo de confiança de chefe de comunicação da corporação.

 

A ascensão foi criticada por colegas, que sugeriram um favoritismo, já que Silmara não tinha tanto tempo de serviço como outros policiais que poderiam integrar o cargo. No entanto, a mulher rebateu as críticas nas redes sociais.

“Para esta função não existe absolutamente nenhum critério de antiguidade, sendo um cargo de livre nomeação e exoneração”, disse na época. Ela também disse que o cargo foi disputado por seleção interna e que apenas 10 policiais se inscreveram.

De acordo com ela, “a vontade de desempenhar um bom trabalho com iniciativa, proatividade e boa comunicação certamente ajudou na escolha para o cargo”. Ela também disse que estudou três anos para passar na corporação.

Dentro da PRF, além de compartilhar cliques com o uniforme, ela também compartilhou momentos com Bolsonaro e a esposa dele, Michelle Bolsonaro. Em 17 de março, ela publicou uma foto em que posa ao lado de Michelle em que as duas estão vestidas com a farda da corporação. Ela agradeceu à primeira dama pela presença em um evento destinado às mulheres da PRF.

“Olha que linda ficou a primeira dama com o nosso uniforme! Foi dessa forma que ela quis demonstrar todo o carinho e admiração pelo nosso trabalho. Obrigada, Michelle! Me senti honrada com a homenagem”, disse no post.

Em 22 de fevereiro, ela disse ter ido apresentar o resultado dos últimos três anos da PRF à Bolsonaro. Ela compartilhou um vídeo com uma música de cunho emocional junto ao presidente e outros colegas.

“Prejuízo estimado para as organizações criminosas: 23 bilhões de reais. Acho que o presidente ficou feliz com o resultado”, escreveu ela na legenda da publicação.

Saiba Mais

  • Arquivos