mar
08

 

Ucrânia vive 'crise de refugiadas' com homens proibidos de deixar país - 07/03/2022 - Mundo - Folha
Mulheres ucranianas: em busca de refúgio com o país invadido.

8 DE DEZEMBRO; DIA INTERNACIONAL DA MULHER

DO DIÁRIO “PÚBLICO”, DE LISBOA

 Neste Dia Internacional da Mulheres, do ano 2022, é com profunda tristeza que vemos as mulheres ucranianas a fugir da guerra com os filhos nos braços, a darem à luz em abrigos e a deixarem os homens na frente de combate. A violência sexual e o tráfico de seres humanos atingem de forma brutal as mulheres neste tipo de conflitos.

É urgente que a Europa seja firme na defesa intransigente dos seus valores fundadores – da solidariedade, da Igualdade e dos direitos humanos, contra aqueles que defendem uma visão não emancipatória do mundo.

Será que temos de inventar novos futuros, que permitam combater os interesses por trás desta dominação global?

Neste Dia Internacional da Mulher, queremos, ainda, recordar as grandes conquistas em igualdade na história da nossa democracia e os avanços registrado em paridade, na igualdade no mercado de trabalho e na economia, no combate à violência doméstica e a todas as formas de discriminação. Queremos recordar que as lutas contra a violência doméstica e todas as formas de discriminação, bem como o apoio às famílias, sempre fizeram sentido, mas ainda fizeram mais nestes tempos difíceis de pandemia, onde mulheres e homens foram desproporcionalmente atingidos.

É hoje fundamental que o novo ciclo de recuperação e crescimento considere os contributos das mulheres para o desenvolvimento global da nossa sociedade e priorize as medidas de política com um olhar particular sobre os retrocessos sentidos na vida das mulheres, e volte a colocar-nos numa linha de progresso, aproveitando estas aprendizagens para irmos mais longe.

Não podemos deixar de reconhecer as conquistas em paridade nos cargos de direção que têm vindo progressivamente a fazer-se, mas temos de reconhecer que não têm sido suficientes para travar retrocessos, nem derrubar os estereótipos de género ainda incrivelmente persistentes em alguns opion makers deste país.

Nem o batom, nem a maquilhagem podem desqualificar a nossa capacidade de fazer intervenção política no campo onde todas as transformações doem.

É urgente que nenhum preconceito e que nenhuma crença enraizada se constitua como obstáculo à nossa vontade de mudar o mundo e de participar nessa mudança, como fazedoras de uma ação política transformadora.

Sabemos que, ainda hoje, quando uma alta liderança se disputa, além das qualificações que devem estar obviamente à altura do desafio, para as mulheres sobram sempre apreciações pessoais, normalmente depreciativas, que pretendem desvalorizar as suas qualificações. Tudo isto é fado, e evidencia a subtileza das discriminações que sobre as mulheres ainda hoje recaem.

É, por isso, urgente quebrar esses preconceitos. É urgente estarmos em representação paritária nos mais altos cargos da Nação, uma vez que é pelo exemplo que as mudanças ganham força e sustentabilidade.

Não somos mais, mas também nos somos menos que ninguém. Cada pessoa vale pelo que é, pelos sonhos que transporta e pela capacidade que tem em os concretizar.

E a participação das mulheres, além da mais elementar justiça, qualifica e aprofunda a democracia e a luta pelos direitos e pela Igualdade.

Esta é a urgência deste tempo novo. Uma chamada à qual nem a Europa, nem o mundo unido, podem faltar.

Nada matará a esperança!

“Em Bossa Nova”, Henry Mancini:

Ele (Mancini e orquestra) e Ela! (a Bossa Nova). Bom dia!
(Gilson Nogueira)

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Laudo revela causas da morte da cantora Paulinha, do Calcinha Preta

Quatro doenças foram apresentadas pelo Domingo Espetacular da Record TV, como responsáveis pelo falecimento da artista, de 43 anos

DL
Douglas Lima – Especial para o Uai
 

 (crédito: Reprodução/Instagram)

(crédito: Reprodução/Instagram)

Um laudo toxicológico obtido com exclusividade pelo Domingo espetacular, da Record TV, revela quais eram as substâncias presentes no corpo da cantora Paulinha Abelha (1978-2022), da banda Calcinha Preta. O documento foi divulgado no último domingo (06/03).

A artista morreu em 23 de fevereiro. Ela deu entrada no primeiro hospital em Aracaju no dia 11. Dias depois, foi transferida para uma nova unidade hospitalar, mas não resistiu e até então, a família da vocalista ainda não havia informado quais as causas diagnosticadas nos exames conduzidos pela equipe médica que acompanhou o caso de Paulinha.

Durante o programa, a emissora do bispo Edir Macedo divulgou que quatro doenças foram apresentadas como responsáveis pelo falecimento: meningoencefalite, hipertensão craniana, insuficiência renal aguda e hepatite.

 primeira se trata de uma inflamação do cérebro e dos tecidos vizinhos. Geralmente é causada por uma infecção, que, no caso da cantora, ainda tem origem investigada.

Foi anexado também, em outro documento, denominado painel toxicológico, encontrou 16 substâncias no corpo de Abelha, como anfetaminas e barbitúricos.

Um dos medicamentos no organismo da vocalista da banda de forró eletrônico era um tarja preta usado no tratamento de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção), mas que tem como efeitos adversos a redução de apetite, perda de peso, náuseas e vômito.

Consultado pela revista eletrônica, um médico afirmou que o medicamento é “potencialmente hepatotóxica”, ou seja, pode causar danos sérios ao fígado, que podem levar até mesmo à hepatite fulminante.

Já os barbitúricos, também encontrados no corpo da vocalista, são habitualmente aplicados como sedativos, inclusive em ambiente hospitalar, para evitar convulsões. O momento em que eles foram ministrados e sua influência no corpo de Paulinha ainda estão sendo investigados.

O marido da artista, Clevinho, além dos integrantes do grupo, relataram que ela estava sofrendo com os enjoos durante seus dias em São Paulo, onde o Calcinha Preta cumpria agenda. Silvânia Aquino e Bell Oliver, integrantes da banda, disseram ter pensado que Paulinha Abelha estivesse grávida. 

 

Os amigos de Abelha ainda negaram que ela fizesse uso de qualquer tipo de droga não legalizada. O exame toxicológico, a qual a cantora foi submetida, também descartou uso de substâncias proibidas.

Confira, abaixo, o vídeo:

 

mar
08
Posted on 08-03-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-03-2022
Charge – Angelo Rigon
 Ângelo Rigon no jornal Estado de Minas(BH)

mar
08
Posted on 08-03-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-03-2022
Irmã mais velha irá vê-lo na penitenciária federal de Campo Grande; esfaqueador de Jair Bolsonaro está preso há três anos e cinco meses
Pela 1ª vez, Adélio deve receber visita da família
Foto: Reprodução
 

Três anos e cinco meses depois de ter sido preso por tentar matar Jair Bolsonaro em Juiz de Fora, Adélio Bispo de Oliveira deve receber este mês a primeira visita de um familiar.

Maria das Graças Ramos, sua irmã mais velha, deixará o município de Montes Claros (MG), onde vive, para ir à penitenciária federal de Campo Grande (MS). Segundo um sobrinho de Adélio, a falta de dinheiro e apoio jurídico impediram até hoje a visita da família.

  • Arquivos