No dia da morte de Arnaldo Jabor, o idiota aqui se vê obrigado a falar da patranha de um ex-ministro que foi dizer que Bolsonaro evitou a invasão da Ucrânia
Jabor, o mentiroso Salles e o longo passado pela frente
 

Arnaldo Jabor morreu, aos 81 anos, depois de passar a vida querendo assistir ao nascimento de um novo Brasil. Infelizmente, é como morreremos todos nós que passamos a maior parte do tempo denunciando, esbravejando, analisando, escrevendo e falando sobre este triste país, de uma perspectiva que não compactua com a burrice, a ignorância, a desonestidade (inclusive intelectual), o patrimonialismo, a vulgaridade e a caipirice. Num dos seus comentários no Jornal da Globo, em outubro do ano passado, ao comentar sobre a CPI da Covid, Arnaldo Jabor (foto) afirmou que, depois de tudo o que foi revelado, “se a velha política prevalecer, podemos sair da barbárie para a decadência, sem conhecer a civilização. Pois como sentenciou Millôr Fernandes uma vez: o Brasil tem um longo passado pela frente“. Pois é, a velha política prevaleceu e continuará prevalecendo.

O longo passado pela frente se desenrola todos os dias a trabalhadores e pequenos e médios empresários da área produtiva, às voltas com cidades precárias e serviços essenciais abaixo da crítica, falta de oportunidades, impostos altos, criminalidade, corrupção e ganhos obscenos de um mercado financeiro que só suga as energias de um país exangue, mas acha que está fazendo um bem danado à nação. Desenrola-se, e enrola, também por meio da hipocrisia, da demagogia e das mentiras deslavadas ditas nas diferentes esferas do poder ou nas suas proximidades.

 E é assim que, no dia em que morreu Arnaldo Jabor, o idiota aqui, o palhaço aqui, vê-se obrigado a falar de Ricardo Salles, o ex-ministro da Destruição do Meio Ambiente. Esse senhor foi ao Twitter dizer que foi Jair Bolsonaro quem convenceu Vladimir Putin a desistir da invasão da Ucrânia. Como se não bastasse, Ricardo Salles ainda publicou uma montagem de uma capa da revista Time, com a foto do presidente brasileiro e os seguintes dizeres: “Prêmio Nobel da Paz 2022. Bolsonaro, o  homem que poderá definir o futuro do planeta. Com viagem à Rússia agendada, o Brasil tem papel fundamental na crise entre Rússia e Ucrânia”. Além de publicar a montagem, o ex-ministro da Destruição do Meio Ambiente comentou “Parabéns, presidente!”. Mais: Ricardo Salles publicou uma montagem com o logo da CNN, para dizer que Jair Bolsonaro evitou “a Terceira Guerra Mundial” — e a emissora viu-se obrigada a desmentir o absurdo evidente. Meme, uma ova. Tudo foi feito para que a safadeza fosse replicada pelo gado e lograsse os desavisados, que não são poucos.

A enormidade está muito além da “pós-verdade” ou qualquer outro eufemismo que se possa usar em relação ao que não passa de mentira, enganação, conto do vigário, embuste, gazopa, trapaça. É pura cara de pau. Jair Bolsonaro foi à Rússia porque está isolado no cenário internacional e, por isso, prestou-se a fazer o jogo de Vladimir Putin, sem medir as consequências do seu ato e muito menos demonstrar qualquer solidariedade real em relação à Ucrânia, como escrevi ontem. Se Vladimir Putin desistiu mesmo de cometer a agressão ao país vizinho, e não é que o seu recuo esteja garantido, isso se deve à atuação intensa da diplomacia americana e europeia, do receio das consequências para a economia do país e da falta de apoio da população russa, que não foi suficientemente enganada pela historieta de que é a Ucrânia que representa uma ameaça.

Como é que pode um ex-ministro ser tão mentiroso, tão irresponsável, e espalhar fake news desse jeito?  E não me venham dizer que essa patranha é liberdade de expressão. Porcaria nenhuma. Respeitem os meus 60 anos, por favor, a maior parte deles desperdiçados defendendo a liberdade de expressão e tomando pancada no lombo por causa dessa escolha pessoal, e pancada de verdade, não cancelamento em Twitter. Ricardo Salles não difere dos demais próceres bolsonaristas — os filhos do presidente, principalmente–, que espalham mentiras cabeludas o tempo inteiro. Mas o idiota aqui, o palhaço aqui, ainda se espanta quando se depara com uma barbaridade dessas, vinda de quem foi autoridade até ontem, e autoridade com interlocução internacional.

Não há conexão entre o bolsonarismo e a realidade, entre o bolsonarismo e a honestidade, o que não é particularidade, infelizmente, mas outro sintoma de que não há vasos comunicantes entre o Brasil e a civilização. Passaremos da barbárie para a decadência, tendo um longo passado pela frente. Descanse em paz, Jabor. Um dia a gente também chega lá.

“Você vai ver”, Tom Jobim e Miucha: maravilha musical do genial Tom no tributo do Bahia em Pauta do mestre do cinema, da crônica na TV e do jornalismo crítico, Arnaldo Jabor, que ontem deixou um país órfão de sua inteligência e notável envergadura cultural.Saudades!

BOM DIA!

(Vitor Hugo Soares) 

fev
16
Posted on 16-02-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 16-02-2022

Bolsonaro

DO CORREIO BRAZILIENSE

O ex-ministro das Relações Exteriores fez as criticas durante uma entrevista

FS
Fernanda Strickland
 

Presidente Bolsonaro recebe os cumprimentos do Ministro de Estado das Relações Exteriores, Ernesto Araújo no Palácio do Itamaraty, ainda em 2020 - (crédito: Marcos Correa/PR)

Presidente Bolsonaro recebe os cumprimentos do Ministro de Estado das Relações Exteriores, Ernesto Araújo no Palácio do Itamaraty, ainda em 2020 – (crédito: Marcos Correa/PR)

Em entrevista a Rede TV, o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, criticou a ida do presidente Jair Bolsonaro (PL) à Rússia em meio a crise com a Ucrânia. Araújo ainda destacou que ao ir à Rússia, o presidente demonstra certa preferência por um dos lados da disputa.

“Acho que, infelizmente, com a visita do presidente Bolsonaro, [ele] não está mostrando neutralidade, está mostrando uma preferência pela Rússia. Neutralidade é você visitar ou os dois que estão em conflito ou nenhum”, declarou Araújo.

fev
16
Posted on 16-02-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 16-02-2022



 

 Fred NO PORTAL DE HUMOR GRÁFICO

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Nesta tarde foram registradas 95 ocorrências em diferentes regiões do município

CG
Camilla Germano
 

Chuvas causam deslizamentos em Petrópolis - (crédito: Arquivo Pessoal )

Chuvas causam deslizamentos em Petrópolis – (crédito: Arquivo Pessoal )

Nesta terça-feira (15/2), o grande volume de chuvas na cidade de Petropólis (RJ) causou diversos deslizamentos em vários pontos do município. Informações da Defesa Civil indicam que foram registradas 95 ocorrências, 80 deslizamentos e 11 pontos de alagamento por toda parte da tarde. Pelo menos seis mortes já foram confirmadas, e o número de vítimas ainda deve crescer.

Nos registros feitos por moradores da cidade é possível ver ruas alagadas e o volume das enxurradas em vários pontos do munícipio.

Veja as imagens:

Várias ruas da cidade foram alagadas e pontos de acolhimento para pessoas que vivem em locais de risco foram abertos.

 

Repercussão

O prefeito Rubens Bomtempo disse já estar sabendo da cidade e que está mobilizando equipes para ajudar a população. “Chegando em Brasília, fiquei sabendo da forte chuva que atinge a nossa cidade. Daqui mesmo já mobilizei empresas e pessoas que podem nos ajudar”.

  • Arquivos

  • Fevereiro 2022
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28