jan
07
Posted on 07-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 07-01-2022
Charge do Amarildo: Grosseria do humano | A Gazeta
Amarildo, na Gazweta (ES)

DO CORREIO BRAZILIENSE

Biden acusa Trump de ‘ter tentado impedir uma transferência de poder pacífica’

“Não foi um grupo de turistas. Foi uma insurreição armada”, acrescentou.

AF
Agência France-Presse
 

 (crédito: Drew Angerer / POOL / AFP)

(crédito: Drew Angerer / POOL / AFP)

Washington, Estados Unidos- O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeu nesta quinta-feira (6) que “não permitirá que ninguém coloque um punhal na garganta da democracia” americana, depois de acusar seu antecessor de ter “tentado impedir uma transferência pacífica do poder” em 6 de janeiro do ano passado durante o ataque ao Capitólio.

“Pela primeira vez na nossa história, um presidente não apenas perdeu as eleições; tentou evitar a transferência de poder pacífico quando uma multidão violenta invadiu o Capitólio”, disse Biden em um discurso solene no Congresso, que foi atacado há um ano por simpatizantes de Trump que tentavam impedir a certificação de sua vitória nas eleições presidenciais.

“Não era um grupo de turistas. Era uma insurreição armada”, acrescentou o democrata.

Trump, ao afirmar que houve fraude eleitoral, “criou e espalhou uma rede de mentiras sobre as eleições de 2020”, afirmou Biden.

“Fez isso porque valoriza o poder acima dos princípios, porque coloca seu próprio à frente do interesse de seu país”, insistiu o presidente Biden, acrescentando que “montou em sua mentira durante meses”.

Para Biden, os Estados Unidos e o resto do mundo travam uma batalha entre a democracia e o autoritarismo.

“Vivemos em um ponto de inflexão na história, tanto em casa como no exterior. Estamos travando novamente uma luta entre a democracia e a autocracia; entre as aspirações da maioria e a ganância de poucos”, disse.

“Não permitirei que ninguém coloque um punhal na garganta da democracia”, concluiu. “Defenderei esta nação”.

Trump respondeu ao discurso de Biden nesta quinta-feira, acusando o presidente de fazer “um teatro político”.

Biden “usou meu nome hoje para tentar dividir mais ainda a América”, disse Trump em nota.

“Esse teatro político é apenas uma distração para o fato de que Biden fracassou totalmente”, acrescentou o republicano.

 DO CORREIO BRAZILIENSE

Comentário do ex-juiz foi uma referência ao ex-presidente Lula (PT) e a Jair Bolsonaro (PL). Pré-candidato à Presidência da República, ex-ministro afirmou que estará na Paraíba esta semana

LP
Luana Patriolino
 

 (crédito: PODEMOS/REPRODUÇÃO)

(crédito: PODEMOS/REPRODUÇÃO)

O ex-juiz Sergio Moro (Podemos) anunciou, nesta quarta-feira (5/1), o início de viagens pelo Brasil. Pré-candidato à Presidência da República para o pleito deste ano, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública ainda alfinetou os adversários, chamando-os de “pelegos e milicianos”. O comentário foi uma referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a Jair Bolsonaro (PL).

Moro afirmou que o giro pelo país começa no Nordeste. “Começo hoje a rodar o Brasil. Nesta semana, estarei na Paraíba. Conto com vocês nessa jornada que está só começando. Temos um país para salvar de uma triste polarização entre pelegos e milicianos. Vamos construir a nação moderna e inclusiva que queremos”, disse via Twitter.

Ainda em janeiro, Sergio Moro planeja viajar a Santa Catarina e, no início de fevereiro, deve retornar ao Nordeste para visitas ao Ceará, Piauí e Sergipe.

Terceira via

Sergio Moro se filiou ao Podemos em novembro de 2021 para se aventurar na política. Postulante ao Planalto, ele tem se colocado como uma alternativa aos dois principais adversários: Lula e Bolsonaro. Ao Correio, fontes afirmaram que o ex-juiz também não descarta concorrer ao Senado, caso não suba nas pesquisas para presidente.

Enquanto ministro de Bolsonaro, Moro cedeu às pautas pró-armas e pró-policiais, não avançou na agenda anticorrupção no legislativo e ainda colocou em xeque sua imparcialidade enquanto juiz, pois afirmava que jamais se filiaria ao governo. Ele saiu da pasta envolvido em uma série de polêmicas e troca de acusações com o presidente.

Agora, como pré-candidato, o ex-juiz tem afirmado a apoiadores que só vai seguir em projetos que se comprometam em priorizar o combate à corrupção e a defender bandeiras como a retomada da prisão após a condenação em segunda instância.

“Cuando no estás”. Bienvenido Granda: a alma da música romântica da cubana representada aqui em dois de seus maiores e imortais símbolos –  Granda e a orquestra Sonora Matancera – em um bolero de arrepiar. Primorosa interpretação primorosa que vai dedicada a Carlos Wolney,  amigo do peito do Bahia em Pauta _ em especial do editor deste site blog – fã maior del “bigote que canta”, com votos de feliz 2022.

BOM DIA!!

(Vitor Hugo Soares) 

jan
06
Posted on 06-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 06-01-2022

De acordo com o cirurgião-geral Antônio Luiz de Macedo, a principal causa da obstrução intestinal no chefe do Executivo foi a falta de mastigação correta. Bolsonaro afirmou que tentará seguir recomendações médicas mas que não são “uma ordem”

CN
Cristiane Noberto
 

 (crédito: TV Brasil/Reprodução)

(crédito: TV Brasil/Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) teve alta na manhã desta quarta-feira (5/10), após ser internado por problemas médicos. De acordo com o cirurgião-geral Antônio Luiz de Macedo, a principal causa da obstrução intestinal no presidente foi a falta de mastigação correta. O médico ainda associou à facada, ocorrida em agosto de 2018, uma reação imunológica que desencadeou a situação.

“A situação causou uma peritonite e gerou uma grande quantidade de reação imunológica no
abdômen dele [Bolsonaro]. Embora esteja tudo bem, às vezes, essas aderências geram um quadro de obstrução intestinal”, afirmou Macedo. De acordo com o médico, esses casos não são recomendados diretamente para a cirurgia e, sim, ao uso de uma sonda gástrica. “Agora, está tudo normal. Ele vai fazer uma dieta especial por uma semana, apenas caminhada, não vai fazer exercícios muito intensos, mas está curado e pronto para o trabalho”, disse.

O chefe do Executivo estava internado desde a madrugada de segunda-feira (3) no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo.

Sobre o motivo exato da obstrução, Bolsonaro afirmou que foi causada pela falta de mastigação correta. “Eu não almoço, eu engulo. Tinha um peixe com camarão, e eu engoli o camarão”, disse. Macedo completou dizendo que a recomendação é de que todos os pacientes mastiguem no mínimo 15 vezes. Nesta hora, o presidente interrompeu e perguntou se poderiam ser 22 vezes, em alusão ao número do Partido Liberal, ao qual se filiou no fim do ano passado para concorrer à reeleição em 2022.

O médico explicou ainda que a cirurgia foi descartada, pois saiu um grande volume de líquido após a inserção da sonda gástrica. “Assim, o estômago ficou vazio, o movimento intestinal retornou, o bolo que estava parado foi empurrado e o presidente passou a ter uma normalização da função intestinal”, destacou.

De acordo com Macedo, existe a possibilidade de o problema voltar a ocorrer e que, nesse caso, a operação não pode ser descartada, mas pontuou que não é fácil de se fazer. “O problema pode aparecer em outro lugar. Eu operei um paciente que precisou de 18 cirurgias abdominais por aderência. No presidente, a gente coloca a sonda gástrica. Ele é paciente, tranquilo, a coisa começa a funcionar e a gente deixa assim. A gente espera conseguir, nos próximos 20 a 30 anos, mantê-lo desse jeito”, afirmou.

Ainda sobre as recomendações do médico, Bolsonaro afirmou que será “difícil” segui-las e que a orientação “não é ordem”. “Sempre fui, minha vida toda, atleta das Forças Armadas, paraquedista e motociclista. Minha mulher já está me olhando torto ali, mas vou tentar seguir a recomendação dele”, brincou.

“Homem de honra”

Bolsonaro ressaltou também que jornalistas estariam tentando politizar a facada sofrida por ele durante a campanha presidencial em 2018. Ao ser questionado sobre a veracidade do atentado, o presidente disse que só poderiam estar de “brincadeira” com ele e que estariam ofendendo o próprio médico ao seu lado. O chefe do Executivo reiterou que tanto ele quanto o cirurgião Antônio Luiz de Macedo são homens de “honra” e que têm “muito a zelar”.

“Fui um candidato paupérrimo, miserável, se eu quisesse armar em cima do hospital de Juiz de Fora… pelo amor de Deus”. Sem citar nomes, o presidente contou ainda que três advogados tentaram entrar no hospital à época do atentado. “Espero que a Polícia Federal possa averiguar esse caso, a própria imprensa deveria ter interesse nisso. Não está difícil de desvendar esse caso. Vai chegar em gente importante, não tenha dúvidas”, frisou.

jan
06
Posted on 06-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 06-01-2022
www.brasil247.com - { imgCaption }}
 Renato Aroeira no jornal Notícias do Dia

jan
06
Posted on 06-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 06-01-2022

DO CORREIO BRAZILIENSE

Casal chamou o empresário por termo racista e queria ser atendido antes dele na recepção do hotel. Polícia investiga crimes de injúria racial e lesão corporal

Td
Talita de Souza
 

Produtor musical é agredido e reage com soco em homem que o insultou com termo racista no hotel Hilton, em Copacabana (RJ) - (crédito: Twitter/Reprodução)

Produtor musical é agredido e reage com soco em homem que o insultou com termo racista no hotel Hilton, em Copacabana (RJ) – (crédito: Twitter/Reprodução)

Um episódio de racismo que terminou em agressão em um hotel de luxo no Rio de Janeiro causou repercussão nas redes sociais nesta semana. O produtor musical HL Thompson foi alvo de uma série de insultos racistas feitos por um casal na recepção do Hilton, em Copacabana, que não aceitou o atendimento prioritário do empresário — vantagem dada a clientes “gold” do estabelecimento, o que Thompson era.

Em determinado momento, a mulher desferiu tapas no rosto do homem, que se desvencilhou e deu um soco no companheiro dela, um turista alemão. O homem caiu desacordado no chão. A filmagem da agressão, postada nas redes sociais por outro hóspede estrangeiro, viralizou nas redes sociais. O caso ocorreu neste último dia 30 de dezembro.

O produtor contou que, antes da filmagem, o casal teria “empurrando” ele “ e tentando cortar a fila de membros diamonds” por mais de 30 minutos, e, quando pediu para os dois não invadirem o espaço dele, o marido começou a chamá-lo por um termo racista usado nos EUA — “nigger”. HL afirmou que os dois estavam bêbados e que foram racistas.

Um homem que filmava a ação, chamou o casal de racistas e bêbados. “Furiosos porque ele é membro do Gold ou Diamond Hilton e portanto recebe o serviço antes de todos”, escreveu. O homem também disse que os funcionários do hotel deixaram a “mulher racista” fazer o que for, inclusive agredi-lo. Veja o vídeo:

No vídeo, o dono do registro narra a cena e classifica como “inaceitável” a situação. Ele ainda avisa à brasileira, que “está em descontrole”, que se ela for brigar com ele, terá que enfrentar a reação. “Eu não sou ele [o produtor]”, disse para mulher dando a entender que não pouparia agressões a ela, diferente do produtor.

Thompson estava no hotel por ter alugado um dos espaços do estabelecimento para promover o festival SlyFox Fest, idealizado por ele. O evento ocorreu entre 27 e 31 de dezembro e celebrava a cooperação artística entre o Rio de Janeiro e Nova Iorque no âmbito da música, arte, grafite e moda.

Ao site Cultura e Negócios, Thompson contou que o festival traria fomento para marcas e artistas do Rio e de Nova Iorque, “colaborando para a geração de novas tecnologias, fomentando a economia criativa e o compartilhamento de informações e oportunidades entre criadores das duas cidades”.

Casal registrou queixa na polícia e disse que os dois foram agredidos pelo produtor

HL Thompson revelou que não pôde acompanhar a própria festa porque o casal chamou a polícia e disse que foi atacado por ele. “Fiquei esperando horas fora do hotel, porque os funcionários não queriam que eu encontrasse a polícia. Não pude ficar na festa e fui para o Airbnb que eu também tinha alugado”, contou.

O produtor chegou a pedir ao homem que filmou a situação para que ele enviasse o vídeo para deixar claro quem foi que começou o desentendimento. “Você pode me enviar o vídeo para que possa enviar para a sede do Hilton? Por causa dessa falha de segurança fiquei fora do hotel, e eles mentiram dizendo que os ataquei. Obrigada por gravar”, escreveu em um comentário do post do vídeo.

A polícia confirmou que o casal registrou um boletim de ocorrência em que afirmam que foram agredidos, ambos com socos, e que os seguranças do hotel não detiveram o produtor, que “fugiu do local”. A corporação também afirmou que o casal “aparentava estar embriagado” e que não está mais no Brasil.

Na manhã desta quarta-feira (5/1), o empresário prestou depoimento na Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat), acompanhado por um advogado e membros do consulado americano no RJ.

Ele afirmou que socou o marido da mulher que o atacou por ver que ele estava caminhando na direção dele. “Eu só reagi, em autodefesa, para que ele não me atacasse também”, disse ao g1. Thompson também disse que o casal o irritou repetidas vezes chamando-o de “nigger” — expressão racista norte-americana.

Com o depoimento, foi aberta uma investigação para apurar os crimes de injúria racial e lesão corporal. Foram ouvidos, além de Thompson, o gestor de segurança e uma recepcionista do hotel, que revelaram que o casal estava alterado.

Na terça-feira (4/1), Thompson publicou uma frase do líder do movimento por direitos civis e do povo negro nos EUA, John Lewis, em que diz que “nunca, jamais, tenha medo de fazer barulho e se meter em problemas, problemas necessários”. Na legenda, o empresário disse que a geração dele não é como “os ancestrais” e que “o comportamento racista não será tolerado em nenhum nível”.

“O preto é lindo e se isso te deixa desconfortável, esse é um problema pessoal, não nosso. Eu amo minha pele negra e não odeio as lindas benção de Deus”, disse.

 O Correio entrou em contato com o Hilton Hotéis, mas não obteve resposta até a publicação dessa matéria. O espaço permanece disponível para eventuais manifestações da empresa.

“Sergio Moro precisa se unir a um grande partido”
Foto: Daniel Medeiros/O Antagonista

“Acho que o Moro precisa se unir a um grande partido”.

Foi o que disse Marcos Cintra, ex-secretário da Receita Federal, em conversa com a Folha de S. Paulo.

“Só com o Podemos, por mais que a imagem dele seja muito boa do ponto de vista pessoal, ele tem ainda uma exposição fraca politicamente. Ele é visto pelo eleitor não como um candidato, mas como uma personalidade do mundo jurídico. Precisa transformar esse ativo em eleitoral, coisa que não fez ainda. Precisa de um partido grande, e o União poderia dar essa estrutura, mas não dá para perder muito tempo”.

Marcos Cintra, que foi demitido por Jair Bolsonaro, assim como Sergio Moro, é conselheiro de Luciano Bivar. Ele disse também:

“Estamos começando a nos colocar à disposição do Moro. Ele tem conversado bastante com o nosso presidente Bivar. E a ideia é nos aproximarmos. Ele já tem o grupo dele, comandado pelo Affonso Celso Pastore, então, ficamos de discutir”.

Ele está certo: para derrotar o bolsonarismo e o lulismo, Moro precisa urgentemente de gente capaz de fortalecer sua candidatura e, em seguida, governar. Não é uma questão de dinheiro ou de tempo de TV, e sim de discurso e estratégia.

Escrevi sobre isso na Crusoé, numa coluna intitulada “Bivar para vice”.

“Ela é Carioca”, Tim Maia e Os Cariocas: a mais harmônica e perfeita maneira de interpretar uma das mais belas e soberanas composições de Tom Jobim . onfira, cante e vibre,

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

 

jan
05
Posted on 05-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-01-2022

Obstrução intestinal

DO CORREIO BRAZILIENSE

Bolsonaro está internado desde segunda-feira com um quadro de obstrução intestinal

TM
Thays Martins
 

 (crédito: AFP)

(crédito: AFP)

Os médicos que acompanham o presidente Jair Bolsonaro (PL) descartaram a necessidade de uma nova cirurgia no chefe do Executivo. De acordo com Boletim Médico divulgado na manhã desta terça-feira (4/1), o quadro de “suboclusão intestinal se desfez não havendo a indicação cirúrgica”.

Bolsonaro deverá começar com a dieta líquida ainda hoje, mas não há, ainda, previsão de alta.

“O Hospital Vila Nova Star informa que o quadro de suboclusão intestinal do Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, se desfez, não havendo indicação cirúrgica. A evolução do paciente clínica e laboratorialmente segue satisfatória e será iniciada hoje uma dieta líquida. Ainda não há previsão de alta”, diz o boletim.

O médico Antônio Luiz Macedo, que acompanha o presidente desde a facada em 2018, chegou ao hospital na manhã desta terça para avaliar Bolsonaro.

Pages: 1 2 ... 9 10 11 12 13 14 15 16

  • Arquivos

  • Janeiro 2022
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31