jan
25
Posted on 25-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2022
  

Olavo de Carvalho morre, aos 74 anos, nos Estados Unidos

Informação foi dada pela família nas redes sociais

O professor, jornalista e escritor Olavo de Carvalho morreu na noite dessa segunda-feira (24), aos 74 anos, nos Estados Unidos, onde vivia. A informação foi dada pela família nas redes sociais do escritor. 

“Com grande pesar, a família do professor Olavo de Carvalho comunica sua morte na noite de 24 de janeiro, na região de Richmond, na Virgínia, onde se encontrava hospitalizado”.

Natural de Campinas, São Paulo, ele deixa a esposa, Roxane Andrade de Souza, oito filhos e 18 netos. A causa da morte não foi divulgada. Recentemente, Olavo esteve internado em hospital no Brasil com problemas cardíacos.

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte do escritor. “Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do país, o filósofo e professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi gigante na luta pela liberdade e farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre”, afirmou.

No seu currículo, Olavo Luiz Pimentel de Carvalho apresenta-se como “filósofo, escritor, jornalista e conferencista”.

Olavo de Carvalho diz, também em seu currículo, que desde jovem se interessava por “filosofia, psicologia e religiões comparadas”, mas que “não tendo encontrado, na época, cursos universitários de boa qualidade sobre os tópicos que eram de seu interesse, abdicou temporariamente dos estudos universitários formais e buscou professores particulares e conselheiros qualificados que o orientassem”. Ele não concluiu o curso de filosofia, iniciado no Conjunto de Pesquisa Filosófica da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro.

Durante anos, foi um estudioso da astrologia. O interesse pelo tema ganhou força a partir de 1975, quando concentrou seus esforços no “estudo das Artes Liberais”, que tinha, segundo ele, “sete disciplinas básicas para a formação dos letrados na Europa Medieval: Lógica, Retórica e Gramática; Aritmética, Música, Geometria e Astrologia”.

A astrologia, por sinal, foi tema reincidente entre livros e publicações assinados por ele. Seu primeiro livro, Questões de Simbolismo Astrológico, foi publicado em 1983. O último, publicado em 2018, foi Os Histéricos no Poder. Cartas de Um Terráqueo ao Planeta Brasil.

Os primeiros trabalhos na imprensa foram na empresa Folha da Manhã, antes mesmo de completar 18 anos de idade. Trabalhou também no jornal A Gazeta; na revista Atualidades Médicas; no semanário Aqui, São Paulo; no Jornal da Semana, e no Jornal da Tarde. Foi colaborador de veículos como Folha de S.Paulo, Zero Hora, O Globo, Primeira Leitura e Bravo!

Carvalho recebeu, do Comando do Exército, em 1999, a Medalha do Pacificador. Em 2001, recebeu a Medalha Mérito Santos Dumont, conferida pelo Comando da Aeronáutica.

A Secretaria Especial da Cultura e a Secretaria Especial de Comunicação Social emitiram nota de pesar pela morte do escritor. “O governo do Brasil lamenta a perda do filósofo e professor Olavo de Carvalho e manifesta seu pesar e suas condolências a familiares, amigos e alunos”, diz a nota.

“Intransigente defensor da liberdade e escritor prolífico, o professor Olavo sempre defendeu que a liberdade deve ser vivida no íntimo da consciência individual e na inegociável honestidade do ser para consigo mesmo”, complementa o texto.

Olavo de Carvalho nasceu em Campinas (SP) no dia 29 de abril de 1947. Foi o segundo filho do advogado Luiz Gonzaga de Carvalho com Nicéa Pimentel de Carvalho.

jan
25
Posted on 25-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2022
 DO CORREIO BRAZILIENSE
AE
Agência Estado
 

 (crédito: AFP)

(crédito: AFP)

Em entrevista à José Luiz Datena, o pré-candidato à presidência do PDT, Ciro Gomes, voltou a fazer acenos à Marina Silva (Rede), que tem sido considerada para integrar sua chapa. O pedetista repetiu que a ex-ministra “tem todos os talentos para ser uma grande presidente do Brasil”. Seguindo o mote de sua campanha, Ciro declarou que tem confiança de que Marina “vai nos ajudar à essa rebeldia da esperança que o Brasil precisa”

Antes de fazer os elogios a Marina, o pedetista brincou com a possibilidade de escolher Datena como um nome para a vice-presidência. “Eu queria era o Datena sabe, aquele grande comunicador?” brincou durante sua entrevista à Rádio Bandeirantes. “Estou brincando, estou brincando, não posso fazer isso”, comentou em seguida.

Datena, que foi um dos nomes considerados para a corrida presidencial antes de PSL, seu partido, se unir o DEM no União Brasil, respondeu a brincadeira: “Eu não estou brincando, seria uma honra ser vice seu, porque eu gosto de você e você é um cara honesto pra caramba”.

Em pouco mais de uma hora de conversa com o apresentador, Ciro voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL), os dois nomes que lideram as corridas presidenciais. Ciro criticou ainda a possibilidade de que ambos possam estar considerando não participar de debates. Ciro acusou os adversários de terem firmado um acordo para “fugir dos debates”.

O ex-governador se dispôs ainda a debater com qualquer candidato, inclusive o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), que, desde que anunciou sua pré-candidatura, tem ganhado o espaço de Ciro na chamada terceira via.

“O retrato fiel da Bahia”, Riachão:

 
Êta saudade retada, meu rei! Viva o grande Riacho, que balança o céu agora!
BOM DIA!
(Gilson Nogueira)

 

 

 

 

jan
25
Posted on 25-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2022
  • Carlos Graieb
    Carlos Graieb
Se a CPI for vista como aquilo que é – uma revanche do establishment ou um “todos contra um” – o ex-juiz poderá crescer politicamente
O tiro da CPI contra Sergio Moro pode sair pela culatra
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A CPI que o PT, o Centrão e o bolsonarismo estão tentando instaurar contra Sergio Moro (foto) não é inevitável, e pode até se transformar num tiro pela culatra. 

Tudo dependerá da reação de Moro, de seu partido, o Podemos, e dos grupos que o apoiam, como o MBL

 Se a CPI for vista pelos eleitores como aquilo que é, ou seja, um “todos contra um”, um ataque do establishment a um indivíduo que hoje não dispõe de foro privilegiado ou qualquer outro tipo de proteção especial, Moro poderá crescer politicamente. Vítimas dos políticos de Brasília costumam contar com a simpatia da opinião pública.

Há fartos elementos para mostrar que não há pretextos justos para a instauração da comissão de inquérito. Em seus dez meses como consultor do escritório de advocacia Alvarez & Marsal, Moro não trabalhou nos casos de empresas que condenou como juiz. Além disso, sua remuneração, que os inimigos tratam como se fosse pecado, não envolveu um tostão sequer de dinheiro público. 

A CPI também quer incorporar ao seu rol de argumentos a tese “Mariz-Lewandowski”, assim batizada em homenagem ao advogado e ao ministro do STF amigos de Lula. Ela sustenta que punir a corrupção política é um erro, porque não resolve nada, e que a Lava Jato é culpada pelos problemas financeiros enfrentados por empreiteiras como a Odebrecht, que cresceram por décadas graças à cartelização de seus serviços e aos subornos pagos a autoridades. Não poderia ser mais absurdo.

Vamos repetir: a instauração da CPI não é inevitável. Se ela for instaurada, não é impossível virar o jogo. Quaisquer que sejam as circunstâncias, não se pode acreditar que o ódio à Lava Jato vai se extinguir com as eleições. Ele vai perdurar, até mesmo num eventual governo Moro, que será repleto de enfrentamentos e ameaças de CPI. O ex-juiz e sua equipe precisam cerrar os dentes e revidar, porque o jogo é mesmo bruto.

Notícias relaciona

jan
25
Posted on 25-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2022

 

A jornalista entrou com a ação trabalhista em março de 2021 após ter sido dispensada do canal onde trabalhou por quase dez anos

CS
Cecília Sóter
 

 (crédito: SBT/Divulgacao)

(crédito: SBT/Divulgacao)

Rachel Sheherazade está processando o SBT por um comentário de Silvio Santos durante o Troféu Imprensa de 2017. A justiça de São Paulo considerou que o dono da emissora praticou agressão moral contra a jornalista pela fala misógina.

Na ação judicial movida pela jornalista, que corre na 3ª Vara do Trabalho de Osasco, em São Paulo (onde o SBT está localizado), a emissora foi condenada a pagar uma indenização para Sheherazade.

O juiz do caso, Ronaldo Luís de Oliveira, declarou em sentença que Silvio Santos fez comentário misógino contra a então apresentadora do SBT Brasil, durante Troféu Imprensa de 2017.

“Advertência pública, manifestada na premiação conhecida como ‘Troféu Imprensa’, onde o notório apresentador Senor Abravanel (conhecido popularmente como Silvio Santos) fez questão de ‘lembrar’ a reclamante, em cadeia nacional, com tons nitidamente misóginos, que a sua contratação se deu por sua beleza e por sua voz, apenas para ler notícias e não dar a sua opinião”, escreveu o magistrado.

Na decisão, ele ainda reproduziu a fala de Silvio. “Você [Sheherazade] começou a fazer comentários políticos no SBT e eu pedi para você não fazer mais porque não pode fazer. Você foi contratada para ler notícias e não para dar a sua opinião. Se você quiser fazer política compra uma estação de televisão e vai fazer por sua conta, aqui não”.

O magistrado salientou que a situação constrangeu a apresentadora. “E, após, discordando de uma opinião feita pela reclamante, manifestada em tom baixo de voz e nitidamente constrangida, o referido apresentador completou enfaticamente: ‘Não, chamei para você continuar com a sua beleza, com a sua voz, foi para ler as notícias no teleprompter e não foi para você dar a sua opinião’”.

O juiz ainda repreendeu a emissora, afirmando que, caso Sheherazade tivesse descumprido a linha editorial, o SBT deveria tê-la advertido por meios institucionais, não publicamente.

“Ora, se a reclamante, em tese, descumpriu regra de comportamento, exacerbando a sua liberdade de opinião além dos limites fixados pelo empregador, em sua linha editorial, caberia a este, simplesmente, através dos meios legalmente colocados à sua disposição, em espaço institucional próprio e adequado, adverti-la, orientando-a para que situações do tipo não mais ocorressem ou, simplesmente, sem abusos, resolver o contrato de trabalho”, pontuou.

Ronaldo Luís considerou o episódio lamentável e disse na sentença que o fato de Silvio Santos ser idoso e brincalhão não justifica comentários preconceituosos.

“Chegam a ser, aliás, cansativas as desculpas que são dadas a comportamentos similares. Ser idoso ou ser ‘brincalhão’, já se disse, não pode servir de passe para a prática de atos nitidamente preconceituosos, para falar o menos. A desculpa sempre repetida de que, ‘ah, ele é assim mesmo, não liga’, não pode ser aceita, de forma alguma, para justificar um ataque ao profissionalismo de uma mulher. Precisamos evoluir como nação, com respeito a todos”, afirmou na decisão.

Por fim, o magistrado considerou que houve agressão moral por parte de Silvio contra Sheherazade e sentenciou o SBT a pagar uma indenização por danos morais à jornalista no valor de R$ 500 mil.

“Para este Juízo, está claro que houve evidente agressão moral, agravada por ter ser praticada em momento totalmente inoportuno, num evento público e que, em tese, deveria ter servido para homenageá-la como profissional. Fica esta, reclamada, condenada a pagar à reclamante uma indenização por danos morais, pelo valor ora arbitrado, de R$ 500.000,00“, determinou Luís Ronaldo de Oliveira.

A decisão é em primeira instância e a emissora irá recorrer. A ação teve início em março de 2021 após a jornalista ser dispensada do canal onde trabalhou por quase dez anos.

  • Arquivos

  • Janeiro 2022
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31