jan
14
Posted on 14-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-01-2022
 DO G1- Minas Gerais

Por Rafaela Mansur, g1 Minas — Belo Horizonte


Como era o casarão destruído por deslizamento em Ouro Preto
 

Como era o casarão destruído por deslizamento em Ouro Preto

 

O casarão do século XIX que ficou destruído pelo deslizamento de terra em Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais, era a primeira construção de estilo neocolonial da cidade, segundo o prefeito Angelo Oswaldo.

De acordo com informações do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o imóvel foi erguido por uma tradicional família de comerciantes às margens do Córrego Funil, próximo à Estação Ferroviária, local que mais se desenvolvia em Ouro Preto antes da transferência da capital para Belo Horizonte.

O registro mais antigo sobre o terreno indica que ele foi adquirido em 1890 pela família Baeta Neves e construído nos dois anos seguintes. A casa tinha pisos em marchetaria e teto em madeira totalmente feito à mão.

Casarão histórico, no centro de Ouro Preto, antes de desabar com deslizamento de morro — Foto: Google Street View / Reprodução

Casarão histórico, no centro de Ouro Preto, antes de desabar com deslizamento de morro — Foto: Google Street View / Reprodução

“(O imóvel) tinha um forro belíssimo, todo almofadado, com madeira de lei, e agora ruiu. É mais um pedaço da memória de Ouro Preto que se apaga em decorrência das chuvas”, afirmou a secretária municipal de Cultura e Turismo de Ouro Preto, Margareth Monteiro.

"É um pedaço da memória que se vai", fala secretária sobre queda de casarão em Ouro Preto
 

“É um pedaço da memória que se vai”, fala secretária sobre queda de casarão em Ouro Preto

 

O Solar Baeta Neves era protegido pelo Iphan e foi um dos imóveis restaurados pelo Programa Monumenta, do Instituto em parceria com a Prefeitura de Ouro Preto. A obra, que recebeu investimentos de R$ 373,5 mil, foi entregue em 2010.

Em 2012, o casarão, que pertencia ao município e guardava alguns arquivos antigos da Secretaria de Patrimônio referentes a processos de construção, foi interditado, por causa de outro deslizamento.

Procurado pelo g1 Minas para se posicionar sobre o desabamento, o Iphan disse que “o casarão não era tombado isoladamente, mas sim como parte do Conjunto Arquitetônico e Urbanístico de Ouro Preto”.

E disse que “o Escritório Técnico do Iphan esteve no local poucos minutos após o desastre, e vem acompanhando o andamento da situação, por meio de troca constante de informações junto à prefeitura municipal e às demais entidades competentes”.

jan
14

“Minas”, Milton Nascimento: um esplêndido canto de fé e confiança em Minas em dias amargurados de tantas perdas e danos.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

jan
14
Posted on 14-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-01-2022
Comentário na Globo é que atração, exibida diariamente, será substituída por outro projeto
“Encontro com Fátima Bernardes” pode sair do ar
Reprodução/TV
 

Setores da Globo apostam no fim do “Encontro com Fátima Bernardes”, informa o colunista Flavio Ricco, do R7.

A tendência é que o programa de Fátima, líder de audiência e um dos mais lucrativos da grade diária da emissora, seja substituído por outro projeto que mescle jornalismo e entretenimento.

O fim do “Encontro com Fátima Bernardes” não significa a saída de Fátima da Globo. Há a possibilidade dela assumir o horário da “Sessão de Sábado”, que tem boa média de audiência, na casa dos 13 pontos, mas potencial publicitário reduzido.

jan
14
Posted on 14-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-01-2022
DUKE no jornal O Tempo (MG)

jan
14
Posted on 14-01-2022
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-01-2022

Renúncia

DO CORREIO BRAZILIEENSE

Filho da rainha Elizabeth, príncipe Andrew enfrenta um processo civil nos Estados Unidos por agressão sexual e renunciou aos seus cargos honorários

AF
Agence France-Presse
 

 (crédito: Chris Jackson/Getty Images)

(crédito: Chris Jackson/Getty Images)

O príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, que enfrenta um processo civil nos Estados Unidos por agressão sexual, renunciou aos seus cargos honorários à frente de regimentos militares e associações de caridade, informou o Palácio de Buckingham nesta quinta-feira (13).

“O duque de York continuará sem desempenhar nenhuma função pública e se defenderá neste caso na qualidade de cidadão privado”, manifestou-se o palácio em um breve comunicado.

Um juiz de Nova York recusou na quarta-feira um recurso apresentado pelos advogados do príncipe para que indeferisse a denúncia de agressões sexuais apresentada contra seu cliente por Virginia Guiffre, uma americana que o acusa de ter abusado sexualmente dela em 2001, quando tinha 17 anos.

Guiffre é uma das vítimas de crimes sexuais do gestor financeiro americano Jeffrey Epstein, declarado culpado de pedofilia por um tribunal da Flórida e que se suicidou na prisão em Nova York em agosto de 2019, quando aguardava um novo julgamento por tráfico e abuso de menores.

A amizade de Andrew, de 61 anos, com o americano, que defendeu em uma polêmica entrevista com a BBC em novembro de 2019, provocou um grande escândalo que o obrigou a se retirar da vida pública.

O caso de Andrew, considerado o “filho predileto” de Elizabeth II, é um dos muitos escândalos que salpicam a imagem da monarquia britânica com os quais a soberana de 95 anos tem tido que lidar.

  • Arquivos

  • Janeiro 2022
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31