jan
05

 DO CORREIO BRAZILIENSE

Filha de 10 anos da vítima estava na casa no momento do crime e teria presenciado a morte da mãe

AR
Ana Raquel Lelles*/Estado de Minas

 (crédito: Reprodução /Redes sociais)

(crédito: Reprodução /Redes sociais)

Uma jornalista de 41 anos foi assassinada a tiros pelo marido na noite do novo, na última sexta-feira (31/12), em Porto Seguro, na Bahia. A filha de 10 anos da vítima, fruto de outro relacionamento, estava na casa no momento e há informações de que ela tenha presenciado o crime.

Além da garota, a irmã da jornalista, uma adolescente de 13, filha do autor do crime, o filho do casal de 11 meses e duas funcionárias estavam no local na hora do crime

A jornalista Juliana de Freitas Alves chegou a receber atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O marido, o engenheiro Reges Amauri Krucinski, de 42, foi encontrado com a roupa suja de sangue em uma rua próxima à casa do casal no condomínio.

Ele é praticante de tiro esportivo. O engenheiro assumiu o crime e foi preso.

O feminicídio teria sido motivado por uma discussão na noite de ano novo. Conforme o jornal Radar 64, Juliana e Reges eram casados há dois anos. O engenheiro e a jornalista saíram de São Bernardo do Campo, em São Paulo, para morar na cidade da Bahia com a intenção de abrir um hotel.

O que é feminicídio?

Feminicídio é o nome dado ao assassinato de mulheres por causa do gênero. Ou seja, elas são mortas por serem do sexo feminino. O Brasil é um dos países em que mais se matam mulheres, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

A tipificação do crime de feminicídio é recente no Brasil. A Lei do Feminicídio (Lei 13.104) entrou em vigor em 9 de março de 2015.

Entretanto, o feminicídio é o nível mais alto da violência doméstica. É um crime de ódio, o desfecho trágico de um relacionamento abusivo.

O que diz a Lei do Feminicídio?

Art. 121, parágrafo 2º, inciso VI
“Considera-se que há razões de condição de sexo feminino quando o crime envolve:
I – violência doméstica e familiar;
II – menosprezo ou discriminação à condição de mulher.”

Qual a pena por feminicídio?

Segundo a 13.104, de 2015, “a pena do feminicídio é aumentada de 1/3 (um terço) até a metade se o crime for praticado durante a gestação ou nos 3 (três) meses posteriores ao parto; contra pessoa menor de 14 (catorze) anos, maior de 60 (sessenta) anos ou com deficiência; na presença de descendente ou de ascendente da vítima.”

Como denunciar violência contra mulheres?

Ligue 180 para ajudar vítimas de abusos.
Em casos de emergência, ligue 190.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2022
    S T Q Q S S D
    « dez    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31