nov
18
Postado em 18-11-2021
Arquivado em (Artigos) por vitor em 18-11-2021 00:24

DO CORREIO BRAZILIENSE

Vice-presidente ainda afirmou que o espaço no Orçamento é baixo e que, se for concedido reajuste, deve ser feito antes de abril do ano que vem

CN
Cristiane Noberto
 

 (crédito: MARCOS CORREA)

(crédito: MARCOS CORREA)

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não havia conversado sobre reajuste aos servidores públicos antes de sua viagem ao Oriente Médio. De acordo com o chefe do Executivo em exercício, o impacto no Orçamento é grande e deve ser feito até seis meses antes das eleições. As declarações foram concedidas nesta quarta-feira (17/11).

“Não havia previsão disso até o presente momento, o presidente [Bolsonaro] lançou essa ideia agora, durante a viagem. O que a gente sabe, de dados macros, é que cada ponto percentual de aumento significa um impacto de R$ 3 bilhões no Orçamento. Se forem 5% [de reajuste], o impacto orçamentário é de 15%. Vamos esperar a análise da equipe econômica e o andamento da PEC [dos Precatórios] para ver o espaço fiscal disponível. Devemos lembrar que esse aumento deve ser concedido até o dia 2 de abril, porque até seis meses antes da eleição é o prazo máximo para conceder esse aumento [aos servidores]”, disse em entrevista ao UOL Entrevista.

Mourão ainda avaliou que o reajuste entra na disputa entre “disponibilidade x necessidade”. De acordo com o vice, para ter uma disponibilidade maior para os servidores, deverão ser cortados gastos em outras áreas e que “isso fica à disposição do presidente”.

Precatórios no Senado

O vice-presidente falou também sobre a aprovação da PEC dos Precatórios no Senado. “Estou vendo as discussões dos senadores envolvidos e a situação dessa discussão tem dois aspectos, como foi feito na Câmara [dos Deputados], em comum acordo com o governo, com relação ao pagamento dos precatórios, e a reformulação do cálculo do teto. O Senado tem outra proposta, a de corte, efetivamente, para abrir o espaço fiscal. [São cortes] nas emendas, subsídios fiscais, mais de R$ 362 bilhões de renúncia fiscal que pode cortar R$ 30 ou R$ 40 bilhões. Então, eu acho que deverá ter um trabalho bem forte da nossa liderança. Estou vendo o senador Fernando Bezerra (MDB-PE) trabalhando ativamente nisso aí. É um prazo curto, pois tem que ser no máximo até a primeira semana de dezembro, porque logo depois começa o recesso e vai ser mais difícil”, ressaltou.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2021
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930