ago
19
Postado em 19-08-2021
Arquivado em (Artigos) por vitor em 19-08-2021 00:14
MV
Marina Venturoli Vidal
 

 (crédito: Reprodução/Redes)

(crédito: Reprodução/Redes)

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, anunciou nesta terça-feira (17/8) que irá processar o cantor e compositor Martinho da Vila por racismo. Durante a edição de ontem do programa “Roda Viva”, da TV Cultura, o cantor utilizou a expressão “preto de alma branca” para definir Camargo.

“Ingressarei na Justiça com ação cível de indenização por danos morais contra Martinho da Vila, que atacou a minha honra com o uso da expressão ‘preto de alma branca’”, Camargo publicou em suas redes sociais.

Em resposta a um questionamento da apresentadora do “Roda Viva”, Vera Magalhães, a respeito das políticas públicas voltadas para a educação da população negra, Martinho da Vila disse: “A Fundação Palmares era uma fundação criada para tratar dos assuntos da cultura negra. Mas botaram aquele cara lá, o Camargo, um bolsonarista radical. Ele é um preto de alma branca, como se diz. No duro, ele gostaria de ser branco e se sente branco. Para ele, tem que acabar com todas as coisas de negro”.

Criada em 1993, a Fundação Cultural Palmares é uma instituição vinculada ao Ministério do Turismo e tem como função “promover e preservar a cultura negra brasileira”, conforme descrição contida na página oficial da Fundação no Facebook. Sérgio Camargo foi nomeado para presidir a instituição pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em novembro de 2019. “A Palmares deixou de ser a mais obscura e desconhecida de todas as fundações da administração pública federal. Depois da minha chegada, ganhou fama e relevância”, Sérgio Camargo também publicou hoje.

A ação cível deve ser protocolada nesta quarta-feira (18/8). “Na epígrafe da ação (sendo finalizada), o ensinamento de Morgan Freeman que pretos racistas da esquerda precisam aprender”, tuitou Sérgio Camargo.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos