Originalidade e pioneirismo ofuscados pelo preconceito: a história de Gentil Cardoso
Gentil Cardoso (com Garrincha): treinador
e frasista do futebol brasileiro.
 
 AOS NAVEGANTES DO BAHIA EM PAUTA: Texto de análise política brilhante e diferenciado de Zé Américo Silva (amigo do peito destes site blog Bahia em Pauta e de seu editor) , destacad oespecialista em marketing e primoroso estilista das palavras e das estratégias da política e de sua profissão. BP reproduz com autorização do autor e nossos agradecimentos . Confira , se delicie e reflita. (Vitor Hugo Soares)
Programa Fala Aí! 18 - YouTube
ARTIGO
“QUEM DESLOCA RECEBE, QUEM PEDE TEM PREFERÊNCIA”
 
 José Américo Silva
 
 
Essa máxima do futebol se encaixa como uma luva na política.
Apesar de contarmos hoje com o “deslocamento” virtual proporcionado pelo fenômeno das redes sociais, a cartilha básica do Marketing Político ensina que o povo quer ver e sentir seu candidato de perto. Mesmo levando em consideração as restrições impostas pela pandemia do Coronavírus, se um candidato quer ser conhecido e divulgar suas ideias, tem que percorrer o país. Isso não quer dizer que deve – e não deve – promover aglomerações neste momento de novas cepas da Covid19. Mas, uma coisa é falar para a rádio de Xique-xique no sertão da Bahia. A outra é ir lá e falar nos estúdios de uma emissora e visitar um projeto de irrigação, por exemplo. Dizer o que pensa sobre agronegócios e agricultura familiar. Isso gera o fato e a foto do dia ou da semana. Gera conteúdos os mais diversos, para o analógico e o digital, criando memória para a sua campanha, principalmente no horário eleitoral gratuito.
Hoje, 1 de agosto de 2021, começa o segundo mês do segundo semestre do ano e, se os que querem enfrentar Bolsonaro e Lula – candidaturas dadas como certas – não começaram a se deslocar no grande tabuleiro formado por estados e municípios do Brasil, vão chegar atrasados no funil de entrada do 2º turno.
Não basta ficar tagarelando nas redes ou indo a alguns locais só para gravar inserções para as redes sociais. Isso faz parte, mas já não é suficiente. Urge andar, ver e ser visto, sentir e ser sentido. Outra coisa é achar que o maior adversário está com sua popularidade em queda e que suas andanças de moto e suas falas destabacadas não tem mais efeito. Não acreditaria nisso como certeza absoluta. Lembre que o candidato à reeleição tem a chave do cofre na mão. E o outro já foi duas vezes presidente e é mais conhecido que feijão com arroz. Menosprezar o inimigo é o caminho mais curto para a derrota.
 
Muito menos se achar o máximo é certeza de que os outros também o achem.
Seja paulista, gaúcho, cearense, mineiro ou maranhense, o candidato tem que começar já a gastar sola de sapato. Sua equipe tem que articular – com visão geopolítica – a agenda de maneira a criar os fatos e as fotos que pautarão a imprensa e as redes sociais. Tem que saber escolher os assuntos e as ‘teclas’ a serem batidas e repetidas, onde, como, porque e quando. Repito: “Quem desloca recebe, quem pede tem preferência”.
 
É possível ter mais opções que as já conhecidas para a disputa de 2022. Mas é preciso estratégia de marketing para fazer acontecer.

 

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos