maio
14
Postado em 14-05-2021
Arquivado em (Artigos) por vitor em 14-05-2021 00:28
 

 
Economia

O filho 02 do presidente Jair Bolsonaro, vereador Carlos  Bolsonaro, teve um ataque de fúria depois de ser citado pelo chefe da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, em depoimento à CPI da Covid. Murillo disse que Carlos participou de uma reunião com representantes da empresa em 7 de dezembro de 2020 no Palácio do Planalto.

 

Pessoas próximas a Carluxo dizem que ele soltou uma série de palavrões quando ouviu seu nome na CPI. O filho 02 do presidente já havia sido acusado pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta de participar de um gabinete paralelo no governo para tratar da covid-19, inclusive, vacinas.

Carlos Bolsonaro entrou na reunião entre o então secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, e representantes da Pfizer na companhia de Filipe Martins, assessor especial para assuntos internacionais do presidente. Carluxo ficou pouco tempo. Martins, que é investigado por ter feito um gesto obsceno em sessão do Senado, ficou até o final.

 

Disse Murillo: “Após, aproximadamente, uma hora de reunião, Fabio (Wajngarten) recebeu uma ligação, sai da sala e retorna para a reunião. Minutos depois, entram na sala de reunião Filipe Garcia Martins e Carlos Bolsonaro. Fabio explicou a Filipe Garcia Martins e a Carlos Bolsonaro os esclarecimentos prestados pela Pfizer até então na reunião. Carlos ficou brevemente na reunião e saiu da sala. Filipe Garcia Martins ainda permaneceu na reunião”.

Todas as informações sobre a reunião da qual Carlos Bolsonaro participou foi repassada a Murillo por Shirley Meschke, diretora da Pfizer. A conversa foi para discutir a possibilidade de o governo brasileiro fechar a compra de vacinas do laboratório contra o novo coronavírus. O governo, porém, não deu importância ao assunto. A compra do imunizante só foi fechada neste ano.

Be Sociable, Share!

Comentários

Maria Aparecida Torneros on 14 Maio, 2021 at 7:48 #

Como gritou a professora Dea Lúcia, no Cristo Redentor, ao final da missa de sétimo dia por alma do seu filho Paulo Gustavo: ” a corrupção mata!”. O ator tinha gravado meses antes: gente cadê as vacinas? Morreu de covid sem ter sido vacinado. Enquanto isso os abutres assassinos porstergavam a compra das ditas cujas. O gabinete do ódio é o mesmo da desumanidade. Carlos Bolsonaro parece se achar imune ao julgamento do povo sofrido e consciente. Acho que seu pai e toda a corja também. Mas o tempo dirá e a história os julgará. O Brasil não merece esse rebanho de corruptos como não mereceu os anteriores. Nosso melhor caminho é educação e saúde com gestões responsáveis. Quando isso, finalmente, acontecerá? Fora, corruptos! Fora, gente pestilenta e insensível! Fora, podres poderosos que dançam sobre nossos cadáveres.


Maria Aparecida Torneros on 14 Maio, 2021 at 8:12 #

https://youtu.be/IsJASK2DJzU

Ivete Sangalo ao homenagear a mãe de Paulo Gustavo chama a atenção sobre a novela da falta de vacina que derivou no disparo de mortes que poderiam ter sido evitadas. O Brasil que amamos é o da empatia e responsabilidade. Este em que estamos sobrevivendo tem que ser banido definitivamente. Cadeia pra essa gente é pouco. Prisão perpétua é um castigo razoável. Pena de morte não tem mais no Brasil. Teve para Tiradentes que lutou contra exploração do povo brasileiro. Foi enforcado. Em praça pública. Quantos atualmente se a lei permitisse , seriam condenados ao enforcamento pra se fazer justiça?


Carlos Volney on 14 Maio, 2021 at 13:34 #

Efusivos parabéns, Maria Aparecida, por seu brilhante comentário acima, realmente o Brasil não merecia os corruptos atuais nem os anteriores.
Chega de maniqueísmo, de culto a corruptos de estimação, como tem feito a direita – esta, aliás, não surpreende – e a nossa (?) esquerda, que também se enlameou, até se aliando aos maiores corruptos desta sofrida Pindorama.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos