mar
17
Posted on 17-03-2021
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-03-2021

Foto: EVARISTO SÁ/ AFPEconomia

O presidente Jair Bolsonaro venceu as disputas eleitorais de 2018 com um duro discurso contra a corrupção. Garantia que, no seu governo, tudo seria diferente. Pois bem, quase dois anos e meio depois da posse dele, os quatro filhos — Flávio, Eduardo, Carlos e Renan — estão sob investigação da Justiça e da Polícia Federal.

O caso mais recente envolve o filho mais novo do presidente: Renan Bolsonaro. A Polícia Federal abriu, na segunda-feira (15/03), um inquérito para apurar negócios envolvendo o 04. O alvo, segundo a Folha de S. Paulo, é uma empresa de Renan que tem relações com o governo federal. O 04 teria a missão de abrir portas no Executivo.

O filho mais velho, o senador Flávio Bolsonaro, é acusado de comandar um esquema de rachadinha quando era deputado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Pelas investigações, ele receberia boa parte dos salários de pessoas empregadas em seu gabinete. Os recursos teriam sido lavados em uma loja de chocolates, que foi vendida para que Flávio pagasse parte da entrada da mansão que comprou em Brasília por quase R$ 6 milhões.

 

O mesmo esquema de rachadinhas, com funcionários fantasmas, é investigado no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro na Câmara Legislativa do Rio de Janeiro. O Ministério Público já levantou uma série de informações. Carlos, assim com Flávio, negam as irregularidades e se dizem vítimas de perseguição política para prejudicar o pai.

 

O deputado Eduardo Bolsonaro, por sua vez, é alvo de um inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a disseminação de notícias falsas contra autoridades e o financiamento de atos antidemocráticos. As investigações estão a cargo da Polícia Federal.

 

No caso de Flávio, em fevereiro último, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou as quebras de sigilo relacionadas ao caso das rachadinhas. E, nesta terça-feira (16/03), pode enterrar o caso de vez ao considerar ilegal a investigação realizada pelo Coaf, o órgão de inteligência financeira do governo.

 

Todas essas investigações têm causado apreensão no presidente da República, que, a cada nova denúncia contra os filhos, cria fatos para tentar distrair a opinião pública. Mas os casos já pesam na popularidade do governo, que está em baixa.

 

mar
17

“Batida diferente”, Roberto Menescal: a Bossa tem sobrenome! Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

(Gilson Nogueira)

mar
17
Posted on 17-03-2021
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-03-2021
CVM abre 4 processos para apurar irregularidades na Petrobras
Foto: Divulgação 

 

A crise gerada na Petrobras pela intervenção de Jair Bolsonaro, que resultou na demissão de Roberto Castello Branco, gerou a abertura de quatro processos administrativos pela Comissão de Valores Mobiliários, órgão regulador do mercado de ações, informa O Globo.

Um dos processos analisará a declaração do presidente de que “algo” iria acontecer na estatal após a companhia reajustar os preços, em 19 de fevereiro.

Os outros processos analisam a conduta da União na divulgação de notícias sobre a demissão de Castello Branco, o enquadramento do currículo do general Joaquim Silva e Luna —o substituto escolhido por Bolsonaro— nos requisitos da Lei das Estatais e a suspeita de insider trading.

mar
17
Posted on 17-03-2021
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-03-2021


 

Sponholz, NO

 

mar
17

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

O programa “Encontro com Fátima”, da Globo, estava na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro

Victória Olímpio
 

 (crédito: Reprodução)

(crédito: Reprodução)

A equipe de reportagem do programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, se surpreendeu ao presenciar uma troca de tiro na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Após assalto a uma joalheira do shopping, assaltantes trocaram tiros com policiais durante fuga após o crime. A apresentadora Fátima comentou sobre o caso durante o programa desta terça-feira (16/3).

“Muita gente passando mal, uma senhora passando mal. Eu passei mal, todo mundo fica numa situação dessa. Por mais que a gente vá se acostumando a viver numa cidade como essa, como o Rio, em que tiroteio não é nada muito fora da rotina”, finalizou Mona Lisa.

Sobre o caso

Na tarde desta segunda-feira (15/3), oito criminosos participaram do assalto à loja Rolex, que fica no Barra Shopping. Os envolvidos usaram motos roubadas para fugir do local e houve confronto com a PM. De acordo com o G1, um deles foi baleado no braço por agentes da Barra Presente na Avenida Ayrton Senna, no meio do trânsito, e foi detido pelos policiais.

O homem foi preso com dois relógios de luxo, uma pistola glock, duas granadas, munição e um telefone celular. O shopping informou que o gerente havia sido agredido, mas que estava bem: Um dos criminosos foi baleado no braço por agentes da Barra Presente na Avenida Ayrton Senna, no meio do trânsito, e foi detido pelos policiais.

  • Arquivos