Resultado de imagem para alexandre de Moraes x Daniel Silveira

 Alexandre de Moraes (STF) manda prender deputado Daniel Silveira…
Resultado de imagem para Camara decide manter Daniel Silveira na prisão

…Câmara referenda decisão do STF por larga margem

ARTIGO DA SEMANA

STF, um basta nas provocações (Daniel de que?)

Vitor Hugo Soares

Quarta-Feira de Cinzas, 17 de fevereiro de 2021, começa a Quaresma, tempo de meditação. Período mais que propício para a histórica decisão do Supremo Tribunal Federal, por unanimidade de seus 11 membros, de referendar e manter na cadeia o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), preso na véspera pela Polícia Federal por ordem do ministro Alexandre de Moraes. Com a palavra a Câmara Federal para decidirá se manda soltar o “Daniel de que?” (na sintomática expressão do presidente da corte suprema de Justiça, Luiz Fux) – pondo mais gás na fogueira acesa no último dia do carnaval, fortalecendo o bolsonarismo desvairado, – ou se desdobra em panos quentes para apagar o fogo que se alastra. Perigosamente e em muitas direções.

A provocação na política, nos governos e nas relações pessoais, por princípio, é sempre (ou quase) uma linha tênue e imperceptível entre a crítica democrática, –  necessária à convivência salutar dos regimes e dos indivíduos em sociedade  – e a agressão ameaçadora e ofensiva às autoridades constituídas e às instituições, que as democracias verdadeiras não podem tolerar sob pena de, irremediavelmente, desaguar no caos e na anarquia destrutiva. Quem viu ou sofreu na pele os anos loucos pré – ditadura militar, de 1964, ou o período do AI-5, em 1968, sabe bem do que fala o jornalista: de gente estranha e suspeita, surgida do nada, não se sabe como nem de onde. Como no caso deste deputado e seus vídeos provocadores, postados e mantidos nas redes sociais até o “parlamentar das cavernas ( ou das casernas?)” ser preso, em flagrante delito, por ação do ministro.Este é o fato, Sua Excelência O Fato, de que falava o estadista Charles de Gaulle.

A largada para o que viria a seguir, no fim do pseudo carnaval deste ano, começou num
vale-tudo  com “cascas de bananas” jogadas para eventuais escorregos, distribuição de favores, cargos e até partilhas de nacos do poder federal, em ministérios de orçamentos multibilionários – entre o Palácio do Planalto e as duas casas do Congresso (de cabeças cortadas entregues de bandeja, segundo protesto do ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia). A senadora Simone Tebet (MDB) também denunciou a disputa desleal e desproporcional, na correlação de forças, sem princípios ou respeito às regras e praxes partidárias e parlamentares.

Na escalada provocadora entra, também, a folia do presidente Jair Bolsonaro e seu bloco de familiares, amigos e integrantes do Centrão, que deixaram Brasília para promover desacatos em Santa Catarina, em desrespeito ao bom senso, normas de convivência democrática e até  sanitárias em tempo de pandemia que se alastra, mortífera, no País.  Entre banhos de mar, passeios de barco, pescarias e aglomerações nas praias, promoveu sessões de esculachos contra “as esquerdas”, ao ex-colega Lula e ao governador João Dórea (SP). Atacou de forma grosseira e intolerante a imprensa e os jornalistas, seus atuais alvos e exaltou sua ideia fixa de continuar no Palácio da Alvorada em 2022.

Das provocações, chegamos aos crimes que levaram o deputado Daniel à cadeia e à grave crise política e institucional que ameaça desabar sobre o Brasil, a depender dos próximos passos e atitudes. O comando da Câmara dos Deputados enfrenta seu primeiro e grande impasse. A ver.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitors.h@uol.com.br

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2021
    S T Q Q S S D
    « jan    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728