fev
17
Postado em 17-02-2021
Arquivado em (Artigos) por vitor em 17-02-2021 00:15

Com a suspensão de voos entre Portugal e Brasil prorrogada dessa segunda-feira (15) até 1º de março, muitos brasileiros já enfrentam dificuldades financeiras para se manter em solo lusitano. O Consulado brasileiro sob Bolsonaro nada faz

Credit…

Por Lauro Neto

 

A mineira Cindy Oliveira Romão enfrentou essa situação até ser acolhida por uma família de brasileiros em um apartamento em Lisboa. Ela trabalhava como cuidadora de idosos, mas perdeu o emprego após contrair covid-19. Sem trabalho nem dinheiro, foi despejada do quarto que alugava por falta de pagamento. Mandou um e-mail para o Consulado-Geral do Brasil em Lisboa pedindo ajuda para regressar ao seu país, mas ainda não obteve resposta.

“Estou com fome, peço por favor que me ajudem a voltar para minha casa, onde está a minha família. Sem trabalho e sem ter onde ficar, ‘dormi’ quatro dias em uma praça e agora estou de favor na casa de um pessoal, mas estou desesperada porque é uma situação muito constrangedora”, relata Cindy.

Por ter crédito em uma companhia aérea, ela possuía direito a uma passagem de volta para Campinas, inicialmente prevista para 6 de fevereiro, mas, com o decreto que entrou em vigor no dia 29 de janeiro suspendendo os voos em função do agravamento da pandemia, acabou ficando retida em Portugal.

Um novo decreto passou a vigorar nessa segunda-feira (15), renovando a suspensão. Cindy chegou a entrar em contato com o Centro Nacional de Apoio à Integração de Migrantes (CNAIM), mas também não teve êxito, como conta à agência de notícias Sputnik Brasil.

“A mulher foi até muito atenciosa comigo, mas me disse que a volta voluntária só seria possível depois de três meses. Não tenho como ficar aqui por três meses. Não tenho dinheiro para nada. Cheguei a ligar para um lugar para pedir repatriamento, mas a moça me informou que só seria possível depois de seis meses de espera”, lamenta.

 Associação Brasileira em Portugal pede apoio ao Exército

Cindy não é a única nessa situação. Uma lista de mais de 340 brasileiros que tentam regressar para casa foi encaminhada pela Associação Brasileira em Portugal (ABP) ao Exército do Brasil na manhã desta terça-feira (16). No ofício dirigido ao general Eduardo Antônio Fernandes, do Comando Militar do Sudeste, Ricardo Amaral Pessôa, presidente da ABP, pede o apoio das Forças Armadas.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2021
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728