nov
04

O ministro Gilmar Mendes disse hoje que “as cenas da audiência de Mariana Ferrer são estarrecedoras” e que “os órgãos de correição devem apurar a responsabilidade dos agentes envolvidos, inclusive daqueles que se omitiram”.

Ele comentou o caso da absolvição do empresário André de Camargo Aranha do estupro da modelo Mariana Ferrer, em Santa Catarina. Durante a audiência do caso, o advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, que defende Aranha,  mostrou fotos da modelo para tentar desqualificá-la, dizendo coisas como “não tenho filha do teu nível” e insinuando que ela acusou o empresário para ganhar dinheiro, por ter perdido o emprego. “Tu vive disso”, disse o advogado durante a audiência, conforme vídeo divulgado hoje pelo site The Intercept.

É o processo que ficou famoso como o caso do “estupro culposo”.

O termo foi usado pelo promotor Thiago Carriço de Oliveira, do MP catarinense, para pedir a absolvição do empresário. O argumento, segundo informações do portal ND Mais, era o de que o réu não tinha como saber que Mariana Ferrer estava sob efeito de drogas e não tinha “o necessário discernimento para a prática do ato”, conforme escreveu o promotor que assinou a denúncia, Alexandre Piazza – que deixou o caso para assumir outra Promotoria.

Segundo a tese do promotor Thiago de Oliveira, portanto, André de Camargo Aranha não teve a intenção de cometer o crime porque não teve como perceber que a vítima estava indefesa.

O juiz do caso, Rudson Marcos, concordou com os argumentos. Segundo o magistrado, não foram apresentadas provas no caso de que a vítima estivesse incapaz.

3 tangos para bandoneon”, Astor Piazzolla e Lallo Schifrin”: de primeira, ao meu amigo Raúl Alberto Páez, que vestiu as camisas da Seleção da Argentina e do Esporte Clube Bahia, exemplos vivos da raça dentro de campo. Que sirva de inspiração para o Bahia voltar a ser o que era! Saudade, amigo Páez! E que a uréia tenha servido para as plantas do casal que honrou-me com a amizade! Viva Vocês, viva o Bahia de ontem!

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

nov
04

Pandemia

DO CORREIO BRAZILIENSE

Ministro da Saúde foi diagnosticado com o novo coronavírus em 21 de outubro e internado em um hospital particular na última sexta-feira (30), com quadro de desidratação. No domingo(1/11), havia sido transferido para o Hospital das Forças Armadas

ME
Maria Eduarda Cardim
 

 (crédito: JOSE DIAS)

(crédito: JOSE DIAS)

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, refez o teste para o novo coronavírus nesta terça-feira (3/11) e teve diagnóstico negativo para covid-19. Com isso, o general teve alta do Hospital das Forças Armadas (HFA). O Ministério da Saúde não confirmou a informação, obtida através de fontes pelo Correio.

Segundo atualização feita ontem (2/11) pela pasta, Pazuello “já não apresenta quadro de desidratação” e “não houve nenhuma nova intercorrência”.

Pazuello testou positivo para covid-19 em 21 de outubro e foi internado em um hospital particular na última sexta-feira (30). No domingo (1/11), o general recebeu alta hospitalar às 11h30, mas, no mesmo dia, foi internado no HFA para “análise da equipe médica que o acompanha desde o início do tratamento para covid-19”

Apesar de não divulgar o motivo da transferência ao HFA, o ministério informou que o procedimento é “regulamentar para o tratamento que teve início em unidade de saúde militar”.

nov
04
Posted on 04-11-2020
Filed Under (Artigos) by vitor on 04-11-2020
DO SITE ALÔ ALÔ, BAHIA
Projeto celebra o trabalho do cineasta baiano Tuna Espinheira Reunindo uma biografia em linha do tempo, filmografia organizada e detalhada, levantamento de matérias em veículos de imprensa e uma galeria de imagens mantidas pela família, a trajetória do cineasta baiano Tuna Espinheira é celebrada no portal www.cinemadetuna.com.br, lançado nesta terça-feira (3). A realização é fruto do projeto “O Cinema de Tuna”, idealizado por Rosa e Yara Espinheira, respectivamente filha e esposa. Em mais de 40 anos de carreira, Tuna abordou acontecimentos e movimentos culturais importantes em sua obra, como o carnaval de Salvador, em “Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu” (1972), o candomblé, em “Bahia de todos os Exus” (1978), a festa da independência da Bahia, em “Viva o 2 de julho” (1997), e muito mais.

nov
04
Posted on 04-11-2020
Filed Under (Artigos) by vitor on 04-11-2020


 

Quinho, NO JORNAL

 

nov
04

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Nesta terça-feira (3/11), a apresentadora iniciou o programa mostrando registros de Tom Veiga, o Louro José: ‘Não tem porque guardar essas preciosidades’

CB
 

 (crédito: TV Globo/Reprodução)

(crédito: TV Globo/Reprodução)

A apresentadora Ana Maria Braga continuou a série de homenagens ao amigo e companheiro de trabalho Tom Veiga, responsável pelo Louro José, na manhã desta terça-feira (3/11), no segundo Mais você, desde a morte do ator no último domingo (1º) em decorrência de um acidente vascular cerebral. Ele foi encontrado sem vida dentro de casa no Rio de Janeiro.

Dessa vez, a loira compartilhou com os telespectadores fotografias inéditas de Tom Veiga em diferentes momentos da vida, desde a criação do Louro José até imagens mais recentes nos bastidores do Mais você. Ela explicou o motivo de dividir as fotos com o público: “Não tem porque guardar essas preciosidades”.

Assim como no programa da segunda-feira (2), Ana Maria Braga manteve na bancada de Louro José flores, hoje amarelas, e, ao fundo, onde normalmente fica o slogan do Mais você, uma ilustração do personagem. Também na mesa, que faz parte do cenário, há um bandeja de alumínio com uma pintura do Louro José e uma imagem de Nossa Senhora.

O corpo de Tom Veiga será velado nesta terça-feira no Rio de Janeiro. Já na quarta-feira, o corpo segue para São Paulo, onde será enterrado. Veiga deixa quatro filhos.

  • Arquivos

  • novembro 2020
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30