Recado do general ao presidente: “Lembra-te que és mortal!” – HLucas

Rêgo Barros: alertas no duro artigo de rompimento

com Bolsonaro e o governo de que foi porta-voz.
 ARTIGO DA SEMANA

 

Palpite suspeito, Constituição de 88 (e Rêgo Barros)

Vitor Hugo Soares

Transição de outubro para novembro de 2020 – o tempo mais sombrio e desesperador de que tenho lembrança – é quando começa, nas redações dos jornais e revistas, nos sites, blogs e outros portos de informações nas redes sociais, o levantamento de dados e fatos que os 12 meses do calendário legaram ou nos tragaram, para o bem ou para o mal. Desde já, peço espaço para indicação do “palpite mais infeliz e suspeito do ano”, da lavra do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP/PR), representante destacado do Centrão no nosso parlamento. 
Misturando alhos com bugalhos, a começar por comparar a mobilização democrática da sociedade chilena pela Constituinte (que joga no merecido lixo da história, a Constituição herdada da ditadura de Augusto Pinochet), com a Constituição brasileira de 1988: nascida da Assembleia Nacional Constituinte depois do fim da ditadura militar.

O deputado abusou da inteligência do país e da paciência de qualificados juristas e políticos que reagiram, sem meias palavras, à proposta golpista embutida na sugestão feita durante debate promovido pela Academia Brasileira de Direito Constitucional. Pois é!

Partindo de achismo pessoal, de que “o Brasil está ingovernável”, Barros propôs  saída à chilena. “Para que possamos refazer a carta magna e escrever muitas vezes nela a palavra “deveres”, porque a nossa carta só tem direitos”, justificou. E recebeu o primeiro  “chega prá lá” na lata, dentro do próprio evento – denominado “Um dia pela Democracia” – na voz do ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (e presidente do TSE). Ele assinalou que o Brasil tem uma democracia “bastante resiliente, que vive sob a Constituição de 1988, há 32 anos recém completados”. Para o jurista, além de qualquer retórica, nós temos instituições sólidas, que têm resistido aos constantes vendavais.

Outra reação expressiva partiu da política. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ) frisou: No Brasil, o marco final do processo de redemocratização foi a Constituição de 88. “No Chile esse processo não se concluiu até hoje”, disse Maia, que conhece as duas realidades e considera imprópria a comparação. Com visão estratégica e objetiva, dos fatos, o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, foi direto ao ponto. Em mensagem na rede social, o ex-juiz condutor da Lava Jato escreveu: “O que dificultou a governabilidade do Brasil nos últimos anos foi a corrupção desenfreada e a irresponsabilidade fiscal, não a Constituição de 1988 nem a Justiça ou o Ministério Público”. Ponto.

Para o jornalista, porém, o alerta amarelo parece acender, de fato, com o texto do general Otávio  Rêgo Barros, rompendo em ressonante estilo com Bolsonaro e seu governo, publicado no Correio Brasiliense. Mesmo que, aparentemente, não tenha relação direta com a proposta da “nova constituinte” do bolso do colete do parlamentar do Centrão. Em sua análise do governo, o ex – porta-voz escreve: “As demais instituições dessa república – parte da tríade do poder – precisarão blindar-se contra atos indecorosos, desalinhados do interesses da sociedade, que advirão como decisões do “imperador imortal”. Deverão ser firmes, não recuar diante das pressões. A imprensa, sempre ela, deverá fortalecer-se na ética para o cumprimento de seu papel de informar, esclarecendo a população os pontos de fragilidade e os de potencialidade nos atos do Cesar”. Precisa desenhar?

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitors.h@uol.com.br

“Tomara”, Vinícius e Toquinho: Beleza em forma de música e poesia, com emoção à flor da pele… e uma saudade sem tamanho.

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

out
31
DO SITE O ANTAGONISTA
“Em resposta a Aécio”, Zambelli diz que vai propor exame toxicológico em parlamentares
Foto: Marcelo Chello/CJPress/Folhapress

A deputada bolsonarista Carla Zambelli anunciou que vai apresentar um projeto de lei para obrigar congressistas a fazerem exames toxicológicos periódicos.

Pela proposta, segundo a assessoria da deputada, em caso de detecção do consumo de drogas ilícitas, a pena seria a cassação imediata.

“É um absurdo interferir na liberdade individual. E também que haja sobre a população recorrentes dúvidas quanto à sobriedade dos parlamentares. A classe política deve ser exemplo e, infelizmente, não o é há muito tempo”, disse Zambelli.

O texto de divulgação à imprensa, enviado pela assessoria da parlamentar, afirma que se trata de “uma resposta” ao projeto apresentado pelo deputado Aécio Neves (PSDB), que propôs punições a quem não tomar a vacina contra a Covid-19 — quando ela existir, claro.

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

O ministro estava cumprindo isolamento em residência no Setor Militar Urbano, em Brasília

CB
Correio Braziliense
 

 (crédito: JOSE DIAS)

(crédito: JOSE DIAS)

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, teve uma piora no quadro da covid-19 e foi internado na noite desta sexta-feira (30/10), em um hospital particular de Brasília. A informação é da CNN Brasil. De acordo com a rede, o ministro passará a noite no hospital devido a uma desidratação. 

O ministro foi diagnosticado com covid-19 na quarta-feira (21/10) e estava cumprindo isolamento no hotel de trânsito dos oficiais, no Setor Militar Urbano, em Brasília.

out
31
Posted on 31-10-2020
Filed Under (Artigos) by vitor on 31-10-2020



 

Amarildo, NA

 

out
31

 

DO CB

A morte do jurista, um dos mais respeitados do país, foi lamentada nas redes sociais

RR
Renata Rios
 

 (crédito: Rose Brasil/Esp. CB/D.A Press)

(crédito: Rose Brasil/Esp. CB/D.A Press)

Morreu nesta sexta-feira (30/10), aos 95 anos, o constitucionalista Paulo Bonavides. O comunicado foi feito pelo reitor da Universidade Federal do Ceará, Cândido Albuquerque. “O mundo perdeu o seu maior constitucionalista! A Universidade Federal do Ceará está de luto! Com muito pesar cumpro o dever de comunicar o falecimento do Prof. Paulo Bonavides.”, disse o reitor, pelas redes sociais.

Bonavides foi um jurista brasileiro de destaque e um dos constitucionalistas mais respeitados do país. Ele lecionou por décadas na Universidade Federal do Ceará e é autor de várias obras voltadas para o direito. Nas redes sociais, a morte de Bonavides foi lamentada e o constitucionalista foi lembrado por grandes feitos.

“Tive a grande honra de conviver com o professor Paulo Bonavides. Um dos maiores estudiosos de Constitucional e Ciência Política do Brasil. Inteligente, humilde e extremamente dedicado a seus alunos. Um grande coração e exemplo para todos nós. Que descanse em paz ao lado de Deus”, disse o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Também ministro d Supremo, Luís Roberto Barroso escreveu: “Paulo Bonavides manteve a chama do constitucionalismo acesa durante a longa noite da ditadura militar. Liderou o movimento pós-positivista no Brasil e era uma pessoa adorável, generosa e de grande senso de humor. Um ser iluminado. A partir de agora, brilhará no firmamento”.

“O maior constitucionalista vivo do Brasil nos deixou hoje. Um dos maiores do mundo. Como pessoa, excedia o jurista. Nordestino da Paraíba, adotou o Ceará mas tinha terras no Rio Grande do Norte. A partir de hoje, Paulo Bonavides passa a viver no Céu. Suas lições não morrem!”, afirmou o ministro do Superior Tribunal de Justiça Marcelo Dantas.

Neta do jurista, Natália Bonavides lamentou a perda: “Morreu meu tio-avô, o constitucionalista Paulo Bonavides, que na família chamávamos carinhosamente de Tipaco. Força para minha tia-avó Ieda e seus filhos”.

O governador do Ceará, Camilo Santana também se manifestou. “Recebi com pesar a notícia da morte do jurista Paulo Bonavides, aos 94 anos. Membro da Academia Cearense de Letras e professor emérito da UFC, Bonavides foi um dos constitucionalistas mais respeitados do país, com reconhecimento internacional e teve participação importante na constituição do Ceará. Em 2015, tive a honra de convidá-lo para ser patrono do Pacto por um Ceará Pacífico. Meus sentimentos aos familiares e amigos do jurista Paulo Bonavides. Estou decretando luto oficial de três dias no estado”, declarou o governador.

Por G1 BA

Pesquisa da Rede Bahia acompanha evolução da intenção de votos para prefeitura de Salvador

 

 

Pesquisa Ibope divulgada pela TV Bahia nesta sexta-feira (30) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura de Salvador nas Eleições 2020:

Destaques por segmentos

As intenções de voto em Bruno Reis são mais expressivas entre eleitores de 35 a 44 anos (61%). Na comparação com a pesquisa anterior, o candidato apresenta crescimento de 22%. É possível notar uma crescimento de respostas nos seguintes perfis: evangélicos: de 40% para 64%; renda familiar acima de cinco salários mínimos: de 45% para 68%.

Comparativamente ao levantamento anterior, a petista Major Denice amplia suas respostas entre os seguintes estratos de eleitores: 16 a 24 anos: vai de 5% para 17%; ensino médio: de 5% para 16%.

Evolução dos candidatos

Em relação ao levantamento anterior do Ibope, divulgado no dia 5 de outubro:

  • Bruno Reis foi de 42% para 61%
  • Pastor Sargento Isidório foi de 10% para 5%
  • Major Denice foi de 6 % para 13%
  • Olívia Santana foi de 6% para 7%
  • Bacelar foi de 5% para 1%
  • Cézar Leite foi de 3% para 1%
  • Hilton Coelho foi de 2% para 1%
  • Rodrigo Pereira caiu de 1% para 0%
  • Celsinho Cotrim se manteve com menos de 1%

out
30
Trbn.com.br - Tribuna da Bahia
ARTIGO/Ponto de vista
Renúncia à Presidência da Academia de Letras da Bahia
Joaci Góes
Ao casal amigo Ana Cláudia e Almirante Silva Lima!
?A Academia de Letras da Bahia – considerada sua primeira versão de 1724, com o nome de Academia dos Esquecidos, passando pela de 1759, sob o batismo de Academia dos Renascidos-, é a mais antiga, do gênero, em todo o Continente Americano. Em dezembro de 2018, mereci a honra de ser eleito por aclamação para presidi-la, seguindo prática antiga, para evitar divisionismos gerados por questões religiosas ou político-ideológicas, conquanto livres os seus dirigentes para defender seus valores e crenças. Essa sábia postura chegou ao fim na Bahia, sede, como destacou Otávio Mangabeira, de precedentes excepcionais: um pequeno grupo de acadêmicos decidiu pugnar pela linha de pensamento único, a exemplo do que já ocorre na Universidade Federal da Bahia, cuja qualidade de ensino, por isso, perdeu muito, desde quando a cursei nos áureos tempos do reitorado Edgard Santos.
?Em, apenas, nove meses efetivos de gestão, entre março e dezembro de 2019, pude realizar um trabalho do qual extraio algumas ações, começando pelo corte de gastos, de modo a obter recursos para investir em cultura. Graças a essa medida, deixamos em caixa o suficiente para realizar obras imprescindíveis à preservação do histórico Palacete Góes Calmon, evitando o trágico destino do Museu Nacional, no Rio de Janeiro.
1- No programa Trajetória de uma vida: depuseram o escritor espanhol Javier Moro; o Presidente da Academia Brasileira de Letras, Marcus Lucchesi; os empresários Cícero Sena e Luís Mendonça; José de Freitas Mascarenhas, ex-secretário de Estado e ex-presidente da FIEB; o ginecologista-obstetra Antônio Carlos Vieira Lopes, Presidente da Academia Baiana de Medicina; o saudoso cientista Elsimar Coutinho; o ex-ministro e banqueiro Ângelo Calmon de Sá; o economista Fernando Alcoforado. Tudo isso gravado e disponível para os coevos e para a posteridade. No ano corrente, falariam o festejado helenista espanhol Marcos Chicot Álvarez; os ex-presidentes José Sarney, Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer; os senadores Espiridião Amin e Cristovam Buarque, bem como a escritora Ana Maria Gonçalves, autora do notável romance Um defeito de cor.
2- Além da Caravana à casa onde nasceu Castro Alves, no dia 14 de março, com a participação de profissionais liberais, magistrados e comandantes de nossas Forças Armadas, teríamos, no corrente ano, a excursão ao Parque de Canudos, guiados por Oleone Coelho Fontes, e a Porto Seguro, em parceria com a Academia de Letras local, presidida por Cícero Sena, para um encontro com estudantes secundários.
3- Lançamos o Prêmio nacional de Literatura, vencido pelo escritor baiano Franklin Carvalho, com o livro de contos A ordem interior do mundo, prefaciado por Gerana Damulakis que presidiu a comissão julgadora.
4- O programa Leitura sem fronteiras contou com a receptividade do Governo do Estado, através das secretarias de Cultura, Educação e da Fazenda. Com o Secretário da educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, fechamos acordo para abrir 1.000 bibliotecas em escolas do segundo grau, com acervo doado pela população que na Bahia mantém em casa cerca de trinta milhões de livros que mofam nas prateleiras. O propósito é o de fazer circular esse acervo, mediante trocas informais, vigiadas, apenas, pela consciência coletiva. Nos municípios da Região Metropolitana, a ALB contribuiria com cem mil volumes, coletados sob o nosso comando, junto à sociedade. Com a Prefeitura do Salvador, acertamos convênio para abrir dez grandes bibliotecas com uma média de cinco mil volumes, cada, metade dos quais coletados pela Academia. O Programa com o Governo estadual e a prefeitura de Salvador foram previstos para ocorrer em 2020. O dono do Atakarejo, Teobaldo, aceitou instalar bibliotecas na face externa de suas lojas. Acompanhei o projeto arquitetônico da biblioteca do Atakarejo de Lauro de Freitas, para cinco mil livros. Com o empresário de shoppings João Carlos Paes Mendonça iria conversar quando eclodiu a pandemia. Essas prateleiras serão uma grande atração em seus empreendimentos, Brasil afora. Os convênios são extensivos aos condomínios, escritórios, restaurantes, clínicas, academias de ginástica e igrejas.
5- Enviamos cartas nominais a todos os prefeitos dos 3.083 municípios dos estados que iniciam os seus nomes com as letras de A a P, indo do Acre a Pernambuco, inclusive os 417 municípios baianos. As cartas aos demais municípios foram interrompidas pela pandemia.
6- Dos vários encontros realizados na Academia, destacamos o sobre educação, com a participação das mais influentes entidades culturais do Estado. Desse encontro nasceu o requerimento, firmado por todas aquelas instituições, ao Governador do Estado, pedindo a criação do Museu da Libertação na chácara Boa Vista, onde morou Castro Alves. Fiz do requerimento um artigo publicado nesta Tribuna.
Até hoje, o Governador Ruy Costa não deu qualquer resposta.
7- Realizamos, também, um mega encontro em favor de Kirimurê, Baía de Todos os Santos, sediar a capital da Amazônia Azul. Na oportunidade, falaram dez oradores. A maioria de nossos políticos não se interessa, por ignorar a importância desse movimento ou por falta de espírito público.
8- A reinstalação dos sinos na Igreja da Graça, a mais antiga do Brasil, foi patrocinada pela Academia de Letras da Bahia, a pedido do Governo do Estado, através do secretário Fausto Franco.
9- Três dos nove negros que ingressaram na Academia, ao longo de sua história, tomaram posse em nossa gestão. Para aumentar esse pequeno número, crescem os adeptos da escritora Aline França para ocupar uma das duas vagas existentes.
10- Lídice, minha mulher, aguardou a conclusão do Café, já praticamente, pronto, para fazer o jardim. O Café da Academia será importante fator na disseminação da cultura.
11- O projeto do Panteon para imortalizar os grandes beneméritos foi desenhado pelo acadêmico Juarez Paraíso e sua mulher Márcia Magno.
12- Conversamos com alguns dos mais influentes membros da Academia Brasileira de Letras para apoiar o ingresso de mais um baiano naquela prestigiosa instituição, desde que haja consenso sobre um nome, com minha decidida exclusão.
Voltaremos na próxima semana.
Joaci Góes, escritor, ex-presidente da Academia de Letras da Bahia.Texto publicado nesta quinta-feira, 29, na Tribuna da Bahia.
 

“Dindi”, Tom Jobim: maravilhosa criação musical de Jobim, em mais que perfeita interpretação ao piano. Vai dedicada em louvor ao “Céu Nosso de Cada Dia”, com o qual a artista plástica Ligia Aguiar nos presenteia em se espaço no Facebook. Viva!

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

out
30

Por G1

A brasileira Simone Barreto Silva morreu no ataque à basílica de Nice — Foto: Reprodução/Facebook/Simone Barreto Silva

A brasileira Simone Barreto Silva morreu no ataque à basílica de Nice — Foto: Reprodução/Facebook/Simone Barreto Silva

O Consulado Geral do Brasil em Paris confirmou que uma das vítimas do atentado terrorista na basílica Notre-Dame, nesta quinta-feira (29) no centro de Nice, era a brasileira Simone Barreto Silva, de 44 anos, nascida em Salvador (BA).

Segundo uma prima que falou com a reportagem da rádio pública francesa RFI, mas preferiu não se identificar, Simone – que foi ferida a faca e morreu num restaurante quase em frente à catedral, onde tentou se abrigar – estava na França havia 30 anos e deixou três filhos.

Um dos proprietários do restaurante l’Unik, onde Simone chegou completamente ensanguentada, Brahim Jelloule, falou à TV France Info, ainda em estado de choque.

“Ela atravessou a rua, toda ensanguentada, e foram meu irmão e um dos nossos funcionários que a resgataram, a colocaram no interior do restaurante, sem entender nada, e ela dizia que havia um homem armado dentro da igreja”, disse.

O irmão de Jelloule e o funcionário chegaram a entrar na igreja, mas viram o homem armado com uma faca, foram ameaçados pelo terrorista e saíram correndo. Foram eles que chamaram a polícia. Segundo Jelloule, Simone morreu uma hora e meia depois de ter sido ferida. O atentado ocorreu às 9h da França (6h da manhã em Brasília).

Muçulmano, Jelloule se diz chocado com o atentado: “Isso não é o Islã. Eu conheço o Corão de cor, e não é isso que ele prega”, disse.

Segundo a prima que conversou com a RFI, a família só foi avisada de que Simone era uma das vítimas às 18h30 da França (14h30 de Brasília).

Simone Barreto Silva morreu no ataque à basílica de Nice, na França — Foto: Reprodução/Facebook/Simone Barreto Silva

Simone Barreto Silva morreu no ataque à basílica de Nice, na França — Foto: Reprodução/Facebook/Simone Barreto Silva

O Itamaraty divulgou uma nota oficial na qual repudia o ataque e lamenta a morte da brasileira. O texto diz que “o Presidente Jair Bolsonaro, em nome de toda a nação brasileira, apresenta suas profundas condolências aos familiares e amigos da cidadã assassinada em Nice, bem como aos das demais vítimas, e estende sua solidariedade ao povo e Governo franceses”.

O Itamaraty informou ainda que, por meio do Consulado-Geral em Paris, “presta assistência consular à família da cidadã brasileira vítima do ataque terrorista”.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, se manifestou em seu perfil em uma rede social. “Profundo pesar pela morte de uma brasileira de 44 anos, mãe de três filhos, ocorrida hoje em Nice, na França, uma das três vítimas fatais do brutal atentado cometido por um terrorista na Basílica de Nossa Senhora”, escreveu.

Simone celebrava Yemanjá na França

Nascida no Lobato, na Cidade Baixa, no subúrbio de Salvador, Simone Barreto tinha nacionalidade francesa e formação de cozinheira, mas atualmente trabalhava como cuidadora de idosos.

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 21 22

  • Arquivos