Nuvem de gafanhotos chega à Argentina e se aproxima do Brasil ...
Gafanhotos na Argentina deixam em alerta fronteiras do
Brasil e do Uruguai.
Centro de Inteligência Leonel Brizola | Vaquinhas online
Leonel Brizola: metáforas no exílio .

ARTIGO DA SEMANA

 

Gafanhotos: metáforas de Brizola (e do Brasil)

Vitor Hugo Soares

Acompanho a marcha dos gafanhotos  nas proximidades das fronteiras de Brasil e do Uruguai  com interesse jornalístico – além de boa dose de curiosidade,  ou para agregar o tipo de conhecimento  genérico  que nas barrancas do Rio São Francisco, de onde venho, se costuma chamar de “ciência de almanaque”. Sigo com assombro a nuvem de insetos  (400 milhões de exemplares, calculados pelos técnicos que monitoram sua passagem ameaçadora pelas plantações do Mercosul), no vôo incerto dos pastos da Argentina e do Paraguai que se aproxima, cada vez mais, das lavouras brasileiras e do pequeno país oriental  às margens do Rio da Prata. Por acaso e, de repente, observo um dado de aparente coincidência, que mais se assemelha a um alerta do falecido ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, Leonel Brizola , em seu incrível fraseado de sotaque gaúcho, repleto de metáforas políticas, não raramente bem humoradas e sempre provocativas e polêmicas.

E anoto: os gafanhotos – mais famintos que os predadores políticos do Centrão, capitaneados pelos notórios Waldemar da Costa Neto e o encrenqueiro de aluguel, Roberto Jefferson, que atacam vorazmente nos roçados mais endinheirados e cobiçados do governo do presidente Jair Bolsonaro (atingido pelo corona vírus), –  já estavam, na terça-feira, 21,  bem próximos da Villa de Carmen, na província uruguaia de Durazno, derradeiro abrigo de Brizola, antes da sua expulsão, pela ditadura que se instalava, nos anos 70, na pequena, próspera e sempre solidária nação vizinha.  Ambiente campestre onde, de férias do Jornal do Brasil, encontrei pessoalmente o ex-líder brasileiro, dias antes dele seguir para a penúltima etapa de seu exílio (ao lado da decidida e firme ex – primeira dama, dona Neuza), para os Estados Unidos, então sob a presidência do democrata Jimmy Carter.

Recordo do ex – líder político nacional (que se foi há 16 anos, na noite de 21 de junho, em um hospital do Rio) e de suas imbatíveis frases metafóricas, quando a repentina virada do tempo no extremo sul do país (das chuvas e frio de menos de 10 graus para o calor de 25 graus, no começo desta semana de julho do ano da pandemia), parece querer dar razão ao ditado da sabedoria popular, que aprendi na minha infância de garoto sertanejo nas margens do rio que passa na minha aldeia:.”Praga nunca vem sozinha”.

Pelo menos dois países na nossa fronteira constatam, amargamente, este saber do povo. E leio nos informes de monitoramento, da secretaria estadual de Agropecuária do Rio Grande do Sul, que os gafanhotos, em seu implacável instinto predador, chegaram a menos de  100 quilômetros da fronteira gaúcha, voltando a preocupar os agricultores . A dúvida agora é sobre o rumo próximo  da ameaçadora nuvem de insetos – a depender das condições climáticas locais –  que ocupavam, no começo da semana,  área estimada em 10km por 3km, de acordo com dados do monitoramento estadual.
Resta saber que rumo tomarão os gafanhotos: se das estâncias de Durazno (do exílio de Brizola) ou se vão preferir a rota das lavouras nos campos de Aceguá e Jaguarão,  as cidades brasileiras mais próximas. Quem sabe, antes, será extinta em parte por doses cavalares de inseticida, como se anunciava nesta sexta-feira. Ou, a parte que sobreviver,  buscará  outros espaços e caminhos “de verduras, de nabos e quiabos”, da “Marcha dos Gafanhotos”, antigo  e sempre atual sucesso  carnavalesco. A conferir.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail:vitors.h@uol.com.br

“O Nosso Olhar”, Sergio Ricardo: para ouvir dentro do silêncio e com saudade)!!!

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

Músico Sérgio Ricardo morre aos 88 anos no Rio | Rio de Janeiro | G1

CRÔNICA

Despedida: tentando não chorar

 

Gilson Nogueira

Tento não chorar, ao ler, no meu celular, a notícia da partida de Sérgio Ricardo para a Eternidade. Em estado de estupefação,  o homenageio, aqui, ouvindo, no coração e na alma, as canções que ele fez para mim e para sempre.

E vou deslizando no egoismo poético, serenamente, a saudade daquele dia em que o escutei cantar pela primeira vez. Foi na Baixa do Bonfim, menino! Em casa de Tia Celina! Na Terra da Felicidade. Em uma radiola, seu violão e sua voz transportaram-me para o Infinito, onde ele, agora, está, quebrando e jogando seu violão no espaço da estupidez. Como o fez na histórica resposta aos que não o permitiram interpretar “Beto Bom de Bola”, em festival de música popular brasileira realizado na terra da garoa.

Definitivamente, a partir dalí, se já admirava o gênio, passei a aplaudí-lo mais e mais. Em silêncio, relendo sua história, vejo Sérgio Ricardo vivo. A fatalidade, cruel como nunca, digo e assino, é uma filha da puta! Meu primeiro farol da Bossa Nova, ao lado do conterrâneo, que conversava com o silêncio, partiu. E agora, como será? Indago-me, no vazio, e tenho medo de ser devorado por um vírus que não distingue o que é arte e o que é estupidez. Sérgio deixa uma lacuna no mundo! Deus,

Certamente, Haverá de Plantar, na cabeça daqueles que o vaiaram, no século passado, em um espaço artístico paulistano, a semente da razão que toda e qualquer forma de arte tem. Sigo ouvindo Sérgio em meu querer bem eterno. Ao mesmo tempo, lembrando daquele dia em que fiquei acanhado em saudá-lo no elevador de um hotel do Nordeste. Fui trabalhar recordando a trilha sonora de Deus e o Diabo na Terra do Sol. E escutando, na memória, a voz de Glauber: ” Deus Está Louco para Ouvir Folha de Papel, Serginho!” Viva os Três!

Gilson Nogueira é jornalista, colaborador da primeira hora do Bahia em Pauta

jul
25

DO CORREIO BRAZILIRNSE

De acordo com a pesquisa, Bolsonaro lidera todos os cenários de primeiro turno e derrotaria todos os seis potenciais adversários no segundo


 
(foto: Evaristo Sá/AFP)
(foto: Evaristo Sá/AFP)

Uma pesquisa sobre intenções de votos divulgada, nesta sexta-feira (24/7), mostra que a atual intenção de votos para o pleito de 2022, e aponta que o presidente Jair Bolsonaro seria reeleito presidente do Brasil em todos os cenários. O levantamento é do instituto Paraná Pesquisas junto com a revista Veja e foi realizada entre 18 e 21 de julho.

De acordo com a pesquisa, Bolsonaro lidera todos os cenários de primeiro turno e derrotaria todos os seis potenciais adversários do segundo: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-­prefeito Fernando Haddad (PT), o ex-­governador Ciro Gomes (PDT), o ex-­ministro Sergio Moro, o governador de São Paulo João Doria (PSDB) e o apresentador Luciano Huck.

Nesses seis cenários de primeiro turno, Bolsonaro vence com percentuais que vão de 27,5% a 30,7%. Nas disputas de segundo turno, depois de Lula (45,6% a 36,4%), Moro é quem mais se aproxima de Bolsonaro (44,7% contra 35%). Segundo especialista, ouvidos pelo Correio, o ex-ministro perdeu espaço desde que saiu do governo. Enquanto Bolsonaro teve a popularidade aumentada por causa do auxílio emergencial.

 Redação O Antagonista

Roberto Jefferson, que teve suas contas bloqueadas hoje por decisão do ministro Alexandre do Moraes, do STF, usou o Twitter da filha, ex-deputada federal Cristiane Brasil, para escrever a seguinte mensagem:

“Amigos aqui é Roberto Jefferson. Entrei na conta da minha filha para agradecer a todos pelo apoio. Em breve estaremos juntos novamente! Alexandre, não temo sua tirania!”

Mais cedo, ao comentar a decisão de Alexandre de Moraes de suspender contas de bolsonaristas em redes sociais, no âmbito do inquérito das fake news –o mesmo que censurou Crusoé e O Antagonista –, Cristiane disse que “o Brasil vive um AI-5 implementado pelo Judiciário”.

Pela manhã, antes de ter sua conta bloqueada por ordem judicial, o próprio Roberto Jefferson havia escrito:

“Oro todos os dias para que Deus quebre as mãos de Barroso, Fachin e Alexandre de Moraes. Deus me permita assistir sua derrota e execração aos olhos do povo brasileiro.

 

No fim de semana, reportagem do Correio denunciou que dois meses após decisão de Alexandre de Moraes, perfis dos suspeitos de ataques e fake news contra o Supremo continuavam ativos


 
(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)

O Twitter bloqueou, nesta sexta-feira (24/7), as contas de investigados no inquérito que investiga ataques e fake news contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A empresa que gerencia a rede social cumpre determinação do ministro Alexandre de Moraes, responsável pelo inquérito que corre na Corte sobre o tema.Nos perfis do blogueiro Allan dos Santos e da ativista Sara Giromini, aparecem mensagens informando que as contas foram bloqueadas por motivos legais, por decisão da Justiça do Brasil. No último domingo (19/7), reportagem do Correio apontou que os perfis dos investigados continuavam ativos, mesmo após decisão de Moraes, que tem como objetivo parar a suposta prática criminosa de ataques contra as instituições.

 

Na ocasião, Facebook e Instagram não quiseram comentar o assunto. O Twitter, no entanto, informou que “por padrão, cumpre com decisões no âmbito de processos judiciais, investigações policiais e procedimentos administrativos quando estão presentes os requisitos legais aplicáveis. Essa postura decorre do compromisso com as leis e o respeito às ordens e requisições que nos são destinadas.”

 

As investigações da Polícia Federal apontaram que personalidades com perfis que tem grande poder de engajamento estão por trás da organização do esquema de fake news.

Os alvos

Entre os investigados no inquérito está o blogueiro Allan dos Santos, que tem mais de 360 mil seguidores no Twitter, a ativista Sara Giromini, com 262 mil seguidores nas mesma rede.
Além do empresário Luciano Hang, com 371 mil seguidores, que também mantém atividades em todas as redes sociais. Deputados federais do PSL, como Bia Kicis, Carla Zambelli, Daniel Silveira e Felipe Barros, prestaram depoimento e também são alvos das diligências.

Na decisão, Moraes destaca que a suspensão das atividades nas contas das redes sociais dos investigados é necessário para impedir a continuidade dos delitos. “O bloqueio de contas em redes sociais, tais como Facebook, Twitter e Instagram, dos investigados apontados no item anterior “1”, necessário para a interrupção dos discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática”, destacou Moraes na decisão.  

 

Em nota, a defesa de Sara Giromini disse que o inquérito é “inconstitucional” e que “denunciará aos organismos internacionais de direitos humanos a grave ofensa à liberdade de expressão, direitos e garantias fundamentais.” 

 Nota completa  

“É com pesar que a DEFESA de Sara Winter recebeu a notícia da suspensão e bloqueio da conta de Sara Winter no

twitter e de inúmeros outros cidadãos brasileiros, de acordo com a determinação do ministro relator do Inquérito

“inconstitucional” 4781/DF, o “inquérito das fake News”, mais conhecido como o “inquérito do fim do mundo”.

 

Sara Winter faz parte do referido inquérito por um tweet de apenas uma linha, o que, segundo consta no tal

inquérito, mereceu busca e apreensão, prisão, e agora, o sepultamento de sua liberdade de expressão.

 

A Constituição Federal traz, ainda, em seu Art. 220 que “A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a

informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta

Constituição.”.

 

Pois bem, nesta data, data vênia, esse artigo foi revogado pela “ditadura da toga”, sem pudor, sem vergonha, sem

justificativas plausíveis, senão: CALAR QUEM TEM VOZ.

A DEFESA de Sara Winter informa que denunciará aos organismos internacionais de direitos humanos a grave

ofensa à liberdade de expressão, direitos e garantias fundamentais.

 

Esse foi um grande passo rumo ao nefasto desconhecido, que nas palavras de Rui Barbosa, ilustram bem o

momento ímpar que vivemos: “A liberdade não é um luxo dos tempos de bonança; é, sobretudo, o maior elemento

de estabilidade das instituições.”.

jul
25
Posted on 25-07-2020
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-07-2020


Tri-campeão do IBest
Veja nossas estatísticas
Veja nossas estatísticas

Jornal de charges – O melhor do humor gráfico brasileiro na Internet – ano XXIII – 6ª- feira 24/07/2020

random image
Amarildo na Gazeta (ES)

DO EL PAÍS

As autoridades afirmam que a bióloga Juan Tang ocultou sua ligação com o Exército chinês para obter visto de entrada nos Estados Unidos

 Sonia Corona

Washington
Juan Lang em uniforme militar, em imagem distribuída pelo Departamento de Justiça.
Juan Lang em uniforme militar, em imagem distribuída pelo Departamento de Justiça.AP

A cientista chinesa que permanecia refugiada no consulado de seu país em San Francisco foi detida na noite de quinta-feira na sede diplomática e se apresentará em um Tribunal Distrital da Califórnia , segundo revelou à agência Reuters uma alta autoridade do Departamento de Justiça. O FBI investigava a bióloga da Universidade da Califórnia havia algumas semanas, depois de descobrir que ela mentiu para obter seu visto de entrada no país. Juan Tang disse às autoridades do setor de imigração que não havia servido nas forças chinesas. No entanto, os investigadores encontraram uma foto em que ela veste uniforme militar e comprovaram sua ligação com a Universidade de Medicina Militar da Força Aérea da China.

As fontes do Departamento de Justiça citadas pela Reuters afirmam que a pesquisadora não tinha imunidade diplomática e o consulado não a reconheceu como funcionária. A polícia não pode entrar em sedes diplomáticas sem ser convidada, portanto, presume-se que a cientista se entregou às autoridades. Os investigadores a interrogaram em 20 de junho e, seis dias depois, um juiz a acusou de fraude e ordenou sua prisão, mas Juan Tang já estava escondida no consulado chinês. O Departamento de Justiça distribuiu fotos da bióloga em uniforme militar. Juan Tang é especialista em tratamentos contra o câncer.

 Os documentos do tribunal revelam que o FBI localizou pelo menos dois outros acadêmicos da China que usaram identidades falsas para obter vistos e permanecer nas universidades do país. Eles trabalhavam nas universidades da Califórnia em San Francisco e Duke. Os investigadores vincularam os casos e estimam que se trata de uma rede de espionagem de propriedade intelectual para obter informações sobre tratamentos médicos desenvolvidos nos Estados Unidos. Nesta semana, o Departamento de Justiça também acusou dois hackers chineses de violarem os sistemas de computadores de centenas de empresas ocidentais e tentar furtar dados de pesquisas do desenvolvimento da vacina contra a covid-19.

Esses casos ocorrem num momento em que as relações entre a China e os Estados Unidos se tornam mais tensas a cada dia. Na terça-feira, Washington ordenou o fechamento do consulado chinês em Houston (Texas), marcado para esta sexta-feira e, em retaliação, Pequim pediu o fechamento do consulado dos EUA em Chengdu (China central). Os Estados Unidos acusaram a sede diplomática chinesa no Texas de ser um centro de espionagem, enquanto a China afirma que os diplomatas norte-americanos interferiam na vida política do país e realizam atividades diferentes de seus cargos no consulado.

  • Arquivos