jul
17
Postado em 17-07-2020
Arquivado em (Artigos) por vitor em 17-07-2020 00:10

Alfacinha verdejante durante o verão europeu, ele ganha ares internacionais e reforça a sua ascendência sobre os nativos brasilienses, sempre impressionáveis. Gilmar em Portugal expande-se como os descobridores do século XVI, mesmo nestes tempos de pandemia, nos quais fica impossível organizar seminários como os promovidos por ele na capital portuguesa, que costumam reunir a fina flor do Planalto Central e adjacências. Até Sergio Moro já foi convidado, veja só. Outros tempos. Eles voltam.

De Lisboa, em contínuo estarrecimento, Gilmar comprou briga com as Forças Armadas, dando outra piscadela para os petistas e seus advogados progressistas, aproximou-se ainda mais de Bolsonaro, fornecendo-lhe conselhos, não sai de lives sempre repercutidas pela imprensa, sopra informações para amigos nos jornais — e não há que se duvidar de que o nome do próximo ministro da Saúde passará pelo seu crivo, se houver um abnegado que aceite o pior emprego do mundo.

Be Sociable, Share!

Comentários

Vanderlei on 17 julho, 2020 at 23:56 #

O melhor que ele faria ao Brasil é não voltar de Portugal e ficar por lá pra sempre. Bye , bye Gilmar!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos