Por G1

Zé do Caixão em retrato feito em 2004 — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo Zé do Caixão em retrato feito em 2004 — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

 

Zé do Caixão em retrato feito em 2004 — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

O ator, diretor e roteirista José Mojica Marins, conhecido pelo personagem Zé do Caixão, morreu aos 83 anos, vítima de uma broncopneumonia.

A morte foi confirmada pela filha de Mojica, a atriz Liz Marins, nesta quarta-feira (19). Ele morreu às 15h46, no hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. O cineasta estava internado desde o dia 28 de janeiro para tratar de uma broncopneumonia.

O velório deve acontecer no Museu da Imagem e do Som (MIS). Mojica deixa sete filhos.

Zé do Caixão em retrato feito em 2004 quando completou 40 anos de carreira — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo Zé do Caixão em retrato feito em 2004 quando completou 40 anos de carreira — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

Zé do Caixão em retrato feito em 2004 quando completou 40 anos de carreira — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

Filho dos artistas circenses Antonio André e Carmen Marins, José Mojica Marins nasceu no dia 13 de março de 1936, em São Paulo.

 

Mojica dirigiu 40 produções e atuou em mais de 50 filmes. Seu interesse pelo cinema de terror escatológico começou nos anos 1950, mas foi em 1964, com o filme “À meia-noite levarei sua alma”, que ganhou o apelido de Zé do Caixão.

Seu personagem mais famoso, o agente funerário sádico com roupas pretas, cartola, capa e unhas longas, ainda aparece em “Esta noite encarnarei no teu cadáver” (1967), “O estranho mundo de Zé do Caixão” (1968) e “Encarnação do demônio” (2008).

 

Zé do Caixão no filme 'Encarnação do Demônio', de 2008 — Foto: Divulgação Zé do Caixão no filme 'Encarnação do Demônio', de 2008 — Foto: Divulgação

Zé do Caixão no filme ‘Encarnação do Demônio’, de 2008 — Foto: Divulgação

Mesmo conhecido como o mestre do terror no cinema brasileiro, Mojica trabalhou com outros gêneros, como aventura, faroeste e pornochanchada. Ele também influenciou o movimento do cinema marginal nos anos 1960.

Quando tinha 17 anos, fundou a Companhia Cinematográfica Atlas, que produziu filmes amadores. O primeiro longa-metragem foi “A sina do aventureiro”, de 1958.

Em 1963, escreveu a história de “Meu destino em tuas mãos” e procurou o cineasta Ozualdo Candeias para fazer o roteiro, mas o colaborador não foi creditado.

Zé do Caixão em 'Esta noite encarnarei no teu cadáver', de 1967 — Foto: Divulgação Zé do Caixão em 'Esta noite encarnarei no teu cadáver', de 1967 — Foto: Divulgação

Zé do Caixão em ‘Esta noite encarnarei no teu cadáver’, de 1967 — Foto: Divulgação

 O personagem Zé do Caixão, conforme Mojica contou em várias entrevistas, surgiu para ele durante um pesadelo, em que um homem de capa preta o arrastava para um túmulo.

A primeira aparição do Zé do Caixão no cinema foi em “À meia-noite levarei sua alma”, de 1964. Nos Estados Unidos, ele ficou conhecido como “Coffin Joe”.

Segundo o site oficial do personagem, Josefel Zanatas era o nome verdadeiro de Zé do Caixão. O coveiro era filho de um casal dono de uma rede de agências funerárias.

Por isso, o pequeno Zé do Caixão cresceu como uma criança muito sozinha e discriminada pelos colegas por causa da profissão dos pais.

A biografia ainda diz que Zé do Caixão é um “homem sem crenças, não acredita em Deus nem no Diabo, só acredita nele mesmo, acha que é o único que pode fazer justiça”.

 O cineasta e ator José Mojica Marins, conhecido como Zé do Caixão em fotografia feita em 2001 — Foto: Agliberto Lima/Estadão Conteúdo O cineasta e ator José Mojica Marins, conhecido como Zé do Caixão em fotografia feita em 2001 — Foto: Agliberto Lima/Estadão Conteúdo

O cineasta e ator José Mojica Marins, conhecido como Zé do Caixão em fotografia feita em 2001 — Foto: Agliberto Lima/Estadão Conteúdo

Com o sucesso, o personagem começou a ser confundido com o seu próprio autor. No anos 1990, o Zé do Caixão apresentou o “Cine Trash”, na Rede Bandeirantes.

Ele também comandou um programa de entrevistas no Canal Brasil, “O estranho mundo do Zé do Caixão”, que estreou em 2008 e teve sete temporadas.

Em 2014, José Mojica sofreu um infarto e passou por uma angioplastia e colocou três stents (bubos de metal para melhorar o fluxo sanguíneo da artéria) no coração.

 

Ele voltou a ser internado no mesmo ano em razão de uma piora nas funções renais. Desde então, ele se manteve mais afastado da mídia.

fev
20

DO EL PAÍS

A companhia petrolífera, que sofre uma greve que já dura 19 dias, ganha 9 bilhões de dólares em um exercício marcado pelo desinvestimento estatal

Prédio da Petrobras, no Rio de Janeiro.
Prédio da Petrobras, no Rio de Janeiro.Sergio Moraes / REUTERS (Reuters)

A Petrobras ganhou mais de 40 bilhões de reais no ano passado, o que significa o maior lucro anual de sua história. A empresa apresentou seu balanço financeiro de 2019 nesta quarta-feira, depois do fechamento da Bolsa de Valores de São Paulo, enquanto um terço de seus funcionários fazia seu 19º dia de greve em protesto contra o fechamento de uma fábrica de fertilizantes e as demissões relacionadas. Para o enorme lucro contribuiu o fato de que, desde que Jair Bolsonaro e seu liberal ministro da Economia, Paulo Guedes, assumiram o poder, o Estado vendeu uma parte importante de suas ações daquela que ainda é a maior empresa pública do país.

Os lucros se devem ao desinvestimento do Estado com a venda de ações no valor de 6 bilhões —parte dos planos de diminuir a presença do Estado—que estavam nas mãos de dois bancos públicos e a venda de campos de petróleo e outros ativos, informou a Petrobras. O presidente da empresa, Roberto Castello Branco, destacou que o desinvestimento estatal “ajudou a viabilizar o foco nos ativos dos quais somos donos naturais” e permitiu investir mais em áreas exploratórias do pré-sal, imensas reservas descobertas sob uma espessa camada de sal no Atlântico

Este lucro recorde consolida a mudança de tendência registrada no ano anterior. A Petrobras voltou então a dar lucro depois de quatro anos no vermelho, desde que o escândalo de corrupção desvelado pela Lava Jato estourou. As investigações e as decisões sobre ocaso continuam no Brasil e no exterior. Nesta mesma quarta-feira um juiz condenou dois ex-diretores da Petrobras, Pedro Barusco e Paulo Roberto Costa, a pagar meio milhão de reais cada um aos funcionários da empresa por danos morais causados por práticas corruptas. Os dois condenados estão colaborando com a Justiça. O caso Odebrecht, derivado do caso Petrobras, levou à prisão na Espanha, há alguns dias, do ex-diretor da mexicana Pemex, Emilio Lozoya, acusado de receber subornos da construtora.

O lucro da Petrobras no fechamento do último exercício representa um aumento de 55% em relação ao de 2018, mas sem as vendas extraordinárias estaria próximo deste. Os lucros do ano passado foram, de acordo com a empresa, com o barril a 64 dólares em 2019, diante dos 71 do exercício anterior.

A greve de 21.000 dos 63.000 funcionários da estatal, que aumenta o risco de escassez no Brasil, continua apesar de um juiz ter anulado cautelarmente na terça-feira as demissões que a motivaram. Os afetados são 400 funcionários da estatal e outros 600 empregados de empresas subsidiárias que trabalhavam em uma fábrica de fertilizantes recém-fechada no Paraná. Estão em greve mais de 121 unidades da Petrobras, entre plataformas de produção, refinarias e terminais.

Os principais partidos da oposição de esquerda, o Partido dos Trabalhadores (PT) de Lula e o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), apoiam a greve dos petroleiros enquanto tentam transformá-la em uma plataforma contra o amplo programa de privatizações desenhado pelo czar da economia, Paulo Guedes.

Depois de anos de estagnação, a produção também se recuperou, ficando em três milhões de barris por dia entre petróleo e gás.

“Olvidame”, Miltinho: Uma preciosidade musical da inesgotável reserva do jornalista Gilson Nogueira. amigo do peito e colaborador da primeira hora deste site blog.Milton Santos de Almeida, saudoso e inesquecível Miltinho, um mestre do ritmo, aqui interpretando um bolero de antologia. Pode aplaudir de pé que ele merece.

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira e Vitor Hugo)

fev
20

Jantar com Guedes e Ramos não aplacou fome de Maia e Alcolumbre

Por Claudio Dantas

Oferta especial: combo O Antagonista+ e Crusoé

Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre já estavam cientes ontem das declarações polêmicas feitas pelo general Heleno, em cerimônia no Palácio do Planalto pela manhã. E sinalizaram que o acordo sobre a crise dos R$ 30 bilhões poderia ser rompido.

Na reunião a portas fechadas com Jair Bolsonaro, Luiz Ramos e Paulo Guedes convenceram o presidente a pacificar a situação, entregando metade do valor (R$ 15 bilhões) em emendas aos parlamentares e apresentando hoje o texto da reforma administrativa.

No jantar à noite, na residência oficial do Senado, Guedes e Ramos colocaram na mesa a proposta, que foi recebida com a promessa de ser submetida pelas lideranças partidárias às suas bancadas.

Alcolumbre e Maia fizeram questão de enfatizar aos emissários de Bolsonaro que, ao alocar os R$ 30 bilhões em emendas, o Congresso estava apenas cobrando a fatura prometida pelo próprio governo ao longo do ano passado, em troca da aprovação das reformas de seu interesse.

Mas os ministros argumentaram que várias reformas ainda não foram aprovadas. Ou seja, não era possível entregar todo esse dinheiro antes de confirmadas as votações.

Guedes e Ramos saíram do jantar com a impressão de que o tema estava pacificado, apesar de certa resistência inicial. O vazamento dos áudios de Heleno na imprensa hoje, porém, escancarou o embate.

Com ou sem acordo, o desfecho da crise é incerto.

 

Em cima de trator, senador marchou ao lado de moradores da cidade rumo a quartel com policiais aquartelados

Cid Gomes após ser baleado em Sobral.
Cid Gomes após ser baleado em Sobral.Reprodução

O senador Cid Gomes (PDT) foi atingido por tiros de arma de fogo nesta quarta-feira em Sobral, no Ceará, enquanto protestava, em cima de uma retroescavadeira, contra a paralisação de agentes da Polícia Militar do Estado. Cid, que é ex-governador cearense com histórico de conflito com a polícia e ligado ao atual mandatário Camilo Santana (PT), havia convocado a população pelas redes sociais para se levantarem contra os policiais, aos quais acusou de impor terror à sociedade. Segundo boletim médico do Hospital do Coração de Sobral, onde Cid foi atendido, o senador não sofreu alterações cardíacas ou neurológicas e respira sem ajuda de aparelhos. Antes, o ex-ministro Ciro Gomes, irmão de Cid, havia adiantado que o senador não corre risco de morte.

A cena no quartel de Sobral, transmitida ao vivo pela página de Facebook O Sobralense, mostra escalada da tensão no protesto liderado pelo senador. Em cima de uma retroescavadeira e ladeado por uma multidão, ele se dirigiu a um dos quartéis da cidade, que é o bastião político dos Gomes, a 200 km de Fortaleza. Lá agentes grevistas estavam amotinados. Vários deles com o rosto coberto. Nas imagens, o trator dirigido por Cid aparece avançando contra os portões do quartel. Ouve-se estampidos e surgem as imagens que mostram Cid atingido.

 DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS (LISBOA)

O ‘rapper’ nova-iorquino Pop Smoke, de 20 anos e considerado como uma das estrelas em ascensão do género, foi morto a tiro esta quarta-feira, confirmaram várias publicações especializadas, junto da polícia de Los Angeles.

A Rolling Stone adiantava, a par de órgãos como o TMZ, que a polícia de Los Angeles, na Califórnia, foi chamada para uma emergência depois de atiradores encapuzados terem assaltado a casa onde o ‘rapper’ se encontrava.

O músico estava confirmado no cartaz da edição de estreia em Portugal do festival Rolling Loud, que se realiza em Portimão entre os dias 08 e 10 de julho, tendo o evento já lamentado a sua morte através das redes sociais.

Em setembro do ano passado, o New York Times incluía Pop Smoke nas suas previsões de outono, admitindo que seria o futuro “rei” do rap de Brooklyn, enquanto a XXL Mag escrevia, há duas semanas, que Pop Smoke se tinha transformado num dos mais entusiasmantes ‘rappers’ de Nova Iorque.

A morte do músico acontece poucos dias depois do lançamento da sua segunda ‘mixtape’, intitulada “Meet the Woo Vol. 2”.

Pouco tempo depois de lançar a sua primeira faixa, “Welcome to the Party”, Pop Smoke já colaborava com artistas como Nicki Minaj e Skepta, que fizeram remisturas do tema, tendo também colaborado com Travis Scott.

fev
20
Posted on 20-02-2020
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-02-2020


 

Rodrigo, no jornal gaúcho

 

DO EL PAÍS

Flagrado em áudio privado, ministro reclama do Parlamento por tentar avançar no controle do orçamento. Maia reage e chama general da reserva de “radical ideológico”

O general Augusto Heleno é considerado o principal estrategista de Jair Bolsonaro.
O general Augusto Heleno é considerado o principal estrategista de Jair Bolsonaro.ADRIANO MACHADO (REUTERS)

A queda de braço entre o Executivo e o Congresso ganhou músculos nesta quarta-feira em Brasília, quando veio a público uma gravação vazada do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, em que expunha sua insatisfação com os parlamentares. Heleno se queixava da pressão do Parlamento por derrubar os vetos do presidente Jair Bolsonaro ao orçamento impositivo. Sem os vetos, deputados e senadores teriam mais controle sobre os recursos do orçamento. Sem saber que estava sendo gravado, o general falou em “chantagem” do Legislativo para aumentar o controle sobre o dinheiro do orçamento da União, segundo o jornal O Globo. “Não podemos aceitar esses caras chantageando a gente o tempo todo. Foda-se”, disse Heleno, na presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo. A fala do general foi captada em transmissão ao vivo da presidência da República em cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio do Planalto.

Sua fala caiu como uma bomba nas já tensas relações entre os dois poderes. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, rebateu a fala do general um tom acima do habitual. Maia qualificou o ministro do GSI como “radical ideológico”. “Geralmente na vida, quando a gente vai ficando mais velho vai ganhando equilíbrio, experiência e paciência. O ministro pelo jeito está ficando mais velho e está falando como um jovem”, declarou na manhã desta quarta. “Uma pena que um ministro com tantos títulos tenha se transformado num radical ideológico”.

O imbróglio obrigou Heleno a se explicar no Twitter nesta quarta. “Externei minha visão sobre as insaciáveis reivindicações de alguns parlamentares por fatias do orçamento impositivo, o que reduz, substancialmente, o orçamento do Poder Executivo e de seus respectivos ministérios. Isso, a meu ver, prejudica a atuação do Executivo e contraria os preceitos de um regime presidencialista”, escreveu Heleno, que avaliou o vazamento do áudio como “mais um lamentável episódio de invasão de privacidade, hábito louvado no Brasil”.

  • Arquivos

  • Fevereiro 2020
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    242526272829