dez
17

Brasileiros levaram um susto no primeiro tempo, mas Bruno Henrique brilhou na segunda etapa e decidiu a semifinal a favor dos rubro-negros

Bruno Henrique comemora o terceiro gol do Flamengo.
Bruno Henrique comemora o terceiro gol do Flamengo.ALI HAIDER / EFE
 Diogo Magri

A evidência de que Jorge Jesus mudou as coisas no intervalo veio logo aos três minutos da etapa final. Gabigol achou um lindo passe para Bruno Henrique, que na cara do gol rolou para Arrascaeta empatar. O time melhorou com a entrada de Diego no lugar de Gerson; o camisa 10 lançou Rafinha pela direita, que cruzou na cabeça de Bruno Henrique para virar o confronto aos 32 minutos. Quatro minutos depois, o camisa 27 recebeu de Diego pela esquerda e cruzou para Gabigol. Antes do artilheiro, o zagueiro Al-Bulayhi empurrou para as próprias redes. Antes do apito final, Carrillo ainda perdeu a cabeça e acertou um pontapé em Arrascaeta, sendo punido com um cartão vermelho. Com o 3 a 1, o Flamengo espera o vencedor de Liverpool x Monterrey, que se enfrentam amanhã às 14h30 (horário de Brasília) na outra semifinal.

DO ZERO HORA/PORTO ALEGRE

Longa de Karim Aïnouz não entrou para a lista de 10 semifinalistas da categoria

 
Bruno MACHADO / Divulgação
Carol Duarte (ao fundo) e Julia Stocker vivem as protagonistas de “A Vida Invisível”Bruno MACHADO / Divulgação

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou nesta segunda-feira (16) os 10 pré-selecionados para a disputa do Oscar de Melhor Filme Internacional. O brasileiro A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, não entrou para a chamada “shortlist”, lista com títulos que tentarão vaga entre os cinco indicados na categoria.

Os semifinalistas são: O Pássaro Pintado (República Tcheca),  Truth and Justice (Estônia), Os Miseráveis (França), Aqueles que ficaram (Hungria), Honeyland (Macedônia do Norte),  Corpus Christi (Polônia), Uma Mulher Alta (Rússia), Atlantique (Senegal), Parasita (Coreia do Sul), Dor e Glória (Espanha).

A disputa

Em 2019, 93 países indicaram títulos para concorrer ao Oscar na categoria de Melhor Filme Internacional (até então chamada de Melhor Filme Estrangeiro) – um número recorde. Os pré-requisitos para uma obra participar da disputa são: ter sido produzida fora dos Estados Unidos com diálogo predominantemente em língua que não seja o inglês e ter mais de 40 minutos.

Após todos os países terem indicado seus filmes, a Academia fez a pré-seleção de 10 produções, divulgadas nesta segunda. Porém, essa é apenas a semifinal da disputa. Em 13 de janeiro de 2020, serão divulgados os cinco longas que estarão na cerimônia do Oscar, em 9 de fevereiro.

Entre os semifinalistas, um destaques é Parasita, vencedor da Palma de Ouro em Cannes. O filme de Bong Joon Ho está indicado na mesma categoria no Globo de Ouro, além de concorrer a melhor diretor e melhor roteiro. Dor e Glória, de Pedro Almodóvar, também foi nomeado do Globo de Ouro, incluindo a indicação de Antonio Banderas como melhor ator.

Sobre o filme brasileiro

A Vida Invisível foi o filme brasileiro escolhido em uma lista de 10 longas nacionais. A seleção é feita todos os anos pela Academia Brasileira de Cinema. O longa de Karim Aïnouz recebeu cinco votos e desbancou Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, que teve a preferência de quatro votantes.

Inspirado no livro de Martha Batalha A Vida Invisível de Eurídice Gusmão (título do filme no circuito de festivais), o longa conta a história de duas irmãs que são separadas e acabam vivendo, cada uma a sua maneira, trajetórias assoladas pelo machismo. Elas são interpretadas por Carol Duarte e Julia Stockler. A atriz Fernanda Montenegro também está no elenco e aparece no epílogo, após duas horas de projeção. 

A produção estreou entre outubro e novembro nos cinemas brasileiros e, a partir do dia 20 de dezembro, será disponibilizadq também na Amazon Prime Video.

O Brasil no Oscar

O Brasil esteve apenas quatro vezes na cerimônia de premiação do Oscar. A última foi em 1999, quando concorreu com Central do Brasil, de Walter Salles. O filme ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim e o Globo de Ouro, mas no Oscar acabou perdendo para o italiano A Vida É Bela. As outras cerimônias em que filmes brasileiros concorreram a estatuetas foram em 1963, com O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte; 1996, com O Quatrilho, de Fábio Barreto; e em 1998, com  O que É Isso, Companheiro, de Bruno Barreto.

“Verão do Rio”, Celso Fonseca: Bom dia, grande Vítor! Estamos aqui, na terra do estamos aí! Feliz Natal, amigo, para você e os seus! E Que 2020 nos traga muita saúde e paz, mais do que já temos! Forte abraço, irmão velho! Gilson.

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

 

Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília

Jair Bolsonaro chama educador Paulo Freire de 'energúmeno'

O presidente Jair Bolsonaro chamou nesta segunda-feira (16) de “energúmeno” o educador Paulo Freire, patrono da educação brasileira, e declarou que a programação da TV Escola “deseduca”.

Bolsonaro fez as afirmações contra Paulo Freire e a TV Escola na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre o tema enquanto conversava e fazia fotos com apoiadores.

Na última sexta (13), o contrato com a associação responsável por gerir a TV Escola desde 1995 não foi renovado Em nota, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que estuda a possibilidade de as atividades do canal serem exercidas por outra instituição da administração pública.

O presidente defendeu a decisão do ministério de não renovar o contrato e disse que a audiência da TV Escola é muito baixa.

“Você conhece a programação da TV Escola? Deseduca”, afirmou o presidente.

“Queriam que assinasse agora um contrato, o Abraham Weintraub [ministro da Educação], de R$ 350 milhões. Quem assiste a TV Escola? Ninguém assiste. Dinheiro jogado fora”, acrescentou.

Segundo Bolsonaro, a educação do Brasil tem desempenho ruim e avaliações por causa “dessas programações”, com a da TV Escola que, na sua opinião, tinha uma programação “totalmente de esquerda”, que promovia “ideologia de gênero” com recursos públicos.

‘Energúmeno’

De acordo com o presidente, as mudanças que a sua gestão implementa terão reflexos na educação do país num prazo entre cinco e 15 anos.

Ao concluir o argumento, ele chamou o educador Paulo Freire de “energúmeno” (ignorante, boçal, imbecil, segundo definição do dicionário Houaiss.

“Era uma programação [da TV Escola] totalmente de esquerda, ideologia de gênero, dinheiro público para ideologia de gênero. Então, tem que mudar. Reflexo, daqui a 5, 10, 15 anos vai ter reflexo. Os caras estão há 30 anos [no ministério], tem muito formado aqui em cima dessa filosofia do Paulo Freire da vida, esse energúmeno, ídolo da esquerda”, disse Bolsonaro

No mês passado, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) alterou a plataforma criada para os professores buscarem cursos de aperfeiçoamento profissional e retirou a homenagem ao educador Paulo Freire do nome. Agora, a “Plataforma Freire” se chama “Plataforma da Educação Básica”.

“Olha a prova do Pisa. Estamos em último lugar no mundo, se eu não me engano, matemática, ciências e português. Acho que em um ou dois itens somos os últimos da América do Sul. Vamos esperar o que desse Brasil com esse tipo de educação?”, completou.

Bolsonaro estava se referindo ao Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês). Na mais recente avaliação, feita em 2018 e divulgada neste mês, o Brasil não ficou em último lugar, embora o desempenho tenha sido baixo. Entre os países da América do Sul, a Argentina ficou em último lugar.

Paulo Freire

Paulo Freire foi declarado o patrono da educação brasileira em 2012. O educador desenvolveu uma estratégia de ensino baseada nas experiências de vida das pessoas, em especial na alfabetização de adultos.

Uma das obras de Freire, “Pedagogia do Oprimido”, é o único livro brasileiro a aparecer na lista dos 100 títulos mais pedidos pelas universidades de língua inglesa consideradas pelo projeto Open Syllabus.

A metodologia de Paulo Freire vem sendo criticada por integrantes do governo Jair Bolsonaro, que atribuem ao método o baixo desempenho escolar do país em avaliações da qualidade da educação.

Por Elisa Clavery, TV Globo — Brasília

O Senado pode analisar quatro projetos que recuperam pontos retirados do pacote anticrime apresentado neste ano pelo ministro da Justiça, Sergio Moro.

Na semana passada, os parlamentares aprovaram um projeto que endurece a legislação penal e reúne propostas do pacote de Moro; da comissão de juristas coordenada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal; e de parlamentares.

Agora, caberá ao presidente Jair Bolsonaro sancionar o projeto, sancionar com vetos ou vetar integralmente. Segundo Moro, a hipótese de veto integral está “descartada”, mas Bolsonaro poderá vetar alguns pontos.

Os projetos que retomam pontos do pacote anticrime foram apresentados pelo senador Elmano Férrer (Podemos-PI) e já foram encaminhados à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Não há data prevista para votação.

Entre os pontos que os projetos retomam estão as audiências por videoconferência; a chamada “plea bargain” e novas causas que interromperão o prazo para a prescrição de pena .

Ao justificar a apresentação das propostas, Elmano Férrer disse que o Senado não teve a oportunidade de discutir alguns aspectos do pacote anticrime enviado por Moro – o Senado aprovou o mesmo texto aprovado pela Câmara.

“Apresentei para que nós, Senado, como Casa revisora, tenhamos oportunidade de analisar alguns pontos que foram desidratados na Câmara dos Deputados”, afirmou Férrer à TV Globo.

“Achamos que há pontos importantes do projeto original, do governo e sobretudo do Sergio Moro”, acrescentou.

 
 
Natuza: expectativa é que Bolsonaro vete alguns pontos do pacote anticrime

Natuza: expectativa é que Bolsonaro vete alguns pontos do pacote anticrime

‘Excludente de ilicitude’

Os projetos de Elmano Férrer não preveem a “excludente de ilicitude”, situação em que o policial pode se livrar de punição. O pacote de Moro previa esse item, mas os deputados e os senadores aprovaram o projeto anticrime sem a proposta.

“Eu mesmo, particularmente, queria apresentá-lo porque acho relevante. […] Tenho um pensamento pessoal, mas sei que é um tema muito polêmico, vários juristas têm pensamentos diferentes”, afirmou.

A “excludente de ilicitude” é tratada em um projeto enviado pelo governo ao Congresso e que atualmente tramita na Câmara. O texto isenta de punição os policiais e os militares que estiverem em operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Ponto a ponto

Saiba os projetos que retomam pontos retirados do pacote anticrime:

  • Audiências por videoconferência

Amplia as possibilidades de uso da videoconferência em interrogatórios de presos, além de permitir o uso da tecnologia em audiências de custódia.

Atualmente, a lei prevê que a videoconferência pode ser determinada “excepcionalmente” pela Justiça. O projeto retira a limitação e permite videoconferência sempre que a finalidade for “questão de ordem pública” ou a diminuição de custos com deslocamento ou escolta de presos.

Além das hipóteses já previstas em lei para videoconferência – como acareação, inquirição da testemunha, tomada de declarações –, o projeto determina que as audiências de custódia também podem ser feitas assim.

  • ‘Plea bargain’

Institui o “plea bargain”, acordo feito após apresentação de denúncia que envolve a confissão dos crimes pelo acusado em troca de uma pena menor.

O acordo poderá ser feito em casos de infração sem violência ou grave ameaça e com pena máxima de quatro anos, seguindo uma série de condições (como o reparo do dano à vítima e a prestação de serviços à comunidade). O projeto prevê restrições ao acordo, por exemplo, caso o investigado for reincidente ou se já tiver sido beneficiado nos últimos cinco anos com outro acordo.

  • Regime inicial fechado

O quarto projeto prevê o regime inicial fechado no cumprimento de pena em caso de reincidência ou para casos de peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, roubo com arma de fogo ou explosivo e roubo que resulte em lesão corporal grave.

  • Prescrição de pena

Prevê novas causas que impedem ou interrompem o curso da prescrição de pena. O senador sugere, como causa impeditiva, o aguardo da análise de embargos de declaração ou de recursos aos tribunais superiores.

Como causas interruptivas, o projeto altera dois artigos do Código Penal para dizer que o curso da prescrição se interrompe já durante a execução provisória de pena. Pelo texto do projeto, a prescrição de pena seria interrompida:

  1. pela publicação da sentença e do acórdão recorríveis (atualmente, a lei fala em sentença ou acórdão “condenatórios”);
  2. pelo início ou continuação da execução provisória ou definitiva da pena (atualmente, a lei não fala em execução provisória).

DO EL PAÍS

Torcida do Flamengo fez festa na saída da delegação do Rio de Janeiro para o Catar.
Torcida do Flamengo fez festa na saída da delegação do Rio de Janeiro para o Catar.DANIEL RAMALHO / AFP

Flamengo x Al Hilal se enfrentam nesta terça-feira, às 14h30 (horário de Brasília), no estádio Khalifa, em Doha, Catar, pela semifinal do Mundial de Clubes da FIFA 2019. A partida será transmitida pelos canais SporTV (tv fechada) e Rede Globo (tv aberta). O EL PAÍS também fará a cobertura ao vivo do confronto.

A semifinal é o primeiro desafio rubro-negro em busca do bicampeonato mundial no Catar. Depois de sobrar no campeonato brasileiro, vencido com folga, e conquistar a Libertadores com uma virada épica em cima do River Plate na final, o Flamengo de Jorge Jesus, Gabigol e Bruno Henrique tem pela frente o atual campeão da Champions asiática e ex-clube do treinador português. Com alguns nomes que tiveram boa passagem no futebol europeu, como Gomis e Giovinco, além do brasileiro Carlos Eduardo, o Al Hilal chegou às semis depois de bater o Esperance da Tunísia nas quartas. O vencedor enfrenta quem ganhar entre Liverpool e Monterrey na final do Mundial, marcada para sábado

dez
17
Posted on 17-12-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-12-2019



 

Ricardo Manhães, no jornal mineiro

 

DO EL PAÍS

Presidente Alberto Fernández pede ao Congresso “poderes especiais” para renegociar a dívida externa

Cartazes de propaganda eleitoral em uma rua de Buenos Aires. / REUTERS
Cartazes de propaganda eleitoral em uma rua de Buenos Aires. / REUTERS

O novo Governo da Argentina finalizou nesta segunda-feira um pacote de medidas de “emergência econômica, social e de saúde” para enfrentar a profunda crise do país, em virtual suspensão de pagamentos. As medidas, bem numerosas, vão de aumento de impostos a ajuda a pequenas empresas e programas de vacinação obrigatória. Viajar para o estrangeiro e comprar produtos no exterior ficará muito mais caro, a fim de proteger as minguadas reservas argentinas em dólares. O presidente Alberto Fernández espera que o Congresso, ao qual o Governo pediu “poderes especiais” para renegociar a dívida, aprove o pacote nesta semana mesmo.

Os ministérios de Buenos Aires trabalham contra o relógio. O peronismo sabia desde agosto, quando arrasou nas primárias, que venceria as eleições de 27 de outubro, mas esse tempo não parece ter sido suficiente para o preparo das medidas de emergência. O chefe de Gabinete (equivalente a um primeiro-ministro), Santiago Cafiero, explicou no domingo ao jornal Clarín que ainda estava “difícil saber algumas coisas”, como o estado do déficit fiscal, que o Governo anterior, de Mauricio Macri, estimava em 0,5% e que, segundo Cafiero, é superior.

A primeira medida foi publicada no sábado na forma de um decreto e afetou as exportações agrícolas, o principal mecanismo argentino de obtenção de divisas. O regime tributário estabelecido por Macri, que retinha quatro pesos por dólar exportado, foi cancelado e em seu lugar passou a vigorar um porcentual fixo de 9% para cada dólar. No caso da soja, o produto mais competitivo nos mercados internacionais, o 9% se soma aos 18% existentes, de modo que o total retido será de 27%. As organizações rurais protestaram e ameaçaram com mobilizações, não concretizadas ainda, pois aguardam uma reunião com o Governo. Cafiero explicou que não se tratava tanto de um aumento da carga tributária, mas de uma atualização após a forte desvalorização do peso, e insistiu na necessidade de que todos os setores façam um “esforço solidário”.

Entre as medidas propostas para proteger as reservas cambiais está uma sobretaxa de 30% nas compras realizadas com cartão de crédito no exterior. Na prática, isso significa um imposto extraordinário sobre viagens ao exterior (o encargo também se aplica à compra de viagens e contratação de hotéis). Além de captar recursos adicionais e reverter um saldo turístico bastante deficitário (quase 5 bilhões de dólares no vermelho, cerca de 20 bilhões de reais), a medida visa promover o turismo interno, que gera empregos temporários abundantes.

O Governo também negocia com as províncias a suspensão do “consenso fiscal” estabelecido em 2017 com Macri, que implicava uma redução progressiva dos impostos locais. E se prevê ainda um aumento no imposto sobre propriedades pessoais, até agora fixado em uma alíquota entre 0,25% e 0,75% para patrimônios acima de dois milhões de pesos (cerca de 133.000 reais), com uma sobretaxa especial sobre bens no exterior. O imposto sobre a propriedade pessoal foi estabelecido em 1991 como uma medida estritamente temporária, mas nenhum Governo o aboliu.

No que diz respeito às empresas, será aplicado um imposto especial àquelas que fizerem saques em dinheiro (a meta é combater a economia informar, além de aumentar a arrecadação), mas haverá deduções para as que melhorarem o salário dos funcionários e será permitido às pequenas empresas o adiamento da devolução de créditos.

Como parte do pacote de medidas, o Governo pedirá ao Congresso que lhe conceda poderes extraordinários para renegociar a dívida contraída com o Fundo Monetário Internacional (44 bilhões de dólares, cerca de 177 bilhões de reais) e com detentores privados de títulos em dólares e pesos. O objetivo imediato é conseguir uma moratória nos pagamentos e estabelecer um cronograma de quitação da dívida para os próximos 20 anos.

O Governo de Alberto Fernández também pede poderes extraordinários para “refazer a estrutura tarifária” e suavizar, pelo menos parcialmente, os aumentos de até 1.600% aprovados pelo Governo anterior sobre as taxas de serviços como água, eletricidade e transporte. Isso implicaria ampliar os subsídios ao preço dos serviços públicos. As pessoas que recebem aposentadorias mais baixas teriam garantido o reembolso automático do IVA e um reajuste nos próximos seis meses.

À emergência alimentar, declarada nas últimas semanas do Governo Macri, será acrescida agora uma emergência na saúde destinada ao lançamento de programas de vacinação obrigatórios (estão aumentando os casos de doenças como o sarampo) e à ampliação de um sistema de centros médicos

  • Arquivos

  • dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031