nov
27

DA TRIBUNA DA BAHIA

O copiloto Fernando Oliveira Silva, de 26 anos, estava internado Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da ala de queimados do Hospital Geral do Estado (HGE)
Foto: Dudu Face/Camamu Noticias

Por: Rayllanna Lima

 

Mais uma vítima fatal foi registrada após a queda de um jatinho executivo, o bimotor Cessna 550, em Maraú, no sul da Bahia, no último dia 14. O copiloto Fernando Oliveira Silva, de 26 anos, estava internado Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da ala de queimados do Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos e faleceu na madrugada do último domingo (24), dez dias após a queda. 

Ele era o último sobrevivente ainda internado na Bahia. Os outros cinco foram transferidos na terça-feira (19) para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Um dia depois, na última quarta (20), o piloto Aires Napoleão, de 66 anos, que teve 15% do corpo queimado, recebeu alta. Com a morte de Fernando, subiu para quatro o número de mortos no acidente.

A jornalista Marcela Brandão Elias, de 37 anos, que morreu carbonizada; a irmã dela, Maysa Marques Mussi, de 27 anos (que estava internada no Hospital do Subúrbio); e o ex-piloto de Stock Car Tuka Rocha, de 36 anos, que teria retornado à aeronave para socorrer uma criança de seis anos, sobrevivente da queda. Há inda não há detalhes sobre o enterro do copiloto, que teve a morte confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

Para a unidade hospitalar em São Paulo foram transferidos Marrie Cavelan, de 27 anos; Marcelo Constantino, 28 anos, neto do empresário e fundador da Gol Nenê Constantino; Eduardo Mussi, 33 anos, irmão do deputado licenciado Guilherme Mussi; Eduardo, 6 anos, filho de Trajano e Marcela Brandão Elias, esta última que faleceu no acidente; e Eduardo Trajano Telles Elias, de 38 anos, esposo de Marcela e pai do pequeno Eduardo.

O bimotor Cessna 550 levava de São Paulo um grupo de familiares e amigos para aproveitar o feriadão de Proclamação da República (15 de novembro) na Bahia. As pessoas que estavam a bordo eram conhecidas da alta sociedade paulistana, como o casal Marcela e Eduardo, pertencentes à família de um dos maiores decoradores do Brasil. Também estava na aeronave, como citado acima, o neto do fundador da Gol.

Após o acidente, o ex-piloto de Stock Car chegou a ligar para a mãe e informar sobre o ocorrido, contando que estava vivo. Mas ao saber que Duduzinho, filho de Marcela e Eduardo, ainda estava na aeronave em chamas, Tuka retornou para retirar a criança dos destroços. Foi bem-sucedido, mas teve 80% do seu corpo queimado e faleceu no HGE. Ele foi velado e enterrado no Cemitério do Morumby, em cerimônia que contou com a presença de famosos como Rubens Barrichello, Otávio Mesquita e Marina Ruy Barbosa.

Tuka já havia sobrevivido a outro grave acidente, em 2011, quando o carro que pilotava pegou fogo durante uma competição do Rio de Janeiro. Ele se jogou do veículo ainda em chamas. Tuka foi tricampeão brasileiro de Kart e recentemente trabalhava como coach de jovens pilotos.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930